Publicidade

Nordeste enfrenta maior seca em 100 anos

HR PETROLINA/PE 13/12/2016 SECA NO NORDESTE ESPECIAL ECONOMIA – Animais que morreram de fome e foram colocados em uma área perto de sua casa, pelo agricultor Valdecir João da Silva, em Serrinha, na área rural de Petrolina. FOTO: HÉLVIO ROMERO/ESTADÃO

Animais que morreram de fome e foram colocados em uma área perto de sua casa, pelo agricultor Valdecir da Silva, em Serrinha, na área rural de Petrolina. Foto: Hélvio Romero/Estadão

Valdecir João da Silva, de 53 anos, conta os cadáveres do seu pequeno rebanho que não resistiu à fome, à falta de água e às doenças causadas pela desnutrição. Em uma área afastada da pequena casa onde vive com a família, ele juntou 12 animais mortos ao longo dos últimos meses. De alguns, restam os ossos. De outros, mais recentes, os corpos inchados. “Morreram de fome”, resume ele, que prefere deixá-los aos urubus a enterrá-los. Ele tenta salvar os 20 animais que restam com mandacaru, a planta símbolo do Nordeste. “Ração não dá para comprar, pois está muito cara. O saco de milho que custava R$ 18 há dois anos hoje sai por R$ 65.”

No sertão de Petrolina, quinta maior cidade de Pernambuco, não choveu por 11 meses. Em meados de dezembro, caiu uma chuva forte, mas logo parou. O receio dos sertanejos do semiárido é de que se repita o ocorrido em janeiro passado, quando a chuva veio forte, “sangrou” açudes, mas durou só duas semanas.

“Plantei 60 quilos de milho e de feijão, mas não choveu mais e perdi tudo. Não deu nem palha”, diz Josilane Rodrigues, de 25 anos, enquanto expõe 11 ovelhas em uma feira em Dormentes, a 130 km de Petrolina. Quer vendê-las, mesmo a preço baixo, por não ter como alimentá-las.

“Vou vender a qualquer preço porque não quero voltar com eles”, afirma Francisco Agostinho Rodrigues, de 64 anos, que levou à feira 23 de seus 60 animais. “A gente vende algumas para dar de comer às outras”. A feira semanal de Dormentes reúne, em média, 3,6 mil animais e atrai compradores da região e de outros Estados. Em tempos bons, tudo é vendido. Agora, em razão da crise e da seca, o número de animais expostos caiu à metade e muitos voltam para casa por falta de interessados, diz João Batista Coelho, da Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária.

Após cinco anos seguidos de volume de chuvas abaixo da média histórica, a seca do semiárido já é considerada a maior do século. A região inclui Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe e o norte de Minas Gerais e conta com cerca de 23 milhões de habitantes.
Água. Grandes reservatórios do Nordeste – com potencial de armazenar mais de 10 bilhões de litros de água – operam, em média, com 16, 3% da capacidade, porcentual que era de 46,3% há cinco anos. Dos 533 reservatórios da região monitorados pela Agência Nacional de Águas (ANA), 142 estão secos.

Segundo Raul Fritz, da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), “não se via seca tão severa para um período consecutivo desde 1910”, quando dados sobre as chuvas passaram a ser coletados. O Ceará é o Estado em pior situação. Seus reservatórios têm apenas 7% da capacidade armazenada. Nos últimos cinco anos, choveu em média 516 milímetros no território, enquanto a média mínima é de 600 milímetros. “E o Ceará é o retrato do que ocorre nos demais Estados”, diz Fritz.
Vários rios e açudes também secaram. Muitos moradores, inclusive em grandes cidades, só têm acesso à água fornecida por caminhões-pipa bancados pelos governos federal e estaduais.

De 2012 a 2015, o Nordeste registrou prejuízos de R$ 104 bilhões com a seca. O valor equivale a quase 70% das perdas em razão desse fenômeno em todo o Brasil, segundo a Confederação Nacional de Municípios (CNM). Os valores de 2016 ainda não foram contabilizados.
Em Pernambuco, onde boa parte dos 185 municípios está em situação de emergência, a perda chega a R$ 1,5 bilhão só na pecuária. O rebanho bovino, formado por 2,5 milhões de cabeças em 2011, diminuiu em 554 mil cabeças no ano passado.

Ainda que caprinos e ovinos tenham sofrido com a estiagem, como os do criador Silva, o rebanho cresceu por ter substituído o gado, que é menos resistente à seca. O número de cabras, bodes e cabritos passou de 1,9 milhão para 2,4 milhões em quatro anos. O de ovinos saltou de 1,8 milhão para 2,4 milhões.

Estadão

 

Comentários (5) enviar comentário
  1. Brasileiro disse:

    É a indústria da SECA VAI BEM !!!!
    Ha bilhões de anos na NORUEGA faz frios a – 20graus ,e se trabalha e vive muito bem ,é que lá não existe político LADRAO ,

  2. Andinho disse:

    Enquanto isso as Teles vão receber bilhões de presente do governo, e os Petralhas perdoaram as dívidas dos países governados por ditadores.
    O que falta é vontade política para solucionar o sofrimento dessa imensa parcela da população brasileira que vive no semi-árido.

  3. Carla disse:

    Onde estao as ongs de defesa aos animais???? Isso nao da ibope è?????

  4. Curioso disse:

    Uma notícia dessas para a graaaaaaaaaaaaaaande maioria dos políticos é uma GLÓRIA…

Publicidade

Interior do RN deve ter fim de semana de chuvas

É destaque no Novo Jornal nesta quarta-feira(04). As fortes chuvas que caem no Ceará desde a última terça-feira (3) devem chegar ao Rio Grande do Norte, com menor intensidade, durante o fim de semana. De acordo com o meteorologista Gilmar Bistrot, da Empresa de Pesquisa Agropecuária do RN, a previsão é de que cidades da Costa Branca e da região Oeste sejam as mais beneficiadas com as precipitações, que devem durar até o início da próxima semana. Confira reportagem completa aqui

Comentários (2) enviar comentário
  1. Barreteiros disse:

    Preparem os protetores solar que será de muito sol, a Emparn não acerta uma.

  2. Helio Motta disse:

    Como a EMPARN deve usar búzios ou cartas de baralho para suas previsões, acho que será mais um dia de sol nas regiões informadas.
    Aliás, alguém já tentou bater as previsões com o que realmente ocorreu para ver o grau de eficiência da empresa?

Publicidade

VÍDEO: Chuva em Florânia na tarde desta terça

O Blog Tonny Washington destaca esperança ao sertanejo. A cidade de Florânia, na região Seridó do Rio Grande do Norte, foi banhada por uma suave chuva na tarde desta terça-feira, dia 03 de janeiro de 2017. O vídeo foi enviado ao Blog pelo Secretário de Administração, Claudiano Silva.

Comentário (1) enviar comentário
  1. Raimundo Nonato disse:

    Ah! Que legal.
    É muito bom saber que as chuvas estão chegando na Terrinha!
    Um forte abraço nos amigos: Bruno Gionani, Tonny, e Claudiano, por proporcionar tamanha alegria, aos que estão fora de Florânia RN.
    Valeu!

Publicidade

VÍDEO registra momento exato em que turista é ferida por raio em praia de SP

Confira vídeo aqui em texto na íntegra

Imagens obtidas pelo G1 mostram o exato momento em que uma turista é atingida por um raio na Praia do Sonho, em Itanhaém, no litoral de São Paulo. Taline Campos, de 25 anos, teve uma parada cardiorrespiratória e foi internada em estado crítico

Um vídeo registrado por um morador da cidade mostra como tudo aconteceu. Taline caminha tranquilamente pela beira do mar, mesmo após a tempestade ter se formado. Em determinado momento, ela é atingida em cheio pelo relâmpago e cai no chão. Uma outra pessoa, que estava ao lado dela, não se feriu.

Assim como Taline, outros moradores e turistas também preferiram não se abrigar durante a tempestade. No vídeo, é possível identificar pelo menos dez pessoas, incluindo crianças, a menos de dez metros da jovem, que caminhava sozinha no momento do acidente.

Resgate

Banhistas que estavam perto do local do acidente chamaram o Serviço Atendimento Móvel Urgência (Samu). A jovem foi encaminhada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim Sabaúna, em estado gravíssimo.

O resgate da mulher foi feito em menos de 15 minutos, e ela precisou ser sedada e entubada. Segundo apurado pelo G1, na manhã desta segunda-feira (2) ela foi transferida para um hospital de referência na Grande São Paulo. Taline é moradora de Guarulhos.

Região campeã de raios

De acordo com o climatologista Rodolfo Bonafim, diretor científico da ONG Amigos da Água, a região da Baixada Santista é campeã em incidências de raios durante o verão. “As pessoas estão sendo imprudentes. Os turistas, por falta de conhecimento, acham que nada vai acontecer com eles. As pessoas precisam ficar espertas. A dica é olhar na direção do continente e observar as nuvens mais escuras. Isso pode evitar acidentes”, afirma.

Segundo Bonafim, a tempestade deste domingo pegou muita gente de surpresa, já que as nuvens carregadas chegaram repentinamente acompanhadas por uma forte ventania.

“Tudo aconteceu muito rápido. Os bombeiros pedem para as pessoas saírem e muita gente ignora. O que aconteceu foi uma descarga pontual. O raio cair em uma pessoa é raro. Normalmente, as mortes acontecem quando o raio cai na areia ou no mar e as pessoas recebem o choque”, diz.

O climatologista explica ainda que, provavelmente, a banhista foi atingida por estar em contato com a água salgada. “A água salgada é um condutor de eletricidade. O ponto mais alto entre a areia e a nuvem é a pessoa. Ela acabou virando uma espécie de para-raio. O relâmpago atingir a pessoa pela cabeça pode acontecer, mas é uma situação extremamente rara”, completa.

Outro caso

No dia 14 de janeiro de 2014, uma turista de 36 anos foi atingida por um raio em uma praia de Guarujá. O fotógrafo Rogério Soares, do jornal “A Tribuna”, de Santos, estava fazendo fotos da orla da praia da Enseada quando, coincidentemente, flagrou o momento em que a mulher foi atingida pelo raio. A vítima, Rosângela Biavati, chegou a ser socorrida, mas morreu pouco tempo depois.

G1

enviar comentário
Publicidade

Ventania assusta moradores da cidade de Pau dos Ferros, destaca reportagem

Moradores da cidade de Pau dos Ferros, no Alto Oeste potiguar, tomaram um susto com a forte ventania que atingiu a cidade nessa quarta-feira (28). Por meio das redes sociais, diversos pau-ferrenses relataram o fenômeno climático, que acompanhou uma chuva de baixa intensidade. O Novo Jornal entrou em contato com a PM local na manhã desta quinta, e, o oficial de plantão do 7° Batalhão, localizado no município, confirmou que os ventos causaram um princípio de pânico entre a população. Confira todos os detalhes em reportagem completa aqui

enviar comentário
Publicidade

Chuvas vão cair no RN até a primeira semana de janeiro, diz Emparn

 

Foto: Elias Medeiros

Segundo o meteorologista da Empresa de Pesquisa Agropecuária do RN (Emparn), Gilmar Bistrot, a previsão é de que haja pancadas de chuvas em todo o estado até a primeira semana de janeiro.

“As previsões estão boas. Deveremos ter chuvas em todas as regiões do estado. Não vai ser nada extraordinário, mas teremos essas pancadas até o começo de janeiro”, afirmou.

O RN tem registrado chuvas desde o início de janeiro, principalmente em cidades do interior do estado.

As informações são do site AGORA RN/FOTO: Elias Medeiros

Comentários (4) enviar comentário
  1. Barreteiros disse:

    A Emparn não acerta uma, vamos conferir?

  2. Sergio Nogueira disse:

    Que pena a EMPARN prevê isso. Como usa os búzios para esta tarefa, o que explica sua margem larga de erros, podemos combinar a praia desde amanhã.

  3. Blue disse:

    Notícia boa. Que caiam no interior do RN

  4. Rodrigues disse:

    Muito bom! Depois das pancadas vem o nosso inverno. É assim desde que o mundo é mundo.

Publicidade

FOTO: Registro de árvore derrubada com vento e fortes chuvas em Caicó

Registro do blogueiro e radialista Marcos Dantas, nesta quarta-feira(28), de árvore que não resistiu ao grande volume de água em curto espaço de tempo, somada a ventania. O comunicador ainda destaca que outras árvores no município de Caicó também tombaram. Foto: (Marcos Dantas).

Comentários (3) enviar comentário
  1. Oxalá disse:

    A flecha e oxossi, o sopro e tupã e a voz de tupamberaba. Uma hora de 45mm de chuva nos torrões do meu sertão.

  2. Nando disse:

    Com essa espessura de tronco… kkkk

  3. José disse:

    Mais chuva e menos vento! Muita chuva!!!!!

Publicidade
Publicidade

Fim de semana será nublado na maior parte do país

Foto: Ilustrativa

Em todo o país, a previsão do tempo de hoje (23) até domingo (25) é de que os dias iniciem quentes e tenham pancadas de chuva durante a tarde. A informação é do Instituto Nacional de Meteorologia.

Na região Norte, a previsão é que o tempo no fim de semana seja nublado com pancadas de chuvas e trovoadas isoladas no período da tarde. A temperatura oscilará entre 20°C e 36°C.

Já para a região Nordeste, o dia será encoberto com pancadas de chuvas no centro-leste do Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e no leste de Pernambuco e Bahia. Nas demais áreas, há possibilidade de chuvas isoladas. A temperatura varia com mínima de 16°C e máxima de 36°C.

O Sul amanhece com tempo aberto e durante o dia fica parcialmente nublado com pancadas de chuva e trovoadas em áreas isoladas. A temperatura na região terá mínima de 14°C e máxima de 33°C.

O Sudeste inicia com mínima de 13º C e máxima de 37°C, com pancadas de chuvas isoladas em Minas Gerais e São Paulo no sábado (24) e possibilidade de chuvas no Rio de Janeiro e Espirito Santo. O domingo (25) terá possibilidade de chuvas em toda a região.

O tempo nublado com possibilidade de chuvas isoladas também atinge o sul e sudeste de Goiás, Mato Grosso, exceto o leste e o Mato Grosso do Sul. As demais áreas do Centro-Oeste terão tempo encoberto, mas com pouca possibilidade de chuva. A temperatura varia de 16°C a 37°C.

Agência Brasil

enviar comentário
Publicidade

Primeiro dia de verão tem chuvas em 24 municípios do RN; veja

O primeiro dia de verão teve chuvas em 24 municípios do RN. As precipitações foram registradas pela Gerência de Meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn) entre as 7h da quarta-feira (21) e as 7h desta quinta (22) e se concentraram nas regiões Leste e Agreste potiguar.

Veja todas as cidades abaixo:

Região Agreste
Ielmo Marinho: 22,5 mm
Bom Jesus: 18,7 mm
São Pedro: 17,4 mm
Bento Fernandes: 14,0 mm
Nova Cruz: 14,0 mm
Passa e Fica: 12,2 mm
Santa Maria: 12,0 mm
Boa Saúde: 10,5 mm
Santo Antônio: 8,5 mm
São Paulo do Potengi: 8,5 mm
Rui Barbosa: 6,1 mm
Tangará: 6,0 mm
Serrinha: 5,6 mm
João Câmara: 3,3 mm
São Bento do Trairi: 3,3 mm
Sítio Novo: 2,0 mm

Região Leste
Natal: 37,4 mm
Parnamirim: 19,3 mm
Goianinha: 18,8 mm
São Gonçalo do Amarante: 18,8 mm
Senador Georgino Avelino: 16,2 mm
Baía Formosa: 13,5 mm
Canguaretama: 11,1 mm
Taipu: 2,0 mm

Fonte: Emparn

enviar comentário
Publicidade

Além de Natal, veja cidades que mais registraram chuvas no RN, segundo Emparn, nas últimas 24 horas

A Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn) registrou ocorrência de precipitação em 24 cidades do estado nas últimas 24 horas. A capital potiguar, com a “tempestade” da noite dessa quarta-feira(22), teve o maior índice pluviométrico foi registrado em Natal, 37,4 milímetros.

De acordo com o órgão, a tendência é de que a incidência de chuvas continue pelas próximas três semanas no Rio Grande do Norte. As precipitações, no entanto, não devem ser superiores a 60 milímetros.

Veja lista de cidades onde foi registrada chuva no estado:

(mais…)

enviar comentário
Publicidade
Publicidade