Publicidade

Domingo tem show gratuito da SESI BIG BAND e Ed Motta no Natal Shopping

Para comemorar o Dia Internacional do Jazz, a SESI BIG BAND convida Ed Motta para show gratuito no estacionamento externo do Natal Shopping, neste domingo (30), às 20h. Haverá também a participação especial da Camerata de Vozes do Rio Grande do Norte. A comemoração acontece em mais de 185 países e, Natal, será a única capital do Nordeste a participar deste evento mundial.

As senhas são limitadas e estão sendo distribuídas no Concierge do Natal Shopping. Cada CPF cadastrado terá direito a um par de senhas para a pista. A área das cadeiras estará reservada, exclusivamente, para idosos, portadores de necessidades especiais, gestantes e pessoas com crianças de colo.

A realização do International Jazz Day em Natal fica por conta do Fest Bossa & Jazz e SESI em parceria com a UNESCO, patrocínio do Natal Shopping, promoção MIX FM e apoio do Golden Tulip Hotel, G7 Comunicação, GB HD, Locarx, Luck Receptivo, Michele Tour e Zero Sete Marketing.

enviar comentário
Publicidade

“Mercado das Pulgas de Natal” é opção cultural e de lazer para este domingo

A Prefeitura do Natal, por meio da Lei Djalma Maranhão, está presente no Mercado das Pulgas, projeto cultural e de lazer gratuito que acontece neste domingo (30), no pátio da Arena das Dunas.

Neste domingo tem show da banda Sfinge e Estação de Contos para a criançada. Na feira, vários estandes com livros, vinis, antiguidade, artesanato, flores e outros tipos de comercialização. A praça de alimentação da feira conta com 20 espaços de culinária variada.

Parques, atividades esportivas, atrações infantis, shows musicais, espaço para caminhadas, patinação e pista de skate, completam a diversão dos adultos, dos jovens e da criançada.

O Mercado das Pulgas de Natal conta com o patrocínio da Prefeitura de Natal pela Lei Djalma Maranhão, da Arena das Dunas e Natal Veículos e a programação é totalmente gratuita.

Comentários (9) enviar comentário
  1. Filó disse:

    Por ser espaço público, deveriam baixar o preço do estacionamento, cujo valor de R$ 10,00 se torna muito "salgado" pro bolso do natalense…. Um evento gratuito com estacionamento custando R$ 5,00 já é de bom tamanho….

  2. ani disse:

    Estacionamento 10 reais e para atravessar a rua não tem segurança.
    Se estacionar nas ruas paralelas leva multa.

  3. Ricardo disse:

    Falta mais opções para lanchar , poucos treiles , quanto ao valor paga mesmo os 10,00 pra parar o carro no estacionamento

  4. Elnathan disse:

    Boa tarde,

    Uma dúvida, é permitido a entrada de animais?

    aguardo retorno,

    Obrigado!

    • FIREFOX disse:

      Claro o mercado é das pulgas 😀

    • Filó disse:

      Leva a esposa e deixa o cachorro tomando conta da casa… num é uma das funções dele? Ou tu vai ser sempre babá de cachorro?

  5. Observadora disse:

    A entrada é gratuita mas o estacionamento custa a bagatela de R$ 10,00

Publicidade

Ribeira Boêmia neste sábado traz João Cavalcanti, direto do Casuarina

O cantor, compositor, instrumentista e um dos fundadores do Grupo Casuarina, João Cavalcanti, apresentará o seu belo trabalho solo no Ribeira Boêmia, que também contará com luxuosa participação da brasiliense Renata Jambeiro, além do show de abertura do Arquivo Vivo, um dos mais tradicionais grupos de samba potiguar. Eles darão o tom da próxima edição do Projeto Cultural, que acontece no dia 29.04 (sábado), a partir das 18h, no Solar Bela Vista, centro histórico de Natal, coladinho na Ribeira.

O público terá a oportunidade de apreciar um repertório cheio de swing, tradição e composições autorais de João Cavalcanti, uma das vozes do Casuarina, e de sucessos do renomado Grupo carioca, como Certidão (João Fernando/João Cavalcanti), Dissimulata (João Cavalcanti), Ponto de Vista (João Cavalcanti/Edu Krieger), além das consagradas Disritmia (Zé Katimba), Gostoso Veneno (Nei Lopes/Wilson Moreira), Amor Proibido (Cartola) e Eu Quero é Botar meu Bloco na Rua (Sérgio Sampaio), dentre outras.

Teremos também a participação especial da cantora, atriz, dançarina e preparadora corporal Renata Jambeiro, finalista do Prêmio da Música Brasileira de 2016, na categoria “Melhor Cantora de Samba. Jambeiro foi premiada com seu mais recente álbum, FOGARÉU, na coletânea Prêmio Grão de Música 2016, e está com sua música Levanta(parceria com João Martins) na trilha sonora da novela A Lei do Amor da Rede Globo. Contaremos ainda com a presença ilustre do grande compositor e instrumentista potiguar, o músico Diogo Guanabara, que assina a produção musical dos convidados.

A abertura da edição ficará sob a batuta do tradicional grupo de samba natalense, Arquivo Vivo. Há 8 anos na estrada, o trabalho do Grupo vem se destacando na capital com suas composições próprias e interpretando grandes ícones do samba. Tudo começou pelas ruas de Natal, na Ribeira, sem local e nem hora definidos, quando um grupo de músicos decidiu resgatar as rodas de samba. Se inicialmente não havia uma formação fixa, hoje o Grupo Arquivo Vivo tem cinco integrantes, que buscam aperfeiçoar a cada dia o trabalho: Robson Lopes (cavaquinho), Renan Araújo (pandeiro e voz), Glaucia (surdo), Roberto (tantan) e Rafael Tavares (violão).

E, como sempre, a condução de tudo será da roda de samba oficial do Projeto Cultural Ribeira Boêmia, que nesta edição estará composta por Leonardo Galvão (cavaquinho); Anchieta Menezes (violão 7 cordas); Bruno César (sopros); Daniela Fernandes (voz); Ayrton Neto (voz e percussão); Flaubert Benício, Flávio Kioto e Weslley Silva “Cicinho” (percussão e efeitos gerais); e ainda a especial presença de Diogo Guanabara (produção musical e bandolin).

O Projeto Cultural Ribeira Boêmia contará, nessa edição, com o patrocínio da Prefeitura do Natal – Programa Djalma Maranhão, Unimed RN, Potiguar Turismo e Casa de Saúde São Lucas, além da parceria com Solar Bela Vista, nova casa do Ribeira Boêmia, e dos importantes apoios culturais, que viabilizam sua manutenção, como o Sistema Fecomércio RN – SESC – SENAC; Sistema FIERN – SESI, ART&C Comunicação Integrada; Universitária FM; ABIH RN; OAB RN – Caixa de Assistência aos Advogados; Le Postiche; IndetFix; e Neutron.

Sobre João Cavalcanti

João foi um dos fundadores do grupo Casuarina, em 2001, tendo realizado shows no Brasil e exterior, dividindo o palco com vários artistas, dentre eles seu pai, o cantor e compositor Lenine, além de Alcione, Arlindo Cruz, Beth Carvalho, Dudu Nobre, Elza Soares, Maria Rita, Moska, Sandra de Sá e Zélia Duncan.

Lançou, em 2005, como cantor e percussionista do grupo Casuarina, o CD Casuarina pela gravadora Biscoito Fino. E em 2007 o CD Certidão, também pela Biscoito Fino. Ambos foram indicados ao Prêmio TIM de Música, na categoria Melhor Grupo de Samba, e o Casuarina recebeu o Prêmio Rival Petrobrás, na categoria Melhor Grupo Musical.

Em 2009 lançou, com o Casuarina, os CD, DVD e Blu-Ray;MTV Apresenta: Casuarina; pelo selo Sony/BMG. Por esse trabalho, o Casuarina foi eleito Melhor Grupo de Samba no 21º Prêmio da Música Brasileira.

Em 2012 participou, ao lado de Alfredo Del-Penho, Moyseis Marques e Pedro Miranda, do Projeto; Segunda Lapa, com os quais realizou uma temporada de shows no Rio de Janeiro.

Nesse mesmo ano lançou, pelo selo Warner Music, seu primeiro CD solo, o “Placebo”. O disco, produzido por Plínio Profeta, incluiu onze faixas de sua autoria, dentre elas “Binário” (com Diego Zangado); “Mulato”, com participação de Pedro Miranda; “Demônios” (com Marcelo Caldi); e “Frevo do contra-êxodo”, que contou com a participação do grupo Casuarina.

Serviço:

O quê? Ribeira Boêmia convida João Cavalcanti (Casuarina), com a participação especial de Renata Jambeiro e abertura do Grupo Arquivo Vivo.

Quando? Sábado, 29 de abril de 2017, a partir das 18h.

Onde*? Solar Bela Vista – Rua São Tomé – Centro Histórico de Natal (vizinho ao Senac Centro).

Quanto**? Ingressos antecipados a preços promocionais (meia entrada para todos) de R$20.

Vendas antecipadas de ingressos: Le Postiche (Midway Mall e Natal Shopping – 2º piso).

(*) Estacionamento gratuito, com vagas limitadas, por ordem de chegada, gentilmente cedido pelo Senac – Sistema Fecomércio RN.

(**) As mesas serão disponibilizadas gratuitamente no dia e local do evento, em número limitado, por ordem de chegada.

enviar comentário
Publicidade

DESCOBRIMENTO: Alexandre Garcia “Marinha confirmou que do mar vê o Pico do Cabugi e não o Monte Pascoal”

O Jornalista Alexandre Garcia usou seu twitter na noite desta sábado para confirmar o que alguns pesquisadores e historiadores vem afirmando há muito tempo como Lenine Pinto e Manoel Cavalcanti. Que o Brasil foi descoberto pelo Rio Grande do Norte, e que o primeiro pico “avistado” pela esquadra de Cabral não teria sido o Monte Pascoal em Porto Seguro na Bahia, e sim o Pico do Cabugi no RN.

A secretaria de turismo do estado resolveu encampar essa luta de defender que a terra onde Cabral pisou pela primeira vez no Brasil foi na praia do Marco.

Com essa informação publicitada por Alexandre Garcia, “que a Marinha confirmou que do mar, vê-se o Cabugi no RN; e não o morrinho do sul da Bahia”, poderemos literalmente ter mudanças na história do Brasil e que seria excelente para as terras de Poti.

 

 

Comentários (15) enviar comentário
  1. Herick disse:

    Até que fim reconheceram o história correta.

  2. Kaio TG disse:

    Quem descobriu o Brasil foi a ODEBRECHT!!!

    • paulo martins disse:

      E quem está "descobrindo" o Rio Grande do Norte é o tirador de onda do Alexandre Garcia.

  3. Manoel de Oliveira Cavalcanti Neto disse:

    Hoje, 23 de abril, é dia de São Jorge. Há 517 anos as naus da Armada de Pedro Álvares Cabral ficaram fundeadas a meia légua da costa potiguar nas proximidades de Zumbi e do Rio Punaú. Daí avistaram ao Sul um cabo que recebeu o nome do santo do dia: São Jorge (hoje Cabo de São Roque). Alguns desceram à terra, constataram a existência da abundância de água e madeira, mas o local era impróprio para fundearem toda a armada com segurança e navegaram por 10 léguas na direção Norte. Essa é a distância para a Praia do Marco, onde permaneceram por mais de uma semana fazendo a aguada e estocando lenha. Ali chantaram um Padrão de Posse com a Cruz de Cristo e as Armas do Rei Dom Manuel – é o Marco de Touros. Vejam a Carta de Pero Vaz de Caminha (01/05/1500), o Mapa de Cantino (1502) e os livros "Descobrimento do Brasil" de Capistrano de Abreu (1929) e "O Mando do Mar" de Lenine Pinto (2015).

  4. Ojuara disse:

    Tem que mudar o nome do Pico do Cabugi para Pico Pascoal

  5. Flávio Tinoco bezerra de melo disse:

    Até que fim a verdade ,isso e muito bom!!!

  6. GB disse:

    Perdermos Fernando de Noronha para Pernambuco e o descobrimento pra Bahia! Kkkkkk

  7. jorjão disse:

    Taí "agora torou dentro"!!
    Foi a Globo que "descobriu" o Brasil!!!!

  8. #ficaadica disse:

    Pelo menos, pesquisa em fontes corretas… Já o deputado Rogério marinho disse no programa roda viva q o Amapá não tinha mar…

  9. #ficaadica disse:

    Vcs ainda duvidam dá força dá Globo?

  10. Henrique disse:

    Se o 1 Marco encontra se no RN, não faz sentindo ser na BA.

  11. paulo martins disse:

    Por sua inestimável contribuição à historiografia do Brasil e, em particular, à norte-rio-grandense, Alexandre Garcia deveria ser aclamado já presidente do Instituto Histório e Geográfico do RN.
    Aliás, arguto como é, Garcia já deve ter percebido claramente o desastre que seria o Brasil caso o terra potiguar não existisse no mapa.

  12. Só olhando disse:

    Lamentável o abandono do marco original.

  13. Luciana Morais Gama disse:

    Eu disse aqui que o jornalista Alexandre Garcia é um defensor dessa tese do descobrimento. Sempre que ele fala daqui diz "onde o Brasil foi descoberto".

  14. Gileno disse:

    Que a tese do Professor Lenine Pinto seja levada em consideração, e que essa parte da história seja recontada, agora, baseada em fontes científicas. Tenho todos os livros do Professor Lenine que trata do assunto.

Publicidade

Lei Djalma Maranhão de Incentivo à Cultura abre período de apresentação de projetos

Está aberto o período para apresentação dos projetos na Lei Djalma Maranhão de Incentivo à Cultura, mecanismo da Prefeitura do Natal que é um dos principais propulsores da Cultura em Natal. O prazo começou oficialmente nesta segunda-feira (17) e vai até 17 de outubro.

Na última quinta-feira (13) foram publicados no Diário Oficial do Município (DOM) os critérios para que os projetos sejam apresentados na Lei. Entre eles está o limite de quatro projetos por proponente, desde que a soma dos valores não ultrapasse o limite de dois por cento do valor total da Renúncia Fiscal para o Exercício 2017, conforme decreto 11.179 de 23.01.2017.

A Lei Djalma Maranhão possui uma Comissão Normativa que avalia os projetos e segue as diretrizes publicadas no Diário Oficial. O programa de incentivo à cultura através de renúncia fiscal funciona na sede da Secretaria de Cultura (Secult/Funcarte), das 8h às 14h, de segunda à sexta. Informações: 3232-4956.

enviar comentário
Publicidade

Potiguar é destaque como um dos melhores atores de teatro do Brasil

José Neto Barbosa – Ator, diretor e dramaturgoA Mulher MonstroCrédito: Annelize Tozetto/Clix

O ator potiguar José Neto Barbosa, nascido no município Santo Antônio do Salto da Onça, é destaque nos principais jornais e portais do teatro brasileiro após participação no Festival de Curitiba com o espetáculo “A Mulher Monstro”, encenado em temporada em nossa Pinacoteca. Sucesso de público no Centro Cultural Teatro Guaíra, o polêmico espetáculo conquistou curadores, jornalistas e críticos, além da experiente plateia curitibana.

O ator e diretor José Neto, é citado no portal UOL de Miguel Arcanjo (um dos mais importantes jornalistas culturais e críticos do país) como um dos “principais nomes do teatro brasileiro”.

Confira reportagem completa do Papo Cultura aqui

Comentários (4) enviar comentário
  1. Luciana (mãe de sua aluna Beatriz) disse:

    Parabéns pelo seu sucesso e talento!!!

  2. eliana torres disse:

    parabéns sucesso

Publicidade

Produtor contratou assassino para matar Elton John

O amigo e guarda-costas de David Gest, encontrado morto no ano passado, revelou ao tabloide inglês ‘Mirror‘ que o produtor contratou um assassino para matar Elton John. O motivo? O cantor fez uma brincadeira de que ele não gostou.

Segundo Imad Handi, o desentendimento aconteceu em 2003, quando John fez uma piada com o casamento de Gest e da atriz Liza Minnelli, que durou de 2002 a 2007. Handi afirmou que o produtor encontrou o matador de aluguel por meio de um garçom no Havaí, local onde morava na época.

“David se aproximou desse cara pensando na possibilidade de tirar Elton da jogada”, disse Handi. “Ninguém sabe o nome desse garçom. O que se sabe é que ele contou para Gest sobre um cara que poderia fazer o serviço por US$ 40 mil.”

O guarda-costas disse que Gest pediu para ele conferir a agenda de Elton John, e que descobrisse quando o cantor estaria em Los Angeles. Ele também contou que encontrou o assassino e pagou adiantado a quantia de US$ 20 mil.

“Eu guardei o dinheiro em um saco branco de lavanderia e deixei com o cara no hotel Hilton Village”, disse Handi, que afirmou que, após o pagamento, Gest mudou de ideia.

“O matador disse que queria a outra metade quando o serviço estivesse completo. Eu me senti culpado, mas era muito leal a David.”

Gest é conhecido por produzir “Michael Jackson: 30th Anniversary Celebration”, uma compilação de dois shows em Nova York em homenagem ao 30 anos de carreira do rei do pop, feito pela CBS em 2001. Entre as performances estavam participações do próprio Michael, de seus parentes, da cantora Whitney Houston e dos grupos Destiny’s Child e NSYNC.

O GLOBO

enviar comentário
Publicidade

Cidade no RN terá orquestra filarmônica herdada em testamento

É destaque no Portal No Ar nesta sexta-feira(07). O município de Pau dos Ferros, no Alto Oeste do Rio Grande do Norte, terá sua primeira Orquestra Filarmônica graças a uma benfeitoria de um conterrâneo que, em vida, deixou em seu testamento o desejo para que tal intervenção cultural fosse realizada após sua morte. A recém-criada Sociedade Filarmônica Pauferrense (SFP), pensada pelo ilustre filho da cidade e patrono da orquestra, Antônio de Holanda Cavalcanti, convida agora para a inscrição da primeira turma de iniciação na orquestra, cujo público-alvo são crianças carentes. O ensino é gratuito. Entenda, e confira informações clicando AQUI

Comentário (1) enviar comentário
  1. Fabíola Cavalcanti disse:

    Parabéns Tio Antônio, um sonho seu realizado.

Publicidade

Ponta Negra vai ganhar painéis com arte urbana de graffiti de artistas potiguares

Foto: Divulgação Secult

A Prefeitura do Natal, por intermédio da Secretaria Municipal de Cultura (Secult) e Fundação Cultural Capitania das Artes (Funcarte) coordenou ontem a primeira visita técnica aos locais que irão receber os painéis artísticos de Arte Urbana (Graffiti), na praia de Ponta Negra. O projeto está sendo executado pelo Departamento de Artes Integradas da Secult e conta com a parceria da Secretaria Municipal de Urbanismo (Semurb) e irá contemplar neste primeiro momento cerca de 35 metros de muros à beira-mar.

Seis artistas do graffitti foram selecionados pela Secult e terão até 40 dias para a conclusão do projeto. Os artistas selecionados foram Miguel Carcará, Digone, Kendo, Jão, Pok e Félix.

Segundo o Diretor de Artes Integradas, Flávio Freitas, todo material de pintura ficará por conta do próprio artista. “A definição da técnica de pintura, definição dos materiais, tipo de tinta, quantidade e cores, serão decididos exclusivamente pelo artista”, explica. A Prefeitura do Natal, em parceria com a Semurb, disponibiliza os muros já pintados com base branca.

O edital também prevê que a temática da obra de arte não poderá, em nenhuma hipótese, conter mensagem visual ou escrita com conteúdo que desvalorize ou exponha alguém à situação de constrangimento, intolerância religiosa, bem como manifestações de homofobia, discriminação racial, ou que venha a denegrir a imagem dos poderes públicos.

“São locais de alta circulação de turistas e natalenses. A intenção é que a arte urbana da nossa cidade seja conhecida de todos, que estes artistas possam mostrar seu trabalho de forma legal e também será mais um ponto turístico onde os visitantes poderão fazer fotografias ao lado dos painéis”, comentou o artista plástico Flávio Freitas.

O projeto deverá estar finalizado até o final de abril e irá estampar o cenário do calçadão da praia de Ponta Negra.

A área de muro a ser pintada é de aproximadamente 3,00m de altura por 35,00 metros de comprimento. A execução da obra de arte será acompanhada por pessoal do Departamento de Artes Integradas desde o projeto artístico (estudo em papel) até a completa execução.

Local dos painéis: Praia de Ponta Negra, de frente ao Hotel Visual, chegando no final da escadaria (direita, esquerda e frente).

 

https://natal.rn.gov.br/noticia/ntc-25844.html

Comentário (1) enviar comentário
  1. Rosalba Ciarline disse:

    Xilografia cairia melhor.

Publicidade

CAMPEÃ: Após erro, Mocidade divide título do carnaval carioca com a Portela

E finalmente acabou o Carnaval 2017. E numa quarta-feira, que não foi a de Cinzas. É que saiu nesta quarta-feira, 5, a decisão da Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro, a Liesa, de dividir o título da folia deste ano entre Portela e Mocidade Independente de Padre Miguel.

A primeira havia sido declarada campeã da folia na Quarta-feira de Cinzas durante a abertura dos envelopes com as notas das escolas de samba. Já a segunda viu a possibilidade de recorrer ao título depois que as justificativas dos jurados foram divulgadas, e um deles alegou ter tirado ponto da Mocidade baseado em um documento errado fornecido pela Liesa. Com o décimo perdido sendo reintegrado à nota da escola, ela se sagraria campeã do carnaval carioca.

A decisão sobre o título do carnaval de 2017 saiu depois da reunião entre a direção da Liga das escolas de samba do Rio de Janeiro e os dirigentes das agremiações do grupo especial. A maioria votou pela divisão do título entre Portela e Mocidade. A escola de Oswaldo Cruz e Madureira votou pela manutenção do título sozinha. Logo após se decretada também campeã do carnaval carioca, a escola de Padre Miguel postou imagem em suas redes sociais comemorando o título.

Unidos de Vila Isabel, Grande Rio, União da Ilha, Tuiuti, Mangueira, São Clemente e Mocidade votaram a favor da divisão do título.

Rainha da Portela não lamenta divisão

Bianca Monteiro, da Portela, disse que a divisão do título com a Mocidade não tira o brilho da conquista de sua escola, e deixa duas escolas que não eram campeãs há muito tempo felizes.

“São escolas de tradição, que não ganham há muito tempo. Independente de títulos ou da divisão, a nação portelense está satisfeita com o que conseguiu realizar na Avenida. Estamos aproveitando cada segundo desse título, desse campeonato. O título deu esperança ao portelense. Eu desfilo há 16 anos e nunca ganhei o carnaval. Todos estão felizes”, disse ela que tem um torcedor da Mocidade feliz bem pertinho de si.

O namorado da rainha, o empresário Vicente Jorge, é torcedor roxo da escola de Padre Miguel.

“Eu e Vicente brincamos o tempo todo sobre nossas torcidas no carnaval. O amor dele pela Mocidade é igual ao meu pela Portela, está na nossa história desde sempre”, contou.

Rainha da Mocidade comemora

Camila Silva, rainha de bateria da Mocidade, conversou com o EGO após a decisão do título e comemorou: “Estou muito feliz que tudo tenha se resolvido da melhor forma e principalmente em saber que minha Comunidade de Padre Miguel conseguiu este título tão sonhado. Dividir o título com outra comunidade tão especial quanto à Portela me faz ter certeza de que o carnaval 2017 foi um marco na vida de nós sambistas pertencentes as duas agremiações. Estou ansiosa para comemorar com meu povo da Vila Vintém. Somos campeões do carnaval! Parabéns a cada componente que sonhou e lutou por este título. Parabéns a toda diretoria que não mediu esforços para termos mais uma estrela em nossa história! E agora é só comemorar (e muito)!”

EGO E G1

 

Comentário (1) enviar comentário
  1. guilherme disse:

    merecido o titulo

Publicidade

Banda brasiliense lança CD em Natal

Dando sequência a sua turnê pelo Brasil, depois de Rio, São Paulo, Brasília, Goiânia e Florianópolis, o músico brasiliense Lauro Aires e o grupo Salto Triplo fazem shows em Natal nesta sexta-feira (31) e sábado (1º). As apresentações trazem canções autorais do CD Centropia, além de versões de Caetano Veloso, Dominguinhos, Led Zeppelin, David Bowie, The Beatles e releituras do rock brasileiro.

Navegando entre o rock´n roll, baião e reggaes, o CD Centropia (presente em todas as plataformas digitais) é basicamente um som de Brasília, onde os integrantes da banda cresceram influenciadas pela cena internacional das embaixadas estrangeiras, pelo sotaque nordestino das feiras, pela culinária mineira, pelos ritmos de Bob Marley e, sobretudo, pelos acordes roqueiros.
A formação da banda engloba um pouco dessa diversidade. Lauro Aires (violão, guitarra e voz) assina todas as músicas, sendo três em parceria com Marcelo Lima e uma com Ricardo Mendes (ex-integrante da banda Os Alices). Lauro começou na música nos anos 90, como intérprete e instrumentista. Participou de projetos com Marcelo Lima e Bruno Dourado em trabalhos de rock e MPB. Também faz parte do grupo de compositores e cantores do bloco Galo Cego.
Marcelo Lima (bandolim, violão, guitarra e voz) vem com seu grupo Salto Triplo, formado por Fernando Rodrigues (Baixo, viola, percussão e voz) e Renato Glória (Bateria).

No álbum Centropia, há participações de vários artistas da cidade. Entre eles, o guitarrista Kiko Peres, o baixista Luís Maurício Ribeiro, ambos da banda Natiruts. As percussões são de Bruno Dourado, ex-Natiruts e atual integrante da banda Innatura. Nos teclados, Felipe Viegas, produtor do último trabalho de Ellen Oléria. Nos metais, arranjos de Westonny Rodrigues, da banda Funkestra.

Programação em Natal:

Sexta-feira (31), a partir das 22h: no Taverna Pub, R. Dr. Manoel Augusto Bezerra de Araújo, 500 – Ponta Negra

Sábado (1º), a partir das 20h: Bar 294: Av. Deodoro da Fonseca, 294 – Cidade Alta, Natal – RN

enviar comentário
Publicidade

NOVAS REGRAS: Mudanças vão democratizar a Lei Rouanet, diz ministro da Cultura

O ministro da Cultura, Roberto Freire, defendeu nesta quarta (22), na Associação Comercial do Rio de Janeiro, as mudanças na Lei Rouanet anunciadas ontem e reunidas em uma instrução normativa. Segundo Freire, era preciso democratizar os incentivos que ficavam muito concentrados no eixo Sul-Sudeste.

“Esse talvez seja o exemplo mais difícil de dizer se vai funcionar, ou não, mas estamos lutando para isso, e o ministério vai ser protagonista, ao buscar essa desconcentração”, disse o ministro, destacando que a Lei Rouanet é fundamental para a cultura brasileira.

Segundo Freire, também era preciso dar respostas a algumas críticas “pertinentes e justas” em relação à lei. Uma das críticas era a falta de transparência.

“O Ministério da Cultura tem aproximadamente 18 mil processos de prestação de contas que não foram analisados. Isso é inadmissível. Isso não pode ocorrer. Vamos ter que recuperar o tempo perdido, mas temos que cuidar daqui para a frente. Uma das respostas foi exatamente isso. Não se vai mais correr esse risco, não se vai avolumar passivo, porque a prestação de contas vai ser em tempo real”, afirmou o ministro. Ele disse que todo o instrumental disponível hoje pela internet e pelas redes sociais mostra que isso pode ser feito. “Usar isso também na Lei Rouanet é um avanço.”

Mudanças

As reformas propostas pelo Ministério da Cultura para a Lei Rouanet tentam viabilizar alternativas para corrigir possíveis problemas. Para o ministro, a principal mudança era acabar com a ideia da “falta de necessidade” da Lei Rouanet e até “de sua demonização”. “Como se ela [a Lei Rouanet] fosse responsável pelos escândalos, ou alguma corrupção que aconteceu. Não é culpa dela. Ao contrário.”

Roberto Freire afirmou que casos de recursos mal aplicados constituem volume reduzido. “É marginal, é muito pouco e chama a atenção”.

Na avaliação do ministro, a manutenção da lei é importante para a cultura brasileira e também para a economia do país, na medida em que gera emprego e renda. “É parte de uma economia em desenvolvimento.”

As novas regras também estipulam limites de financiamento para projetos culturais o que, na opinião do ministro, irão democratizar o acesso à lei. “Se eu limito, eu amplio a perspectiva de democratizar, de pequenos produtores culturais, que precisam ser incentivados, até porque os grandes de amanhã são os pequenos de hoje.”

Transparência

Para o secretário estadual de Cultura do Rio de Janeiro, André Lazaroni, a grande vantagem da reforma da Lei Rouanet é a transparência. “Quando se dá mais transparência, atende-se ao anseio de toda a sociedade. Os bons produtores, que são pessoas sérias, que sabem que o Brasil exige cada vez mais transparência, correção, honestidade, vão saber que isso foi para o bem deles.”

A secretária municipal de Cultura, Nilcemar Nogueira, ressaltou que as mudanças na lei vêm para democratizar e dar celeridade e transparência a todo o processo cultural brasileiro. “Estes são os três pilares importantes que fortalecem, inclusive, a permanência da lei. Quando não se tem esse tripé, criam-se reclamações, insatisfações. Vejo com bons olhos essa mudança, e que ela seja bem-vinda e possa ampliar ainda mais esse mecanismo no fomento da cultura.”

Entretenimento -UOL

enviar comentário
Publicidade