Publicidade

Suíça amplia proibição à carne brasileira para 21 unidades de produção, diz agência

Suíça ampliou a proibição de importação de carne de quatro para 21 unidades processamento brasileiras, como parte de medidas de segurança em toda a Europa, disseram autoridades suíças neste domingo (26), segundo a agência Reuters.

Os peritos veterinários da UE recomendaram o reforço dos controles sobre as importações de carne do Brasil após denúncias da Polícia Federal sobre supostas propinas pagas para venda de produtos sem inspeção, no âmbito da Operação Carne Fraca.

Chefes dos serviços veterinários dos 28 Estados-membros da União Europeia reuniram-se em Bruxelas para discutir uma resposta da UE ao escândalo e ao risco da carne entrar no bloco.

“A extensão da proibição é uma resposta às medidas europeias, visando impedir que a carne chegue ao território da União Europeia via Suíça”, disse uma porta-voz do escritório suíço de segurança alimentar e veterinária.

A Suíça proibiu na terça-feira (21) as importações de quatro fábricas brasileiras de processamento de carnes. Não ficou imediatamente claro quanta carne a Suíça importa do Brasil.

 

G1

enviar comentário
Publicidade

Carne Fraca: Exportação perde US$ 130 mi em uma semana

Apenas uma semana após a deflagração da Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, o setor de carnes contabiliza perdas de mais de 130 milhões de dólares. A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), ligada aos setores de aves e suínos, estima uma perda com exportações de 40 milhões de dólares até a sexta-feira. Já o setor de carne bovina, representado pela Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), embora não tenha um número fechado, estima que pelo menos 96 milhões de dólares em produtos prontos para a exportação estejam parados no Porto de Santos (SP), impedidas de seguir para o exterior.

O presidente executivo da ABPA, Francisco Turra, afirma que a primeira semana da Operação Carne Fraca foi de “impacto muito forte” para o setor. “Virou um momento muito dramático, nunca vi igual, e com dificuldades de se reverter”, diz. “A solução não demandará uma semana ou uma simples palavra oficial.

Tudo o que deixar de ser exportado não tem espaço para ser absorvido (internamente). Então, tem de diminuir produção e reduzir empregos, o que já começa a ocorrer”, afirma.

Na semana passada, a JBS, por exemplo, anunciou a suspensão da produção de carne bovina em 33 de suas 36 unidades no Brasil, e informou que, quando retomar as atividades, a partir de amanhã, as fábricas vão operar com um corte de 35% na produção. Segundo a empresa, isso seria feito para ajustar a produção à demanda em queda.

 

Veja

Comentário (1) enviar comentário
  1. Jean disse:

    Operação Carne Fraca foi o segundo avião nas Torres Gêmeas
    Segundo o Jornalista Miguel do Rosário, o primeiro avião que se chocou com as Torres Gêmeas (EUA), em 2001, foi visto como um acidente. Após o segundo avião se chocar, a perplexidade se transformou em medo, porque ficou entendido que não era um acidente, e sim um ataque. A atual ofensiva contra a indústria nacional de carne é o segundo avião nas Torres Gêmeas. Não é trapalhada. Não é acidente. É um ataque!

Publicidade

Egito vai retomar importação de carne brasileira, diz agência

O Egito vai retomar as importações de carnes brasileiras, informou o ministério da agricultura do país neste sábado (25), segundo a agência Reuters. A medida ocorre dois dias depois do Egito anunciar a suspensão de importação até que os produtos fossem confirmados como seguros para o consumo.

O ministério afirmou, em comunicado, que retomou a importações de locais brasileiros autorizados, acrescentando que as remessas estarão sujeitas a checagens no país de origem e também na chegada ao Egito.

Além do Egito, a China decidiu reabrir o mercado de carnes para o Brasil. Segundo o blog do Camarotti, o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, deve anunciar os detalhes da retomada neste sábado (25).

União Europeia

A Comissão Europeia informou nesta sexta-feira (24) que a carne brasileira dos estabelecimentos citados na Operação Carne Fraca que está a caminho dos países da União Europeia será rejeitada e terá de retornar ao Brasil. A União Europeia é responsável por pouco mais de 12% das exportações brasileiras de carne.

A Comissão Europeia informou também que enviará representantes para participar de reuniões e visitar unidades produtivas e avaliar se medidas restritivas serão necessárias. A organização ainda informou que fará auditorias no Brasil “assim que possível e não depois do meio de maio”.
O comissário europeu para saúde e segurança alimentar, Vytenis Andriukaitis, estará no Brasil entre segunda (27) e quarta-feira (29). Ele terá reuniões com o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, com ministro da Saúde, Ricardo Barros, e com o presidente da Anvisa, Jarbas Barbosa.

 

G1

enviar comentário
Publicidade

China retoma procedimentos de importação de carne brasileira nesta segunda-feira

A China retoma nesta segunda-feira os procedimentos de importação de carnes brasileiras. A decisão ainda não foi anunciada oficialmente, mas já foi tomada e informada por mensagem às aduanas, segundo informações obtidas pelo GLOBO junto a fontes de mercado. Há quase uma semana, Pequim decidiu reter todos os carregamentos de carnes do Brasil que desembarcavam nos portos chineses até segunda ordem. Mas, em momento algum, chegou-se a decretar formalmente a suspensão das importações, como fizeram outros países, e a região administrativa especial de Hong Kong.

A decisão está sendo vista como um alívio para os importadores, sobretudo depois que os chineses anunciaram um grande acordo com a Austrália abrindo o mercado de carnes para a atuação de 59 frigoríficos de carnes vermelhas. Até então, somente 11 estavam autorizados a vender na China.

Para tentar reverter o impasse com os chineses por causa da operação Carne Fraca, que bloquearam totalmente a importação de carne brasileira, o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, estava se preparando para viajar ao país nos próximos dias.

Comentário (1) enviar comentário
  1. Alexandre Magno disse:

    Falto bom senso na condução desse processo o que prejudicou um trabalho de decadas tanto da diplomacia brasileira como do agronegócio e é uma pena. Prejuízo que levará tempo para normalizar.

Publicidade

Com suspensão, cerca de R$ 300 milhões em carne bovina estão parados no Porto de Santos

O presidente da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), Antônio Jorge Camardelli, estimou que US$ 96 milhões (cerca de R$ 300 milhões) em carne bovina e derivados estão parados no Porto de Santos (SP), impedidos de seguir viagem ao exterior por causa do veto à proteína brasileira.

A suspensão das compras de carnes bovina, de frango e suína vem ocorrendo desde que a Polícia Federal deflagrou, no dia 17 de março, a Operação Carne Fraca, que apurou fraudes na fiscalização da proteína animal em frigoríficos brasileiros. Ao menos 22 países ou blocos econômicos já bloquearam as importações de alguma forma, segundo levantamento mais recente do Ministério da Agricultura.

Assim, conforme Camardelli, carnes bovinas destinadas a portos da China, Hong Kong, Egito, México e Chile seguem bloqueadas no terminal portuário.

“Além do problema nos portos brasileiros, também temos a incerteza quanto a cargas que já estão no mar e que não sabemos se poderão ou não entrar nos países de destino. Na maioria dos casos, a suspensão (à carne brasileira) não vem com esses detalhes”, explicou o presidente da Abiec, acrescentando que a entidade ainda não tem um número consolidado das perdas ocasionadas até agora.

A situação é bastante preocupante porque entre os principais clientes brasileiros estão China e Hong Kong, que mantêm o veto à carne bovina brasileira praticamente desde que a Operação Carne Fraca ganhou o noticiário nacional e internacional. Do total da proteína bovina exportada pelo Brasil, a China comprou no ano passado o equivalente a 25,7% e Hong Kong, a 47,3%, conforme dados da Abiec.

Para tentar reverter a situação, a Abiec, juntamente com a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), que representa o setor de suínos e aves, vem trabalhando com o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, e traçando estratégias. Uma delas, confirmou Camardelli, seria uma missão brasileira aos países que suspenderam as compras da carne brasileira com a presença do ministro Maggi.

“A primeira visita, que possivelmente contará com Maggi, seria a China e Hong Kong, seguindo depois para Argélia e Egito (um importante mercado para o Brasil e que vinha ampliando significativamente as compras desde janeiro)”, disse o dirigente. Conforme ele, o ministro tem demonstrado grande disposição em participar dessa missão que, acredita Camardelli, terá um peso maior caso Maggi integre a comitiva.

O representante da Abiec elogia, ainda, a atitude do Egito, que decidiu bloquear apenas as compras de produtos dos frigoríficos investigados pela Operação Carne Fraca, e não carne de todos os exportadores brasileiros. “Nada mais justo que os países que queiram determinar alguma sanção que façam somente sobre as empresas investigadas, e não sobre toda a produção local, já que não se trata de uma falta de controle do sistema, e sim de um processo de corrupção burocrática.

Camardelli confirmou também que o governo recebeu hoje uma equipe do Chile e que, segundo informações de participantes, tudo caminhou bem. “Provavelmente algumas explicações adicionais podem ter sido solicitadas, mas o fato de o governo chileno estar aqui, atendendo a uma solicitação do Brasil, é um indicativo de que podemos ter bons sinais a partir da semana que vem”, ponderou.

Apesar do cenário de dificuldade, o representante da Abiec destacou que, por enquanto, nenhuma das indústrias associadas mencionou a possibilidade de demissão de funcionários. “Faço questão de citar isso. A primeira fase desse processo é o reagendamento dos abates, não há nada sobre demissões.”A JBS anunciou, ontem, que suspendeu, por três dias, a produção de carne bovina em 33 unidades das 36 que a empresa mantém no País. Para próxima semana, a companhia vai operar em todas as suas unidades com uma redução de 35% da sua capacidade produtiva, conforme anunciou.

 

Estadão

Comentário (1) enviar comentário
  1. Sergio disse:

    As empresas só estão pagando pelo preço da ganância

Publicidade

Sob o comando de Temer os números da economia são positivos

Após dez meses de governo Temer, a economia começa a dar mostras de recuperação. O IPCA, índice oficial de inflação, caiu de 9,28% nos 12 meses que antecederam o afastamento de Dilma, para 4,76% nos últimos 12 meses. A taxa de fevereiro, 0,33%, foi a menor desde 2000. O dólar caiu de R$3,61 para R$3,10 e as reservas cambiais cresceram um pouquinho e se mantiveram estáveis em US$374,6 milhões.

A agência Moody’s foi a primeira a reverter a perspectiva da economia brasileira de negativa para estável, indicando que o pior já passou.

Até o desemprego deu sinal de melhoras: em fevereiro foram criados 35 mil empregos, interrompendo a trajetória de queda de dois anos.

O saldo da balança comercial já bateu recordes em 2017. Em fevereiro deste ano, registrou superávit de US$ 4,56 bilhões.

DIÁRIO DO PODER

Comentários (16) enviar comentário
  1. Paulo Cardoso disse:

    Uma economia que se aquece ao custo da penalização da população menos favorecida financeiramente. Que glória pode haver nisso

  2. Romildo disse:

    Conduzir o Brasil dessa maneira é imoral!!
    Existe vários meios de se fazer economia no nosso país. Vou mostrar alguns exemplos: acabar com cargos comissionados que, só servem para alimentar a casta corrupta do País ( exemplo disso, temos aqui no nosso estado, a assembleia legislativa com vários cargos comissionados de pessoas que nem vão lá, cargos com altos salários…Quase todos parentes de políticos e de membros dá justiça, pessoas ligados a rádio, televisão e blogueiros), fazer uma fiscalização mais severa nas licitações públicas, acabar com os super salários dos marajás dá justiça e diminuir pela metade o número de políticos no Brasil…Isso que foi citado, são apenas alguns meios de vários que podem ser feitos aqui no País para que não precise atingir o povo, que já sofre muito. Temos que nos unir e lutar por um Brasil mais justo…Quem movimenta essa país, somos nós, os que trabalham de verdade, e, os menos reconhecidos…Fora Temer!!!

  3. Walter disse:

    Avido as petistas vão ter que trabalhar kkkkk

  4. Humberto UFRN disse:

    Economicamente Temer tem feito um grande trabalho. Não o admiro mas admito que vem arrumando a casa. Apesar de eu ser petista e ainda não engolir muito a saída de Dilma, acredito que ele entregue o país mais organizado em 2018. Estou envergonhado do fanatismo e cegueira política de alguns amigos petistas. Eu mesmo não confio em Lula diante de tantas denuncias, evidências e provas. Me decepcionou muito. Quero que o meu PT tenha um candidato mais confiável. Até porque pelo andar da carruagem nosso ex)presidente caminha para ser companheiro de Cabral. Dói admitir isso, mas não vejo saída.

  5. Joedson disse:

    E o povo se lascando com PEC dos gastos, reforma previdenciária e terceirização.
    Disso não falam e se falarem vão fazer parecer medidas positivas.
    Falem, mas falem com imparcialidade, mostrando aos seus leitores o que de fato está acontecendo.
    Logo ficará claro, uma classe trabalhadora (meio que escravizada) ganhando um salário mínimo estagnado, voltando a comer feijão com farinha (talvez arroz), pra garantir os lucros dos empresários e o crescimento da classe rica. Voltaremos a ter aquela imensa diferença de outrora das classes sociais. Isso ninguém fala!!

    • Luís disse:

      Empresários lucram mais quando vendem mais.
      Quando os próprios pobres compram mais.
      O que não dá é para manter as relações reguladas
      como se estivéssemos em 1940 e o Mundo tende
      a uma gama mais complexa de relações de produção.

    • Walter disse:

      Acabou a mamata petistas
      Vão ter que trabalhar
      A
      Um aviso a carteira profissional a capa e azul

  6. jeilsilva disse:

    Deixem o homem trabalha!!

  7. Luís disse:

    Quem não gostar do que ele tá fazendo, eleja alguém que faça as contrarrefomas. Democracia é assim.Tá cheio de prefeito e governador jogando pra platéia dizendo serem contra a reforma previdenciária, mas doidos para que
    ela seja aprovada. Lula adoraria pegar o Brasil sem esse ônus, mas para ficar com o bônus. Não se enganem, em que pesem os privilégios, a sonegação, a corrupção, a DRU, a previdência nada mais é um esquema de pirâmide que rui a cada ano e ninguém topa botar o guizo no pescoço do gato. Temer, o breve, tá tentando. Se for ruim, o próximo presidente apresenta uma PEC para desfazer.

  8. João disse:

    Não se fala das coisas ruins do Temer? Tendencioso…

  9. Blue disse:

    Kkkkkkkkkkk

  10. Napoleandro disse:

    Temer tem das grandes mídias todo o apoio que foi perversamente negado a Dilma

  11. EDER disse:

    US$ 374,6 bilhões de dólares. CORRIGIR BG!!!!!!

  12. Alexandre Magno disse:

    E se a imprensa não desse ouvidos a esses militantes de esquerda PT PSOL e PCdoB além da rede o presidente TEMER teria mais tranquilidade ainda para conduzir o Brasil para o progresso e tirar desse atoleiro que a esquerda deixou.

Publicidade

Governo inaugura Central de Comercialização da Agricultura Familiar na segunda-feira

O governador Robinson Faria e o secretário de Estado da Agricultura, da Pecuária e da Pesca (SAPE), Guilherme Saldanha, inauguram na próxima segunda-feira (27) a Central de Comercialização da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Cecafes).

O prédio está situado no cruzamento das
avenidas Jaguarari e Capitão Mor Gouveia, em Natal. A entrega da estrutura coloca fim a uma espera de sete anos dos produtores familiares.

 

enviar comentário
Publicidade

Gastos de brasileiros no exterior sobem 61,7% em fevereiro

Os gastos de brasileiros no exterior somaram US$ 1,360 bilhão em fevereiro deste ano, informou hoje (24), em Brasília, o Banco Central (BC). O resultado é 61,7% superior ao registrado no mesmo período do ano passado, quando os brasileiros desembolsaram US$ 841 milhões.

Nos dois primeiros meses do ano, as despesas ficaram em US$ 2,939 bilhões, 74,8% acima dos gastos registrados no primeiro bimestre de 2016 (US$ 1,681 bilhão).

Já as receitas de estrangeiros no Brasil ficaram em US$ 535 milhões em fevereiro e em US$ 1,196 bilhão nos dois meses do ano, contra US$599 milhões e US$ 1,249 bilhão ,respectivamente em iguais períodos de 2016.

Com esses resultados das despesas de brasileiros no exterior e as receitas de estrangeiros no Brasil, a conta de viagens internacionais ficou negativa em US$ 824 milhões no mês passado, e em 1,743 bilhão no primeiro bimestre.
A projeção do Banco Central para o saldo negativo da conta de viagens este ano subiu de US$ 10,5 bilhões para US$ 12,5 bilhões.

Agência Brasil

enviar comentário
Publicidade

Terceirização pode ampliar geração de empregos, destaca reportagem de O Globo; veja análise otimista de especialistas

Com carteira. Para economistas e advogados especializados em mercado de trabalho, terceirização já é uma realidade e projeto dará flexibilidade e segurança jurídica para que as empresas contratem – Márcia Foletto / Agência O Globo

O projeto de lei da terceirização aprovado na quarta-feira pela Câmara dos Deputados deve estimular a geração de emprego, avaliam economistas e advogados especializados em mercado de trabalho. O projeto dá segurança jurídica às empresas que já atuam com mão de obra terceirizada ou avaliam fazer isso. Apesar do aval da Câmara, o texto ainda não é definitivo para regular esse serviço. Ele será complementado por outro projeto em tramitação no Senado e, depois, regulamentado pelo Executivo. Manuel Thedim, economista do Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade (Iets), defende que, a curto prazo, o impacto será pequeno, mas no futuro o número de vagas crescerá:

— A longo prazo, sem dúvida gerará empregos. Quanto mais flexível, menos medo o empregador vai ter ao contratar. A médio prazo, aumenta a disposição para contratar.

José Márcio Camargo, economista da Opus Gestão de Recursos e professor da PUC-Rio, argumenta que a medida vai gerar de mais empregos:

— Na hora em que se contrata, o empregador não tem a mínima ideia do custo do trabalhador. Muita empresa vai à falência por um problema de passivo trabalhista em decisões na Justiça. Isso vai diminuir muito e, consequentemente, vai demandar mais trabalho.

A segurança jurídica vem pela definição das regras do jogo, explicam advogados. Fica demarcado quem é a prestadora de serviço e como atua. A terceirização passa também a valer para contratos dentro da atividade-fim da empresa contratante, e não apenas para atividades-meio, o que antes era motivo de disputas judiciais.

— A terceirização é uma realidade. Qualquer regulamentação é melhor que nenhuma, ela traz segurança para o empresário que terceiriza. Mas não é uma segurança absoluta, podendo ser questionada a existência de vínculo (empregatício) direto pela subordinação — afirma Luiz Marcelo Góis, sócio na área Trabalhista do BMA.

Pelo novo texto será possível contratar por regimes diferentes profissionais para cargos equivalentes. Isso só pode ocorrer se esses trabalhadores não forem subordinados à mesma chefia.

— A lei atende ao anseio do empregador por flexibilização em recrutamento de mão de obra, mas ele precisa usar esse serviço da forma correta — diz José Carlos Wahle, do Veirano Advogados.

Ontem, em entrevista ao SBT Brasil, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse disse que a experiência internacional mostra que as leis mais flexíveis ajudam a aumentar o emprego.

—A perspectiva e a experiência internacional têm uma resposta diferente dessa que as pessoas pensam, de que a rigidez das leis trabalhistas, a judicialização pesada da Justiça do trabalho, beneficia o trabalhador. A experiência internacional diz que não, isso faz com que o país cresça menos, faz com que as empresas contratem menos trabalhadores e isso prejudica a todos.

MAIS AGILIDADE NA CONTRATAÇÃO

É consenso entre os advogados que o ganho para quem contrata não é financeiro, mas em agilidade na contratação e dispensa de mão de obra.

— Fazer e cancelar um contrato com uma empresa terceirizada tem impacto muito menor. É mais fácil para o empresário contratar e descontratar uma terceirizada do que um funcionário — diz Pedro Capanema, consultor jurídico da Firjan, entidade que avalia o projeto como “importante avanço” e que setores como de construção civil e audiovisual vão ser os setores mais beneficiados com a regulamentação.

“É uma decisão emblemática, que trará avanços importantes nas relações de trabalho”, declarou José Carlos Martins, presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), por meio de nota.

O economista Bruno Ottoni, da Fundação Getulio Vargas (FGV), não vê risco de precarização das condições de trabalho, conforme as centrais sindicais denunciam:

— O que eu interpretaria como precarização seria não garantir os direitos da CLT e o piso mínimo do sindicato. A nova lei deve garantir isso para os terceirizados. Mas a nova legislação tenderá a produzir terceirizados que não terão os mesmos benefícios — afirma ele, reconhecendo que o projeto em tramitação no Senado é mais favorável aos trabalhadores.

Claudio Dedecca, professor do Instituto de Economia da Unicamp diz que o emprego não deve aumentar com a lei. Para ele, a criação de vagas está atrelada ao crescimento econômico e não a relações de trabalho mais flexíveis. Ele avalia que a insegurança jurídica permanece e que o projeto tende a precarizar as relações trabalhistas:

— Haverá uma enxurrada de ações na Justiça com controvérsias da expansão da terceirização em empresas. Se a Justiça for fortemente demandada para arbitrar situações de terceirização, a insegurança jurídica permanece — avalia o acadêmico. — As empresas buscam contratar mão de obra terceirizada em setores cuja presença sindical é mais baixa, os salários são mais baixos. É válvula de escape para as empresas.

As centrais sindicais criticaram o projeto e dizem que não vai gerar vagas:

— Dizer que isso aí vai gerar emprego bom, de qualidade, é mentira. Vai trocar o bom emprego por um emprego ruim — afirma João Cayres, secretário-geral da Central Única dos Trabalhadores (CUT).

João Carlos Gonçalves, secretário-geral da Força Sindical, avalia que terceirizar em atividades-fim fragmenta a estrutura de trabalho da empresa e também das organizações sindicais:

— A legislação (aprovada ontem) rasgou a carteira de trabalho. A proposta é contraditória com aquela que já está no Senado, que foi negociada com trabalhadores, empresários e sindicatos.

Juliana Bracks, professora da FGV Direito Rio, diz que o projeto deixa lacunas, principalmente num momento que a reforma trabalhista dá mais peso aos acordos firmados com os sindicatos do que à legislação.

O Globo

Comentários (10) enviar comentário
  1. escritor disse:

    A relacao patrao x empregado é conflituosa. Colocando mais um patrao nessa relação, vai melhorar o que?

  2. Charles disse:

    Vai aumentar é a escravidão. Cambada de safados.

  3. Sandro Alves disse:

    Um empregado no Brasil, é que vale a dois em tributos, a terceirização não era regulamentada. Os empregos não irão diminuir, pois as empresas precisam de trabalhadores, o que vai acontecer, é que as empresas não serão mais refém de empregados maus caracter, como existem nas estátais, que muito poucos merecem estar lá. Podem demitir está raça ruim e contratar pessoas com perfil melhor.

    • Potyguar disse:

      Ninguém com "perfil melhor" vai querer dar seu sangue ou doar sua competência sendo sub-empregado e explorado.

  4. Potyguar disse:

    Vai criar uma geração de sub-empregados revoltados e desinteressados, que jamais irão "vestir a camisa" de empresa nenhuma.
    Mudanças são necessárias na CLT, sem dúvida. O que achei estranho foi a pressa e os exageros nessa lei aprovada recentemente. Há muita gente graúda e mal intencionada por trás.

  5. jorge disse:

    Querem enganar quem? Os empresários estão mais preocupados com os lucros do que com o bem estar social das pessoas. Hipócritas!!!

    • Arthur disse:

      Que lucros parceiro? Você está acompanhando mesmo a situação do país ou está apenas vomitando suas convicções frustradas de alguém que muito provavelmente é incompetente, desinteressado e preguiçoso? Acredite ou não, a maior parte desse suposto lucro, vai pras mãos corruptas dos políticos por meio da sacrificante carga tributária paga pelas pequenas e médias empresas. Se não acredita, acorde cedo, invista tudo que tem em um negócio, contrate profissionais mau intencionados que já estão de olho no seguro desemprego e espere…

  6. Eduardo Cosme. disse:

    Partindo da Globo, tudo tá certo neste país de bananas !!!!!

  7. Thiba disse:

    certamente ira aumentar os empregos mas com baixa remuneração e com uma péssima qualidade de vida para os trabalhadores, vinculados a esse tipo de trabalho.

  8. Thiba disse:

    certamente ira aumentar os empregos mais com baixa remuneração e com uma péssima qualidade de vida para os trabalhadores, vinculados a esse tipo de trabalho.

Publicidade

JBS suspende produção de carne bovina em 33 das 36 unidades que tem no Brasil

JBS

A JBS anunciou a suspensão, por três dias, da produção de carne bovina em 33 das 36 unidades da empresa no Brasil. A suspensão é reflexo direto da Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, que acabou resultando na redução da demanda por carne, principalmente pelo bloqueio das exportações.

Além da suspensão temporária, o grupo também informou que, na próxima semana, todas as suas unidades passarão a operar com uma redução de 35% na sua produção. “Essas medidas visam a ajustar a produção até que se tenha uma definição referente aos embargos impostos pelos países importadores da carne brasileira”, disse a empresa, em nota.

Maior produtora de carnes do mundo, a JBS tem uma capacidade de produção diária no Brasil estimada em cerca de 35 mil cabeças de gado por dia, o equivalente a mais de 40% da produção brasileira. Mas a maior parte da produção da companhia não está no Brasil, e sim em suas plantas no exterior. “No total, 72,7% das receitas da JBS são geradas em subsidiárias nos Estados Unidos, no Canadá, na Austrália e na Europa, que não teriam nenhuma exposição real às investigações feitas Brasil”, disse, em relatório, a agência Moody’s.

ESTADÃO CONTEÚDO

enviar comentário
Publicidade

Governo vai subir alíquotas de impostos e eliminar desonerações de alguns setores, diz Meirelles

O Estado de S.Paulo

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que o rombo identificado no orçamento deste ano, de cerca de R$ 58,2 bilhões – para além do déficit já previsto de R$ 139 bilhões – será coberto por cortes de gastos e aumento de tributos. Ele reforçou que a meta fiscal será cumprida. Na próxima semana, a equipe econômica deve detalhar as informações.

Segundo o ministro, não serão criados novos impostos, mas serão elevadas alíquotas dos que já existem, como por exemplo o PIS/Cofins, ou o governo vai eliminar as desonerações de alguns setores. “Podemos por fim à desoneração em alguns setores que esperávamos que aumentassem a produção, mas não aumentaram”. A declaração foi dada em entrevista ao jornal SBT Brasil na noite desta quinta-feira, 23.

Meirelles também disse que está em análise no governo corrigir a tabela do Imposto de Renda para a declaração de 2018. “Está em análise e devemos anunciar nos próximos dias”. Na terça-feira, 21, o ministro havia afirmado que o governo não tinha pressa em corrigir a tabela.

Comentários (3) enviar comentário
  1. Comedor de Coxinhas disse:

    Panelas e golpistas onde andam vcs?

    • LULA NÃO SEI DE NADA, NÃO VI, TÔ POR FORA disse:

      Tentando prender o maior marginal da história desse país! LULA , O MARGINAL!

  2. paulo disse:

    BG
    Entra governo sai governo e elles só sabem fazer uma coisa AUMENTAR IMPOSTOS.

Publicidade

Correios agoniza

Resultado de imagem para correios

A estatal Correios, que já foi símbolo de eficiência, agoniza com o acúmulo de prejuízos que, somente nos últimos quatro anos, somam mais de R$ 5,5 bilhões. Chegou ao fundo do poço no governo Dilma, fechando 2015 com prejuízo de R$2,1 bilhões – o pior resultado desde sua criação, há 354 anos. Para ganhar um “respiro”, suspendeu por um ano regalias aos 117.000 funcionários, quando eles entram em férias.

Quando um trabalhador entra em férias, recebe gratificação de um terço do salário. Os Correios dobram a gratificação: 70% do salário.

Além dos 70% de presente, funcionário dos Correios em férias ganha mais um salário a título de “empréstimo”, a ser pago em cinco vezes.

No ano da reeleição de Dilma, a estatal inventou lucro de R$9 milhões ao considerar “receita” R$ 1,1 bilhão não pagos ao fundo Postalis.

Os Correios esperam economizar R$1 bilhão ao ano com as 5,5 mil adesões ao PDV. Cerca de 10% da folha anual de R$10,9 bilhões.

DIÁRIO DO PODER

Comentários (15) enviar comentário
  1. Ze disse:

    Os Correios que já forma símbolo de eficiência e orgulho nacional, hoje retém encomendas por mais de 3 meses, deixando os destinatários esperando pela boa vontade da empresa para que a(s) encomenda(s) sejam entregues. Ahhhh serviço ruim!!!

  2. Gustavo Henrique disse:

    A mão esquerda quando toca em qualquer coisa acontece o contrário da estória do mito de Midas.

  3. paulor disse:

    vão defender o PT !!!

  4. FRASQUEIRINO disse:

    Péssimo serviço. No bairro do Tirol as correspondências estão sendo entregues sempre com atraso há mais de 3 meses.

  5. cabral disse:

    Claro que tem muitos mais motivos para os correios fecharem as portas, agora e mas fácil dizer q foi o PT. A informatização praticamente fechou os correios. Mas todos podem ficarem tranquilos Lula2018. Vem ai para consertar tudo novamente. Lula la,

    • Acorda Brasil disse:

      Síndrome bolivariana.. Ele vai consertar a empresa que ele mesmo quebrou?

    • Helio Motta disse:

      Aplaudo de pé todo asinino que ainda esperneia para explicar o que não tem explicação.
      As estatais foram sangradas pelo PT e os Correios, diferente da Petrobras não resistirá. Isso não tem nada a ver com informatização mas com desvios.
      No entanto, para não se perceber um idiota útil, melhor fechar os olhos para realidade.

    • paulo disse:

      BG
      Esses ptRALHAS são CÍNICOS demais, todo mundo sabe o que elles fizeram nas empresas estatais, colocaram pelegos tipo esse cabral e simplesmente DETONARAM as empresas com os ASSALTO as mesmas.

    • cabral disse:

      Isso é culpa da Dilma e do Lula.
      #BOLSONARO2018

  6. JCabral disse:

    Tecnologia e transportadora, fora nossos políticos…

  7. escritor disse:

    Nao entendo pq nao privatiza. Ja foi estratégico quando nos comunicavamos por carta, telex, telegrama. Agora o q é estrategico é o domínio de mail. Nao a toa a CIA tem conhecimento de tudo q postamos. Por isso a china tem suas proprias redes sociais. Isso é estratégico. Mas pra q correios nas maos do Estado?

  8. Charles disse:

    Esse partido de demônios acabaram com o Brasil.

  9. Brasil disse:

    Esses PTRALHAS ,se derem um deserto para administrarem,em um ano eles estarão importando areia,esse povo touba até papel higiênico em shopping ,ainda tem imbecíl que defende esses vermes

  10. Lucia Cavalcanti disse:

    Estão provando do próprio veneno!!

  11. Chico disse:

    Mais uma dos PTralhas a sucumbir. Pior é que ninguém faz nada para ajudar. Triste

Publicidade