Publicidade

UERN: 85% dos estudantes são do Rio Grande do Norte

Por interino

A adesão ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu), sistema que utiliza a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como critério de seleção, permitiu a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern) potencializar a oferta de suas vagas para candidatos de todo país. Ainda assim, a maioria das vagas da Universidade é preenchida por estudantes norte-rio-grandense.

Hoje, 85% dos estudantes que ingressam no curso de graduação da Uern são oriundos de cidades do Rio Grande do Norte. E 70% dos graduandos são provenientes de escolas públicas. “Na última edição do Sisu, 40 mil estudantes de todo o país se inscreveram para concorrer às vagas oferecidas pela Uern. Isso demonstra que nossos cursos de graduação são atrativos, tanto para os estudantes do RN quanto para os outros estados”, avalia o reitor Pedro Fernandes.

Outro dado interessante é que a adesão ao Sisu/Enem credencia a Uern a receber R$ 2 milhões por ano pelo Programa Nacional de Assistência Estudantil (Pnaest). “Desde 2014, temos o convênio assinado, estamos dentro da portaria e estamos aguardando a liberação, em torno de R$ 6 milhões. Estivemos com o Ministro da Educação, Mendonça Filho, e entregamos um ofício solicitando atenção para este caso”, diz Pedro Fernandes.

Os recursos do Pnaest são voltados exclusivamente para assistência estudantil, como alimentação, moradia, creche, atividades de saúde, esporte e cultura.

enviar comentário
Publicidade

Bandidos fazem arrastão em escola da Grande Natal e levam equipamentos e toda merenda

Por interino

É destaque no Portal G1-RN. Criminosos arrombaram o Centro Educacional Venera Dantas Medeiros, na zona rural de Macaíba, na Grande Natal. De acordo com a direção, o arrombamento aconteceu na madrugada desta sexta-feira (24). Além de bebedouros, ventiladores, material escolar e equipamentos eletrônicos, os bandidos roubaram toda a merenda da escola. Este foi o quarto arrombamento em três meses. Confira todos os detalhes em reportagem completa aqui

enviar comentário
Publicidade

TCE permite nomeação de professores aprovados em concurso após analisar pedido da Secretaria de Educação

Por interino

O Tribunal de Contas do Estado (TCE/RN) decidiu permitir novas nomeações e posses de professores e especialistas em educação aprovados no concurso público realizado através do edital 001/2015, desde que seja demonstrada a real necessidade e risco de comprometimento de aulas pela falta de pessoal e que sejam vagas oriundas de reposição decorrente de aposentadoria ou falecimento dos servidores.

Segundo o voto do relator, conselheiro Paulo Roberto Chaves Alves, acatado pelos demais conselheiros na sessão desta quinta-feira (23), a Secretaria Estadual de Educação deverá demonstrar o risco de prejuízos ao ano letivo em relação a cada disciplina e escola da rede de ensino. As nomeações do referido concurso estavam suspensas após medida cautelar da Corte de Contas, agora revista em razão pedido de reconsideração da Secretaria Estadual de Educação e da Secretaria Estadual de Administração.

A medida cautelar anteriormente concedida era motivada pela falta de comprovação por parte das secretarias acerca do cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal. “Não resta suficientemente comprovado que as nomeações solicitadas atendem as exigências da Lei de Responsabilidade Fiscal, pois além de não se demonstrar com precisão o impacto financeiro que as novas nomeações causarão em um estado que já em severa crise, nem mesmo se demonstra se as vagas que se pretende ocupar foram abertas em razão da morte ou aposentadoria de servidores, permitindo nomeação excepcional, conforme regulamentado pela já referida LRF”, aponta o voto.

Para conseguir atender tanto à necessidade de realização do ano letivo, tendo em vista que a educação é um direito fundamental, quanto às limitações da LRF, o voto encaminha a liberação das nomeações, mas somente para atender a demanda imediata. “Como forma de balancear a aplicação dos princípios, a permissão para novas nomeações deverá ser limitada, restringindo-as à quantidade estritamente necessária para suprir as necessidades imediatas da SEEC, com o que se observará também a necessidade de respeito à responsabilidade fiscal, evitando-se o aumento descontrolado da despesa pública, o que é vital em momentos de crise financeira como o atual”, diz o voto.

Foi concedido ainda o prazo de 90 dias para que a Secretaria de Administração republique, por incorreção, nomeações para o cargo de Professor realizadas em vagas previamente ocupadas; revise os atos de nomeação publicados em 04/07/2016 e 30/07/2016, para corrigir eventuais admissões para vagas já preenchidas; apresente cálculos que informem a existência de recursos financeiros suficientes para custear as despesas geradas com as admissões; e inicie a criação de um sistema de controle do quadro de pessoal no âmbito do Poder Executivo do Estado do Rio Grande do Norte.

enviar comentário
Publicidade

UFRN realiza seleção para reocupação de vagas residuais 2017.2; confira edital com 235 “cadeiras”

Por interino

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio do Núcleo Permanente de Concursos (Comperve), divulgou, na última segunda-feira, 20, edital de seleção para reocupação de vagas residuais. Ao todo são oferecidas 235 vagas, distribuídas entre os cursos de graduação da UFRN, para ingresso no segundo semestre de 2017.

O processo seletivo é destinado a candidatos que estão ou que já estiveram vinculados a cursos de graduação da UFRN e as inscrições ficam abertas entre os dias 6 e 27 de março. Elas devem ser feitas exclusivamente pela internet, no site da Comperve. O interessado deve preencher formulário disponibilizado e pagar a taxa de inscrição no valor de R$ 30.

A seleção conta com prova objetiva de Português e Matemática, redação e avaliação de títulos. As provas acontecem no dia 30 de abril e o resultado final será divulgado na data provável de 26 de junho. Mais informações podem ser obtidas no edital do processo, disponível neste link.

Com informações da UFRN

enviar comentário
Publicidade

ALRN aprova reajuste do piso do Magistério em 7,64%, e Governo do Estado sanciona

Por interino

Fotos: Eduardo Maia

Por unanimidade os deputados votaram favorável ao reajuste de 7,64% do Magistério, beneficiando os Professores e Especialistas de Educação do RN. Com a aprovação, na sessão plenária desta quarta-feira (22), o Governo Estadual segue o que determina a Lei Federal 11.738, de 16 de julho de 2008, instituindo o piso nacional da categoria. O governador em exercício, Fábio Dantas (PCdoB), presente na Casa no momento da votação, sancionou o projeto.

“Esta Casa se sente honrada em contribuir com a conquista de todo o Magistério”, afirmou o presidente em exercício da Assembleia Legislativa, deputado Gustavo Carvalho (PSDB). Na discussão do projeto, o deputado Fernando Mineiro (PT) destacou o amplo consenso entre os parlamentares para garantir celeridade à matéria. O deputado Getúlio Rêgo também se pronunciou: “contribuímos para que o projeto fosse votado em tempo recorde, transmitimos aqui nosso abraço e solidariedade a todos do Magistério”, afirmou.

Logo que o projeto do Executivo chegou à Casa, o presidente do Legislativo do RN, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB) convocou reunião do Colegiado de Líderes, que decidiu pela urgência da matéria

O reajuste beneficia os Professores e Especialistas de Educação das Unidades Escolares de Educação Básica e da Secretaria de Educação e da Cultura, incluindo as Diretorias Regionais de Ensino que exerçam as atividades de suporte pedagógico à docência, compreendendo as funções de direção, administração, planejamento, inspeção, supervisão, orientação e coordenação serão abrangidos pelo reajuste.

Na sessão de hoje também foi aprovado o Projeto de Lei 36/16, de iniciativa do Executivo e o Projeto de Resolução 22/16, do Legislativo, além de requerimentos de sessões solenes.

ALRN

Comentários (2) enviar comentário
  1. Kaô disse:

    Algumas reflexões, foi o prefeito Batata que anunciou no início do ano que pagaria os funcionários dentro do mês referente ao trabalhado, coisa que já não vai ocorrer no segundo mês de mandato, outra coisa é a falta que esse dinheiro vai fazer para os funcionários que desejam brincar o carnaval?

  2. Cabloco Sete Flecha disse:

    Só em março é que a prefeitura de Caicó pagará ao funcionalismo municipal o mês de fevereiro, deixará os servidores ‘lisos’ para brincar o carnaval, depois de deixar também natal e ano novo "lisos" por falta de pagamento do mês de dezembro.

Publicidade

Brasileiro disputa prêmio de melhor professor do mundo

Foto: Wemerson Nogueira

Agricultores pobres com prole numerosa, no interior do Espírito Santo, os pais do menino Wemerson ofereciam aos filhos ainda pequenos duas opções: ir para roça com eles, capinar lavouras e colher café, ou estudar. Franzino e com mãos de pele fina que o cabo da enxada enchia de bolhas, o menino sempre optava pelos livros. Nesta quarta-feira, 22, o hoje professor Wemerson Nogueira da Silva, de 26 anos, será apresentado como o único brasileiro entre os dez finalistas ao prêmio de Professor Global 2017, que dará ao vencedor US$ 1 milhão.

Professor de ciências da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Antônio dos Santos Neves, na pequena Boa Esperança, cidade de 15,3 mil habitantes na região noroeste do Estado, Wemerson está concorrendo com educadores de países como Inglaterra, Alemanha, Espanha e Austrália. Em sua terceira edição, o Professor Global (Varkey Foundation Global Teacher Prize 2017), é o maior prêmio do gênero e foi criado para reconhecer “um professor excepcional que tenha feito uma grande contribuição para a profissão, além de chamar a atenção para o importante papel que os professores exercem na sociedade”.

Entre 2012 e 2014, o professor capixaba revolucionou as comunidades pobres de Nova Venécia, sua terra natal, com o projeto ‘Jovens Cientistas’, como conta. “A comunidade é carente de tudo e muitos alunos faziam o tráfico de drogas nos arredores e nas dependências da escola. Comecei a motivá-los para a música, para o esporte e, por fim, envolvi os pais. Os alunos passaram a ter interesse pela escola e pelo contexto social.” Ele conta que num dos projetos, o ‘Karaoquímica’, os alunos cantavam as fórmulas de uma matéria normalmente difícil. Contrariando orientação dos chamados “pedagogos”, ele liberou o celular nas aulas e converteu os aparelhos em fonte de consulta.

Depois de detectar que muitos alunos sofriam violência em casa, focou o tema em pesquisas e trabalhos escolares. “Em dois anos, a violência doméstica nessa região caiu 80% e a criminalidade relacionada à droga reduziu 90%.” Outro projeto, chamado “Filtrando as Lágrimas do Rio Doce”, saiu da escola e foi para as margens do rio, castigado pelos resíduos de mineração após o rompimento da barragem de Mariana (MG). Além de constatar in loco os efeitos da poluição, os alunos orientados por ele, e com a ajuda de especialistas, desenvolveram sistemas para tratar a água e devolver a potabilidade. “Distribuímos os filtros para a comunidade ribeirinha e os moradores puderam ter de volta água limpa em casa.” Os trabalhos já renderam a Silva o prêmio brasileiro de Educador Nota 10, o Educador do Ano, em 2016, da Fundação Victor Civita.

A forma diferenciada de lecionar deu bons frutos, segundo ele. “Muitos desses alunos conseguiram entrar no Instituto Federal do Espírito Santo, uma escola concorrida.

Eles disseram que nunca tinham sonhado com isso. No ano passado, um aluno meu foi aprovado para o curso de Medicina da Universidade Federal do Espírito Santo. Pena que, de tão pobre, ele não tinha dinheiro para se manter e não pôde dar continuidade, mas tenho certeza de que não vai desistir.”

Wemerson sabe por experiência própria que o incentivo é tudo quando se trata de aprender. “Sou de origem humilde, meus pais até hoje vivem do salário de aposentado rural, mas sempre deram prioridade para o estudo. Somos sete irmãos e sou o único professor, mas todos estudaram. Tenho uma irmã formada em advocacia, outra em radiologia e outra na área social. Todos nós estudamos em escolas públicas, com muita dificuldade. Quando eu tinha 14 anos, vendia picolé na rua e guardava o dinheiro, pois sonhava fazer faculdade.”

Ele conta que conseguiu, na época, fazer uma poupança de R$ 700 vendendo sorvete de palito. “Não consegui passar na federal, então decidi fazer um curso a distância.

Isso mesmo, sou formado num EAD (Ensino a Distância). Muitas pessoas torcem o nariz, mas foi o que consegui fazer. Com minhas economias, eu pagava R$ 190 de mensalidade.” Com apenas quatro meses de curso, ele se apresentou em uma escola que enfrentava falta de professores e começou a substituir os faltosos nas aulas. “O dinheiro da substituição me ajudou a terminar o curso de Ciências Biológicas.”

Caso vença o Professor Global 2017, o brasileiro já sabe o que fará com o dinheiro. “A prioridade é construir um laboratório de Ciência e Tecnologia na minha cidade, aberta a todos. Sei da importância porque minha escola não tinha um microscópio para mostrar uma célula para os alunos.” Outra parte do dinheiro vai para uma instituição que incentive a formação de professores e, se sobrar, Wemerson usará o restante em sua própria formação. “Sonho em conhecer a realidade da educação em outros países, os mais avançados, como a Finlândia, e outros mais carentes. Isso pode me ajudar no trabalho no Brasil.”

O prêmio é concedido pela Varkey Foundation, com sede em Londres. Os dez finalistas foram selecionados entre 20 mil indicações e inscrições de 179 países. O vencedor será anunciado no Fórum Global de Educação e Habilidades em Dubai, no domingo, 19 de março de 2017. No anúncio dos dez finalistas, o Príncipe Harry fez uma homenagem ao trabalho dos professores. “Além de ensinar a ler, escrever e aritmética, os melhores professores vão além das páginas dos livros para ensinar aos jovens sobre determinação, ambição, resiliência e compaixão. Todos enfrentamos obstáculos e desafios em nossas vidas e nossos professores exercem um papel crucial para nos preparar para esses altos e baixos.”

O fundador da Varkey Foundation, Sunny Varkey, parabenizou Wemerson por estar entre os dez finalistas. “Espero que sua história inspire as pessoas que estão pensando em seguir a carreira de professor e que também chame a devida atenção para o incrível trabalho que os professores fazem por todo o país e no mundo inteiro, todos os dias.” O brasileiro já se considera um vencedor. “Essa caminhada que estou vivendo já há alguns anos com meus alunos é o meu melhor prêmio.”

Estadão

Comentários (4) enviar comentário
  1. Ceará Mundão disse:

    São exemplos assim que ainda nos fazem acreditar no nosso país. Apesar de todas as dificuldades e sem apelar pro "coitadismo", pro "vitimismo", ele foi à luta.

  2. rc disse:

    Tá de parabéns!!!!!!!!!! o mundo precisa de mais professores assim. Deus o abençoe.

  3. Edimilton disse:

    PARABÉNS, esse sim é um verdadeiro GUERREIRO.

  4. Túlio Romero disse:

    Qual foi mesmo o sistema de cotas que esse vencedor precisou para vencer?
    Ele tem origem humilde, estudou em escola pública, qual a razão de ter vencido sem um sistema de cotas? Não faz sentido. O sistema de cotas é a revolução da educação, como ele não usou a cota?

Publicidade

UFRN realiza cadastro de convocados na 2ª chamada do SiSU a partir desta terça

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) realiza a partir desta terça-feira, 21, o cadastramento dos aprovados na segunda chamada do Sistema de Seleção Unificada (SiSU). As datas de atendimento variam de acordo com o campus para o qual seja destinada a vaga do aluno, distribuídas da seguinte forma: campi Natal e Macaíba nos dias 21, 22, 23 e 24; campus Caicó ou curso multicampi de Medicina (Caicó, Currais Novos e Santa Cruz) nos dias 22, 23 e 24; campi de Currais Novos e Santa Cruz nos dias 23 e 24.

A pró-reitora de Graduação, Maria das Vitórias Vieira Almeida de Sá, recomenda aos estudantes acessar o edital disponível em sisu.ufrn.br, onde poderão consultar dia e local do cadastramento, além dos documentos e declarações necessários. O horário de atendimento será das 8h às 11h30 e das 13h30 às 17h, em todos os pontos de cadastramento.

Os aprovados nos campi de Natal e Macaíba serão atendidos na Escola de Ciência e Tecnologia (ECT), no campus central da UFRN, já os novos estudantes do campus Caicó ou do curso multicampi de Medicina devem comparecer ao Centro Regional de Ensino Superior (Ceres), em Caicó. O cadastramento dos aprovados nos campi Currais Novos e Santa Cruz acontece, respectivamente, no Ceres Currais Novos e na Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi (Facisa), em Santa Cruz.

Com informações da UFRN

enviar comentário
Publicidade

UERN: Conservatório de Música/DART lança edital de cursos livres

O Departamento de Artes da Faculdade de Letras e Artes (FALA) da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) publica edital para o preenchimento de vagas nos Cursos Livres de Violão e Musicalização Infantil (2 a 7 anos) do Conservatório de Música D’alva Stella Nogueira Freire.

Serão ofertadas 30 vagas no curso de Musicalização Infantil e 24 vagas no Curso Livre de Violão. Os cursos são abertos à comunidade em geral.

As inscrições serão feitas exclusivamente através de formulários eletrônicos, nos dias 02 e 03 de março de 2017.

Dúvidas, ligue: 3315 2125.

Saiba mais neste EDITAL

enviar comentário
Publicidade

VÍDEO: Bandidos invadem escola em Mossoró e roubam mais de 100 tablets

É destaque em O Mossoroense. A madrugada do domingo(19) foi marcada pela invasão de uma escola na zona rural de Mossoró que resultou num grande prejuízo para estudantes e município.

Após anularem o sistema de segurança da escola, e invadirem o estabelecimento, os bandidos conseguiram levar mais de 100 tablets Multilaser MLX3 que seriam utilizados por estudantes da Escola do Jucuri. Veja detalhes e vídeo de ação criminosa aqui em texto na íntegra.

Comentários (3) enviar comentário
  1. Carvalho disse:

    Esse país é inviável.
    Tem que haver uma reforma da Constituição e mudança de algumas leis.

  2. Helio Motta disse:

    Como era mesmo o lema dos anencefálicos sobre escola e crime…. lembrei: mais escolas e menos prisões!
    Parece que a turma mais interessada, a dos vagabundos, precisa mesmo e de mais prisões para que os demais possam ter mais escolas.

    • Deodato Barros da Silva disse:

      Temos uma geração perdida, acostumados a receber sem ter que dar nada em troca. Muitos chegaram aos 14 anos vendo os pais em casa sem trabalhar, mantidos a custa dos trocados distribuídos pelo governo. Então eles tiveram esse exemplo por toda infância, agora preferem furtar que estudar, trabalhar e produzir – FATO!
      Então estamos vendo o índice de criminalidade crescer exponencialmente, sendo esse mais um dos fatores que fazem do noticiário policial ser o que mais tem matéria

Publicidade

Após 1º lugar no Prouni, ex-aluno diz que não teria obtido vaga somente com ensino público

“Muita gente comenta que eu ter chegado (à universidade) demonstra que não se pode culpar a precariadedade da educação pública pelo fracasso dos alunos”, afirma João Antonio Lima da Silva, de 17 anos. O jovem conseguiu neste mês uma vaga para cursar direito na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio).
Para ele, nada pior que seu exemplo ser usado como argumento de que a qualidade da educação pública não é um impedimento para o sucesso dos alunos. “Reconheço que, se houvesse investimento, o potencial de muitos jovens se realizaria”, afirma.

Filho de uma diarista, Silva cresceu em uma comunidade na Zona Norte do Rio de Janeiro. Bom aluno, recebeu o incentivo de um professor de matemática para que tentasse uma bolsa no Instituto Ismart, que apoia estudantes conseguindo vagas em colégios particulares.
Após ser aprovado, conseguiu deixar a Escola Municipal Cardeal Leme, onde fez o ensino fundamental, para estudar no no Colégio São Bento. “O Ismart mudou tudo”, conta.

Na nova escola, em um grupo com oito bolsistas, experimentou acolhimento e se dedicou muito para retribuir para a mãe toda a dedicação. Agora, diz que encontra muitos que analisam sua trajetória esquecendo do ensino médio em um colégio particular.

“Vejo e fico frustrado. Se eu estivesse no ensino público, não teria conseguido. A barreira é muito grande, muito maior”, conta. “Acho que a meritocracia só existe quando as condições são iguais”, comenta. Silva obteve o primeiro lugar entre os aprovados do Prouni (Programa Universidade para Todos) para o curso de direito na PUC.

Agora bem perto de começar uma nova etapa, ele já planeja o futuro. “Quero ser promotor, mas também já pensei em ser juiz e delegado.”
Além disso, ainda pensa em retribuir o apoio recebido do Ismart e criar um projeto, junto com amigos, que possa ajudar estudantes da periferia.

 

G1

enviar comentário
Publicidade

Governo pagou youtubers para elogiarem as mudanças do ensino médio, segundo Folha

O Ministério da Educação (MEC) pagou youtubers para falarem bem das mudanças na grade curricular do ensino médio em um vídeo de publicidade disfarçada, segundo informações do jornal Folha de São Paulo.

O canal “Você Sabia” recebeu R$ 65 mil pelo vídeo “Tudo que você precisa saber sobre o novo ensino médio”, que foi ao ar em outubro do ano passado e já teve mais de 1,6 milhão de visualizações.

Os donos do canal, Lukas Marques e Daniel Molo, afirmam que costumam trabalhar com conteúdo patrocinado. “A gente já ia fazer um vídeo sobre o novo ensino médio. Como recebemos a proposta, decidimos aceitar”, diz Molo.

Outro canal no YouTube que também recebeu para fazer um vídeo elogiando a reforma foi o “Pyong Lee”, que não confirmou valores. Apesar de em nenhum momento os vídeos informarem se tratar de um conteúdo pago, na descrição há a hashtag #publi, que indica ser um publieditorial – não se sabe se no momento da divulgação a hashtag já estava na descrição.

Em defesa, o MEC afirma que o pagamento foi realizado dentro da legalidade, por meio da agência escolhida por licitação, e que canais de influenciadores digitais complementam a estratégia de comunicação institucional. Os dois canais estão associados à produtora Digital Stars, que encomendou os vídeos.

Olhar Digital, UOL

Comentários (2) enviar comentário
  1. Paulo Cardoso disse:

    Há muitos joaquins Silvério dos reis

Publicidade

Temer sanciona a lei que estabelece a reforma do ensino médio

Reprodução

O presidente da República, Michel Temer, sancionou nesta quinta-feira (16), em cerimônia no Palácio do Planalto, a lei que estabelece a reforma do ensino médio.

Por ter sido enviada ao Congresso por meio de uma medida provisória, a reforma tem força de lei desde a publicação no Diário Oficial, em setembro do ano passado. No entanto, ainda não vai ser colocada em prática. Isso porque a aplicação do novo modelo ainda depende da definição Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que está sendo elaborada e deve ser homologada em 2017.

A reforma do ensino médio é considerada pelo governo como uma das mais importantes da gestão de Temer.

Em discurso, o ministro Mendonça Filho defendeu que a discussão acerca da reforma não começou no governo Temer, mas estendeu-se há 20 anos no Congresso Nacional.
Segundo o ministro, faltava “vontade política” para dar seguimento à tramitação da “maior e mais importante reforma estrutural básica” do país.

“Não há discussão que se inaugurou, essa discussão remonta há 20 anos. Somente entre comissão especial e o início de tramitação de projeto, completa-se, nesse ano, cinco anos. Não existia vontade política de fazê-la passar. O quadro bastante crítico do ensino médio no Brasil compromete vida de jovens”, afirmou.

Ao falar após o ministro Mendonça Filho, o presidente Michel Temer afirmou que a implementação da reforma do ensino médio é fruto de coragem e ousadia por parte do governo.

“É interessante salientar que nos dias atuais mais do que coragem para governar, é preciso ousadia. Por isso que cumprimento a ousadia do ministro da educação ao dizer vamos fazer por meio de uma MP porque essa matéria está sendo debatida há mais de 20 anos no Congresso Nacional”, disse.

Temer afirmou que algumas das propostas enviados pelo governo ao Congresso, como a reforma do ensino médio, têm suscitado polêmica. Mas, segundo ele, são polêmicas “saudáveis”.

“Temos mandado propostas que têm tido muita polêmica, e uma saudável polêmica, porque vivemos em um estado democrático. E no estado democrático o que mais se deve fazer é polemizar, porque a polêmica gera aperfeiçoamento”, ressaltou.

Veja os principais pontos da reforma:

O texto aprovado permite que as escolas possam escolher como vão ocupar 40% da carga horária dos três anos do ensino médio: 60% será composto de um conteúdo mínimo obrigatório, que será pela Base Nacional Curricular Comum (BNCC), ainda em debate. Já o restante do tempo será definido de acordo com a proposta da escola, que deverá oferecer aos estudantes pelo menos um de cinco “itinerários formativos”:

linguagens e suas tecnologias
matemática e suas tecnologias
ciências da natureza e suas tecnologias
ciências humanas e sociais aplicadas
formação técnica e profissional

O ensino de português e de matemática será obrigatório nos três anos do ensino médio. Também será compulsório o ensino de inglês, artes, educação física, filosofia e sociologia.

Na versão original enviada pelo governo, a MP deixava claro que somente matemática e português seriam obrigatórios.

Isso gerou a principal polêmica em torno do texto. No Brasil, não existe uma lei que especifica todas as disciplinas que deveriam obrigatoriamente ser ensinadas na escola– esse documento será a BNCC.

Até então, a Lei de Diretrizes e Bases (LDB) só citava explicitamente, em trechos diversos, as disciplinas de português, matemática, artes, educação física, filosofia e sociologia como obrigatórias nos três anos do ensino médio.

Na versão original enviada pelo governo, a MP mudou isso, e retirou do texto as disciplinas de artes, educação física, filosofia e sociologia.

Desde que foi apresentada pelo governo, em setembro, a reforma se tornou alvo de protestos pelo país. Nos últimos meses de 2016, estudantes chegaram a ocupar escolas para se manifestar contra a MP.

Tempo integral

Outro objetivo da reforma é incentivar o aumento da carga horária para cumprir a meta 6 do Plano Nacional de Educação (PNE), que prevê que, até 2024, 50% das escolas e 25% das matrículas na educação básica (incluindo os ensinos infantil, fundamental e médio) estejam no ensino de tempo integral.

No ensino médio, a carga deve agora ser ampliada progressivamente até atingir 1,4 mil horas anuais. Atualmente, o total é de 800 horas por ano, de acordo com o MEC. No texto final, os senadores incluíram uma meta intermediária: no prazo máximo de 5 anos, todas as escolas de ensino médio do Brasil devem ter carga horária anual de pelo menos mil horas. Não há previsão de sanções para gestores que não cumprirem a meta.

G1

 

Comentários (5) enviar comentário
  1. Ceará Mundão disse:

    Enquanto os cães ladram, a caravana passa. Ou seja, enquanto a "cumpanherada", responsável pelas enormes dificuldades que estamos atravessando, torce pelo "quanto pior melhor (prá eles, politicamente), o governo atual resolve enfrentar os grandes temas nacionais e trazê-los à discussão. Essa reforma do ensino médio é mais um assunto concluído.

    • Potyguar disse:

      Gostaria de ver passar também a reforma do caduco Código Penal e a mãe de todas as reformas ; a reforma política.
      Será que há vontade política ?????? estejamos sempre independentes e atentos e nunca a serviço de grupo político nenhum do Brasil, seja de Direita ou de Esquerda, pois eles TODOS só pensam em seus próprios interesses.

  2. Gilberto Pereira Paulo disse:

    Gostaria de ter acesso ao texto atualizado que foi sancionado.

  3. IB disse:

    Se daqui a alguns anos se comprovar que essa reforma não ajudou em nada na melhora da educação ou tenha só piorado aposto que não vai faltar trouxinha falando que foi projeto do PT!

    • Ceará Mundão disse:

      O PT não foi o autor de nenhuma reforma estruturante durante os seus quase 14 anos de governo. A alegada "defesa" dos pobres, principalmente, foi uma grande mentira. Cá estamos, no Brasil de verdade, passando por toda sorte de dificuldades, que apenas aumentaram após a passagem dos "cumpanhero" pelo poder. É só olhar ao redor e conferir. Nada foi feito de benéfico ao nosso país. Essa é a grande verdade que precisa ser dita.

Publicidade