Publicidade

OAB tem 90% de Reprovação

Jornal da Tarde

O resultado final do último exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), realizado em dezembro de 2010, é o pior da história da entidade: apenas 9,74% dos bacharéis em Direito foram aprovados em um total de 116 mil inscritos, segundo dados do Conselho Federal da OAB obtidos pelo JT. Nesse universo também estão incluídos os treineiros, estudantes do último ano da graduação (9º e 10º períodos), que tiveram um desempenho muito superior ao dos diplomados (veja abaixo).
Até então, o pior índice do País era de 14% de aprovados, entre os 95,7 mil inscritos no primeiro exame realizado pela OAB no ano passado, de acordo com o jurista e cientista criminal Luiz Flávio Gomes, fundador da rede de ensino LFG. O exame foi unificado em 2010, o que ajuda a explicar, de acordo com Gomes, o aumento no índice de reprovação: a porcentagem de aprovados, na média entre os três concursos anuais, passou de 28,8%, em 2008, para 13,25% em 2010. Antes disso, cada Estado do País aplicava sua própria seleção, o que possibilitava, segundo a OAB, que um candidato se submetesse a provas mais fáceis em algumas regiões do País.
Especialistas acreditam que o mau desempenho dos estudantes também está associado à má qualidade da educação básica, à má formação no ensino superior, à falta de dedicação dos estudantes e à abertura indiscriminada de faculdades de Direito. “Não há um culpado só, todos colaboram. Há deficiências nas faculdades, em geral, mas o aluno não se preocupa muito com o curso”, analisa Gomes. “E o exame está mais difícil”, complementa.

(mais…)

enviar comentário
Publicidade

Professor da UFRJ aplica prova pelo Twitter

Para driblar a falta de sala de aulas na UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), trancadas devido à greve dos servidores da universidade, o professor de Relações Internacionais Marcelo Coutinho achou um jeito criativo: aplicou a prova final de sua disciplina no Twitter.

Só teve uma questão, que poderia ser resolvida em 48 horas. Para garantir o recebimento, o professor enviou também por e-mail.  “Dar a prova para o aluno resolver em casa é um procedimento comum na universidade”, explica Coutinho. A inovação é fazer isso pelo Twitter. “Não dá para colar, pois é necessário comparar e analisar dois textos complexos, escritos em inglês.”

Para evitar que os estudantes peçam a outra pessoa para resolver a questão, o professor já havia aplicado uma primeira prova em sala de aula. “É possível questionar caso haja uma diferença muito grande entre o desempenho em uma e em outra”, diz.

A iniciativa foi bem recebida pelos alunos e, segundo o professor, pode ter influenciado a universidade a reabrir as salas de aula para o período noturno a partir desta quinta-feira (30).

Portal UOL

enviar comentário
Publicidade

Estudantes invadem a DIRED em Mossoró. Só saem com a presença da Governadora

O  Comando de Mobilização Estudantil de Mossoró (C_O_M_E_M) ocupou agora há pouco o prédio da 12ª DIRED – Diretoria Regional de Educação do Governo do Estado. Através do twitter, professores da Rede Estadual de Ensino se solidarizam e prometem seguir para o acampamento.

Os estudantes são da UERN, UFERSA e escolas estaduais e particulares prometem entrar daqui a pouco com imagens ao vivo via Web. A polícia acabou de chegar ao local.

A Jornalista Ana Cadengue, conversou há pouco por telefone com uma das integrantes do Comando de Mobilização Estudantil de Mossoró (C_O_M_E_M), Geordânia, que disse que eles só desocupam o prédio da DIRED com a presença da governadora Rosalba Ciarlini. Os estudantes estão com barracas e vão acampar dentro do prédio até que a governadora Rosalba abra um canal de diálogo. Eles protestam contra o corte de mais de 30% no orçamento da UERN e lutam por uma educação de qualidade….

* Com informações da Jornalista Ana Cadengue

Comentário (1) enviar comentário
  1. Maria josé oliveira de Morais disse:

    Parabenizo aos professores pela iniciativa.Lamento que governo continue com tanto descaso para com nós educadores.Embora aposentada serei sempre professora e lamento tanto falta de respeito pela classe trabalhadora que forma pessoas que desconhece o valor o mesmo.

Publicidade

Nosso IFRN "mentiu" sobre texto usado nas provas do concurso de língua portuguesa

Post retirado do BLog de Reinaldo Azevedo, sérias acusaçãos contra o IFRN:

Caras e caros,

o texto ficará bastante longo, como verão. Mas a questão é importante porque estamos diante de mais uma evidência das distorções a que a esquerdopatia submete a educação no Brasil. Como resolveram usar um texto meu para fazer lambança, então eu me sinto obrigado a denunciar os vigaristas intelectuais. Eu gosto de uma boa briga. A turma lá deve saber disso, espero.
*
Já escrevi uma vez: eles não se cansam, mas eu também não me canso. Eles têm a sua rede de vigarice e maledicência, eu tenho os fatos.  O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte fez um concurso para contratar professores de língua portuguesa para o ensino médio e nível superior. A turma lá decidiu usar um texto meu, publicado na ediçao nº 2025 da VEJA, de 12 de setembro de 2007. Ele serviu de referência para seis questões. Cinco delas têm de ser anuladas. Candidatos que se sintam lesados e queiram recorrer à Justiça podem usar este meu post como suporte. Eu sou o autor. Eu sei o que escrevi. E o Instituto mentiu sobre o meu texto.

O artigo que escrevi foi submetido a um crivo ideológico e teve seu sentido deturpado. Atribuíram-lhe um conteúdo comprovadamente falso. Pior: o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte induz os candidatos a um erro no que diz respeito à gramática, além de atribuir a Camões o que ele nunca escreveu. Escárnio: o concurso seleciona professores de língua portuguesa!

Abaixo, leitor, reproduzo em azul o meu artigo, que critica a recente reforma ortográfica, à qual ainda não aderi em sinal de protesto. Quando for obrigatório, não terei saída. Ainda estou no prazo. Mesmo escrito em 2007, ele poderia servir também como contestação às bobagens presentes no livro de Heloísa Ramos, aquela que faz a apologia do erro. Na seqüência, publico em vermelho (claro!) as questões do tal instituto e o gabarito. E  chuto traseiros com gosto.
*
Restaurar é preciso; reformar não é preciso

A reforma ortográfica que se pretende é um pequeno passo (atrás) para os países lusófonos e um grande salto para quem vai lucrar com ela. O assunto me enche, a um só tempo, de indignação e preguiça. O Brasil está na vanguarda dessa militância estúpida. Por que estamos sempre fazendo tudo pelo avesso? Não precisamos de reforma nenhuma. Precisamos é de restauração. Explico-me.

(mais…)

Comentário (1) enviar comentário
  1. Ana disse:

    Não adiantou de nada os comentários do Autor, a prova não vai ser anulada mesmo.

Publicidade

Direito forma 7 vezes mais do que Medicina

Por Robson Pereira/Consultor Jurídico:

O Ministério da Educação cancelou, na semana passada, 11 mil vagas de 136 cursos de Direito em todo o país, todos reprovados no quesito qualidade. Ao mesmo tempo transferiu quatro mil dessas vagas para escolas com melhor avaliação. São medidas preventivas, pois evitam que sete mil vagas venham a ser mal ocupadas, não necessariamente por culpa do estudante, mas de quem tinha a responsabilidade sobre elas. O número é significativo e teria um efeito devastador em qualquer outra profissão ou lugar do planeta, exceto no Brasil: as 11 mil vagas cortadas pelo MEC representam menos de 8% das vagas ocupadas nas faculdades de Direito de norte a sul do país nos últimos 5 anos.

Vejamos os números:

Em 2005, segundo os relatórios do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais, 1.678.088 alunos ingressaram no ensino superior. Desses, 212.739 foram atraídos para faculdades de Direito – a terceira maior preferência do estudante brasileiro, atrás apenas dos cursos de formação de professores (503.372) e administradores de empresas (371.502). Entre os que entraram e os que já estavam matriculados, a soma chegou a fantásticos 565.705 alunos. No fim daquele ano, o país ganhou 73.323 novos bacharéis em Direito – sete vezes mais do que o número de médicos.

Em 2009, ainda segundo o censo do INPE, existiam 5.115.896 alunos matriculados no ensino superior, entre os quais 651.600 em cursos de direito. Significa que de cada 100 bancos escolares, 13 estavam ocupados por candidatos a advogados. E entre os 826.928 alunos formados em 2009, 87.523 eram de Direito – o que representa bem mais do que a soma de psicólogos (17.280), jornalistas (13.139), médicos (11.881), dentistas (8.510), economistas (6.922) e químicos (3.434), todos aptos, pelo menos em tese, a ocupar um lugar no mercado de trabalho.

(mais…)

Comentário (1) enviar comentário
  1. Sidharta disse:

    É o baixo custo do curso de Direito, só precisa de professor e giz, aí fica fácil multiplicar as faculdades em prejuízo da qualidade do ensino superior.

Publicidade

MEC suspende 250 vagas do curso de Direito da UNP

O Ministério da Educação suspendeu cerca de 11 mil vagas de 136 cursos de Direito que tiveram resultados insatisfatórios em avaliações da pasta. A medida, publicada no “Diário Oficial da União” desta quinta-feira, atinge graduações que obtiveram CPC (Conceito Preliminar de Curso) 1 ou 2 em 2009.

A maioria dos cursos que tiveram vagas reduzidas é de São Paulo. No Rio, as graduações de Direito da Universidade Salgado de Oliveira (Universo) em Niterói e Campos do Goytacazes perderam 720 vagas. A unidade da Universo de Belo Horizonte perdeu outras 300. Em Natal a Universidade Potiguar teve 250 vagas reduzidas.

LEIA MAIS: Veja a relação de cursos atingidos

O indicador avalia a qualidade do ensino oferecido a partir da nota obtida pelos alunos no Enade (Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes), a titulação e o regime de trabalho do corpo docente e a infraestrutura. Os resultados 1 e 2 são considerados insatisfatórios; o 3 é tido como razoável, e as notas 4 e 5 são boas.

 

 

enviar comentário
Publicidade

UFRN e Ufersa em GREVE

Os servidores da UFRN e da Ufersa deflagrarão greve na segunda-feira (6). A decisão foi tomada na plenária nacional da  Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores das Universidades Públicas Brasileiras (Fasubra), realizada  em Brasília.

Dos 63 votos foram favoráveis à greve na segunda-feira. Completando o placar, 61 foram contrários, além de uma abstenção.

A categoria reivindica os seguintes pontos:

– Piso de três salários mínimos e step 5%;
– Racionalização de cargos;
– Rreposicionamento de aposentados;
– Mudança no Anexo IV (incentivos de qualificação);
– Devolução do vencimento básico complementar absorvido;
– Isonomia salarial e de benefícios;

A Assembleia de deflagração da greve no Rio Grande do Norte será segunda-feira, às 8h30, na reitoria da UFRN.

* Fonte: Sintest-RN e Tribuna do Norte

Comentário (1) enviar comentário
  1. Ronaldo dias da Silva disse:

    Este movimento vem num momento oportuno,principalmente para nós auxiliares de enfermagem, precisamos demonstrar que estamos em desvio de função, realizando atividades semelhantes aos técnicos, isto devido ás novas diretrizes basicas da educação,que exige segundo grau completo e qualificação para tecnico de enfermagem através de cursos de modularização,até o momento não reconhecido pelo mec ,autor desta lei.

Publicidade

Prefeitura entrega escola Noilde Ramalho

Hoje às 15:00 a Prefeita de Natal, Micarla de Souza, e o Secretario de Educação, Walter Fonseca, vão inaugurar na comunidade da África na Zona Norte da Capital a Escola Municipal Noilde Ramalho. A escola já vem funcionando e hoje será entregue oficialmente a comunidade. Que dona Noilde inspire os alunos e a qualidade de ensino. Parabéns a prefeitura pela homenagem e por entregar um aparelho tão importante numa comunidade carente de tudo.

enviar comentário
Publicidade

Professores da Prefeitura do Natal trabalham menos e ganham mais do que no Estado

A Professora coqueluche Amanda Gurgel em entrevista domingo ao NovoJornal disse um fato que não vi ninguém levar em consideração ou comentar na imprensa. Mas, acho muito importantes esses dados. Disse a professora: “recebo do Estado lotada na Escola Estadual Miriam Coeli R$ 930,00 (Novecentos e trinta reais) para trabalhar 30 horas. Em Natal, recebo R$ 1.217,00 lotada na Escola Municipal Amadeu Araújo para trabalhar 20 horas”

Portanto, a Prefeitura do Natal tão criticada pelo funcionalismo, paga melhor do que o Estado. Um professor do estado do mesmo nível trabalha 50% mais do que o de Natal e recebe menos 23% de salários.

Comentários (2) enviar comentário
  1. Fernando disse:

    O funcionalismo municipal não tem o que reclamar de Micarla. Desde 1992 que o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos estava dependendo da vontade política, só agora foi implementado. O salário-base do funcionários da Prefeitura de Natal é bem melhor que os do Governo do Estado. No Estado o grosso da remuneração vem das gratificações, quando das aposentadorias o funcionalismo entende o que isso significa, Rosalba ainda conseguiu fazer pior, cortou as gratificações e não quer pagar os PCCV's, a realidade dá prova disso, as greves pipocam em todas as categorias que trabalham na rede pública estadual. Parabéns dona Rosalba!

  2. [email protected] disse:

    So que essa diferença não foi imposta por nenhum aumento da prefeita borbloleta. essa diferença ja foi até maior!

Publicidade