Publicidade
Publicidade

Aplicativo de caronas solidárias da UFRN registra mil downloads em uma semana

Recém-lançado pela Superintendência de Informática (Sinfo) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), o aplicativo de caronas solidárias Vemcar já conta com mil downloads desde que foi disponibilizado para dispositivos Android na última sexta-feira, 31. Voltado à comunidade universitária, o Vemcar pode ser acessado, exclusivamente, por servidores e alunos com vínculo ativo na Instituição, para oferecer ou solicitar caronas que tenham o campus como ponto de chegada ou partida.

Representantes da Sinfo apresentaram o aplicativo nesta quinta-feira, 06, à reitora Angela Maria Paiva Cruz, que parabenizou e agradeceu à equipe responsável pelo desenvolvimento da ferramenta. “Essa iniciativa inteligente e econômica dará importante contribuição para melhorar a mobilidade no campus. Em função das dificuldades na oferta de transporte público de massa, a Universidade convive com o crescimento do uso de transporte individual, mas por esse aplicativo poderá ter menos transtornos por adotar a carona amiga”, declara.

Foi a partir da observação dos problemas de mobilidade urbana que o aluno do curso de Engenharia de Software da UFRN, Thiago de Lima Andrade idealizou o projeto do Vemcar. O incentivo começou em sala de aula, na disciplina de Desenvolvimento de Aplicativos para Smartphone, em que o professor Gibeon Soares de Aquino Júnior lançou aos alunos, o desafio de criar soluções em TI que facilitasse a vida da comunidade universitária. Entre todos os protótipos, o de Thiago Andrade foi escolhido para ser desenvolvido pela Sinfo, onde o estudante fez estágio para participar do processo.

Professor Gibeon Soares de Aquino Júnior lançou desafio aos alunos

“Essa experiência foi enriquecedora para a minha carreira, pois a partir do contato com a equipe da Sinfo eu me descobri na área de desenvolvimento mobile. Além disso, sinto-me realizado por experimentar a entrega real de um aplicativo aos usuários. Antes era apenas teoria, agora as pessoas estão usando de verdade”, compartilha o universitário que, atualmente, elabora o trabalho de conclusão de curso sobre o Vemcar. O professor e diretor de sistemas da Sinfo, Gibeon Soares destacou que pela primeira vez, um projeto de um estudante é concretizado pela Sinfo, como forma de incentivar a criação de soluções inovadoras para a sociedade.

Desenvolvimento

O trabalho também foi considerado audacioso e desafiador pelos integrantes da equipe desenvolvedora, que durante o processo entrevistou a comunidade universitária para definir o nome da ferramenta e identificar os principais receios no seu uso. Como a segurança foi o problema mais levantado, foram criados recursos que ajudassem nesse sentido: termo de uso, login e senha, raio de localização, likes, entre outros. O principal diferencial, no entanto, é o uso restrito a professores, técnico-administrativos e alunos de qualquer campus da Instituição, que devem realizar o login com os mesmos dados de acesso nos sistemas integrados da UFRN. “Pensamos em maneiras de garantir o máximo de proteção aos usuários, que ainda podem desistir de conceder ou pegar a carona a qualquer tempo”, ressalta o líder da equipe, Jean Guerethes Fernandes Guedes.

No quesito funcionalidade, foram empregadas novas tecnologias e pesquisadas as principais queixas de aplicativos semelhantes, para evitar que se repetissem no Vemcar, para o qual já são planejadas atualizações como mapas, rotas e disponibilidade para outros sistemas operacionais. A primeira versão recebeu nota máxima por mais da metade dos usuários, que deixaram avaliações no site do Android, onde está disponível para download. “Este produto é inovador dentro do campus e ainda surge como uma oportunidade ímpar de sinergia entre academia e indústria, com uma utilidade bem diferente dos demais aplicativos que já desenvolvemos até agora”, acredita Victor Jerônimo Lopes Galdino, membro da equipe desenvolvedora.

Como funciona

Após fazer o login e aceitar os termos de uso, os usuários que utilizam o aplicativo pela primeira vez têm acesso a um tutorial com o passo a passo de como usar as duas abas disponíveis para solicitar ou para oferecer carona. Ao selecionar uma dessas opções, é necessário informar os pontos de partida e chegada e acompanhar o filtro onde aparecem todas as caronas para, dessa forma, escolher ou associar-se às mais adequadas. Os motoristas ainda têm acesso a um mapa onde encontram as localizações dos passageiros associados ao seu trajeto.

O download do Vemcar está disponível para aparelhos do sistema operacional Android a partir da versão 4.4., acessado no seguinte link: https://play.google.com/store/apps/details?id=br.ufrn.sinfo.vemcar&hl=pt_BR

Outras informações constam no vídeo de apresentação, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=jNwnm1_ovho.

Com informações e fotos da UFRN

Comentários (2) enviar comentário
  1. paulo martins disse:

    Não é exagero imaginar que apareça um vereador natalense (quem sabe Sandro Pimentel?) para propor à câmara municipal projeto de lei visando regulamentar o "uber" da Ufê-renê!
    A indigência de criatividade dos "nobres" parlamentares é tão grande que não dá para descartar tal façanha.

    • Caicoense Fingido disse:

      Desde que não sejam comentários e declarações alucinadas, com fulcro em notícias fantasiosas, ridículas e falsas, o apoio dos vereadores seria válido.

Publicidade

“Eu enquadrei ele, ele tentou reação e eu passei o rodo”, diz adolescente, que confessou ter matado vigilante do IFRN

Reportagem do G1-RN nesta quarta-feira(12) choca pela frieza do “de menor”. A Polícia Civil conseguiu identificar e deteve um adolescente de 17 anos apontado como autor da morte do vigilante do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), Cabral Neto, na cidade de Apodi. O crime aconteceu na manhã dessa terça-feira (11) e, nesta quarta-feira (12), o adolescente confessou a autoria.  “Eu enquadrei ele, ele tentou reação e eu passei o rodo”, disse em depoimento.

Veja detalhes da reportagem aqui

Comentários (7) enviar comentário
  1. Walter disse:

    As leis não mudam porque os políticos só ficam se defendendo dos roubos que praticaram

  2. Alldo disse:

    Se fosse da minha família esse marginal ia ver o que eu ia fazer com o cabo do rodo, antes de ser enquadrado.

  3. MB disse:

    Os marginais não respeitam os direitos humanos dos trabalhadores, pais de família, mas nós temos que respeitar os deles? Por quê ?

  4. Cesar B. disse:

    É um ABSURDO a lei proteger um marginal como esse, a pena para esse delinquente deveria ser a prisão perpétua. A sociedade ainda tem que aguentar ver OS DIREITOS HUMANOS defendendo esse tipo de marginal. VERGONHA.

  5. Luciana Morais Gama disse:

    Amanhã tá solto, e pronto pra matar outro.

  6. Helio Motta disse:

    Se esse vigilante tiver família, esse vagabundo ia ver a cor do rodo bem ligeirinho…

  7. ANA BEATRIZ disse:

    Isso é revoltante. Esses adolescentes são infinitamente piores que os adultos. Vejam o depoimento dele, quanta frieza, meu Deus. Essas leis têm que mudar. As pessoas têm que pagar pelos seus erros. Esse marginal adolescente ceifou uma vida por banalidade, destruiu uma família, causando-lhe uma dor sem fim, uma revolta eterna. Onde vamos parar?

Publicidade

Universidade Católica de Brasília compra grande área em Nova Parnamirim

A Universidade Católica de Brasília adquiriu uma área de 60.000 metros quadrados em Nova Parnamirim.

Segundo informações, a área fica próxima aos condomínios Green Club. A negociação levou meses e atinge cifras consideráveis.

 

Comentários (3) enviar comentário
  1. Bruno Rodrigues disse:

    Seria a PUC?

  2. Ricardo disse:

    Como assim custo fiscal zero???

  3. José julio disse:

    "Custo fiscal ZERO"

Publicidade

Relação entre estresse e infertilidade é tema de estudo na UFRN

A infertilidade é uma condição que afeta aproximadamente 15% a 25% dos casais que desejam engravidar. Estudos evidenciam que há uma relação entre o estresse e os parâmetros reprodutivos, e que isso influencia negativamente na probabilidade de engravidar.

Preocupada com essas informações, a aluna de mestrado em Psicobiologia do Centro de Biociências (CB) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Nathália Karen Maia Bezerra, orientada pela professora Nicole Leite Galvão-Coelho, está estudando a infertilidade em homens e mulheres na Maternidade Escola Januário Cicco (MEJEC) e avaliando os dados no Laboratório de Medidas Hormonais do Departamento de Fisiologia do CB.

Segundo a pesquisa, os sintomas psicológicos advindos da infertilidade são complexos e influenciados por diversos fatores, como diferenças de gênero, causas e duração da infertilidade, estágio específico da investigação e do tratamento, além da própria capacidade de adaptação ao problema e da motivação para ter filhos.

“Atualmente nota-se um aumento progressivo na necessidade de uso das tecnologias de reprodução assistida, seja ela de alta ou de baixa complexidade e, por isso, a finalidade deste estudo consiste em avaliar como o perfil psicofisiológico modula o resultado do tratamento em casais, que se submetem ao procedimento de fertilização in vitro”, explica Nathália Bezerra.

A professora Nicole Galvão Coelho conta que seu grupo de pesquisa, tradicionalmente, estuda o estresse e as psicopatologias associadas. “A interação deste tema à reprodução assistida tem fundamental importância para a sociedade como um todo, mas também especificamente para o Rio Grande do Norte, pois a Maternidade Escola da UFRN é a única instituição pública no país a realizar o procedimento de reprodução assistida gratuitamente”, ressalta a docente.

De acordo com a pesquisa, as habilidades do sujeito para responder adequadamente a cada estressor depende dentre outras características, do seu estilo de enfrentamento aos agentes estressores e de um suporte social adequado.

A pesquisa conta com a colaboração da equipe do Centro de Reprodução Assistida da Maternidade Escola Januário Cicco, liderada pela médica Mychelle de Medeiros Garcia Torres.

UFRN

 

enviar comentário
Publicidade

Comperve divulga edital para 40 vagas em curso de Libras da UFRN, 2º semestre

O Núcleo Permanente de Concursos (Comperve), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), divulgou, na última terça-feira, 4, edital para preenchimento de vagas no Curso Superior de Letras, com habilitação em língua brasileira de sinais (Libras). São oferecidas 40 vagas para início no segundo semestre de 2017.

A seleção é aberta para portadores de Certificado de Conclusão do Ensino Médio (ou curso equivalente) e que já apresentem domínio em Libras. As inscrições serão abertas no dia 17 de abril e seguem até 1º de maio. Elas devem ser realizadas exclusivamente pelo site da Comperve, onde o candidato deve preencher o formulário de inscrição.

Os candidatos inscritos passarão pelo Teste de Verificação de Habilidade Específica (THE), que consiste em uma avaliação prática em Libras. Os aprovados neste teste serão submetidos a uma prova de redação. As duas avaliações acontecem no dia 14 de maio. O resultado final deve ser divulgado no dia 30 de junho.

Outras informações podem ser consultadas no edital da seleção, que também está disponível na versão Libras.

Com informações da UFRN

enviar comentário
Publicidade

FOTO: Bancada evangélica celebra retirada de questão de gênero de base curricular

Foto: Ed Ferreira – 10.jun.2015/Folhapress

Horas antes de o MEC (Ministério da Educação) divulgar documento que subtrai as expressões “identidade de gênero” e “orientação sexual” da base nacional curricular, o presidente Michel Temer recebeu deputados da Frente Parlamentar Evangélica no Palácio do Planalto.

O grupo tinha uma meta: convencer Temer de quão “absurda” era “a pedagogia que busca impor uma teoria com base sociológica que desconsidera a realidade biológica das crianças e adolescentes”.

É o que diz ofício entregue ao presidente no dia, assinado pelos presidentes das frentes evangélica e da família, os pastores Hidezaku Takayama (PSC-PR) e Alan Rick (PRB-AC), mais o vice-presidente da bancada católica, deputado Flavinho (PSB-SP).

Eles também enviaram documentos se manifestando contra o aborto, a legalização das drogas e a uma resolução que combate a discriminação contra a comunidade LGBTQ, obrigando escolas a deixar “que a pessoa use o banheiro que desejar”, como a transexual que vai ao toalete feminino (“isso é um atentado violento ao pudor e a moral, no qual teremos homens e mulheres dividindo espaços íntimos e que deveriam ser protegidos daqueles que não compartilham da mesma anatomia”).

Como a Folha reportou nessa quinta (6), o MEC alterou sem alarde o texto da nova versão do documento que define o que os alunos devem aprender da creche ao ensino médio, uma bússola para redes e escolas produzirem seus currículos. A pasta retirou a referência inicial à necessidade de respeito a “identidade de gênero” e “orientação sexual”, que apareciam em versão prévia do projeto apresentada a jornalistas na terça (4).

Em nota, o MEC afirmou que o texto “passou por ajustes finais de editoração/redação que identificaram redundâncias”. Segundo a pasta, o texto encaminhado a membros do Conselho Nacional de Educação na quarta-feira (5) já contém os ajustes.

Quatro deputados presentes na excursão evangélica ao Planalto contaram que Temer disse concordar com suas posições avessas ao tema e também ao aborto e à legalização das drogas. O presidente também ressaltou, segundo eles, que aquelas eram posições pessoais, não a voz do Executivo, até porque os outros dois Poderes (Legislativo e Judiciário) precisam manter sua independência.

A Folha apurou que deputados da frente tiveram ao menos dois encontros prévios para discutir o assunto com o ministro da Educação, Mendonça Filho. A agenda não teria sido divulgada para “não criar alarde”, diz um deles, que pediu anonimato. O ministro teria mostrado “sensibilidade” à demanda dos religiosos.

Ligado à Igreja Batista acriana, Alan Rick diz se sentir vitorioso com o “apagão” ideológico. “Defendo os princípios que a sociedade me cobra. Os pais não querem ver seus filhos doutrinados. Falam pra mim: ‘Deputado, meu filho vai à escola para aprender matemática, português, não para ser ensinado que ele pode ter vários gêneros’. Falam que existe mais de cem gêneros. Isso é uma loucura!”

O pastor Marco Feliciano (PSC-SP) afirma que, agora, “os pais poderão descansar, pois o Estado não vai interferir na educação de seus filhos”.

A base é composta por…*

…4 áreas do conhecimento:

> Matemática
> Ciências da natureza: ciências
> Linguagens: língua portuguesa, arte, educação física e língua inglesa
> Ciências humanas: geografia e história

…e as principais mudanças ocorreram em:

Alfabetização
Como é: Plano Nacional da Educação prevê aluno alfabetizado até o 3º ano
Como fica: Alfabetização será antecipada para o 2º ano, aos 7 anos de idade

Ensino religioso
Como é: Constituição de 1988 define que o tema é facultativo nas escolas
Como fica: Foi retirado do texto; caberá aos Estados, municípios e escolas privadas decidir

Estatística e probabilidade
Como é: Não apareciam nos documentos prévios da base
Como fica: Serão ensinadas a partir do 1º ano do fundamental

Com informações da Folha de São Paulo

Comentários (3) enviar comentário
  1. Comedor de Coxinhas disse:

    Vitória do atraso e da ignorância !

    • Ceará Mundão disse:

      A depender de petistas como você, nossa educação vai continuar uma porcaria e nossas crianças e jovens seriam doutrinados prá destruição dos valores sociais, da moral, da ética e da família brasileira. Ainda bem que gente como vc ainda é minoria na nossa sociedade e o povo brasileiro está abrindo os olhos prá realidade. É por causa dessas ideias nocivas que precisamos combater essa esquerda purulenta sem trégua. Para o bem do nosso Brasil.

  2. Maria Dantas disse:

    Isso foi uma vitória.

Publicidade

Governador anuncia reforma e construção de 10 novas escolas no RN

O Rio Grande do Norte ganhará 10 novas escolas e terá mais de 50 unidades reformadas. As informações foram confirmadas pelo governador Robinson Faria, nesta quinta-feira (6), durante o lançamento de três projetos voltados para a melhoria dos indicadores da educação pública. O chefe do Executivo estadual ainda afirmou que serão convocados 800 professores, além dos 3 mil já chamados desde o início de 2015.

Na solenidade realizada na Escola de Governo, no Centro Administrativo, o governador assinou ainda a pactuação para os Sistemas Articulados de ensino, formalização do programa Jovem de Futuro e lançamento do portal Simais. As ações estão sendo desenvolvidas pela Secretaria de Estado da Educação e da Cultura, através do programa Governo Cidadão. O evento contou com a presença de prefeitos, vice-prefeitos, gestores, diretores e professores de unidades, além de secretários de Estado da administração direta.

O Portal do Sistema Integrado de Monitoramento e Avaliação Institucional (Simais) reunirá informações sobre os resultados alcançados nas áreas de Língua Portuguesa, Matemática, Ciências Humanas e Ciências da Natureza, e poderá ser acessado por meio do www.simais.rn.gov.br. Os dados são extraídos da aplicação dos questionários do RN Aprende, sistema de avaliação do Governo do RN.

O segundo projeto assinado foi dos Sistemas Articulados de Ensino (Searn), que oferecerá apoio pedagógico e técnico aos municípios, adotando medidas que garantam a melhoria na qualidade do ensino nas avaliações nacionais, como Provinha Brasil e ENEM.

Já o programa Jovem de Futuro é uma parceria entre o Governo e o Instituto Unibanco, sem ônus para o Governo do RN. O programa consiste em uma tecnologia voltada ao aprimoramento contínuo da gestão escolar orientada para resultados de aprendizagem dos estudantes em escolas públicas de Ensino Médio.

O projeto oferece assessoria técnica, formação, análises educacionais, instrumentos e tecnologias de apoio à gestão e metodologias pedagógicas, além de promover trocas de experiências entre os profissionais de educação.

Para o governador Robinson Faria, os projetos têm um objetivo de desenvolver a educação no RN mediante acompanhamento e investimentos contínuos. “O estado passou por décadas de investimentos insuficientes que acabaram por dificultar o nosso desenvolvimento. Por isso, a pactuação pela educação e as outras iniciativas vêm trazer um horizonte promissor e animador a médio e longo prazo”, disse.

A secretária de Estado da Educação, Cláudia Santa Rosa, explicou que as assinaturas dos projetos são o resultado de muito trabalho e empenho. “A nossa equipe abraçou os projetos porque sabe que a educação é um elemento transformador. Sabemos que foram anos de falta de investimento que levaram o estado ao nível atual, mas é preciso adotar uma postura ousada e criativa para superar os obstáculos. Temos certeza que esse é o caminho certo”, encerrou a titular.

 

Comentários (2) enviar comentário
  1. Charles disse:

    Só balela.

  2. zedetoim disse:

    O problema é sair do papel , essa conversa é velha!!!!!!

Publicidade
Publicidade

Revisão da Base Curricular tira citação direta a gênero e orientação sexual

Revisão da Base Curricular tira citação direta a gênero e orientação sexual

Uma revisão final do Ministério da Educação tirou da versão final da base citações diretas a “identidade de gênero” e “orientação sexual”, conforme constavam de material enviado para a imprensa. As alterações foram notadas inicialmente pela Folha de S.Paulo. Os especialistas ouvidos pelo Estado já destacavam que, apesar de o documento colocar nas competências gerais o assunto, os temas eram pouco abordados. Só que essa citação inicial de gênero foi retirada no texto enviado ao Conselho de Educação.

Já a necessidade de respeitar a identidade de gênero e sexual, prevista na grade do 8º ano em Ciências, teve a redação simplificada – constando agora só identidade de gênero. O debate sobre questões de gênero é destacado em História no 9.º ano, quando se espera que os alunos saibam relacionar as conquistas de direitos políticos das mulheres.

“Esses temas ganharam uma importância muito grande e foram motivo de polêmica durante a elaboração dos planos municipais e estaduais. Pode ser que seja tardio abordar esses assuntos só nas séries finais, mas o Conselho talvez tenha maior legitimidade para debater com mais tranquilidade esses assuntos”, disse Mozart Neves Ramos, diretor do Instituto Ayrton Senna, antes de que fossem notadas as alterações. Em nota à Folha, o MEC alegou necessidade de ajustes finais e retirada de redundâncias, sem que os pressupostos tenham sido “modificados”.

ESTADÃO

Comentários (5) enviar comentário
  1. bruno disse:

    ao fazerem isso estão chamando os jovens a buscar o assunto na internet, em uma roda de amigos entre um catuaba e outra identidade de gênero e condição sexual ja entraram na rotina dos jovens, ja aprendendo que não precisa seguir um padrão predefinido, a sala de aula a muito tempo não ensina quase nada, viva a internet a caterpílar da informação… ..não tem volta, eu sou o que eu quero ser…… meu corpo, minhas leis.

  2. jorjão disse:

    Retrocesso total e absoluto!
    Esse (des)governo vai fazer o Brasil pensar como em 1930!!!

    • Paulo Henrique Pereira da SIlva disse:

      Na verdade jorjão o Brasil não precisa reeditar as cidades de Sodoma e Gamorra como bem falou Sérgio. O Brasil precisa evoluir e não retroceder a séculos antes de Cristo.

  3. Sérgio Figueroa disse:

    SHOW, SHOW, SHOW. Criança tem que aprender a ler, contar, entender e ser educada saber respeitar e se fazer respeitar. Criança tem que saber que na vida existem limites que nada é 1005 liberal. Ser 100% liberal é apologia a libertinagem e da forma que estão querendo impor, as crianças já chegam na escola sendo doutrinadas para isso. Uma distorção social que vem sendo ardilosamente colocada na vida das pessoas, para uma gradativa mudança de conceitos e parâmetros sociais rumo a vida como relatado nas cidades de Sodoma e Gamorra. Isso tem que acabar, ser definitivamente banido.

  4. Expedito Junior disse:

    Depois da tragédia do PT no poder, finalmente o Brasil começa a voltar a normalidade.

Publicidade

Crianças terão que ser alfabetizadas até o 2º ano em novo currículo; entenda mudanças na educação

Maria Helena Guimarães de Castro secretária-executiva do Ministério da Educação (Foto: Letícia Carvalho/G1)

A terceira e última versão da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para o ensino infantil e fundamental foi apresentada nesta quinta-feira (6) pelo Ministério da Educação (MEC). O texto não aborda o ensino médio. O documento foi finalizado com atraso, já que estava previsto para junho de 2016.

A BNCC é considerada fundamental para reduzir desigualdades na educação no Brasil e países desenvolvidos já organizam o ensino por meio de bases nacionais. O documento define a linhas gerais do que os alunos das 190 mil escolas do país devem aprender a cada ano.

A base ainda precisa ser aprovada pelo Conselho Nacional de Educação (CNE) e depois homologada pelo ministro da Educação. Mesmo após essas etapas, ela só terá efeito na sala de aula quando estados e municípios reelaborarem os seus currículos em um prazo de até dois anos após a homologação pelo MEC. Serão esse currículos que detalharão como será abordado cada uma das metas ou eixos da BNCC em sala de aula.

Veja os destaques da BNCC do ensino infantil e fundamental

(mais…)

Comentário (1) enviar comentário
  1. MANOEL disse:

    Convivi algum tempo em uma cidade do interior do RN e lá crianças com 15 anos, não sabiam escrever direito, ler nem pensar, olha que é uma cidade onde corre dinheiro franco de royaltes da Petrobras. A diretora da escola, que é tida como a intelectual da cidade, me disse que essas crianças passam de ano porque as Professoras não aguentam e terminam aprovando, mesmo sem elas saberem ler e escrever direito. ESSE É O NOSSO BRASIL!

Publicidade

VÍDEO: Mãe de aluna de escola do Rio detona doutrinação esquerdista nas escolas brasileiras

Não é só nos bairros pobres da periferia de São Paulo que o discurso esquerdista está descolado dos anseios da população. A julgar pelo exemplo de Maria Inez Medeiros, no subúrbio carioca também.

Mãe de aluna do Colégio Pedro II, acusado em ação do MPF de manter um núcleo do PSOL para “formar militantes” e fazer “campanha eleitoral” para Marcelo Freixo, a moradora de Brás de Pina, bairro da Zona Norte, destacou-se na Audiência Pública do MPE da Câmara Municipal do Rio de Janeiro na terça-feira (4), detonando a doutrinação esquerdista nas escolas brasileiras.

Transcrevo alguns trechos do discurso exibido no vídeo abaixo (e volto para comentar em seguida):

“Até hoje, tenho todo e total respeito aos professores, mas digo pra vocês: vocês me ensinaram, quem me educou foram meus pais.”

“Não à ideologia de gênero, porque eu não coloquei minhas filhas nas escolas para alguém fazer a cabeça dela ou doutriná-la com relação ao gênero ou sexo dela, eu coloquei e coloco minhas filhas na escola para que elas aprendam Matemática, Português, Ciências, Geografia, Biologia, seja o que for, e respeitem os seus pares, respeitem os seus coleguinhas, sejam eles meninos ou meninas”.

“Então o que nós queremos é que as famílias sejam respeitadas. Como já disseram aqui outras amigas: tudo bem se a sua família for composta de dois pais, de duas mães, mas não discriminem as famílias que são compostas de pai, mãe e filhos e filhas – nos respeitem para que nós também possamos respeitar vocês.”

“A minha filha entrou no Colégio Pedro II e, com quinze dias de escola, me perguntou: ‘Mamãe, você é homofóbica? Mamãe, eu acho que eu não tenho mais religião’. E aí? Não foi pra isso que eu coloquei a minha filha na escola. Não foi pra isso. Eu não coloquei a minha filha na escola para ser doutrinada, mas para ser ensinada.”

“Eu sou branca, mas eu tenho uma filha loira e uma filha negra. E aí?”

“Essa palhaçada de ideologia de gênero é uma coisa que estão querendo criar para desvirtuar as nossas crianças do ensino verdadeiro. Então ‘não à ideologia de gênero’ da forma como está sendo conduzida.”

“A minha bandeira é verde, amarela, azul e branca e jamais será vermelha.”

 

Com informações de Felipe Moura Brasil – Veja

Comentários (10) enviar comentário
  1. Calixto Silva disse:

    Concordo com esta mãe, escola é para ensinar, português, matemática, historia, biologia, e não ideologia de gênero ou outra coisa qualquer relacionada ao esquerdismo.

  2. Eterno Vascaino disse:

    Meu Deus essa Senhora hibernou na década de 80……quando acordou assustou-se com a internet !

  3. Ricardo Pinto. disse:

    O engraçado é, como foi uma mãe de família que fez essas excelentes colocações, até agora não vi, aqui neste espaço, nenhuma manifestação dos grupos ou pessoas que defendem a bandeira vermelha ou até, a colorida como o arco-íris, sobre o tema em questão. Ficou difícil, até para os mais radicais defensores da desmoralização da família, ecoarem seus mantras. Pois, nunca se ouviu tanto falar em preconceitos, sejam de que forma for, de gênero, raça,etc. e tal, como vem se ouvindo desde 2003. Fazendo nascer nas gerações mais novas um sentimento difuso, desnecessário até. O nosso país já apagou de sua história o mal que fez na época em que a cor da pele definia ser inferior ou superior. Passamos a página há muito; e não precisamos mais que uma esquerda maldosa continue colocando o dedo e machucando feridas já saradas. Encontrando focos isolados, promovendo pirotecnias com uso inclusive de alguns artistas, que muitas as vezes, só estão ali, pelo cache, ou então como podemos agora entender, se beneficiando da legislação que permite utilizar dinheiro público para bancário seus caprichos, se auto-rotulando: INTELECTUAIS! Seres superiores! Ah! Vão à merda! Aprendam a trabalhar. Aceitem que o nosso pais está se recuperando. Que medidas duras precisam ser adotadas para sanar o mal que essa esquerda perversa e covarde plantou. Parabéns á essa senhora, como Mãe que é, como Patriota que se declarou ser e principalmente como Brasileira.

  4. Luiz Eduardo bezerra de farias disse:

    É por isso que estamos como estamos,povo analfabeto e professores de esquerda sem nenhuma formação proficional e intelectual,tentando fazer uma verdadeira lavagem cerebral nas nossas crianças,gerando e incentivando o ódio e desunião entre as pessoas.Esquerda atrasada ,vagabunda e perigosa .

  5. Joao disse:

    Essa esquerda brasileira é um lixo, dividiu a população; cultivou a violência e a ignorância.

  6. Ems disse:

    É por isso que o Brasil está em crise moral, ética, política e econômica. A degradação cultural e intelectual causada pela extrema-esquerda tirou o país dos trilhos. Os alunos vão para a escola e não aprendem a ler e escrever, antes são doutrinados com teorias marxistas. Que futuro teremos ?

  7. Mariel Borges disse:

    show! Não devemos nos calar diante da iniquidade, chega de engolir as aberrações da esquerda no intuito de não querer confusão, ou nós, pais, saímos em defesa das nossas famílias, ou veremos gerações e mais gerações sendo deformadas pela esquerda. Parabéns para essa mãe.

  8. Marcelo disse:

    Só aplausos para essa mãe.Educação se dá em casa, a escola tem o papel de instruir!

  9. Só olhando disse:

    Essa esquerda que existe no Brasil está tentando acabar com a família brasileira.

Publicidade