Publicidade

Arena das Dunas: Operários oportunistas

De acordo com o último senso do IBGE, do contingente de brasileiros que vive em condições de extrema pobreza (8,5% da população), 4,8 milhões têm renda nominal mensal domiciliar igual a ZERO, e 11,43 milhões possuem renda de R$ 1 a R$ 70. No Brasil, há cerca de 11 milhões de brasileiros desempregados. A realidade é dura.

E enquanto isso, há quem pare de trabalhar porque se recusa a receber um salário mensal de R$ 958,00. É o caso dos operários da Arena das Dunas, o estádio de Natal para a Copa de 2014. Os cerca de 600 homens estão de braços cruzados há quase duas semanas porque encheram os olhos sobre os salários de seus colegas de outras capitais onde também haverá o mundial de futebol. Querem receber a mesma quantia.

Não há atraso nos pagamentos, não há insalubridade, não há descumprimento de obrigações trabalhistas. Eles apenas querem ganhar mais e, por isso,  têm gastado o tempo de expediente jogando baralho. Isso mesmo. Ao invés de tocarem a obra para a qual foram contratados, ocupam o canteiro de obras, mas ficam jogando conversa fora, como contou o representante dos trabalhadores, André Rogério, ao Blog do BG.

E como bons oportunistas, eles estão usando o fator tempo como um aliado. Está claro que estes operários estão se aproveitando da urgência de continuidade da obra para forçar a construtora responsável, a OAS, a ceder às reivindicações.

E como se não bastasse pararem de trabalha, ainda se acham no direito de sair pelas ruas fazendo fanfarras ao som de Grafith, interrompendo o fluxo do trânsito em horários de pico e ameaçando motoristas que tentarem furar a barreira de desocupados. Uma leitora do blog teve, inclusive, seu carro danificado.

Sem pé nem cabeça

Ora, eles querem equiparar seus salários ao de profissionais de grandes capitais. Mas isso é possível? Um jornalista paulista, por exemplo, ganha o mesmo que um potiguar? Obvio que não. Cada lugar possui suas especificidades, o que inclui a economia e os salários.

E os operários da Arena das Dunas ganham muito melhor que muito trabalhador por aí. De acordo com a construtora OAS, o salário de um pedreiro era de R$ 827,20, enquanto o do servente era de R$ 675. Mas em março foi acordado um abono salarial que acrescentou a esses valores R$ 131 e R$ 108, respectivamente.

Não quer, tem quem queira!

Uma fila se formou hoje em frente à Arena das Dunas. Eram homens se cadastrando para ocuparem essas vagas que são desdenhada por estes ‘trabalhadores’. A empresa nega que já esteja se preparando para substitui-los, e afirma que trata-se de um trabalho de rotina.

“Nós estamos sempre cadastrando novas pessoas. Hoje nós temos 600 funcionários e uma previsão de, até o fim da obra, chegar a 1.200. Então recebemos todos que quiserem se cadastrar”, explicou Arthur Couto, gerente de marketing da OAS.

Sobre a perda de tempo provocada pela paralisação que continua, ele disse que a empresa sempre fará de tudo para superar o cronograma da FIFA. A entidade quer receber o estádio pronto em dezembro de 2013.

Paralisação continua descumprindo ordem judicial

Os trabalhadores já anunciaram que permaneceram parados até a próxima segunda-feira. A medida, no entanto, contraria uma decisão judicial válida desde segunda última, 9. O desembargador do TRT/RN, Carlos Newton Pinto, magistrado de plantão no feriado da Semana Santa, concedeu liminar determinando o retorno ao trabalho dos operários que estão construindo a Arena das Dunas.

Em sua decisão, o desembargador ainda fixou uma multa diária de R$ 50 mil, imposta ao Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil e do Mobiliário do Estado do Rio Grande do Norte (Sintracomp), em caso de descumprimento.

Carlos Newton Pinto autorizou, também, “com fundamento na OJ nº 10 da SDC”, o desconto dos dias não trabalhados pela empresa até o efetivo retorno ao trabalho.

 

enviar comentário
  1. Rafael disse:

    Também acho que o melhor seria demitir todos.

  2. Walbertomaz disse:

    Será que ninguém procurou saber quais suas reinvidicações? será que não estão sendo demitidos depois dos 3 meses de experiência? será que só quem tem direito a lucrar com a copa é uma empresa baiana?será que não existem empresas da terra com profissionais locais que  erguessem a Arena?Dizer que trabalhadores são bardeneiros sem ouvi-los é no minimo não respeitar o direito ao contraditório.

  3. Weberton Pessoa disse:

    Perfeito BG! Desde o começo que eu digo exatamente a mesma coisa sobre essa greve. É absurdo o que esses caras estão fazendo. E digo mais, se fosse da OAS, já teria demitido todos por justa causa e contratado as pessoas que fazem fila lá no canteiro de obras procurando por emprego!

  4. jonathan disse:

    Isso é uma vergonha, em tudo as pessoas querem tirar proveito. era bom que substituisse todos, aí eu queria vê se era melhro ganhar 958,00 ou fica em casa sem ganhar nada.

  5. José Américo disse:

    Quem vai reembolsar o prejuízo que a Empresa está tendo? 

Publicidade

Após morte de criança, MP, TJRN e Governo discutem falta de leitos de UTI

Após morte de menino noticiada pelo Blog do BG no último domingo, 8, representantes do Ministério Público, Tribunal de Justiça, Sociedade de Pediatria do RN e Governo do Estado discutirão nesta terça feira, 10, a falta de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para crianças no RN.  O encontro será realizado a partir das 19h, na sede da Associação Amigos do Coração da Criança (Amico).

No Rio Grande do Norte existem hoje 47 leitos de UTI neonatal e outros 26 pediátricos.  E, além da inexistência de estrutura física adequada nos hospitais e maternidades potiguares, o número de profissionais especializados é outro fator preocupante.

Segundo informações, a criança que faleceu no último domingo por falta do atendimento necessário, chegou à unidade médica localizada no Parque dos Coqueiros, zona Norte de Natal, com problemas respiratórios e precisava ser transferido para um leito de UTI pediátrico. O menino de 3 anos era natural de Mossoró.

No Maria Alice, as dez vagas existentes estavam ocupadas. A espera pela vaga durou menos de 24 horas. A criança não resistiu. “Esse tipo de situação, infelizmente, acontece quase que corriqueiramente no Estado. Não temos vagas em quantidade suficiente. Esse é um problema sério”, afirmou o anestesiologista José Mádson Vidal, que estava de plantão no momento em que a criança deu entrada no hospital pediátrico.

De acordo com o médico, caso tivessem transferido o paciente, a morte poderia ter sido evitada. “Ele estava interno de forma incorreta. O correto seria um leito de UTI”, disse. Os dez leitos existentes no hospital estavam ocupados. Da mesma forma, os leitos de UTI pediátrica disponíveis no hospital Varela Santiago e Walfredo Gurgel também estavam ocupados.

Caso de justiça

A falta de leitos de UTI há muito virou caso de justiça. O Ministério Público, através da Promotoria de Saúde, já ingressou com ações judiciais obrigando Estado e Município se adequarem e oferecerem um número maior de leitos neonatais, pediátricos e adultos. A promotora Iara Pinheiro irá participar da reunião de hoje. Atualmente, o número de leitos de UTI geral no RN é 50% inferior ao recomendado pelo Ministério da Saúde, que preconiza que os leitos de UTI correspondam a 4 a 10% do valor total de leitos clínicos. Em Natal, por exemplo, são 151 leitos, nas diversas especialidades para atender a população da capital, quando é necessária cerca de 300 vagas.

Promotores do MP também vão visitar o Hospital Maria Alice para coletar informações sobre a morte da criança no último sábado.

Relembre o post com o apelo desesperado de médico pelo twitter

Com informações da Tribuna do Norte

Foto: Rodrigo Sena
enviar comentário
Publicidade

Médico denuncia morte de criança por falta de UTI

Uma criança faleceu, na tarde deste Domingo de Páscoa, no Hopital Macia Alice Fernandes, por falta de vaga na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).  E este não é um caso isolado. De acordo com o médico José Madson Vidal, colaborador da ONG Amigos do Coração da Criança (AMICO), muitos pequenos e pais vêm sofrendo com a falta de tratamento intensivo na rede pública. Vidal recorreu ao Twitter para pedir ‘socorro’.

De acordo com as informações postadas pelo médico, a criança que veio a óbito estava com insuficiência respiratória e precisava de uma UTI. A suspeita era de que fosse gripe H1N1. No entanto, ela estava “em uma sala improvisada”. O fato ganha ainda mais peso, porque , segundo ele, “Enquanto isso, há dez leitos prontos e equipados no hospital Santa Catarina inativados por falta de pessoal”.

Pelo microblog o médico ainda relatou o caso de outro bebê, com apenas um dia de vida, que aguardava a cirurgia com todo intestino fora da barriga, por falta de leito UTI. “É muita maldade, doloroso, cruel o que os governantes estão fazendo com as crianças que precisam de cuidados intensivos nos hospitais”.

Ainda indignado com a perda de uma criança, Vidal se colocou no lugar da família em luto. “Eu não agüentaria perder o meu filho por falta de assistência medica. Eu amo o meu filho. Os outros pais, tb, amam seus filhos. Tou triste!”. E por fim, sugeriu a realização de uma campanha pela vida. “Quem está disposto a participar de uma organização para defender a vida de crianças que precisem de cuidados de UTI? Precisam da gente”, propôs.

Segue abaixo alguns posts suplicando ação governamental do Médico José Madson:

enviar comentário
  1. […] Relembre o post com o apelo desesperado de médico pelo twitter […]

Publicidade

Escola proíbe gay de usar camiseta antipreconceito

Um estudante declaradamente gey da escola Waynesville, que fica em Ohio, nos Estados Unidos processou a instituição em que cursa o ensino médio, acusando-a de discriminação.

De acordo com o processo, ele foi proibido arbitrariamente pela escola de usar uma camiseta com a frase “Jesus não era homofóbico”. Ainda não se tem muitos detalhes sobre o caso e a direçãop da escola não quis se pronunciar sobre o ocorrido.

O mundo passando por mudanças, mas a principal mudança deve ser na cabeça de algumas pessoas. Mas a gente tem que se lembrar que mexer com religião é sempre um problema. Ainda mais que a Igreja é contra a relação homoafetiva.

enviar comentário
Publicidade

Rede de irregularidades: 'ITodos' custou R$ 1,5 milhão, só funcionou 60 dias e foi feito na Secretaria de Saúde

O programa ‘Internet de Todos’ (ITodos) custou R$ 1.575.000,00. O pagamento foi feito em duas partes: o primeiro em julho, de R$ 1.260.00,00; e um segundo, em novembro (aditivo), de R$ 315.000. O detalhe é que apesar dos pagamentos terem sido providenciados com  quatro meses de diferença, há indícios de que o ITodos só funcionou durante 60 dias, aproximadamente.  E mais: o contrato existe; foi feito com a empresa Stelmat Teleinformática LTDA,de Cuiabá (MT) e – segundo consta no documento – referia-se apenas à compra de equipamentos.

Todas essas informações estão sendo apuradas pela Procuradoria Geral do Estado (PGE), Ministério Público e Controladoria. De acordo com o procurador-geral do Estado, Miguel Josino, não está descartada a possibilidade de que tenha havido superfaturamento. Caso seja comprovada a hipótese o ordenador de despesas responsável pela secretaria de Sáude à época e demais envolvidos serão responsabilizados.

Miguel Josino esteve ontem no final da manhã reunido com representantes do Ministério Público para discutir o caso. Ele explicou que no encontro foram avaliados diferentes documentos, entre eles, o contrato com a empresa Stelmat Teleinformática, que – ao contrário do que se sabia até agora – venceu um processo licitatório (concorrência nacional número 001/08). Nesse contrato, consta que todo o valor pago supostamente referia- se apenas à compra de equipamentos que possibilitassem a comunicação wireless necessária ao projeto. O procurador contou que, segundo informações obtidas até agora, o internet de todos só funcionou dois meses. E que mesmo assim, o pagamento de um aditivo feito em novembro, três meses depois do programa ter sido lançado. Outro dado que está sendo averiguado é que parte dos equipamentos comprados para servirem à população foram roubados. E que, nesses casos, é preciso dar queixa à polícia da perda porque as máquinas pertenciam ao Estado.

Miguel Josino explicou que na atual fase da investigação sobre o caso, há ainda várias dúvidas que precisam ser esclarecidos. Uma delas é se o ITodos chegou a funcionar nas cidades de Mossoró, Caicó, Currais Novos e Pau dos Ferros. No lançamento do programa, em agosto de 2009, a administração da época anunciou que o ITodos seria ampliado para Caicó, Mossoró e Pau dos Ferros.

Uma outra dúvida é por que, ai nal, o programa foi feito dentro da Secretaria de Saúde. “Essa é a grande questão, a grande dúvida”, apontou Miguel Josino. Além das já citadas, a PGE também quer saber se os preços praticados na época do contrato estavam de acordo com os que eram praticados pelo mercado. Para responder a essas e outras dúvidas e poder esclarecer afinal o que houve com o internet de todos, a Procuradoria está consultando alguns órgãos. E agora vai aguardar o retorno desses ofícios para seguir com a investigação. “Este trabalho está só no começo”, avisou Miguel Josino.

O ITodos voltou à ordem do dia depois que o programa Fantástico, da Rede Globo, apresentou reportagem sobre um programa similar em João Pessoa (PB) que não estaria mais funcionando e teria incluído suposto esquema de propina. Por conta da reportagem, o Governo do RN resolveu verificar o que tinha sido feito do ITodos e descobriu uma série de fatos estranhos.

Daí, iniciou-se uma investigação. A princípio, um dos fatos que chamou a atenção foi o sumiço do contrato referente ao programa. E nenhuma justificativa com relação aos valores gastos e aos equipamentos comprados. Inicialmente, achava-se que não havia contrato algum do ITodos porque o programa teria sido gerado de carona num convênio firmado com o Ministério da Saúde. Agora, as informações estão ficando cada vez mais ricas de detalhes.

Por Everton Dantas, do NOVO JORNAL

enviar comentário
Publicidade

Manifestantes que bloquearem o trânsito novamente vão parar na cadeia

O tratamento a partir de agora será outro. De acordo com o Comandante Geral da Polícia Militar do Rio Grande do Norte, Coronel Araújo, os manifestantes que impedirem o transito de veículos interrompendo quaisquer vias serão conduzidos à delegacia. O recado é para o operários da Arena das Dunas que por dois dias seguidos tomaram a BR 101 e seguiram bloqueando o fluxo na Avenida Salgado Filho, Hermes da Fonseca e Rua Apodi.

Segundo Araújo, os trabalhadores do novo estádio já foram orientados neste sentido e a PM não aceitará uma nova paralisação. “Vamos intervir e dispersar a movimentação na mesma hora”, garantiu. Ainda segundo o coronel, os manifestantes, mesmo estando reivindicando os seus direitos, ao impedirem o trânsito estão ferindo o direito das outras pessoas de ir e vir. “Eles não podem bloquear via nem ficar agrendindo os motoristas que tentam passar”, ressaltou.

Do outro lado, no entanto, os trabalhadores não descartam mais uma vez a interrupção das vias. O representante da Comissão dos Trabalhadores da Arena das Dunas, André Rogério de Oliveira, disse que haverá uma assembleia nesta quinta-feira, 5, com a empresa OAS. “Mas na segunda-feira, talvez. Dependendo do que resultar destas negociações, sim, pode ter outra manifestação”, explicou.
Além disso, os operários ameaçam já na segunda realizarem um pedido de demissão coletiva. “Todos nós vamos com a carteira de trabalho em mãos para dar ‘baixa’”, disse.

enviar comentário
  1. Altair disse:

    É um completo desrespeito à Constituição, a polícia não pode fazer isso!

Publicidade

Jovem agredida por operários presta queixa na delegacia de Lagoa Nova

A leitora do Blog do BG, Graziela Deodato, já está na delegacia de Lagoa nova, prestando queixa contra os operários da Arena das Dunas. A agente penitenciária de 34 anos explicou que estava no cruzamento da Avenida Prudente de Moraes com a Rua Apodi, quando foi cercada por motocicletas. O carro teve capô, lateral e para-choque amassados.

Ainda muito nervosa e com voz trêmula, a jovem detalhou os momentos de sufoco. “O sinal abriu para mim e tinha um espaço para eu passar. Mas quando eu fui passando vários operários me cercaram. E eu só não fui agredida fisicamente porque apareceu um ‘amarelinho’ na hora e conseguiu dispersar os operários”, explicou.

A jovem ficou tão nervosa que parou o carro alguns metros depois e não conseguiu mais dirgir. “Eu não consegui fazer mais nada. Não saia do lugar. Minhas pernas não me obedeciam”, ressaltou.

Ainda segundo Graziela, ao chegar na delegacia encontrou outra vítima dos operários. O motorista de caminhão, que também teria ido prestar queixa contra os manifestantes, teria tido o caminhão danificado. “E o homem me disse que eles (os operários) queriam subir na boleia para agredi-lo”, contou.

enviar comentário
  1. Exple disse:

    É isso que vemos, concordo que tenhamos direito e que mereçamos respeito, somos livres para manifestar contra o que achamos fora do direito, mas o que se vê agora é por qualquer motivo as pessoas se juntarem e acharem que pelo fato de estarem protestando contra alguma coisa todas as outras devem parar e apoiá-los sob pena de serem agredidos, e ainda tem alguns que dizem "mas é uma manifestação pacífica",  deixa de ser pacífica a partir do momento que priva os outros do direito e ir e vir.

Publicidade

Leitora do blog afirma ter sido agredida por operários da Arena das Dunas

A leitora do Blog Graziela Deodato afirmou no Twitter ter sido agredida há pouco por operários da Arena da Dunas. De acordo com ela, além de ter seu carro depredado, foi ameaçada de levar surra.

Os trabalhadores fizeram manifestação durante toda amanhã. Além de interromperem a marginal da BR 101, seguiram em clima de carnaval pela Avenida Senador Salgado Filho, ao som da banda Grafith.

A pergunta é: até que ponto a manifestação destes operários pode ser considerada legítima?

enviar comentário
Publicidade

Saldo do Luxo: Ubarana voltou da Europa com 'mixaria' de troco

Ter cinco mil francos suíços e 18 mil euros para gastar em uma viagem pela Europa já pode ser considerado um privilégio para poucos. Agora, imagine trazer isso de ‘troco’, o restinho que sobrou, as últimas migalhas. Pois é. Foi essa a ‘mixaria’ que sobrou da última viagem do Casal Carla Ubarana e George Leal ao exterior.

Pelo menos, foi isso que o casal alegou durante o depoimento prestado ao Ministério Público. A quantia faz parte do dinheiro devolvido, em espécie, à justiça. Ubarana é a principal acusada do esquema de desvio de dinheiro no setor de precatórios e, tudo indica, que este luxo foi sustentado por esta prática ilícita.

E se o ‘troco’ foi deste tamanho, dá para ter uma ideia do quanto se gastou no total. Melhores hoteis, restaurantes, passeios…

Mas esta história pode ainda ser mais suja do que parece. Diante da grande quantidade de Francos Suíços, uma moeda com circulação restrita à Suíça, já especula-se a possibilidade de haver dinheiro aplicado no exterior, principalmente em paraísos fiscais. Uma equipe de procuradores do Estado foi inclusive designada para avaliar o fato.

O procurador geral do Estado, Miguel Josino, afirmou que ainda não há nada de concreto sobre o fato, além de que a Procuradoria pretende acompanhar o desenrolar dos acontecimentos, no intuito de garantir a devolução do  dinheiro pertencente aos cofres do Estado. “O dinheiro devido precisa voltar ao Estado”, disse Josino.

enviar comentário
Publicidade

Chile discute lei antidiscriminação depois de homossexual ser morto por neonazistas

A Câmara dos Deputados do Chile discute hoje (4) a proposta de lei antidiscriminação sexual, que fixa penas de prisão. A iniciativa foi motivada pela morte de um jovem homossexual por um grupo de neonazistas na capital chilena, Santiago, na semana passada. As autoridades do país foram cobradas a reagir. O presidente do Chile, Sebastián Piñera, apelou aos parlamentares para apressarem os debates.

“Queremos uma sociedade mais tolerante. Por isso essa lei é tão importante. Tenho certeza de que [o projeto] será aprovado no Congresso”, disse Piñera. Porém, setores mais conservadores foram contrários à proposta, mas se tornaram mais flexíveis depois da morte do jovem, na semana passada.

O estudante Daniel Zamudio, de 24 anos, foi espancado até a morte por um grupo de neonazistas. No corpo dele, foram identificados símbolos dos neonazistas feitos com cacos de vidro e sangue. O Movimento de Libertação Gay do Chile defende a aprovação imediata da lei antidiscriminação sexual.

O presidente do movimento, Rolando Jiménez, destacou que devem ser lembradas as “responsabilidades políticas, éticas e morais no Chile”. Segundo ele, é necessário acabar com o estigma de que os homossexuais são “imorais, desviantes, pecaminosos e degenerados”.

Desde 2005, tramita no Parlamento do Chile a proposta de lei antidiscriminação sexual. O texto ficou parado no Senado. Depois disso, parte dele foi aprovado no ano passado com várias alterações. Pela proposta, há sanções para quem comete discriminação em função da orientação sexual, exceto no caso dos transexuais. Para o movimento gay, essa exclusão demonstra preconceito.

*Com informações da agência estatal de notícias de Cuba, Prensa Latina, e da emissora multiestatal de televisão, Telesur.

Fonte:  Agência Brasil

enviar comentário
Publicidade
Publicidade
Publicidade