Publicidade

Caso de mulher ‘possuída’ queimada em fogueira em igreja evangélica choca o mundo

Por interino

Uma “revelação divina” fez com que uma nicaraguense de 25 anos fosse amarrada e queimada viva numa fogueira para ser “curada” em uma suposta tentativa de exorcismo.

Vilma Trujillo, que sofreu queimaduras em 80% de seu corpo, não resistiu e morreu na terça-feira (28), depois de uma semana de agonia.

A morte da jovem comoveu a Nicarágua. De acordo com a Polícia Nacional do país, a mulher foi levada para “uma oração de cura”, no dia 15 de fevereiro, a um templo da igreja evangélica Visão Celestial das Assembleias de Deus, em El Cortezal, no noroeste do país.

Vilma Trujillo teve os pés e mãos amarrados e ficou sob a supervisão do pastor da igreja, identificado por autoridades locais como Juan Gregorio Rocha – homem que a Assembleia de Deus nega reconhecer como pastor.

Seis dias depois, em 21 de fevereiro, depois da meia-noite, Trujillo foi queimada na fogueira.
Segundo a Polícia Nacional, a diaconisa da igreja, Esneyda del Socorro Orozco, havia ordenado que “por revelação divina, deveria ser feita uma fogueira no pátio do templo para curar a vítima por meio do fogo”.

Vilma Trujillo teria, então, sido lançada ao fogo com pés e mãos amarrados. A jovem sofreu queimaduras de primeiro e segundo graus em 80% do corpo e, apesar de ter sido levada a um hospital em Manágua, a capital, acabou falecendo.

‘Foi bruxaria’

O marido da vítima, Reynaldo Peralta, afirmou que Vilma Trujillo, mãe de duas crianças, foi levada à força pelos integrantes da igreja. Eles a acusavam de ter tentado atacar pessoas com um facão.

Para Peralta, a mulher não estava “possuída pelo demônio”, mas havia sido vítima de um ato de “bruxaria”.

“Ela tomava um remédio dado por um homem que, pelo que fiquei sabendo agora da família dela, a havia estuprado. Desde que começou a tomar o remédio, mudou um pouco comigo”, disse o marido ao jornal “La Prensa”.

Em sua defesa, Gregorio Rocha afirmou ao mesmo jornal que Trujillo caiu no fogo quando “o espírito do demônio saiu do corpo dela”. Ele negou que alguém a tenha jogado na fogueira.

Cinco detidos

Até o momento, cinco pessoas já foram detidas por suspeita de terem participado do crime, entre eles o pastor Gregório Rocha e a diaconisa Esneyda Orozco.

A morte de Vilma Trujillo causou comoção na Nicarágua, onde a proporção de católicos vem caindo há 20 anos – hoje são menos de 50% da população, enquanto que os evangélicos chegam a quase 40%.

O porta-voz da Comissão de Direitos Humanos da Nicarágua, Pablo Cuevas, pediu ao governo um controle mais firme dos grupos religiosos no país.

“É impressionante que, neste momento, isso aconteça. As autoridades precisam avaliar diferentes denominações e religiões. Não podemos deixar acontecer coisas como essas”, afirmou Cuevas.

A vice-presidente da Nicarágua, Rosario Murillo, lamentou a morte a morte da jovem e disse que o episódio é “condenável”.

“Com certeza reflete uma situação de atraso. É realmente lamentável, uma irmã sendo martirizada pelos membros de sua comunidade. É algo que não pode, não deve se repetir”, disse Murillo à mídia local.

G1

Comentários (2) enviar comentário
  1. pastor sergio disse:

    Loucura total.

  2. pastor sergio disse:

    Glória Deus.kkkk

Publicidade

Cuidado com os biomas brasileiros é tema da Campanha da Fraternidade 2017

Por interino

Com o tema Fraternidade: biomas brasileiros e a defesa da vida, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil abre oficialmente a Campanha da Fraternidade 2017 MarcelloCasal/Agência Brasil

Com o tema Fraternidade: biomas brasileiros e a defesa da vida, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) abriu hoje (1º) a Campanha da Fraternidade 2017. Segundo a entidade, o objetivo da ação é dar ênfase à diversidade de cada bioma, promover relações respeitosas com a vida, o meio ambiente e a cultura dos povos que vivem nesses biomas. “Este é, precisamente, um dos maiores desafios em todas as partes da terra, até porque as degradações do ambiente são sempre acompanhadas pelas injustiças sociais”, disse o papa Francisco, em mensagem ao Brasil.

O papa destacou que o desafio global pela preservação, “pelo qual toda a humanidade passa”, exige o envolvimento de cada pessoa junto com a atuação da comunidade local. Para ele, os povos originários de cada bioma ou que tradicionalmente neles vivem oferecem um exemplo claro de como a convivência com a criação pode ser respeitosa.

“É necessário conhecer e aprender com esses povos e suas relações com a natureza. Assim, será possível encontrar um modelo de sustentabilidade que possa ser uma alternativa ao afã desenfreado pelo lucro que exaure os recursos naturais e agride a dignidade dos pobres”, argumentou o papa.

Para o arcebispo de Brasília e presidente da CNBB, cardeal Sergio da Rocha, ninguém pode assistir passivamente à destruição de um bioma, por isso o assunto não pode ser deixado de lado pela Igreja. “Há muito a ser feito por cada um espontaneamente, como mudança no padrão de consumo, cuidados com a água e com o lixo doméstico, mas necessitamos de iniciativas comunitárias, que exigem a participação do Poder Público e ações efetivas dos governos”, disse. “Precisamos de um modelo econômico que não destrua os recursos naturais”, ressaltou.

Venda de terras a estrangeiros

O lançamento da campanha, hoje em Brasília, contou com a presença do deputado federal Alessandro Molon (REDE-RJ), presidente da Frente Parlamentar Ambientalista. Ele pediu o apoio da CNBB à Frente em projetos em tramitação no Congresso Nacional, destacando, entre eles, o projeto que quer liberar a venda de terras a estrangeiros. “Essa compra não será para proteger a biodiversidade, mas para estimular a exploração predatória e a serviço do dinheiro”, disse.

Para Molon, o desmatamento já é um problema no país e, se houver a facilitação da venda de terras a estrangeiros, tende a se agravar. Caso o projeto passe pela aprovação do Congresso será preciso, segundo o deputado, criar o máximo de barreiras possíveis. “Sabemos que a venda de terras será usada seja para expandir a fronteira agrícola, seja para levar a agropecuária a lugares onde hoje ainda têm biomas naturais”, disse.

Para o secretário de Articulação Institucional e Cidadania do Ministério do Meio Ambiente, Edson Duarte, a preocupação é que a possibilidade de venda a estrangeiros exerça uma pressão maior sobre os biomas brasileiros, já que a terra teria grande valorização. “É preciso fortalecer o setor, mas, talvez não necessariamente, com a abertura para venda ao exterior. O agronegócio é importante para a economia brasileira e é possível conviver com a proteção dos remanescentes florestais que temos no Brasil”, afirmou.

Segundo Duarte, caso o projeto saia do papel, o trabalho do ministério seria no sentido de garantir que as leis brasileiras, como o Código Florestal, sejam respeitadas, que o comércio não venha a exercer pressão sobre as florestas brasileiras.

De acordo com o cardeal Sérgio da Rocha, as terras devem ser valorizadas e respeitadas, considerando as pessoas que vivem e sobrevivem dela. “Elas não podem perder o direto às terras e à sua vida, e sua cultura deve ser valorizada nessas diferentes circunstâncias”.

Ações da campanha

O texto-base da Campanha da Fraternidade 2017, que tem como lema Cultivar e guardar a criação, aborda cada um dos seis biomas brasileiros, suas características e significados, desafios e as principais iniciativas já existentes na defesa da biodiversidade e da cultura dos povos originários.

Entre as ações propostas estão o aprofundamento de estudos e debates nas escolas públicas e privadas sobre o tema abordado pela campanha. Segundo a CNBB, o fortalecimento das redes e articulações, em todos os níveis, também é proposto com o objetivo de suscitar nova consciência e novas práticas na defesa dos ambientes essenciais à vida. Além disso, o texto chama a atenção para a necessidade de a população defender o desmatamento zero para todos os biomas e sua composição florestal.

No campo político, o texto-base da campanha incentiva a criação de um projeto de lei que impeça o uso de agrotóxicos. “Ele indica ainda que combater a corrupção é um modo especial para se evitar processos licitatórios fraudulentos, especialmente em relação às enchentes e secas que acabam sendo mecanismos de exploração e desvio de recursos públicos”, informou a CNBB.

No Brasil, a Campanha da Fraternidade existe há mais de 50 anos e sua abertura oficial sempre ocorre na Quarta-feira de Cinzas, quando tem início a Quaresma, época na qual a Igreja convida os fiéis a experimentar três práticas de penitência: a oração, o jejum e a caridade.

Agência Brasil

Comentário (1) enviar comentário
  1. paulo martins disse:

    A igreja católica mete sua colher em tudo que angu alheio, menos no dela própria. Parece um partido político acolá, que anda com dor de cotovelo.

Publicidade

‘Ninguém pode ser obrigado a fazer nada’, diz Crivella sobre ausência no carnaval

Por interino

Crivella canta em cerimônia no Aterro – Gabriel de Paiva / Agência O Globo

Mesmo sem anunciar a agenda no dia do aniversário do Rio, o prefeito Marcelo Crivella esteve presente na apresentação da Banda da Guarda Municipal e do grupo vocal Uma Só Voz, no monumento a Estácio de Sá, no Aterro do Flamengo. O evento aconteceu na manhã desta quarta-feira.

Na cerimônia, o prefeito comentou sobre o fato de não ter comparecido à entrega da chave da cidade ao Rei Momo, na última sexta-feira, e a nenhum outro evento oficial da folia do Rio:

— Nós temos que respeitar as pessoas. Ninguém pode ser obrigado a fazer nada. Esse assunto já está superado. A agenda do prefeito deve ser cumprida, o que não necessariamente é a agenda da imprensa — alegou Crivella.

No discurso de abertura, o prefeito destacou que o Rio é um exemplo extraordinário de encontro de povos, com um “caldeirão racial” único. Segundo Crivella, ainda há coisas para se lamentar, mas também muitas outras a serem comemoradas.

— Se Estácio de Sá estivesse aqui, fazendo um balanço após esses 452 anos, ficaria orgulhoso da gente — acredita o prefeito do Rio, que deu uma palinha da sua música “Rio de Janeiro” junto com a banda.

O Globo

Comentários (2) enviar comentário
  1. Gustavo Melo disse:

    Um belo exemplo de como se governar com pré conceitos e além de tudo de como será a política e religião andando de mãos dadas, palmas para um Rio de Janeiro plural !!!

  2. paulo disse:

    BG
    O Rio de janeiro sempre "Inovando" Mario Juruna, Freixo, jean wyllys e agora Crivella. Eu acho é pouco.

Publicidade

Papa sugere que água pode causar 3ª Guerra Mundial

A água será a causa de uma terceira guerra mundial? Essa foi a pergunta feita pelo papa Francisco nesta sexta-feira, dia 24, durante evento no Vaticano que discutia o recurso hídrico como algo imprescindível para os homens e como um direito humano, que deve ser bem redistribuído e bem tratado.
“Penso se nesta terceira guerra a pedaços estamos a caminho para a grande guerra mundial pela água”, indagou Jorge Mario Bergoglio na Casina Pio IV no seminário “O Direito Humano à Água: Um Estudo Interdisciplinar sobre o Papel Central das Políticas Públicas na Gestão da Água e dos Serviços Ambientais”, que acontece até este sábado (25) e que é promovido pela Pontifícia Academia de Ciências.

 

Terra

Comentários (12) enviar comentário
  1. Roberto júnior disse:

    Essa caixa de comentários está ficando pior do que a G1. Só fascista publicando absurdos…

  2. Guilhermina Alecrim disse:

    Enquanto isso, Natal que tem agua excelente, por falta de esgotamento está poluindo e crendo que a mineral é garantia de limpeza.

  3. Dinarte Cavalcante disse:

    Chico papudo é um maldito hipócrita. O que tem esse canalha em viver se metendo na vida das
    pessoas? Mentiroso, farsante e aproveitador é o que ele é. Vade retro, satanás.

  4. Cidadão disse:

    Notícia que mudará o mundo… até em filmes de dez anos atras isso já era dito!
    A usura humana causará guerras!

    • Netto disse:

      Se não fosse a "usura humana" não haveria progresso e todos estaríamos nas cavernas. O que melhora o Mundo não é gente querendo salvá-lo, com soluções coletivistas, é gente gananciosa querendo vender algo que todos querem comprar.

  5. Alisson disse:

    Kkkkkkkkkkkkkkkkk…..Falam do que não se sabe, de quem não conhecem…kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  6. Daniel disse:

    Qual o interesse de "vossa santidade" levantar esse questionamento? Ta parecendo mais uma ideia do que uma pergunta. As escrituras sagradas não falham, esse papa é muito estranho, quem viver verá!!!

  7. Netto disse:

    Isso para não falar dos custos militares para se ter água X os custos de dessalinização.

  8. Netto disse:

    Esse comunista deveria cuidar mais da parte espiritual e falar menos de assuntos
    sobre os quais não entende. Duvido que ele conheça os custos de se levar água
    de um canto para outro.

  9. Carlos disse:

    O Papa NÃO é pop.

  10. EVARISTO disse:

    Logo mais vamos sim .ter a terceira guerra..por ambição. Poder. Em todas as classes

    • nt disse:

      verdade meu amigo inclusive com esses próprio papa que na verdade e um anticristo desfaçado.

Publicidade

PF indicia Pastor Silas Malafaia em operação que investiga corrupção em royalties

Por interino

Pastor Silas Malafaia, em foto de Marcos Alves / Agencia O Globo

A Polícia Federal (PF) indiciou o pastor Silas Malafaia em uma investigação que apura corrupção em cobranças judiciais de royalties da exploração mineral. Em dezembro, a PF promoveu a Operação Timóteo em 11 estados e no Distrito Federal. Na ocasião, foi expedido um mandado de condução coercitiva contra Malafaia, mas ele se apresentou espontaneamente na superintendência da PF em São Paulo. Embora envolvido, ele não foi considerado um dos alvos principais da ação.

Em sua conta no Twitter, Malafaia negou irregularidades e atacou a imprensa, dizendo que a notícia é requentada. Isso porque o indiciamento ocorreu em dezembro, quando os policiais foram às ruas cumprir os mandados da operação.

— O fato ocorreu em 16 de dezembro, foi notícia no Brasil. Lembra da condução coercitiva? Para aquilo acontecer, o delegado pede meu indiciamento. Não explica nada. Põe duas linhas, porque eu recebi um cheque de R$ 100 mil — disse Malafaia em vídeo disponível em sua conta no Twitter.

Em dezembro, Malafaia já tinha dado uma explicação sobre os fatos: “Recebi uma oferta de cem mil reais, de um membro da igreja do meu amigo pastor Michael Abud, não sei e não conheço o que ele faz, tanto é que o cheque foi depositado em conta. Por causa disso sou um ladrão? Sou corrupto? Recebo ofertas de inúmeras pessoas e declaro no imposto de renda tudo o q (sic) recebo. Quer dizer q (sic) se alguém for bandido e me der uma oferta, sem eu saber a origem, sou bandido?”. Na ocasião, ele também avaliou que seu envolvimento na Operação Timóteo foi uma retaliação por ter proposto limites a abuso de autoridades. Para o pastor, a ação é resposta a um vídeo que ele publicou na internet pouco tempo antes sobre o assunto.

Na época, cerca de 300 policiais fazem 16 ações em 52 endereços diferentes. Por determinação da Justiça Federal, além de buscas, os policiais também cumprem 29 conduções coercitivas, quatro mandados de prisão preventiva, 12 mandados de prisão temporária, sequestro de três imóveis e bloqueio judicial de valores depositados que podem chegar a R$ 70 milhões. Apenas em 2015 os valores recolhidos com os royalties de mineração pela chamada Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM) chegaram a quase R$ 1,6 bilhão, de acordo com a PF.

A PF suspeita que Malafaia teria usado contas correntes de uma instituição religiosa com a intenção de ocultar a origem ilícita dos valores, segundo a Reuters. Em dezembro, os investigadores informaram que, no topo da pirâmide do esquema, estavam o ex-diretor do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), órgão ligado ao Ministério de Minas e Energia, Marco Antônio Valadares e sua esposa, que é sócia de uma das empresas de consultoria que estão entre os alvos da operação. O grupo fraudava os valores de royalties de mineração devidos por mineradoras a municípios.

O grupo criminoso, de acordo com a PF, se dividia em ao menos quatro grandes núcleos: o captador, formado pelo diretor do DNPM e sua mulher, que cooptavam prefeitos interessados no esquema; o operacional, formado por escritórios de advocacia e uma empresa de consultoria em nome da mulher do diretor do DNPM, que repassava valores indevidos a agentes públicos; o político, composto por agentes políticos e servidores públicos responsáveis pela contratação dos escritórios de advocacia integrantes do esquema; e o colaborador, que ajudava na ocultação e dissimulação do dinheiro.

O Globo

Comentário (1) enviar comentário
  1. Jean disse:

    Esse não era o HONESTO PASTOR que andava com CUNHA debaixo do braço e bradava impropérios contra tudo e todos, se auto proclamando enviado de Deus e o homem mais honesto do Mundo?
    Não era esse que dizia que os "outros" eram do diabo e que era preciso colocar homens honestos como Aécio Neves, Eduardo Cunha e tantos outros que se veem enrolados em corrupção?
    Mais um Santo do Pau Oco que mancha o nome de Deus e o movimento Evangélico, que a cada passo que dá no mundo da Política, mais revela seus verdadeiros objetivos: o Poder!

Publicidade

Em improviso, Papa Francisco critica: ‘melhor ateu do que católico hipócrita’

Por interino

Papa Francisco fala durante audiência pública na praça São Pedro, no Vaticano, na quarta-feira (22) (Foto: Alberto Pizzoli / AFP)

O papa Francisco criticou novamente alguns membros da sua própria Igreja nesta quinta-feira (23), sugerindo que é melhor ser ateu do que um dos “muitos” católicos que levam o que disse ser uma vida dupla e hipócrita.

Em comentários improvisados em sermão de missa privada matinal em sua residência, ele disse: “é um escândalo dizer uma coisa e fazer outra. Isto é uma vida dupla”.

“Existem aqueles que dizem ‘sou muito católico, sempre vou à missa, pertenço a isto e a esta associação”, disse o chefe da Igreja Católica Romana, que tem cerca de 1,2 bilhão de membros, de acordo com transcrição da Rádio Vaticano.

Ele disse que algumas destas pessoas também devem dizer “minha vida não é cristã, eu não pago aos meus funcionários salários apropriados, eu exploro pessoas, eu faço negócios sujos, eu lavo dinheiro, [eu levo] uma vida dupla”.

“Há muitos católicos que são assim e eles causam escândalos”, disse. “Quantas vezes todos ouvimos pessoas dizerem ‘se esta pessoa é católica, é melhor ser ateu'”.

Desde sua eleição em 2013, Francisco disse frequentemente a católicos, tanto padres quanto membros não ordenados, para praticaram o que a religião prega.

Em seus frequentes sermões improvisados, ele já condenou abuso sexual de crianças por padres como sendo equivalente a uma “missa satânica”, disse que católicos na máfia se excomungam, e disse a seus próprios cardeais para não agirem como se fossem “príncipes”.

Em menos de dois meses após sua eleição, ele disse que os cristãos devem ver ateus como pessoas boas caso eles sejam boas pessoas.

G1

Comentários (6) enviar comentário
  1. Maurício Giovani disse:

    Ele qui dizer o seguinte: É melhor ser ateu do que ser Lula, pois ele é hipócrita, vive uma vida dupla tendo em vista que para os militontos é um santo, mas para os que o conhecem, ele é um verdadeiro causador de escândalos. O Papa bem que poderia ter dado nome aos bois.

  2. mATEUzinho disse:

    Sou Ateu, graças a Deus!

  3. Botelho Pinto disse:

    Seria um recado aos coxinhas?

  4. chacal disse:

    Esse Francisco é um tremendo hipócrita, e o povo sem conhecimento ainda fica elogiando esse cara de pau. Povo, volta um pouco a história, e vejam o que essa religião fez aos pobres, aos índios, aos negros e ao resto do mundo. Vejam sobre a inquisição, cruzadas etc. Quem os holandeses, espanhois e portugueses trouxeram na mochila junto com eles???? os bispos e padres. Todos coniventes com o extermínio dos índios e do povo pobre. Bando de canalhas!! Acorda povão!!!!!!!!

  5. Potyguar disse:

    O Papa atual sabe das coisas.

  6. Antonio Silva disse:

    Grande Francisco, sempre falando as verdades aos hipócritas moralistas. A humanidade progressista agradece.

Publicidade

Cientista cria teoria que prova a existência de Deus e ganha prêmio

Michael Heller, hoje com 80 anos, é um padre católico, cosmólogo, filósofo e professor polonês, que em 2008, disse ter sido capaz de comprovar matematicamente a existência de Deus. Logo, ele foi o vencedor de um dos prêmios acadêmicos mais importantes do mundo, o Templeton, concedido pela fundação homônima de estudos religiosos sediada em Nova York, conforme relatado pela BBC Brasil à época.

Em seus trabalhos ele abordou a origem do universo, apoiando-se em aspectos avançados da teoria da relatividade proposta por Albert Einstein, mecânica quântica e geometria não-comutativa. “Vários processos no universo podem ser caracterizados como uma sucessão de estados, de maneira que o estado anterior é a causa do estado que o sucede”, reportou ele em 2008. “Não estamos apenas falando de uma causa como qualquer outra. Estamos nos perguntando sobre a raiz de todas as possíveis causas”, disse em questionamento a causalidade primeira.

Segundo ele, a ideia de que a religião e a ciência são contraditórias é inverossímil. “A ciência nos dá o conhecimento, e a religião, o sentido”, disse. Logo, ambas seriam pré-requisitos para uma existência considerada por ele como decente. “Invariavelmente eu me pergunto como pessoas educadas podem ser tão cegas para não ver que a ciência não faz nada além de explorar a criação de Deus”, disse ele, conforme reportado pela BBC.

Heller acredita que a objeção religiosa para o ensino da evolução “é um dos maiores mal-entendidos”, porque “introduz uma contradição ou oposição entre Deus e oportunidade”, de acordo com o The New York Times. Sua teoria é baseada em um argumento chamado “Deus das lacunas”, que relaciona a ciência e religião e visa usar de uma divindade para explicar o que a ciência supostamente não pode.

Contudo, era de se esperar que sua teoria chamasse atenção de céticos, que atacaram a Fundação Templeton por sua suposta inclinação favorável as ideologias mais conservadoras da religião. Entre eles, estava o biólogo evolucionista Richard Dawkings, que já ganhou o prêmio outrora e contestou a instituição pelo prêmio pago em dinheiro, à época no valor de 820 mil libras esterlinas (ou 1,6 milhões de dólares), para um cientista “disposto a falar coisas boas da religião”.

Diferente disso, os jurados afirmaram que Heller mereceu a honraria por “desenvolver conceitos precisos e notavelmente originais sobre as origens e causas do universo, muitas vezes sob intensa repressão governamental”.

Ordenado em 1959, Heller pertence à Diocese de Tarnow, e de acordo com sua biografia, ele foi perseguido durante a era soviética, devido a sua ideologia comunista abertamente ateia e que ia contra o perfil católico conservador na Polônia. Além disso, o padre e cientista conhecia o Papa João Paulo 2º e a Igreja teria concedido a ele uma esfera de proteção que permitiu avançar em seus estudos.

Jornal Ciência via BBC / The New York Times

Comentário (1) enviar comentário
  1. Souza disse:

    Apenas um comentário com relação ao título da matéria: uma teoria, por melhor ou mais genial que seja, não "prova" nada. É necessária a experimentação e a observação para comprovar e provar a teoria. Vejam que muitas das teorias de Albert Einstein só foram comprovadas recentemente. Portanto, com todo respeito que ele merece, por melhor que seja a teoria do Padre e estudioso Michael Heller, ela não prova nada. Pelo menos ainda não. É um pensamento especulativo muito bem elaborado, com regras e métodos e, até certo ponto, lógico; Mas não uma prova.

Publicidade

Arquidiocese de Natal cria Paróquia da Redinha

Pe. Mário Gomes será o primeiro pároco da Redinha (Foto: Cacilda Medeiros)

A Arquidiocese de Natal cria a Paróquia de Nossa Senhora dos Navegantes, na Praia da Redinha, em Natal, nesta segunda-feira, 20, às 19 horas. A celebração, na Igreja Matriz, será presidida pelo Arcebispo Metropolitano, Dom Jaime Vieira Rocha. Na ocasião, Dom Jaime dará posse ao primeiro pároco, Padre Mário Gomes de França.

A comunidade se preparava para ser paróquia há dez meses, quando foi criada a Área Pastoral.

Comentários (2) enviar comentário
  1. RFC disse:

    O retiro de carnaval dessa paróquia vai ser massa! kkkkkkkkkk

    • Wilson disse:

      Aprenda a respeitar a fé aleia, se não crê, não tripudie. Religião não é brincadeira!

Publicidade

Vereadora se recusa a ler a Bíblia em sessão e gera polêmica em SP

Vídeo aqui

Na primeira sessão ordinária do ano, na Câmara Municipal de Araraquara (SP), a vereadora Thainara Faria (PT) causou polêmica ao justificar aos demais vereadores o porquê não participará do “rodízio” para ler um trecho da Bíblia, como determina o regimento interno da casa na abertura dos trabalhos parlamentares.

“E se ao invés de chamarmos o vereador para ler um trecho da Bíblia, a gente chamasse um vereador para vir aqui e encarnar um caboclo e falar a palavra de outras religiões?”, questionou.

Segundo o regimento interno da Câmara, a leitura da Bíblia deve ser feita pelos parlamentares em todas as sessões, obedecendo à sequência da ordem alfabética.

Caso algum não queira participar do rodízio, deve solicitar a retirada de seu nome da lista elaborada para este fim.

Estado Laico

Estudante de direito, aos 22 anos Thainara é a mulher mais jovem e a primeira negra a ocupar uma cadeira na Câmara de Araraquara.

Em seu primeiro discurso, ela afirmou que o Brasil é um Estado Laico e, por isso, as entidades governamentais têm de ser neutras em relação às religiões.

“Sou católica praticante, mas não posso doutrinar minha religião aos outros, isso é um erro. Meus princípios e o princípio religioso que sigo tem que ser para ‘Thainara Faria’ pessoa. A vereadora tem que representar o povo. Eu não posso colocar meus interesses particulares e pessoais de religião no ambiente político, isso é um erro”, justificou.

Thainara ainda sugeriu aos outros 17 vereadores a ampliação do leque espiritual, contemplando a leitura de outros livros sagrados, como o evangelho kardecista, o alcorão e até mesmo textos sobre o ateísmo.

“É uma infelicidade que o povo não tenha conhecimento e domínio da lei, mas o legislador, o vereador, o parlamentar, era pra ter o conhecimento da lei e não fazer nada que ferisse a constituição. A gente espera que o parlamentar conheça a constituição, conheça os princípios do nosso país, mas eles não conhecem”, criticou a vereadora.

Câmara

O artigo 148 que define a leitura da Bíblia nas sessões foi instituído em 21 de julho de 2006, no regimento interno da casa.

O presidente da Câmara Jeferson Yashuda (PSDB) afirmou que o documento garante a livre opinião do vereador, além de garantir o direito do mesmo se recusar a ler o trecho do livro sagrado.

“Foi passada uma lista para todos os vereadores e eles assinalaram que desejariam, por ordem alfabética, ler um trecho da Bíblia. A vereadora Thainara fez a opção contraria, mas isso é uma coisa interna. Na verdade, muitas vezes ninguém perceberia que ela não estaria fazendo, porém ela quis manifestar sua opinião e nós respeitamos a opinião dela”, disse.

Segundo o Yashuda, que está no segundo mandato, esta é a primeira vez que alguém se posiciona contra a leitura nos últimos oito anos. “A posição da vereadora é legítima, previsto no regimento. Agora a manifestação dela que causou surpresa, causou essa repercussão toda”.

Vínculos com igrejas

O cientista político Gabriel Antonio afirmou que, embora o Estado seja religiosamente neutro, é possível estabelecer vínculos com igrejas desde que visem, na forma da lei, ao interesse público.

“É importante esclarecer que a oferta de serviços religiosos, como a realização de cultos, missas e orações, deve ser uma iniciativa de foro privado, restando ao Poder Público apenas a obrigação de garantir a liberdade de consciência e de crença, o livre exercício dos cultos religiosos e a proteção aos locais de cultos e suas liturgias, conforme apresenta o Inciso VI do Artigo 5º da Constituição”.

Ainda segundo o cientista, a imposição da leitura bíblica pode ofender o caráter laico do país. “Com base em uma interpretação estritamente constitucional do princípio da laicidade do Estado, é possível dizer que a leitura de trechos da bíblia em sessões camarárias, definida mediante imposição regimental, ofende o caráter laico do Estado brasileiro”.

G1- Araraquara e São Carlos

Comentários (24) enviar comentário
  1. wender disse:

    Amigos a Bíblia não é ideologia religiosa e sim princípios que ajudam uma sociedade a ter uma moral menos perversa e deturpada como vemos hoje em dia. Leiam a Bíblia e observe se ela te leva pro mal caminho, se ela destrói sua vida ou mancha sua reputação. Vereadores não são santos mas quem sabe uma dessas leituras dá uma sacudida na consciência deles e os mesmos criam vergonha na cara. Melhor com leitura do que sem. E se outros credos não vão ler é problema deles. Não reivindicam seus espaços porque não querem. Coitada dessa vereadora. País laico que não proíbe se expressar.

  2. wender disse:

    ler a Bíblia não é citar religião. Até em faculdade, em cursos de humanas, professores usam a Bíblia como suporte histórico. Essa vereadora não sabe que a Bíblia não cita religião. Ela ainda irá aprender a raciocinar de modo coerente.

  3. bruno disse:

    atitude perfeita, parabéns, o uso da religião em especial a cristã nas repartições legislativa serve para macular uma imagem de perfeição e honestidade que no fundo não existe, são canalhas, lobos em pele de cordeiro, perfeita vereadora, que se repita pelo país a fora, que bom que coisas como esta estão acontecendo, viva o estado democrático de direito, em Parnamirim a palhaça tb acontece.

  4. paulo martins disse:

    Leitura bíblica numa casa de horrores equivale a misturar-se freiras e prostitutas em um mesmo convento ou bordel. Prova de que a deturpação e a promiscuidade são características primordiais do estamento político brasileiro.

  5. Hsb disse:

    NÃO SERIA MELHOR, LER UMA SENTENÇA DO JUIZ SERGIO MORO!

  6. FRASQUEIRINO disse:

    Palhaçada. Fazer rodízio para se ler a Biblia!

  7. Linesio disse:

    Querem se fazer de bons samaritanos. Ou alguém realmente acreditou que eles seguem os prefeitos cristãos de não roubar, etc…

  8. Fernando Antonio Ribeiro Bastos disse:

    Corretíssima a interpretação da vereadora, além da obrigação Constitucional, devendo ser respeitado o Estado Laico Brasileiro, sem se falar da hipocrisia politica, tendo em vista que hoje, na politica, 99% estão pouco ligando para o povo, quanto mais para religião.

  9. bate ferro disse:

    Anti -Cristo essa quadrilha pt

  10. Potyguar disse:

    A Vereadora está com a razão nesta questão. O Brasil é um Estado laico, como reza a Constituição, e a opção religiosa é uma escolha individual, e deve ( ou deveria, pelo menos ) ser respeitada.

    • Val Lima disse:

      Não precisava desse bafafá todo, o Regimento Interno da Câmara é claro, basta pedir para não ler, não existe obrigatoriedade…. Mas a jovem queria aparecer, chamar atenção para o mandato dela, ser notícia…. Seria interessante observar a produtividade parlamentar da Vereadora, para saber se o dinheiro q ela recebe, faz jus ao trabalho de representante do povo…

  11. Neco disse:

    Histeria

  12. Jofran disse:

    No TÍTULO II – Dos Direitos e Garantias Fundamentais, CAPÍTULO I – DOS DIREITOS E DEVERES INDIVIDUAIS E COLETIVOS da Constituição Federal, em seu artigo 5º, temos:

    Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

    (…)
    VI – é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias;
    (…)
    Ou seja, para quem não sabe ainda, o Brasil é laico, não tem religião oficial.
    Sendo assim, a Vereadora está certa a fazer tais questionamentos em nome da Liberdade de Religião e de Expressão garantido pela CF de 88. Errado está qualquer órgão público em querer adotar uma religião, qualquer que seja, como se fosse a todos obrigados a segui-la sem questionar. Isso já existiu no passado e já foi ultrapassado por nossa sociedade civilizada justamente pelos inúmeros abusos acontecidos na Idade Média em nome de Deus (Santa Inquisição, venda de indulgências, etc).

    • Ceará-Mundão disse:

      Segundo o próprio Regimento, ela pode simplesmente tirar o nome da relação dos que vão ler. E, prá evitar futuros constrangimentos e resolver o caso de vez, melhor seria modificar o Regimento ou recorrer à Justiça. Não precisa espetáculo. Ela deve tá seguindo o exemplo do seu "líder máximo", que inventou o velório-comício. Apenas mais uma palhaçada.

    • Luiz disse:

      Velório comício foi inventado pelos aliados de Eduardo Campos e ninguém questionou ou sequer desdenhou dos atos ali praticados naquele momento de dor da família enlutada.
      Porém, para haver comício tem que haver campanha eleitoral, que no caso do Eduardo Campos havia. Hoje não se configura tal afirmação, completamente desprovida de inteligência e solidariedade humana pela dor alheia, seja de quem for. Precisa estudar mais o cidadão que tudo parece comentar e entender e realmente a sua superficialidade e passionalidade é reveladora de seu grau de aprofundamento, estudo e caráter.

  13. Ceará-Mundão disse:

    Claro que é do PT. Falta de respeito. Se essa prática consta no Regimento da Câmara, deve ser cumprida. Se não concorda com isso, tente mudar o normativo que determina a prática. É simples.

    • Ceará-Mundão disse:

      Quando digo "tente mudar" me refiro a: tentar tirar do Regimento da Câmara ou ingressar na Justiça.

    • Jadson disse:

      Tenho certeza que você ama o famigerado PT. kkkkkkk

  14. joacy disse:

    Certíssimo, esse teatro de ler a bíblia a todo momento e em qualquer lugar é pura ipocresia. câmara de vereadores é para legislar e não pra realizar culto de qualquer que seja a religião, que cada um tenha a sua e que cada um faça sua oração em seu íntimo.

    Gentileza não tentar me convencer do contrário.

  15. Vitor disse:

    A atitude dela é pra ser comemorada! Brincadeira existir um regimento interno que determina leitura da bíblia??? Isso é que deveria ser a notícia.

  16. Eduardo Peixoto disse:

    Ela está certa ao exercer o seu direito de livre arbítrio. Ninguém pode ser obrigado a ler ou fazer algo que é contra as suas crenças. Quem é de Deus se ocupa com as coisas de Deus.

    • Val Lima disse:

      Não existe obrigatoriedade na leitura…. É opcional… O próprio regimento informa isso…

  17. Fabio disse:

    Sem contar que é muita hipocrisia um ruma de ladrao lendo a Bíblia.

  18. Caicoense Fingido disse:

    Mas que palhaçada! Ler a bíblia enquanto se discute política?
    Já foi e é demonstrado que a relação entre política, Estado e religião é prejudicial e doentia. Oração é no centro religioso ou na intimidade.

Publicidade

Teve facada e barco à deriva: Apóstolo Valdemiro usa má fase como chamariz de igreja

Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress

Não há facada, barco à deriva, naufrágio, ataque de igreja concorrente, operação da Polícia Federal, processo por aluguel atrasado ou acusação de porte ilegal de armas que tire o bom humor do apóstolo Valdemiro Santiago, 53.

Todos episódios que viraram propaganda, boa ou má, para um dos líderes evangélicos mais influentes do Brasil, ao lado de nomes como Silas Malafaia e Edir Macedo.

Hoje sua igreja, a Mundial do Poder de Deus, tem estimados 4.500 templos e três deputados: Missionário José Olímpio (DEM-SP), Francisco Floriano (DEM-RJ) e Franklin Lima (PP-MG).

No dia 9/1, o apóstolo deu, literalmente, seu sangue por ela. Quando a vida lhe dá um limão, você faz uma limonada. Quando um ajudante-geral desfere três golpes de facão em Valdemiro, o religioso vai à TV pedir dinheiro.

Com alegados problemas mentais, Jonatan Higino, 20, atingiu pescoço e costas do apóstolo com uma lâmina de 35 centímetros, num culto televisionado. Dois dias e 25 pontos depois, Valdemiro usou o caso para incentivar fiéis a doarem R$ 8 milhões.

Ele já conhece o enredo: “Quando a imprensa dá a notícia [do atentado], coloca lá: ‘Valdemiro nem bem se recuperou e foi pedir oferta'”.

Entre seculares (como evangélicos chamam aqueles de outra ou nenhuma religião), a estratégia foi absorvida como um entre tantos exemplos de pastores inescrupulosos que exploram sua base “coitadinha”.

Para evangélicos, esse tipo de visão escancara preconceito e condescendência de uma elite intelectual que os despe de autonomia para decidir o que é melhor para eles. Segundo Valdemiro, o dinheiro solicitado banca um mês de custos da Rede Mundial, seu canal na TV fechada.

Clubes de futebol têm “patrocínio do sócio-torcedor” (que pagam mensalidade ao clube em troca de benefícios), e isso ninguém estranha, compara o apóstolo são-paulino.

“O Palmeiras arrecadou milhões assim, e todo mundo aplaudiu. Eu pago só neste canal aí R$ 8 milhões. O preconceito leva o repórter a separar uma coisa da outra. Ontem mesmo estive com jovens da cracolândia. Isso [obras de caridade] tem um custo.”

À DERIVA

Passados nove dias da agressão, Valdemiro voltou ao noticiário: ficou por horas perdido no litoral paulista, após pane em sua lancha. O Corpo de Bombeiros divulgou foto da equipe de resgate abraçada com o pastor sorridente.

O apóstolo conversou com a Folha duas semanas após o ataque a faca, em sua sala na sede da Mundial, um prédio com 800 funcionários no Brás (região central de São Paulo) e piscina interna para batizar recém-convertidos à igreja.

Valdemiro criou a Mundial, uma costela da Igreja Universal do Reino de Deus, em 1998, após se desentender com o bispo Macedo, “com quem eu jogava bola, recebia em casa”.

A Mundial seguiu a mesma linha neopentecostal, com destaque para curas miraculosas. Há cultos como a Terça-feira do Milagre Urgente, e seu líder compartilha na internet testemunhos como “CÂNCER REMOVIDO PELA MÃO DE JESUS”.

“Já vi mortos ressuscitarem. Fazia algum tempo que não respiravam”, afirma. “Só que não sou eu, mas Deus quem faz o milagre.”

Em sermão gravado, um pastor da igreja diz que a camisa que Valdemiro usou no dia do atentado tem poderes divinos. “Tá aqui, o sangue dele tá aqui na camisa. Vou passar no manto… Vocês vão tocar no manto… E vão receber milagres extraordinários.”

O curativo no pescoço afetou o estilo –o mineiro criado na roça abriu mão do chapéu de vaqueiro, sua marca (na internet, réplicas à venda por R$ 54,90).

Valdemiro conta que, hospitalizado, recebeu “dez ligações” de Geraldo Alckmin. O governador confirma um telefonema “para desejar força” ao “amigo de 15 anos”.

Discordou quando a apresentadora Sônia Abrão disse não perdoar o homem que o esfaqueou. Torce por sua conversão: “Se Deus quiser, você vai fazer matéria com ele aqui na minha igreja”.

Elenca entre os amigos o padre Zezinho e o cardiologista Roberto Kalil (“a mulher dele vive dizendo: ‘Leva ele para pescar, ninguém tira o Kalil do hospital'”). O comediante Dedé Santana e a primeira metade da dupla sertaneja Rick e Renner aparecem com ele em retratos de seu escritório, decorado com um cavalo de bronze com mais de três metros de altura, presente da filha.

Antes de descobrir a vocação religiosa, Valdemiro conta que passou um período “muito perturbado”. Aos 12 perdeu a mãe, que tinha problema no coração. Tentou se matar mais de uma vez. “Pensava que não podia viver mais, um pensamento ruim mesmo. Tinha acesso às armas do meu pai. Tentei me envenenar, na roça se usava muito veneno de rato.”

Mas Deus, afirma, tinha um plano para ele.

LEVANTE

Se em 1980 o IBGE calculava 6,6% de evangélicos num Brasil de maioria católica, hoje o grupo representa 29% da população, segundo o Datafolha. A ascensão não surpreende Valdemiro.

“Vou fazer uma comparação secular: você vai num restaurante e leva uma pessoa querida. É bem tratado, faz bem ao seu paladar. Você volta, a pessoa que você levou volta e leva outra com ela.”

As igrejas evangélicas, acredita, saciam o apetite do brasileiro por ritos mais dinâmicos. Mas, sem uma hierarquia vertical como a do Vaticano, elas se engalfinham na disputa por fiéis.

Valdemiro não se aprofunda na briga com Macedo, a quem chama de “homem de Deus”. Os dois são como apóstolos de Cristo, diz: “Na época do Paulo, ele e Pedro se desentenderam, um foi para um lado, outro para o outro”.

O sociólogo Ricardo Mariano, especialista em igrejas neopentecostais (como a Mundial e a Universal), aponta um diferencial do dissidente. “Valdemiro dá mais ênfase ao carisma, age como mediador divino, as pessoas querem tocá-lo. Na Universal o carisma é institucional, eles até fazem rodízio de bispos para não ‘fidelizar’ o fiel, igual a gerente de banco.”

A briga esquentou quando a Record, emissora do ex-amigo Macedo, veiculou em 2012 reportagem associando Valdemiro a uma fazenda de R$ 30 milhões. “Os males, os maiores deles, vêm desses que se dizem irmãos”, diz o apóstolo, que nega a posse.

A Universal foi procurada pela Folha na semana passada, mas não se manifestou até a conclusão desta reportagem.

Outro estranhamento: a Universal dominou a programação do canal 21, do grupo Band, antes locado pela Mundial. A perda de espaço expôs situação financeira complicada para Valdemiro, o que ele também refuta. “Sempre abordo isso aí [com os fiéis]. ‘E a crise? Que crise?'”

Esta crise: a igreja é alvo de processos na Justiça paulista por aluguel atrasado. O mais recente é de dezembro –uma ação de despejo “por falta de pagamento cumulada” no valor de US$ 70.368,24.

Por outro lado, há quem aponte bonança. Em 2013, a “Forbes” o incluiu numa lista dos pastores mais ricos do Brasil. Estimou que sua rede valha US$ 220 milhões (R$ 700 milhões).

Valdemiro ri. Pessoalmente, “não tenho nem US$ 1 milhão”, diz. Quem tem é a igreja. “A casa na qual moro, o carro que uso, o helicóptero em que voo, é tudo dela.”

Para ele, a campanha de difamação demonstra uma intolerância que persiste há mais de 2.000 anos. “Você acredita em Jesus? Por que será que atribuíram coisas falsas a ele? Porque ele tinha sucesso. Se a minha igreja tivesse dez membros, você acha que eles iam se incomodar?”

APÓSTOLO POP

Valdemiro é assíduo no noticiário.

Em 1996, ainda como bispo da Universal, escapou de um naufrágio nas águas de Moçambique. Na época, a Folha reportou como Valdemiro nadou até uma ilha, a cerca de 500 metros de onde estava o barco, para chamar socorro.

Ele pesava 153 kg, antes de uma cirurgia de redução de estômago na qual tirou 3,5 metros de intestino. Diz que, com ajuda divina, superou tubarões-brancos, água-viva, correnteza e câimbra. “Outros pastores [a bordo] foram comidos por tubarões de até oito metros”, relatou depois.

Passados sete anos, foi preso numa blitz em Sorocaba (SP), por porte ilegal de armas. No porta-malas, uma escopeta e duas carabinas. Ele diz que eram todas registradas e para caça. “Aquilo lá foi armação.”

Aproveita a deixa para criticar o desarmamento da população. “Veja os EUA! Falam do sujeito armado que entra na escola e mata seis. Aí aqui matam cem todo dia, e isso só na favela do Rio”, exagera.

Outro momento sob holofotes: em 2012, pela Operação Porto Seguro, a Polícia Federal apreendeu nove jatinhos comprados no exterior sem pagamento de impostos, parte de um esquema de corrupção que envolvia políticos. Uma das naves, avaliada em R$ 22,5 milhões pela PF, era arrendada pela Mundial.

O desembargador Fausto De Sanctis, que escreveu um livro em inglês sobre igrejas e crimes financeiros (“uma perspectiva judicial do abuso da fé”), cita “gangues de pastores” que desviavam dinheiro da Mundial.

Igrejas não têm de pagar Imposto de Renda sobre dízimos, o que dificulta a fiscalização, afirma De Sanctis à reportagem. “É muito difícil rastrear o dinheiro porque existe grande circulação de moeda em espécie e pouca prestação de contas. Forma-se um meio propício para a lavagem de dinheiro.”

Para Valdemiro, a aliança automática entre ilicitudes e evangélicos é uma visão estreita de parte do Brasil que ainda tem dois pesos, duas medidas para lidar com as duas maiores religiões do país, a dele e a católica.

Questiona reportagens que o chamam de “autointitulado apóstolo”. “O papa não decidiu ser papa. Cardeais da igreja dele votaram para isso. Por que não respeitam eu ter sido eleito apóstolo pela maioria da minha igreja?”

Folha de São Paulo

 

enviar comentário
Publicidade

Papa pede que se reze pelas crianças ameaçadas pelo aborto

O papa Francisco fez, neste domingo, um apelo à defesa da “cultura da vida”, e pediu que se reze pelas crianças “ameaçadas pela interrupção da gravidez”.

“Todas as vidas são sagradas, façamos avançar a cultura da vida como resposta à lógica do desperdício e ao declínio demográfico”, disse o papa durante a chamada Jornada Mundial da Vida.

“Rezemos juntos pelas crianças ameaçadas pela interrupção da gravidez e pelas pessoas que se aproximam do final de suas vidas”, acrescentou Francisco durante a tradicional oração do Angelus de domingo na praça de São Pedro, no Vaticano.

Desde sua chegado ao Vaticano, o papa expressou em várias ocasiões preocupação com a queda da taxa de natalidade na Europa, particularmente na Itália.

Em sua encíclica “Laudato si”, de junho de 2015, afirmou que “o crescimento demográfico é plenamente compatível com o desenvolvimento integral e solidário”.

Como seus antecessores, o papa Francisco, fiel à doutrina da Igreja Católica, é um feroz opositor ao aborto.

No ano passado, porém, durante o chamado Jubileu da Misericórdia, o pontífice fez um gesto em direção às mulheres que abortaram e se arrependeram, permitindo que os padres as absolvam, algo que até então só os bispos podiam fazer.

 

Terra

enviar comentário
Publicidade

Procissão de Nossa Senhora da Candelária nesta quinta-feira altera o itinerário de três linhas de ônibus

Foto: Josenilson Rodrigues/Busão de Natal

Nesta quinta-feira (02) ocorre a tradicional procissão de Nossa Senhora da Candelária no bairro de Candelária, zona Sul da capital. Com isso, as vias no percurso do evento serão interditadas para passagem dos fieis entre 17h e 20h. A informação é da Prefeitura do Natal, por meio da Secretaria de Mobilidade Urbana (STTU).

O percurso acertado entre a Paróquia de Nossa Senhora da Candelária e a STTU é o seguinte: a procissão sai da Rua Marechal Rondon – em frente à Igreja –, segue pela Av. Eng. Luciano de Barros, Rua Caramuru, Rua Beatriz Ramalho e chega a Rua Marechal Rondon. Ao todo, a STTU contará com 04 motociclistas e 02 viaturas para cobrir o trajeto.

Por causa do bloqueio, três linhas de ônibus vão mudar de itinerário. A linha 35 (Soledade I/Candelária, via Av. Prudente de Morais) e 64A/43 (Nova Natal/Candelária, via Alecrim) desviam apenas na saída de Candelária a partir da Alameda Bolivariana, entrando na Av. das Brancas Dunas, Rua Jerônimo de Albuquerque, Rua Frei Henrique de Coimbra, Rua Ataulfo Alves e na Rua Bento Gonçalves – de onde seguem normalmente.

A linha 30 (Felipe Camarão/Pirangi, via Candelária/Campus) muda em Candelária a partir da Rua Padre Diogo Feijó, entrando na Rua Raposa Câmara, Rua Bento Gonçalves, Rua Marechal Rondon e segue seu trajeto normal.

Em caso de dúvidas os usuários podem ligar para o Alô STTU – no telefone 156 – ou perguntar pelo Twitter oficial, o @156Natal.

 

enviar comentário
Publicidade