Publicidade

Temer deve impedir que nova lei acabe com Uber no Brasil, e evitar que serviço se transforme em algo parecido com o que são os táxis

Caso passe pelo Senado em seu formato atual, o Projeto de Lei 5587/16, aprovado nesta semana pela Câmara dos Deputados, terá seus pontos mais críticos vetados pelo presidente da República, Michel Temer. Pelo menos é o que diz um de seus assessores.

Em conversa com a Reuters, o funcionário de Temer, que preferiu se manter em anonimato, garantiu que o peemedebista não permitirá que a nova lei transforme serviços como Uber e Cabify em algo parecido com o que são os táxis.

Se a informação se confirmar, o PL servirá apenas para criar um marco legal de nível federal sobre o setor, o que regulamentaria o serviço de uma vez por todas, bastando apenas que os municípios discutissem em qual formato essas empresas poderiam operar localmente.

Projeto vaivém

O PL 5587/16 se transformou numa batata quente. Apresentado originalmente como uma lei que basicamente transformaria as empresas em cooperativas de táxi, ele foi modificado para promover o contrário, permitindo a operação de Uber, Cabify etc. No último minuto, porém, destaques apresentados pelo autor do projeto devolveram os pontos polêmicos ao texto, que acabou sendo aprovado de uma forma que inviabilizaria a operação do setor como está atualmente.

O projeto agora terá de passar pelo crivo do Senado. Lá, ele poderá inclusive sofrer modificações. Se isso acontecer, o PL volta para a Câmara dos Deputados, onde os parlamentares podem discutir as alterações propostas e escolher entre aplicá-las (integral ou parcialmente) ou ignorá-las.

Se passar direto pela Casa, o documento vai parar nas mãos do presidente, que poderá vetá-lo ou sancioná-lo. Se optar pela aprovação integral, Temer fará com que os serviços prestados por empresas como Uber e Cabify sejam bloqueados em seu formato atual, e regulamentações municipais deixarão de valer, já que leis federais se sobrepõem às estaduais e municipais.

Então, será preciso que as cidades se organizem para discutir novas regulamentações, seja por iniciativa de vereadores ou das próprias prefeituras. Onde o lobby dos taxistas for forte, como ocorre nas grandes capitais, o processo deve gerar mais um período de desgaste e protestos, a exemplo do que aconteceu em vários municípios que hoje contam com normas específicas para esses serviços. E pode levar meses (senão anos) até que Uber e Cabify voltem às ruas.

Caso Temer cumpra o que diz o assessor que conversou com a Reuters, entretanto, pode ser que toda essa polêmica tenha sido em vão, porque em uma única canetada o presidente manteria as coisas praticamente como estão hoje.

Olhar Digital – UOL

Comentários (13) enviar comentário
  1. disse:

    UBER. Carros lixos dirigidos por despreparados. Mas que sejam legalizados de maneira a pagar seus impostos ( para o dinheiro não ir só para as contas exteriores) e que tenham que ser fiscalizados e seus motoristas pagarem previdência, fazer cursos, tirar antecedentes criminais regularmente e sejam limitados o número de veículos por área. Assim ficará uma concorrência justa.

    • Web disse:

      Concordo. Só esqueceu de mencionar que deve ter também os descontos para aquisição de veículo também (IPI, por exemplo), ou não?

  2. joacy disse:

    Um bom recomeço para os taxistas seria dirigir com passageiro na mesma velocidade que dirige sem.

  3. Caicoense Fingido disse:

    Para ser Uber, o caboclo deveria apresentar exame toxicológico ratificando a não utilização de nenhuma substância que altere a consciência, no período prévio de 6 meses. O que tem de cheirador viciado dirigindo no dia a dia não é brincadeira.

  4. Fernando maux disse:

    parabens ao presidente ….

  5. Ceará Mundão disse:

    E a esquerdalha comunista quer impedir o Uber. Rapaz, o que falta essa gente fazer prá atrapalhar a vida dos brasileiros?

  6. joao disse:

    O que destroi o emprego sao os proprios sindicatos e a burocracia.

  7. Sandro Múcio disse:

    Interessante como o mundo corporativo pensa. No lugar de retirar obrigatoriedades dos táxis, facilitando a vida do taxista e colocando ele em pé de igualdade com o UBER, querem bloquear a ação do UBER. Não adianta, o modelo de concessão publica para esse tipo de serviço deve ser revista. Querer parar o progresso é um pensamento tão idiota que lembra-me o tempo das ruas iluminadas à gás. Para onde foram todos aqueles trabalhadores que ganhavam a vida acendendo e apagando lapiões todas as noites pelas ruas das cidades?

  8. James Rodríguez disse:

    Querem acabar com os Taxistas do Brasil ? Pode não manda esses Zubers la pra Cuba terra do Saldosos Lula e Dilma.

  9. Jorge Rodrigues disse:

    Corretíssimo. Seria um retrocesso. Existe espaço para os dois modelos (táxi e uber). Isso não quer dizer que os táxis não tenham que se ajustar à nova realidade, caso queiram continuar no mercado.

  10. zedetoim disse:

    Uber prestação de serviço excelente ,os taxistas que se adequem ao uber se quiserem sobreviver!!!!!

  11. Curioso disse:

    Está certo o Presidente. Voltar seria um retrocesso a mais para o Brasil. A UBER oferece o que existe de melhor e não cria sindicatos ou coisas parecidas. Taxistas se atualizem e voltem para o mercado.

Publicidade

Netflix lança teste online para recrutar tradutores pelo mundo

A Netflix paga por tipo e tempo de trabalho, a remuneração pode chegar a algumas centenas de dólares para quem faz legendas

A Netflix quer reforçar seu time global de tradutores interessados em legendar filmes e séries e lançou uma plataforma online para testar as habilidades dos candidatos. Em apenas duas semanas, milhares de profissionais já fizeram a prova. A empresa paga por tipo e tempo de trabalho, a remuneração pode chegar a algumas centenas de dólares, conforme tabela divulgada no fim do ano passado.

Chamada de Hermes, a plataforma traz  perguntas de múltipla escolha que medem a capacidade do tradutor de entender inglês, traduzir expressões idiomáticas para sua língua de trabalho, identificar erros, linguísticos e técnicos nas legendas, e a habilidade em fazer as legendas, propriamente ditas.

Se há cinco anos a Netflix só oferecia conteúdo com legendas em inglês espanhol e português, hoje são mais de 20 idiomas contemplados, como, por exemplo, chinês, árabe e polonês.

Quem quiser entrar na seleção só precisa fazer a inscrição no site para ter acesso à prova. Para ter chance de trabalhar para a Netflix é preciso ir bem e acertar, no mínimo, 80% da prova. O resultado da prova sai em 10 dias úteis.

Exame

enviar comentário
Publicidade

Homem é processado por curtir posts no Facebook

Aparentemente, aquilo que você fizer nas redes sociais pode vir a ser usado contra você numa corte de Justiça. É o que ocorre na Suíça, onde um homem de 45 anos está sendo processado por curtir determinados posts no Facebook, de acordo com o jornal local The Local.

O cidadão suíço curtiu um total de oito posts que acusavam Erwin Kessler, o presidente de uma associação de proteção aos animais (VgT), de racismo e antissemitismo. Os posts foram feitos por outras associações do mesmo tipo, que queriam se dissociar da VgT por conta do envolvimento passado de seu presidente com grupos neonazistas e que negavam o holocausto.

Kessler, no entanto, viu as curtidas do homem e decidiu levá-lo aos tribunais, processando-o por difamação. De acordo com o presidente da VgT, as curtidas ajudaram aqueles posts a chegar a mais pessoas. Se for condenado, o homem de 45 anos pode ter que pagar uma multa pesada, além dos custos jurídicos de seus acusadores.

Descurtir

Pode até fazer sentido considerar que alguém que curtiu um post difamatório sobre você ajudou a dar mais alcance àquela difamação. No entanto, o caso em questão é mais complicado, porque Kessler já foi de fato condenando pela Justiça suíça por discriminação racial, segundo o jornal. Além disso, ele está processando também oito outras pessoas por motivos semelhantes ao mesmo tempo.

Curiosamente, essa não é a primeira vez que um caso desse tipo acontece na Suíça. De acordo com o The Next Web, no ano passado um jornalista foi processado no país por retuitar frases ofensivas. A Justiça decidiu que a redistribuição dos tweets não era passível de punição, e que apenas o autor original dos comentários ofensivos poderia ser acusado.

Mesmo assim, esse caso não poderá ser usado como precedente na discussão sobre as acusações de Kessler. Isso porque na lei Suíça há uma distinção feita para casos de racismo, o que significa que esse caso será tratado de maneira diferente.

Olhar Digital, UOL

enviar comentário
Publicidade

Facebook e Instagram incluem função para evitar ‘vingança pornô’

Foto íntima exibida em celular. (Foto: Julian Stratenschulte/AFP)

O FAcebook está adicionando ferramentas ao seu serviço para tornar mais fácil para usuários denunciarem atos de “vingança pornô” e para impedir automaticamente que as imagens sejam compartilhadas de novo, afirmou a rede social nesta quarta-feira (5). O sistema funcionará não só no site, mas também no Instagram e no Messenger.

Chamado de “vingança pornô”, o compartilhamento de imagens íntimas ou sexualmente explícitas sem consentimento e como forma de promover extorsão ou humilhação é uma prática que afeta principalmente mulheres. Algumas são alvo de ex-parceiros.

O Facebook foi processado nos Estados Unidos e em outros países por pessoas que afirmam que a empresa deveria ter feito mais para impedir a prática. A companhia deixou claro em 2015 que imagens “compartilhadas como vingança” são proibidas e os usuários já têm recursos para denunciar fotos e vídeos que violem os termos da rede social.

A partir desta quarta-feira, no entanto, usuários do Facebook verão uma opção para denunciar especificamente a prática de vingança pornô.

A companhia também lançará um processo automático para impedir um novo compartilhamento de imagens já denunciadas. Um software de análise de imagens vai manter as fotos fora da rede social, bem como do serviço de fotos Instagram e do bate-papo Messenger.

Os usuários que compartilharem imagens de vingança pornográfica poderão até ter suas contas suspensas na rede social, afirmou a companhia.

G1

 

enviar comentário
Publicidade

FOTO: Motoristas do UBER em carreata de protesto em Natal após assassinato de membro em tentativa de assalto

Foto: Via Certa Natal

Cerca de 150 motoristas do aplicativo de carona Uber realizaram carreta no fim da manhã e início de tarde desta segunda-feira(03), com início da Roberto Freire até o Midway.

Em decorrência do protesto que segue até Ceará-Mirim, na Grande Natal, onde acontecerá o velório de Raimundo Martins, morto após assalto nesse domingo(02), o congestionamento inciado na Avenida Engenheiro Roberto Freire se prolongou até a BR-101, próximo ao estádio Arena das Dunas.

enviar comentário
Publicidade

Motoristas do Uber realizam protesto nesta segunda em Natal após assassinato de motorista durante tentativa de assalto

Crime violento foi registrado na noite desse domingo(02), próximo a rodoviária Nova. Motorista ainda foi socorrido após a tentativa de assalto, mas não resistiu aos ferimentos.

Veja detalhes do homicídio: Motorista do UBER é assassinado em tentativa de assalto na região oeste de Natal

Comentários (7) enviar comentário
  1. disse:

    Uber é carro descaracterizado e recebe pagamento em dinheiro. Facilita muito a ação de bandidos. No Táxi todos sabem qual o número do carro e o motorista que dirige o carro. Isso dificulta para bandidagem e no caso de taxista corrupto é fácil identificar e denunciar.

  2. Ademir santos Silva disse:

    Oi bg boa tarde assisto seu programa todas as tardes enquanto o nosso país não tiver fiscalização severa e punição severa para tudo e para todos nunca seremos um país de primeiro mundo , os benefíciarios de tudo isso são os políticos bandidos.

  3. roberto disse:

    País com políticos descompromissados, só vai melhorar quando deixarmos de sermos um povo egoísta, sairmos da zona de conforto e enfrentar todos esses problemas com uma guerra civil, infelizmente só dessa forma mudaremos o futuro pra nossos filhos, porque se continuar só com medidas apaliativas não resolve. Toda grande nação europeia hj passou por isso com as revoluções..

  4. Curioso disse:

    A verdade é que a segurança em Natal não existe seja para Uber, Taxistas, motoristas, comerciantes, cidadãos e toda a população. A cidade é dominada pelos bandidos e fica por isso mesmo.

  5. Luciano disse:

    Queremos segurança para trabalhar cade as blitz da lei seca em toda região metropolitana

    • joao disse:

      Foram criticar um certo capitao porque ele trabalhava direito e prendia sem distincao de classe social… tiraram ele e a tal blitz ninguem vê mais. Esse é o problema da populaçao, gosta de impunidade.

    • Juca disse:

      Conversa sem compromisso com a verdade. A blitz lei seca continua, inclusive sendo publicada neste blog. A diferença que agora nem tem estrelismo, nem pm querendo se promover.

Publicidade

iPhone fica mais barato no Brasil; veja nova média de preço

O preço médio do iPhone caiu 8% no Brasil de acordo com levantamento do Zoom, site que compara valores e produtos. A pesquisa comparou os preços de 34 celulares da Apple no mercado nacional nos últimos três meses de 2016 e primeiro trimestre de 2017. No ano passado, a média dos smartphones à venda era de R$ 2.597. Agora, o valor teve queda de R$ 200, passando para R$ 2.397. Modelos mais recentes como iPhone 7 e iPhone 6 estão na lista de variação.

Segundo o Zoom, as variações acontecem principalmente por conta dos lançamentos de novos aparelhos, que provocam uma baixa natural nos preços de celulares antigos. Ao retirar o iPhone 7, smartphone lançado no país em novembro de 2016, da lista, a queda no valor médio de venda chega a 17%.

A maior diferença entre os preços foi identificada no iPhone 5S de 16 GB. Entre os mais buscados, o smartphone é o mais barato: R$ 1.389,99. Modelos top de linha, como o iPhone 7 e o iPhone 6, também apresentam variação. O celular mais recente com 32 GB já é vendido por R$ 3.079,12, mas o valor mais alto chega a R$ 3.699, segundo o Zoom.

Além do iPhone 5S, as principais diferenças entre os preços mais baixos e mais altos foram identificadas nos modelos iPhone 6 (16 GB), iPhone 7 Plus (32 GB) e iPhone 6S (16 GB). Já o smartphone da Apple mais caro, o 7 Plus (128 GB), está à venda por preços entre R$ 3.799,05 e R$ 4.499.

A pesquisa do Zoom pode ser um indicador interessante para quem está pensando em trocar de celular em 2017. Entretanto, vale lembrar que os preços médios são referentes a diversas lojas de varejo no Brasil e para encontrar o modelo mais barato é importante pesquisar e comparar valores e especificações.

Globo via Techtudo

Comentários (2) enviar comentário
  1. JCabral disse:

    Que coisa boa, agora todo trabalhador que recebe um salário mínimo terá condições de possuir um iphone.

  2. Ems disse:

    Uma pechincha !

Publicidade

Telegram, rival do WhatsApp, ganha ligações via internet

O app de mensagens Telegram, rival do WhatsApp, ganhou nesta semana um recurso que permite realizar chamadas de voz via internet gratuitamente.

Inicialmente, a novidade começa a funcionar na Europa Ocidental, mas será liberada para todos os usuários do aplicativo muito em breve, de acordo com comunicado no blog oficial da empresa. Atualmente, o Telegram tem mais de 100 milhões de usuários ativos.

Mantendo o compromisso da companhia de oferecer comunicação online de forma segura, as chamadas de voz pelo Telegram serão criptografadas.

Diferentemente do que acontece em outros aplicativos — que também oferecem codificação de dados –, você poderá garantir que a sua ligação é segura olhando para quatro emojis que aparecem na tela durante a conversa. Se eles forem os mesmos para as duas pessoas da chamada, a conversa é segura. Se ficou confuso, este vídeo ajuda a entender como funciona esse recurso.

O Telegram foi lento para oferecer as ligações via internet. O WhatsApp possui o recurso há dois anos e recentemente adicionou a possibilidade de fazer videochamadas com seus contatos. Fora isso, o WhatsApp também conta com o Status, uma espécie de Snapchat, como uma forma de comunicação adicional.

Uma novidade adicional ao lançamento das ligações no Telegram é que agora você poderá regular a qualidade dos vídeos que você envia aos seus contatos. Dessa forma, você garante que a pessoa verá as imagens da maneira que você quer. Quanto maior a qualidade da imagem, claro, maior será o gasto de internet móvel para enviar o vídeo.

Exame

enviar comentário
Publicidade

VÍDEO: Durante brincadeira, Youtuber mais famoso do Brasil, Whindersson Nunes pede namorada em casamento e viraliza

Foto: Whindersson Nunes (Foto: Reprodução/Instagram)

O YouTuber mais famoso do Brasil, Whindersson Nunes, pediu a namorada, Luísa Sonza, em casamento nesta quarta-feira (29). Após pouco mais de um ano de namoro, o casal decidiu juntar as escovas e anunciou o noivado para os fãs.

“Quando eu tinha lá meus 12 anos eu dobrava meus joelhos e pedia a Deus que protegesse meus pais nas estradas, que ele protegesse meus amigos e que eu não virasse uma pessoa ruim.. e no meio da oração eu abria um parêntese e pedia uma esposa. Uma pessoa com quem eu pudesse conversar qualquer coisa, universo, religião, família, a reprodução dos preás, qualquer coisa. Uma pessoa que além de conversar, me entendesse, me desse o carinho que eu preciso.. e que quisesse o carinho que eu tinha pra dar!”, escreveu ele.

A foto com Luísa já tem quase 900 mil curtidas e os fãs incentivaram o casal. A noiva também se declarou para Whindersson em seu perfil no Instagram.

“Deus me deu muito mais do que eu pedi, caprichou de um jeito especial que só Ele faz, mesmo sem merecer, mesmo sendo pecador, eu entendi que Deus tem sempre um plano pra nós!
A cada dia que eu acordo ao lado dela eu fico sem acreditar, às vezes eu acho que ela um dia vai tirar uma máscara e por baixo é o Luciano Huck dizendo que eu participando um novo quadro do caldeirão!”, acrescentou Whindersson.

O pedido de casamento foi gravado e postado no canal do YouTuber. Com 18 milhões de seguidores, o vídeo já tem quase 3 milhões de acessos.

“Ela sempre acorda olhando pra mim com felicidade por eu estar ali, um abraço demorado, o bom trabalho que ela me deseja me deixa feliz em trabalhar, nosso filminho em casa, nossas risadas fazendo faxina na casa, é isso que eu vivo a um ano, ela me faz feliz! E eu sei que não será a vida inteira assim, que as pessoas mudam, inclusive nos! Nós já mudamos muito, e que a gente continue mudando como tem mudado, pra melhor, entendendo e respeitando um ao outro! Um mês depois que te conheci demos nosso primeiro beijo, um mês depois do primeiro beijo te pedi em namoro, e depois te um ano de namoro te pedi em casamento! Minha única vida eu quero dividir com você! Amo você demais Luisa, vamos ser um só, e que Deus nos abençoe!”, declarou o YouTuber.

Assista ao vídeo abaixo:

Globo via Quem

Comentários (7) enviar comentário
  1. cabral disse:

    Quem são essas Loiras

  2. Eterno Vascaino disse:

    QUEM….DIABOS É WHINDERSSON NUNES NO JOGO DO BICHO ISSO É BRASIL………..

  3. Edu disse:

    Oh caba fei, se não fosse famoso e rico, essa galega não queria ele nem pintado de ouro kkkkkkk

  4. Thiago disse:

    Quem é ele?

    • Humilde Iconoclasta disse:

      É o mais novo ídolo dos seus filhos. Eu sei, estamos perdidos…

  5. zedetoim disse:

    Quem é a noiva dos 2?

  6. Antonio Dantas disse:

    FRESCURA, QUANDO FOR DAQUI ALGUNS DIAS SE SEPARAM.

Publicidade

Vereadores de cidade na PB aprovam homenagem para grupo de WhatsApp

Luciene de Fofinho tirou fotos com integrantes do grupo no dia da sessão  (Foto: Reprodução/Facebook)

A Câmara de Vereadores de Bayeux, cidade na Grande João Pessoa, aprovou na terça-feira (28) um voto de aplauso para um grupo do aplicativo WhatsApp. O requerimento, feito pela vereadora Luciene de Fofinho (PSB) para um grupo do qual ela faz parte, foi acatado pela casa, após justificativa de que os integrantes “respiram” a cidade.

Na mesma sessão, outro vereador pediu para estender a homenagem ao criador do aplicativo e também a Bill Gates – que seria o “inventor da internet”, segundo o parlamentar.

Durante a leitura da justificativa da matéria, a parlamentar municipal destacou que “todos os componentes do grupo de WhatsApp respiram Bayeux” e debatem a cidade. Usando o termo “zap zap” para se referir ao aplicativo, a vereadora ressaltou ainda que muitas reportagens sobre o município são originadas nas discussões registradas no grupo de troca de mensagens.

Na tribuna, Luciene de Fofinho explicou que chegou a ser mal interpretada por alguns colegas da casa, mas defendia a homenagem. “Venho prestando muita atenção para todos os componentes do grupo. Todos se preocupam muito com a cidade, por isso, achei-me no direito de privilegiá-los com um voto de aplauso. Sei que vou ser muito mal compreendida por alguns, mas sei que outros muitos que ficam online nos grupos de WhatsApp vão entender”, declarou.

Um outro vereador, Adriano do Táxi (PSL), ainda sobre o requerimento do voto de aplauso, explicou que a homenagem não deveria ser restringida apenas ao “Polêmica Bayeux”, mas ao criador do aplicativo e a Bill Gates. “Já que deu voto de aplauso ao grupo, a gente poderia apresentar um voto coletivo a quem inventou o Whatsapp, e a quem inventou a internet, que foi Bill Gates, e depois encaminhar para lá, para os Estados Unidos”, acrescentou.

G1/PB

Comentários (7) enviar comentário
  1. JC disse:

    P R E S E P A D A !

  2. EU disse:

    kkkkkkkkkkk, que tristeza!

  3. Wperes disse:

    Palhaçada, estão brincando de ser vereador, como se não tivessem coisa mais importante pra ser votada. UMA VERGONHA PRA BAYEUX, PRA JOÃO PESSOA E PARA O BRASIL.

  4. Flauberto Wagner disse:

    Um grande circo!!!

  5. roberto disse:

    Isso é a prova da incapacidade dos nossos políticos, em vez de se preocupar com assuntos relevantes ficam fazendo menção a fatos inúteis.

  6. Souza disse:

    Que ridículo! Que vergonha!

  7. escritor disse:

    Quanto custa ao povo esses vereadores?

Publicidade

“Selfie com fantasma” -(FOTO): Musa do SBT, Lívia Andrade faz live no Instagram e fã vê “espírito”

Livia Andrade não acreditou no que viu na madrugada desta quarta-feira (29) numa transmissão ao vivo pelo Instagram. Em um bate-papo com os fãs, ela foi alertada por uma seguidora de que havia uma pessoa ao fundo de onde ela falava.

“Eu não durmo, nem vocês! Estava eu fazendo uma live aqui, quando começaram a dizer que tinha uma pessoa atrás de mim no corredor, eu achei que era zoeira da galera só pra me assustar, mas a @erikaluccio conseguiu tirar um print e me mandou! Não foi uma aparição rápida porque várias pessoas viram, tipo… foi selfie com fantasma!”, explicou ela em post posteriormente.

A integrante do “Jogo dos Pontinhos” continuou: “Conclusão, TO COM MEDO. Não sei se conseguem ver, mas eu vejo um homem, cabeçudo por sinal, camisa branca de manga longa até os joelhos, pernas finas. Parece que segura algo preto nas mãos e está no batente da porta. Quando eu vejo algo, eu acho que vejo, acho que foi impressão, reflexo ou imaginação… mas quando isso é registrado e outras pessoas presenciam aí é pra tremer na base mesmo”.

Confira a imagem e tire suas próprias conclusões:

Lívia está há nove anos no “Programa Silvio Santos”, como participante fixa do “Jogo dos Pontinhos”. No SBT, fez as novelas “Corações Feridos” (2012) e “Carrossel” (2012-2013).

Começou sua carreira em 1997 na emissora, no extinto “Fantasia”. Em 2000, ganhou notoriedade ao lado de Sérgio Mallandro, em seu programa na TV Gazeta/CNT.

UOL

Comentários (5) enviar comentário
  1. Renatão disse:

    Era eu, vcs não sabiam?

  2. cabral disse:

    O Negão da Piroca$h do Wattsap

  3. Edu disse:

    Era o Patrão Sílvio Santos atrás dela kkkkkkk

  4. José disse:

    Era o Negão da Piroc@#$*& do WhatsApp

  5. Silvio disse:

    O Ricardão tem mesmo vários disfarces !!!!

Publicidade

Acidente, processos e assédio: o inferno astral do Uber piora

Acidente com carro do Uber no Arizona: a sucessão de problemas da companhia cresce a cada dia (Mark Beach/Reuters)

O inferno astral da empresa de transportes Uber foi parar no banco dos réus. Na segunda-feira 27, o Uber apresentou sua resposta a um processo aberto na Califórnia pela Wayo, a empresa de carros autônomos da Alphabet, dona também do Google. Nesta terça 28, o Uber entrou com um recurso para tentar forçar uma arbitragem o mais rápido possível. Mas a questão continua em aberto. A Waymo alega que um grupo de ex-executivos roubou propriedade intelectual relacionada a seus projetos e depois abriu uma startup, a Otto, comprada pelo Uber no ano passado por 680 milhões de dólares. A companhia pede até que o Uber não tenha acesso à tecnologia enquanto o processo está em andamento.

A questão foi aberta há um mês. A Waymo afirma que um ex-funcionário do Google, Anthony Levandowski, baixou 14.000 arquivos técnicos de seus servidores (cerca de 9,7 gigabytes) antes de se mandar para abrir a Otto, vendida seis meses depois. Hoje, Levandowski lidera a área de robótica do Uber.

Criar sua própria tecnologia para ensinar os carros a se guiar pelos ambientes urbanos de fato exige um investimento pesado. São milhares de sensores a laser sendo disparados a cada segundo para criar um mapa 3D da área, calcular o trajeto e detectar ciclistas, pedestres e qualquer obstáculo que pintar pelo caminho. Com a contratação de Levandowski, alega a Waymo, o Uber “evitou risco e cortou tempo e dinheiro no desenvolvimento de sua tecnologia”. O Uber diz que as acusações não têm sentido e tentam “reduzir a velocidade de um concorrente”. A decisão deve sair no dia 27 de abril.

Uma derrota será avassaladora para o Uber. De qualquer forma, até lá, o caso será mais uma nuvem negra no caminho da empresa que até muito pouco tempo era a mais incensada do Vale do Silício. Travis Kalanick, fundador do Uber, já afirmou reiteradas vezes que veículos autônomos são essenciais para o futuro da companhia. Substituir motoristas por softwares poderia permitir ao Uber cortar custos, oferecer viagens mais seguras e também driblar processos e problemas legais que vêm se avolumando mundo afora.

No Brasil, a empresa sofreu seu primeiro revés na Justiça em fevereiro deste ano, quando um juiz da 33ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte reconheceu vínculo empregatício entre a Uber no Brasil e um motorista, condenando a empresa a pagar cerca de 30.000 reais em horas extras, adicional noturno, restituição dos valores gastos com combustíveis e verbas rescisórias. A empresa vai recorrer da decisão, argumentando que a 37ª Vara da mesma cidade deu uma sentença exatamente oposta, negando vínculo empregatício solicitado por outro motorista.

O Uber sempre alegou que não emprega seus motoristas e que atua apenas como uma empresa de tecnologia que faz a intermediação e a conexão com os passageiros. A atuação da empresa sempre foi motivo de intensos debates no Brasil, e a pauta deve esquentar com a nova lei de terceirização aprovada na semana passada na Câmara e agora à espera do aval presidencial.

A insegurança jurídica vem trazendo problemas em outros países. Em outubro do ano passado, a empresa perdeu um processo em um tribunal de Londres, que determinou que dois motoristas da empresa tinham direito a um salário mínimo e férias.

A maré ruim começou logo no início do ano, quando o Uber conseguiu perder 500.000 usuários em apenas um fim de semana. O boicote que tomou as redes sociais com a hashtag “deleteuber” nasceu de uma reação ao veto do presidente americano Donald Trump contra imigrantes de países de maioria muçulmana. Na ocasião, os taxistas de Nova York organizaram um protesto em solidariedade aos imigrantes e suspenderam seus serviços no aeroporto JFK. Isso provocou um aumento no preço do serviço do Uber, que calcula a tarifa das corridas com base na demanda. A impressão geral foi que a empresa estava se aproveitando da situação.

Foi só o começo de uma série de problemas que prejudicaram a imagem da companhia. Em fevereiro, uma ex-engenheira do Uber, Susan Fowler, afirmou ter sofrido assédio sexual e sexismo durante seu tempo na empresa. Segundo Fowler, o RH ignorou suas denúncias contra o agressor, por ele ser um funcionário de “alto desempenho”.

Em resposta, Kalanick contratou um antigo procurador-geral dos EUA para liderar a investigação urgente. Dias depois, o jornal americano New York Times publicou uma reportagem que sugere que o caso de Fowler não foi isolado, e sim que faz parte da cultura da empresa. Sob a condição de anonimato, funcionários disseram ter presenciado um diretor gritar insultos homofóbicos a um subordinado, outro ameaçar bater na cabeça de um funcionário com um taco de beisebol e cenas de assédio sexual em retiro da empresa em Las Vegas.

Como se não bastasse, no final de fevereiro, o Uber perdeu mais um executivo. Amit Singhal, vice-presidente sênior de engenharia, deixou a empresa depois de ter sido revelado que ele havia saído de seu trabalho anterior no Google por acusações de assédio sexual.

Ainda em fevereiro, um vídeo publicado pela Bloomberg mostrou Kalanick dentro de um carro do Uber tendo uma discussão acalorada com o motorista sobre as tarifas do aplicativo. Em um e-mail para os funcionários, Kalanick pediu “profundas desculpas” e admitiu precisar “mudar como um líder e crescer”.

Os próprios carros autônomos também viraram fonte de problemas, e não só no processo aberto pelo Google. Na sexta-feira um carro autônomo do Uber se envolveu num acidente com outro veículo em Tempe, no Arizona. Ninguém ficou ferido, mas a companhia tirou seus carros autônomos das ruas do Arizona, e de outros dois estados onde estava fazendo testes.

Antes disso, a imagem da companhia ficou ainda pior, quando o New York Times revelou que o Uber não havia sido honesto sobre um incidente com um de seus carros autônomos que furou um farol vermelho quando um pedestre entrava na faixa para cruzar a rua, em dezembro do ano passado, em San Francisco. Na ocasião, a empresa afirmou ter se tratado de um “erro humano”, mas, segundo o jornal americano, a causa real foi uma falha no sistema responsável pela navegação autônoma do carro. O único “erro humano” teria sido do funcionário que falhou em reconhecer o erro do veículo e corrigi-lo a tempo.

São tantos reveses juntos que executivos do Vale do Silício têm dito que nunca viram uma maré ruim como esta. Em oito anos, Kalanick conseguiu captar 12,5 bilhões de dólares e transformar o Uber na maior empresa privada de tecnologia do planeta, com 70 bilhões de dólares de valor de mercado. O faturamento chegou a 5,5 bilhões de dólares, mas o lucro ainda não veio. Agora, Kalanich terá que mostrar que sua empresa pode dar a volta por cima – e finalmente chegar ao azul. Nem que, para isso, ele tenha que sair do caminho.

Exame

Comentários (9) enviar comentário
  1. Cleziano disse:

    Eu só queria que o Uber fosse regulamento no Brasil pra ver até qdo esses motoristas vão aguentar , eles não pagam nenhum imposto , assim fica fácil e quem determina essa bandeirada é a prefeitura , concordo qdo os taxistas precisam melhorar na aparência, educação, e nos veículos , mas eu já vi várias pessoas formadas serem mal educadas , iguinorante , em fim , temos em todas as profissões, infelizmente.

  2. Wendell disse:

    Falando de Brasil o UBER não é problema de jeito nenhum, pra muita gente tá virando desesperada forma de sobrevivência e pro usuário em geral, cidadão comum, foi, como disse no comentário anterior, uma das melhores coisas que já inventaram, andar por um preço de ônibus muitas vezes, num carro com ar condicionado e com alguém extremamente cuidadoso dirigindo… No mais esse assunto vai sempre ser como guerra de facções nas redes sociais… Táxi x UBER embora os dois lados nada mais sejam do que vítimas de um sistema errado num país atolado na lama… Falando novamente de Brasil, pois pra nós só interessa mesmo falar de nosso país nessa polêmica toda que a empresa UBER trás…

  3. Renato disse:

    Os motoristas Uber estão tão bem das pernas que precisam rodar pelo menos 10hrs/dia para compensar. Infelizmente é a realidade de hoje em dia, já não tem poucos carros como antes. Sem contar que os 25% em cima de cada viagem é absurda.

  4. Vilanir Gurgel disse:

    É cada figura que vejo dizendo que está no Uber.
    Pra mim, quem ta sem rumo na vida quer ser uber.
    Só pode dar errado.

  5. Jose carlos souto de Freitas disse:

    A uber é uma piada, com tempo perde a graça. Só que vai deixar um prejuízo monstruoso para todos os taxistas do Brasil.

  6. Curioso disse:

    Eu já penso totalmente contrário. A UBER veio para modernizar o atendimento ao cliente e cobrando um preço justo.

    • Ze disse:

      Motorista de uber geralmente é atencioso e não reclama quando a corrida é curta, ao contrário dos taxistas que só faltavam matar o cliente quando a corrida não compensava para eles. Viva a livre concorrência.

  7. TX de verdade disse:

    Interessante se a uber não dá lucro pra empresa imagine pra esses motoriscravo que anda de graça pra essa sociedade hipócrita . Eles tem que voltar pra escola aprender matemática fazer as contas aí depois vão se escraviza . Felizes com pão que diabo amassou.

    • João Amâncio disse:

      Ou o senhor é Taxista, ou tem um familiar ou próximo taxista, pq na normalidade só esse tipo que é contra Uber.

      Taxistas, passaram toda a vida no mesmo modelo de negocio, tratando pessimamente o cliente (salve algumas exceções) se confiando no monopólio do serviço, ai agora pq tem um concorrente de peso, com modelo de negocio moderno e muito bom atendimento a preço justo, ficam revoltados, achando bom pagar uma nota todo mês ao dono da frota e ainda chama os Ubers de escravos… BRASILLLL

Publicidade