Com arsenal em casa, agente penitenciário em surto agride mulher e mata policial

Um policial morreu em trabalho após ser baleado por um homem que seria agente penitenciário e, no momento do incidente, estaria em surto psicótico. O caso ocorreu na madrugada de sábado (20) em Itirapina, no interior de São Paulo.

Segundo a Polícia Militar, Julio de Almeida, de 40 anos, e outros policiais foram chamados para uma ocorrência de discussão familiar entre Marcos da Silva e sua mulher.

Além dela, o agente também teria agredido a filha com uma arma de pressão, e quando a polícia chegou houve troca de tiros.

Durante o confronto, Almeida foi atingido no rosto e encaminhado ao Pronto Socorro de Itirapina, mas não resistiu aos ferimentos. Silva também foi levado ao hospital, mas também morreu.

Na casa do atirador teria sido encontrado um arsenal, e entre as armas foi apreendida uma carabina de calibre 44.

Houve um cortejo com honras militares na Avenida 9 de Julho, na zona sul da capital paulista, na manhã deste domingo (21) e também o sepultamento do corpo do sargento. Policiais militares de São Paulo também realizaram uma homenagem em lembrança ao oficial.

IG

Publicidade

Comentários: