“Eu enquadrei ele, ele tentou reação e eu passei o rodo”, diz adolescente, que confessou ter matado vigilante do IFRN

Reportagem do G1-RN nesta quarta-feira(12) choca pela frieza do “de menor”. A Polícia Civil conseguiu identificar e deteve um adolescente de 17 anos apontado como autor da morte do vigilante do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), Cabral Neto, na cidade de Apodi. O crime aconteceu na manhã dessa terça-feira (11) e, nesta quarta-feira (12), o adolescente confessou a autoria.  “Eu enquadrei ele, ele tentou reação e eu passei o rodo”, disse em depoimento.

Veja detalhes da reportagem aqui

Publicidade

Comentários:

  1. Walter disse:

    As leis não mudam porque os políticos só ficam se defendendo dos roubos que praticaram

  2. Alldo disse:

    Se fosse da minha família esse marginal ia ver o que eu ia fazer com o cabo do rodo, antes de ser enquadrado.

  3. MB disse:

    Os marginais não respeitam os direitos humanos dos trabalhadores, pais de família, mas nós temos que respeitar os deles? Por quê ?

  4. Cesar B. disse:

    É um ABSURDO a lei proteger um marginal como esse, a pena para esse delinquente deveria ser a prisão perpétua. A sociedade ainda tem que aguentar ver OS DIREITOS HUMANOS defendendo esse tipo de marginal. VERGONHA.

  5. Luciana Morais Gama disse:

    Amanhã tá solto, e pronto pra matar outro.

  6. Helio Motta disse:

    Se esse vigilante tiver família, esse vagabundo ia ver a cor do rodo bem ligeirinho…

  7. ANA BEATRIZ disse:

    Isso é revoltante. Esses adolescentes são infinitamente piores que os adultos. Vejam o depoimento dele, quanta frieza, meu Deus. Essas leis têm que mudar. As pessoas têm que pagar pelos seus erros. Esse marginal adolescente ceifou uma vida por banalidade, destruiu uma família, causando-lhe uma dor sem fim, uma revolta eterna. Onde vamos parar?