Flamengo perde amistoso de virada para o Santa Cruz no Recife

O Flamengo encerrou o seu giro pelo Nordeste na pré-temporada sem sequer uma vitória. Após empate com o Ceará e derrota nos pênaltis, o time carioca foi batido por 3 a 1 pelo Santa Cruz, neste domingo (24), no Arruda, em amistoso que valeu ao time pernambucano a conquista simbólica da Taça Chico Sciense.

Além disso, o técnico Muricy Ramalho deverá voltar ao Rio preocupado com o rendimento do seu sistema defensivo. Afinal, em dois amistosos, o time sofreu seis gols – empatou por 3 a 3 com o Ceará na última quinta-feira (21).

E a próxima semana para o Flamengo será de estreias. Na quarta-feira (27), o time dirigido por Muricy vai enfrentar o Atlético Mineiro, pela Copa Sul-Minas-Rio. Depois, no sábado (30), a equipe iniciará a sua participação no Campeonato Carioca diante do Boavista, no Edson Passos.

O jogo
Em duelo disputado sob forte calor, o que afetou o nível do confronto, Flamengo e Santa Cruz até fizeram um duelo bastante equilibrado no primeiro tempo, dominado pela equipe carioca, mas não mantiveram o ritmo na etapa final, quando os times foram completamente alterados e os pernambucanos se deram melhor.

O Flamengo iniciou o jogo contra o Santa Cruz com uma mudança em relação ao time escalado diante do Ceará, na última quinta-feira com a entrada de Alex Muralha, que falhou no terceiro gol do adversário, na vaga antes ocupada por Paulo Victor.

Assim, o time foi escalado com: Alex Muralha; Rodinei, Wallace, Juan e Jorge; Márcio Araújo, William Arão e Everton; Gabriel, Emerson Sheik e Paolo Guerrero. E o pontapé inicial do jogo foi dado pelo ex-centroavante Nunes, que teve passagens marcantes com a camisa dos dois times.

Com o campo do Arruda aparentemente castigado do Arruda, os times erraram vários passes no começo do duelo. Mas, já desde o início, o duelo foi do Flamengo, que conseguiu uma série de escanteios no começo. Só que a primeira chance diante do acuado Santa Cruz surgiu em uma jogada com a bola no chão, aos 11 minutos, quando após Gabriel ganhar disputa na intermediária, Everton chutou forte, para fora.

Logo depois, aos 16, Alemão quase marcou contra ao tentar cortar cruzamento de Jorge. E os rápidos Gabriel e Everton voltaram a assustar aos 19, em um rápido contra-ataque, quando Tiago Cardoso fez ótima defesa após finalização de Everton.

E o Flamengo abriu o placar aos 22 minutos, quando Guerrero deu belo passe para Arão, que entrou na área e chutou. Tiago Cardoso espalmou, mas o volante concluiu para a rede no rebote. O segundo gol do Flamengo quase saiu em nova jogada de Guerrero, aos 30. Dessa vez, ele cruzou para Sheik finalizar. Everton apareceu no meio e desviou a bola, que tocou na trave.

A partir daí, o Santa Cruz reagiu. Aos 31, Muralha fez sua primeira intervenção difícil pelo Flamengo, com o pé, defendendo um chute rasteiro de Raniel, após cruzamento de Lelê. Aos 43 minutos, porém, não teve jeito. Após ser derrubado na grande área por Juan, Grafite converteu a cobrança de pênalti, levando o primeiro tempo a terminar empatado em 1 a 1.

No intervalo, o Santa Cruz promoveu sete mudanças – faria outras quatro no restante do jogo -, enquanto o Flamengo só manteve Alex Muralha em campo. Entraram Pará, Cesar Martins, Antonio Carlos, Chiquinhos, Jonas, Jajá, Canteros, Alan Patrick, Mancuello e Douglas Baggio.

E quem acabou se dando melhor com os suplentes foi o Santa Cruz, que conseguiu a virada aos sete minutos, após Jonas perder a bola na intermediária. O time da casa avançou em velocidade e Keno finalizou, acertando a trave. Mas o rebote ficou com João Paulo, um dos poucos titulares que voltaram para o segundo tempo – depois seria substituído -, que tocou para as redes.

Durante a etapa final, Muricy fez mais uma mudança no Flamengo – a entrada de Thiago Santos. De qualquer modo, o time esteve longe de repetir o bom desempenho do primeiro tempo e acabou deixando o jogo sob o controle do Santa Cruz, que também não criou muitas chances de gol.

Em busca do empate, o Flamengo errou demais no setor ofensivo, incluindo o badalado reforço Mancuello, e praticamente não ameaçou o Santa Cruz. Além disso, os jogadores parecem ter sentido os efeitos do forte calor no Recife.

E o Santa Cruz ainda marcou o seu terceiro gol nos acréscimos, se aproveitando de falha dos defensores e do goleiro Alex Muralha. Aos 46 minutos, Wallyson cruzou rasteiro, ninguém cortou e Arthur bateu rasteiro, com Muralha deixando a bola passar. Assim, o duelo terminou com a vitória do Santa Cruz, que ficou com o simbólico título da Taça Chico Sciense.

AE

Publicidade

Comentários:

  1. charles disse:

    Veio só levar peia no Nordeste. kkkkkk