Fórmula 1 muda texto de regra e pode ter mais punições na temporada 2016

A Fórmula 1 promete punir com mais vigor os pilotos que saírem da pista para obter vantagem na temporada de 2016, que começa com o GP da Austrália no próximo final de semana. Uma alteração no regulamento técnico deve eliminar uma área que gerava discordância e pode causar um aumento no número de punições.

Uma das prioridades da Federação Internacional de Automobilismo nos últimos anos tem sido assegurar que os pilotos não deixem a pista sem necessidade. Isso tem acontecido com mais frequência nos últimos anos com a substituição das áreas de escape com brita pelo asfalto. Apesar de mais seguro, ele acaba permitindo que os pilotos ganhem tempo ao deixarem a área que delimita a pista.

O problema da regra antiga era sua imprecisão em relação ao que se configurava em “ganhar vantagem ao sair da pista”. No regulamento de 2016, o novo texto diz que “os pilotos devem fazer todo o esforço razoável para usar a pista em todos os momentos e não podem deixá-la deliberadamente ou sem uma razão justificável. Os pilotos serão julgados caso nenhuma parte do carro continue em contato com a pista”. A regra segue dizendo ainda que é considerada parte da pista tudo o que estiver entre as duas linhas brancas, “o que não inclui a zebra”.

Caso os comissários entendam que o piloto descumpriu as regras, eles podem desde apenas deletar o tempo de volta, até impor uma passagem pelos boxes.

Por diversas vezes especialmente nos últimos dois anos, tempos foram deletados de classificações devido a saídas dos limites de pista. Porém, durante as corridas, tal regra sempre causou muita discussão porque, em disputas de posição, os pilotos sempre reclamam que só saíram da pista porque o rival não deu opção. Outro problema é a dificuldade de se controlar os 22 carros ao mesmo tempo.

O número de punições vem subindo a cada temporada. Contabilizando apenas as penas dadas por infrações cometidas pelos pilotos, foram 23 no total em 2011 e 52 ano passado. Com a nova regra, a tendência é que o número suba ainda mais.

O excesso de punições tem gerado críticas dos pilotos. “Essas decisões precisam fazer mais sentido. Não vejo essas coisas no Mundial de Endurance ou na MotoGP, que são categorias muito mais divertidas do que a nossa”, reclamou Fernando Alonso.

UOL

Publicidade

Comentários: