Publicidade

[CASO YOKI] Terapeuta diz que Elize tinha indícios de psicopatia

Em depoimento à polícia, uma psicóloga, que atendeu o casal Matsunaga, disse que Elize tem indícios de “psicopatia, uma perversão e uma fantasia persecutória”. A profissional atendeu aos dois nos meses que antecederam o crime.

A bacharel em direito está presa desde o dia 5 de junho, por matar e esquartejar o marido, com quem teve uma filha. Ela transportou os pedaços do corpo em malas e os desovou em diferentes pontos da região de Cotia, na Grande São Paulo.

No depoimento à polícia, obtido pela revista Época, a psicóloga revela como Elize estava nos dias que antecederam o crime e dificulta a sua defesa. O advogado dela, Luciano Santoro, ainda tentou retirar o testemunho dos autos do processo, mas a Justiça negou o pedido. Ele disse que o inquérito sobre o caso já havia sido encerrado quando a psicóloga foi ouvida.

Segundo a psicóloga, o casal Matsunaga a procurou no dia 14 de março deste ano. Elize disse à profissional que os problemas do casal começaram após o nascimento da filha deles, em abril de 2011. Elize disse que não conseguia dormir direito e ficava irritada. Nessa época, começou a tomar remédios para dormir. O sono melhorou, mas a irritação permaneceu. A psicóloga contou que o casal brigava com frequência, por vários motivos. Sempre muito nervosa e irritada, Elize teria agredido o marido, Marcos Matsunaga, fisicamente e com palavras.

Segundo a reportagem da revista Época, a terapeuta contou ainda como Elize reagiu a duas supostas traições do marido. A primeira ela teria perdoado. Essa teria sido com uma funcionária do grupo Yoki, que ela teria descoberto ao entrar no e-mail de Marcos, em 2010 (as investigações não comprovam se essa traição realmente existiu).

Nas sessões de terapia, não foi mencionada a relação de Marcos com a garota de programa Nathália Lima. A psicóloga só ficou sabendo do episódio quando Elize ligou para ela, no dia 21 de maio, dois dias depois de matar Marcos. Ela contou que havia aproveitado uma viagem ao Paraná para contratar um detetive e seguir o marido. Na volta, o homem mostrou fotos de Marcos com “uma morena”.

Durante esse telefonema, Elize mentiu para a terapeuta. Disse que Marcos havia “saído de casa, levando uma muda de roupa e uma grande quantidade de dinheiro”. A terapeuta pediu que Elize fosse ao consultório devido ao seu estado emocional. Elize recusou a sugestão e desmarcou a consulta do dia seguinte porque “o casamento havia acabado”.

A psicóloga descobriu pela imprensa que a ex-paciente havia matado o marido. Com o assassinato, a terapeuta confirmou o que já havia notado nas consultas que realizara: “O psicodiagnóstico de uma personalidade que apresenta indícios de psicopatia, uma perversão, e uma fantasia persecutória [mania de perseguição]”.

Bloqueio de contas

O Ministério Público de São Paulo vai pedir o bloqueio das contas bancárias de Elize Matsunaga no Brasil e no Exterior — individuais e conjuntas. Uma reportagem da revista Isto É revela que a Justiça já autorizou a quebra de seu sigilo. Segundo o promotor de Justiça José Carlos Cosenzo, o MP quer investigar a coautoria do crime.

—Queremos saber de quem ela recebeu ajuda intelectual para os atos posteriores ao assassinato. Tenho a percepção de que é possível a coautoria na desova do corpo e no envio de e-mails falsos em nome do marido morto.

Fonte: R7

enviar comentário
Publicidade

Programa garante mais de 14 mil reconhecimentos de paternidade no país

O programa Pai Presente, coordenado pela Corregedoria Nacional de Justiça, possibilitou o reconhecimento espontâneo de paternidade a mais de 14,5 mil pessoas que não possuíam o nome do pai na certidão de nascimento. A iniciativa, realizada em parceria com os Tribunais de Justiça de todo o país, busca fomentar esse tipo de procedimento e estimular os pais que não registraram seus filhos na época do nascimento a assumirem essa responsabilidade, mesmo que tardiamente.

Desde que o programa teve início, em agosto de 2010, mais de 18,6 mil audiências foram realizadas em todo o Brasil na tentativa de garantir o reconhecimento espontâneo de paternidade. Os dados são referentes ao trabalho desenvolvido por 19 Tribunais de Justiça que enviaram à Corregedoria Nacional o resultado parcial alcançado.

Além dos casos em que o pai reconheceu de forma voluntária a responsabilidade, outras 23 mil ações judiciais de investigação de paternidade foram abertas e quase 12 mil exames de DNA foram realizados na tentativa de assegurar o direito dos filhos.

O programa Pai Presente foi consolidado a partir do Provimento 12, publicado em agosto de 2010 pela Corregedoria Nacional de Justiça. O documento estabeleceu um conjunto de medidas a serem adotadas pelos juízes com o objetivo de identificar os pais e garantir o registro. Desde então, os tribunais notificaram mais de 150 mil mães na tentativa de chegar ao suposto pai e dar início ao procedimento. Estima-se que cerca de 5,5 milhões de estudantes brasileiros não possuam o nome do pai na certidão de nascimento, segundo dados do Censo Escolar 2011.

Campanha – Com o objetivo de mudar esse quadro e reduzir o número de pessoas no Brasil sem o nome do pai na certidão, o CNJ lançou no último mês uma campanha em rádios, televisões e jornais de todo o Brasil. As peças buscam orientar mães, pais e filhos sobre a importância e a facilidade de realizar o registro, ainda que tardiamente.

Em fevereiro deste ano, a corregedora nacional de Justiça, ministra Eliana Calmon, publicou o Provimento 16, que facilitou o procedimento. O provimento permite às mães dar entrada no pedido de reconhecimento de paternidade em qualquer um dos 7.441 cartórios com competência para realizar o registro civil no país. O mesmo caminho pode ser feito pelo pai que desejar espontaneamente fazer o registro do seu filho. O procedimento é gratuito.

A medida facilitou a vida de pessoas que moram em cidades onde não há varas ou postos de atendimento do Ministério Público, que antes precisavam se deslocar até a sede da comarca para iniciar um processo de investigação de paternidade. A campanha tem como objetivo informar a população sobre essa facilidade, mostrando a importância do registro para a vida e a formação dos filhos, sejam eles crianças, adolescentes ou maiores de 18 anos. Além do valor afetivo, o reconhecimento paterno assegura direitos legais, como recebimento de pensão alimentícia e participação na herança.

A padronização de regras é resultado de uma parceria entre a Corregedoria Nacional de Justiça, a Associação dos Registradores das Pessoas Naturais (Arpen) e a Anoreg. Na página do Conselho Nacional de Justiça está disponível um mapa em que pais e mães podem encontrar o cartório de registro civil mais próximo de sua localidade (www.cnj.jus.br/corregedoria/registrocivil).

Mariana Braga
Agência CNJ de Notícias

enviar comentário
Publicidade

Alunos da UFRN terão bolsas de auxílios creche, óculos e atleta

Com o objetivo de consolidar a política de assistência estudantil, a Pró-reitoria de Assuntos Estudantis (PROAE) abre inscrição na próxima segunda-feira, 13, para processos seletivos de bolsas de auxílios creche, óculos e atleta, destinadas aos alunos da graduação, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

O auxílio-creche destina-se aos alunos de graduação presencial que apresentem situação de vulnerabilidade socioeconômica, com guarda e responsabilidade legal de crianças com idade de 0 a 6 anos.

Essa bolsa, no valor de R$ 100, será concedida a 200 alunos, com vigência semestral, prorrogável por mais seis meses. A concessão do auxílio beneficiará somente um dos pais ou responsável legal, mesmo que ambos sejam alunos de graduação na UFRN.

O auxílio-atleta deverá atender os estudantes de graduação que estejam em plena atividade esportiva e que também atendam aos critérios socioeconômicos estabelecidos em resolução do Conselho de Administração (CONSAD).

Um dos critérios exigidos é a vinculação em federação estadual, filiada à respectiva confederação, reconhecida pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB).

O aluno receberá bolsa no valor de R$ 350 mensais, no período de agosto a dezembro de 2012, dependendo a renovação do benefício de um novo processo seletivo.

Serão oferecidos 10 auxílios, nas modalidades de Atletismo, Karatê, Judô, Natação e Xadrez.

A concessão do auxílio-óculos segue alguns dos critérios dos auxílios anteriores, como a comprovação da situação de vulnerabilidade econômica, tendo como um dos objetivos minimizar os efeitos das desigualdades sociais e regionais e favorecer a permanência dos estudantes na Instituição, até a conclusão dos respectivos cursos.

Esse auxílio, que beneficiará 150 alunos, será no valor de R$ 200 e poderá ser solicitado levando em consideração a periodicidade mínima de 12 meses.

As inscrições para participar dos processos seletivos para os três auxílios estarão abertas até o dia 24 de agosto, na Coordenadoria de Apoio Pedagógico e Ações de Permanência, da Pró-reitoria de Assuntos Estudantis, no horário de 8 às 12 e das 14 às 18h, ou através do preenchimento do cadastro único, disponível no site WWW.proae.ufrn.br.

Os editais (Auxílio-creche, Auxílio-óculos e Auxílio-atleta) estão publicados nos sites da PROAE(WWW.proae.ufrn.br), no Sigaa e nos quadros de aviso do Departamento de Serviço Social da PROAE(Prédio da Reitoria).

Fonte: Agecom

enviar comentário
Publicidade

Homem faz piada no Facebook no dia que é preso por matar adolescente

Um homem foi condenado à prisão por matar uma jovem e ainda fazer piadas no Facebook sobre o julgamento. Matthew Norcott, de 27 anos, dirigia sob efeito de drogas e, ao dormir no volante, perdeu o controle do carro e bateu em uma barreira, matando a jovem Lara Smith, de 17 anos, que estava com ele no carro. No dia que antecedeu o seu julgamento, o rapaz publicou uma piada em seu mural dizendo que sempre conseguiu se safar de situações impossíveis.

Na mensagem, Norcott destacou que aquele seria “o dia mais rei de todos” em que se meteu em confusão, mas acabou saindo dela sem maiores problemas. Desta vez, porém, ele não escapou. Ele foi condenado a passar sete anos na cadeia após ser preso em flagrante, com 13 tabletes de ecstasy. O rapaz admitiu em seu depoimento que estava sob efeito das drogas no momento do acidente.

Durante o julgamento, a postura de Norcott foi bem diferente do que ele demonstrou nas redes sociais. Se dias após o acidente ele publicou fotos dos exames que fez, se gabou por estar muito bem e não pareceu estar ligando muito para o fato de ter sido responsável pela morte de uma pessoa, na corte o rapaz afirmou estar “arrependido”. Mas isso não adiantou muita coisa. “Nenhuma sentença poderia substituir uma vida, cujo valor é imensurável”, criticou o juiz.

Norcott e a vítima eram amigos e estavam no mesmo carro quando voltavam de uma festa na cidade britânica de Bristol e se encaminhavam para um evento em outra cidade, Hertfordshire. De acordo com o advogado de Norcott, o rapaz estaria levantando uma quantia em dinheiro em memória da adolescente.

Via Daily Mail

enviar comentário
Publicidade

Próximos leilões de telefonia celular deverão incluir obrigações de cobertura em estradas

Os próximos leilões que serão realizados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para destinar frequências para a tecnologia de quarta geração de telefonia móvel (4G) deverão conter obrigações para as empresas ampliarem a cobertura em estradas.

“Estamos analisando para os próximos editais de espectro da Anatel, vamos precisar ampliar a cobertura. Uma proposta inicial é que todas as principais estradas brasileiras também tenham sinal de celular, para reforçar um pouco a relação de melhoria de sinal e cobertura no país”, explicou o presidente da agência, João Rezende.

Atualmente, as empresas de telefonia só têm obrigação de cobrir 80% da área urbana dos municípios, por isso, algumas regiões ficam sem cobertura de sinal de telefonia celular. “Nós não temos a obrigação, nas outorgas, de cobrir aquilo que estiver fora desses 80% das áreas. Não há, na legislação e nas obrigações de outorga, exigência de cobertura em estradas”, explica o diretor executivo do Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil), Eduardo Levy.

A ampliação da cobertura não será imposta às empresas que já venceram o primeiro leilão de frequências para o 4G, realizado em junho pela Anatel. Para os novos leilões, segundo Rezende, será preciso um acordo com o Ministério das Comunicações para a liberação da faixa de 700 mega-hertz (MHz), atualmente utilizada pelas emissoras de televisão abertas. A faixa deve ser liberada até 2016, com a migração das emissoras para o sinal digital.

Nesta semana, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, disse que o governo quer fazer o leilão de 700 MHz em 2013. Ele explicou que o leilão poderá destinar faixas que ainda estão sendo utilizadas pelas emissoras de televisão, mas os vencedores só poderão usar a frequência depois que ela estiver desocupada.

A Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) considerou preocupante a intenção de antecipar o leilão da faixa de 700 MHz para a telefonia celular. “Alertamos que a medida pode comprometer o acesso de uma grande parcela da população ao sinal dos canais de televisão aberta que chegam a 96% dos domicílios brasileiros, com conteúdo livre e gratuito”, disse a entidade, em nota.

 

Fonte: Agência Brasil

enviar comentário
Publicidade

[ENEM] Aluno branco de escola privada tem nota 21% maior que negro da rede pública

Recorte inédito de dados de desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2010 nas capitais do País, além de confirmar a distância entre as notas médias dos estudantes de colégios particulares e os de escolas públicas, revela o abismo que separa estudantes brancos e negros das duas redes.

Os números mostram que as notas tiradas pelos alunos brancos de escolas particulares no exame são, em média, 21% superiores às dos negros da rede pública – acima da diferença de 17% entre as notas gerais, independentemente da cor da pele, dos estudantes da rede privada e os da rede pública.

 O levantamento também aponta distorções entre os Estados. De acordo com especialistas, esse cenário é o reflexo da desigualdade social e também da diferença dos níveis de qualidade das redes estaduais.

 A reserva de vagas por cor de pele está na Lei de Cotas aprovada no Senado na semana passada (mais informações nesta página). O projeto, que precisa ser sancionado pela presidente Dilma Rousseff, prevê que 50% das vagas das universidade federais sejam reservadas para alunos da escola pública – respeitando critérios de renda e reservas proporcionais por Estado para pretos, pardos e indígenas.

 Como a maioria das federais adota o Enem como critério de seleção, o levantamento indica um cenário aproximado sob a nova Lei das Cotas.

 Vantagem da escola paga. Por sua vez, a nota média de negros que estudam em escola privada é 15% superior às dos negros da rede pública – próxima dos 17% entre todos os estudantes da rede particular e da rede pública.

 Embora em menor dimensão, a variação de desempenho entre negros e brancos dentro da escola pública também é desvantajosa para o primeiro grupo. Na média, os brancos têm médias 3% maiores que os negros. O fato de os negros terem rendimento menor do que os brancos, mesmo dentro da rede pública, tem explicações econômicas e pedagógicas, segundo a diretora do Todos Pela Educação, Priscila Cruz.

 Na questão econômica, segundo ela, a explicação é que “entre os pobres, os negros são os mais pobres”. O lado pedagógico refletiria a baixa expectativa. “Em uma sala de aula, se uma criança negra começa a apresentar dificuldade, a professora desiste de ensiná-la muito mais rapidamente do que desistiria de um estudante branco.”

 O presidente do Conselho Nacional de Educação (CNE), José Fernandes Lima, ressalta que há um “acúmulo de desigualdades”. “Fica claro que temos dois tipos de desigualdade: a social e racial. É a soma de dificuldades”, afirma ele, que defende a combinação do fator racial com a cota cujo princípio é a escola pública. “Se os alunos da escola pública entram em desvantagem com a rede privada, os alunos negros da escola pública têm uma desvantagem ainda maior.”

 Abismos. Segundo Lima, há outros fatores importantes para entender os dados, como a qualidade das redes públicas – principalmente estaduais -, índices de reprovação e até realidades culturais locais.

 Essa complexidade de fatores fica clara ao analisar os dados por capitais. O mapa do desempenho pelo fator racial mostra verdadeiros abismos. O negro de Belo Horizonte que estuda em escola pública, por exemplo, tem nota 12% superior à do negro da mesma rede em Manaus. As duas cidades têm os extremos de notas desse grupo: 521,03 e 463,85, respectivamente.

 Vitória, capital capixaba, tem uma média de 502,59 nas provas objetivas (sem a redação) dos estudantes negros, a sexta maior entre as capitais. Mas na comparação com os alunos brancos de escolas particulares, a diferença é a maior de todas: os brancos da rede privada têm média 27% superior à dos negros das públicas.

 Não por acaso, os negros de escolas públicas de Vitória têm o pior desempenho na comparação com os brancos da mesma rede: nota 8% inferior, demonstrando que as diferenças raciais se reforçam até na mesma realidade escolar daquele Estado. Os negros das escolas particulares não têm o mesmo sucesso em notas que os brancos da mesma rede.

 A proporção de negros por Estado, que vai servir como critério para a reserva de vagas nas universidades e escolas técnicas federais, influencia as médias. Salvador, por exemplo, tem uma das maiores proporções de negros na sua população. Apesar da participação maciça desse grupo na escola pública, a diferença de nota para os brancos de escolas privadas bate em 25% – só perde para Vitória.

 Textos. Em geral, as diferenças de desempenho entre negros e brancos sempre são menores nas notas das redações. Em Florianópolis, considerando a parte objetiva do Enem, há uma distância de 20% entre a nota média de negros de escolas públicas e a de brancos das particulares. Na redação, essa diferença cai para 8%.

 Segundo o professor Francisco Platão Savioli, da USP e do Anglo, a explicação envolve os tipos de competências que a redação consegue avaliar. “A redação não mede um conhecimento momentâneo, mas um conhecimento calcado na experiência de vida, até mesmo na luta contra as contrariedades”, diz ele. “O texto avalia competências que outras matérias não avaliam.”

Fonte: Estadão

enviar comentário
Publicidade

Ministro do STF chama jornalista de "filho da puta"

O repórter Ricardo Noblat encontrou-se com o ministro Dias Tóffoli, do STF, numa festa brasiliense. Cumprimentou-o na entrada e na saída. Quando se encaminhava na direção do portão da casa que sediou o evento, Noblat foi surpreendido com expressões pouco lisonjeiras. Expressando-se em timbre acima do normal, Tóffoli dedicou-lhe palavras de calão raso.

O repórter deu meia-volta. Postou-se no terraço da residência. Dali, escutou com mais clareza a voz que vinha da sala. Sem saber que era escutado, Tóffoli pespegou em seu alvo palavras que não ornam com a toga de magistrado do Supremo. Noblat reproduziu em seu blog parte do que ouviu.

“Esse rapaz é um canalha, um filho da puta”, declarou o ministro. Na conta do repórter, Tóffoli repisou o “filho da puta” cinco vezes. “Ele só fala mal de mim”, prosseguiu o ministro. “Quero que ele se foda”. Segundo o relato de Noblat, o destempero verbal do magistrado durou cinco minutos.

A alturas tantas, Tóffoli declarou: “O Zé Dirceu escreve no blog dele. Pois outro dia, esse canalha o criticou. Não gostei de tê-lo encontrado aqui. Não gostei.” Levou seu desgosto às fronteiras do paroxismo: “Chupa! Minha pica é doce.”

Amigo e ex-assessor de Dirceu, Tóffoli esquivou-se de tomar distância do julgamento do mensalão –um processo no qual o ex-chefe da Casa Civil de Lula é acusado de “chefe de quadrilha”. Noblat suspeita que os xingamentos decorram de um comentário em que fez ressalvas à isenção do ministro para atuar no caso.

Fonte: Blog do Josias de Souza

enviar comentário
Publicidade

Deputado João Maia é assaltado por dupla no interior do Estado

Por volta das 10h de hoje, o deputado João Maia acompanhado de dois familiares e do motorista foi assaltado por uma dupla armada. O fato ocorreu em uma estrada carroçável próxima a uma propriedade do político localizada há 15 km do centro de Jardim de Piranhas.

Informações que chegaram até o blog do BG dão conta que os bandidos fingiram estar com o carro quebrado e pediram ajuda às vítimas, e logo depois anunciaram o assalto. A dupla levou dinheiro dos ocupantes do veículo. Apesar do constrangimento, não houve violência física e todos passam bem.

enviar comentário
  1. caio fábio disse:

    Já dizia o velho ditado, Ladrão…

Publicidade

Polícia registra homicídio contra grávida nas Quintas

Na noite de ontem por volta das 23h, o Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (CIOSP) acionou as guarnições para uma ocorrência na Rua Rio Potengi, Quintas. A ocorrência se tratava de um homicídio, e a vítima foi J.F.G. de 29 anos, que estava grávida de três meses.

Policiais do 9º BPM e do BPCHOQUE foram encaminhados ao local pelo CIOSP por ter sido solicitado por populares em decorrência de um tiroteio na Rua Potengi. Depois, as equipes fizeram diligências nas imediações do mangue na busca por três ou quatro homens.

O local das diligências se deu a partir de informações prévias de populares e CIOSP que informaram sobre a fuga dos acusados.

Após algum tempo fazendo varredura no local indicado por populares, as guarnições se depararam com o cidadão infrator conhecido por “Pinheirinho”. O suspeito reagiu a voz de prisão efetuando disparos de arma de fogo contra os policiais. Na troca de tiros Pinheirinho foi alvejado e, mesmo tendo sido socorrido, veio a óbito quando deu entrada no hospital Clóvis Sarinho.

Com ele foi encontrado um revólver calibre .38 com capacidade para cinco munições (todas deflagradas) e uma arma calibre 12 de fabricação caseira.

As informações de populares apontam Pinheirinho como autor dos disparos que fez vítima a senhora grávida.

Durante o confronto inevitável com o traficante da região Pinheirinho, o mesmo foi alvejado, e embora tenha sido prontamente socorrido pelas equipes da PM, o acusado veio a óbito no Hospital Clovis Sarinho.

A Polícia Militar realizou o isolamento do local para perícia do ITEP e investigação por parte do Delegado de Plantão. Após a Perícia do ITEP as guarnições deslocaram-se para a DP Plantão Zona Norte, onde apresentaram o armamento apreendido no local do crime.

Fonte: Tribuna do Norte

enviar comentário
Publicidade

[MENSALÃO]: STF quer acelerar publicação de sentenças

Os ministros do Supremo Tribunal Federal começaram a discutir uma forma de garantir o rápido cumprimento das eventuais condenações de réus no processo do mensalão. A principal providência é acelerar a publicação do acórdão, a íntegra da decisão do colegiado. A publicação do acórdão é necessária para que as penas que forem impostas sejam cumpridas. O receio é de que o Supremo condene, mas efetivamente não puna os envolvidos no escândalo.

 Pelo regimento interno do STF, exceto em casos justificados, a Corte tem 60 dias para publicar o acórdão no Diário de Justiça do dia em que o resultado for anunciado. Mas na prática o resumo não tem data para ser publicado, o que tem preocupado os ministros mais envolvidos com o processo do mensalão. O Estado fez um levantamento entre os cinco casos em que o Supremo condenou políticos desde a Constituição de 1988. A média entre a decisão de plenário e a publicação do resumo no Diário de Justiça foi de nove meses.

 Em um dos casos, o do deputado federal licenciado Cássio Taniguchi (DEM-PR), o acórdão nem sequer foi publicado. Condenado em 2010 por crime de responsabilidade quando era prefeito de Curitiba (PR), Taniguchi se livrou da punição porque o processo prescreveu. No caso do mensalão, o ministro Joaquim Barbosa, relator da ação, tem se empenhado desde que recebeu o caso, em 2005, para publicar com rapidez as decisões. Cabe ao relator, ou ao revisor, em caso de derrota do primeiro, ou ao ministro que der o voto vencedor, no caso de derrota dos dois primeiros, redigir o resumo do caso. O Supremo demorou apenas 2 meses e 12 dias para divulgar o acórdão do julgamento quando o tribunal tornou réus os 40 denunciados.

 Para acelerar a validade das decisões, o Supremo tem estabelecido como prática divulgar o acórdão sem a obrigatoriedade da revisão dos votos dos ministros. No recebimento da denúncia do mensalão, em 2007, a conduta já foi adotada: das 1.144 páginas, mais de mil eram dos votos dos ministros não revisados. A intenção é fazer o mesmo agora. Ministros dizem que a intenção é publicar o acórdão antes da aposentadoria compulsória de Ayres Britto, em 18 de novembro, quando ele completa 70 anos. Se não for possível, ficará para a gestão do relator do mensalão e futuro presidente, Joaquim Barbosa. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: Estadão

 

enviar comentário
Publicidade
Publicidade

OAB faz grande festa no dia dos Advogados

Paulo Eduardo, Ângela, Aldo Medeiros, Paulo Coutinho e Marcos Guerra

Convidado pela diretoria da OAB este blog foi ontem a festa comemorativa ao Dia dos Advogados no Parque Aristófanes Fernandes. Uma tarde muito agradável e prestigiada.

Organização impecável e música de ótima qualidade deram o tom da confraternização de mais de 800 pessoas presentes. Era advogado para ninguém botar defeito. Muitos advogados jovens e grandes nomes da nossa advocacia se fizeram presente.

Mas não poderia deixar de destacar o processo eleitoral intenso que tem vivido a categoria. No evento de ontem ficou claro isso, todos os candidatos à Presidência da OAB compareceram e circulavam bastante. A OAB tem grandes candidatos. Seja quem vencer – Sergio Freire, Aldo Medeiros ou Lucia Jales -,  a categoria vai estar muito bem representada.

Mas o que me chamou atenção mesmo foi a intensa movimentação dos candidatos a lista sêxtupla para o TJ/RN. Reencontrei vários amigos de longos tempos e bati papo com quase todos os candidatos presentes. Marisa Almeida circulava facilmente e bastante cortejada, Artemio Azevedo sempre um gentleman e bastante focado, Priscila Fonseca a simpatia de sempre, Marcos Duarte e Glauber Rego costurando o tempo todo, o gente boa Carlos Sérvulo e o determinado Verlano Queiroz confiante que vão reverter o indeferimento da OAB as suas candidaturas. A candidata Magda Leticia não conversei pessoalmente mas vi que também se movimentava bem.

Não perdi a oportunidade de perguntar a todos os advogados com os quais conversei o que achavam e se já tinham candidatos nos processos da OAB e do Quinto.

Quanto a OAB,  senti a candidatura de Sergio Freire mais forte, seguida da de Aldo Medeiros. Já no tocante ao Quinto, impressiona a força dos nomes dos advogados Felipe Cortez, Artemio Azevedo, Marisa Almeida, esses três com maior intensidade, e logo depois, Carlos Servulo, Olavo Hamilton, Magda Leticia, Priscila Fonseca, Verlano Queiroz, Marcos Duarte e Glauber Rego.

Pois é, esse é o relato do que vimos ontem na festa dos advogados. Gostaria de agradecer também a grande audiência do BG nesta categoria tão importante para nossa sociedade.

enviar comentário
Publicidade