Jornalista diz que “Henrique Alves implorou para ser Ministro e depois traiu já pensando no poder”

11013216_915354371836142_7549454374411395951_n

Por Agora/RN

O jornalista Luis Costa Pinto, em sua página no Facebook, teceu comentário, em tom ácido, contra o ex-ministro do Turismo, Henrique Alves. Indignado, Luis criticou a saída do potiguar do ministério, principalmente, devido à situação atual do governo federal, diante da debandada do PMDB.

A rainha não está morta, ainda, e ele já implora para que o ouçam gritando (com sua voz rouca) “viva o rei!”. Ninguém me contou, eu vi num jantar privado em Brasília, pouco antes da posse de Dilma para o segundo mandato: derrotado para o governo do Rio Grande do Norte, Henrique Eduardo Alves, então presidente da Câmara dos Deputados, ficaria sem mandato parlamentar pela primeira vez desde 1971. Aos prantos, pedia a dois senadores e a um deputado que fechassem logo a lista dos ministeriáveis do partido, porque não podia ficar jogado às traças por muito tempo.

Foi aconselhado a esfriar a cabeça e viajar. Argumentou que passaria um Natal e um réveillon péssimos, pois estaria fora do eixo do poder pela primeira vez na vida. Foi então indicado, semanas depois daquele espetáculo de subserviência e apego, para o ministério do Turismo.

Agarrou-se com unhas e dentes ao cargo. Hoje mesmo, por acaso, terminei por ouvir pessoalmente uma conversa em que Henrique Eduardo Alves ainda apelava a um companheiro de partido para que adiassem a definição de abandono da presidente à própria sorte.

O script da traição, contudo, já estava traçado e ele se arvora a ser o primeiro a largar o osso – não porque esteja solidário ao poder descendente que um dia tanto almejou, mas porque deseja ser o primeiro a agarrar os novos ossos cheios de carne e sebo que começam a ser lançados na direção dos adesistas que babam e rosnam atrás do poder ascendente. Roda, Brasilia. Roda.

O círculo é concêntrico e um dia ele se fecha. Talvez se feche antes da chegada das chuvas, em fins de setembro, quando se encerra a estação da seca do Planalto Central. Quanto a Henrique Eduardo, tenho fortes suspeitas de que a seca vai transformá-lo numa espécie de manto de carne de sol do Seridó nas mãos da turma de Curitiba.

*O post do Jornalista no Facebook foi na segunda-feira dia 28.

Publicidade

Comentários:

  1. Val Lima disse:

    Rapaz político sem mandato vale tanto qdo uma nota de R$ 3,00…..

  2. Elves Alves disse:

    Luís Costa Pinto deve ter algum problema mal resolvido com Henrique Alves, para se empenhar em malhá-lo assim.
    Quem acompanha o noticiário político nacional sabe que a nomeação de Henrique foi uma imposição, diria mesmo chantagem, do (ainda) presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha.
    Foi o pagamento de Cunha por Henrique ter saído Brasil afora articulando votos para garantir a sua eleição.
    Como é aferrado ao cargo, tão logo brotaram as retaliações entre Cunha e o Planalto, Henrique foi se chegando para sombra protetora do vice Michel Temer.
    E se por Temer foi mantido no cargo, nada mais lógico que tenha sido o primeiro a entregar o ministério quando o vice rompeu politicamente com o governo.
    Tudo bem que se malhe Henrique, Garibaldi e os demais Alves que fizeram da política partidária sua carreira profissional. Mas de preferência que não se agridam os fatos.

  3. teresa castro disse:

    Bem tipico dele!

  4. Renato Souza disse:

    Não tenho simpatia por Henrique, mas reconheço que as críticas ao posicionamento dele são puramente sem fundamento. Henrique entregou o cargo, foi o primeiro do PMDB. Se fosse o ultimo??? Haveria crítica??? Se fosse o segundo??? E se ele aproveitasse o momento para ir para outro ministério??? E se ele pegasse uma arma e se matasse??? Ou seja, o objetivo é criticar a qualquer custo. Isso porque Henrique já tenta viabilizar seu retorno à câmara em 2018, imagina se fosse pré-candidato ao governo.

  5. Observador Potiguar disse:

    Essa crônica é perfeita. Não existe um só senão. Eu vou rir muito se Dilma conseguir barrar o impeachment… Como ficará o PMDB? Como ficará Henrique, que não tem mandato nem foro? Como ficarão os babões dos Alves? Como ficará a ex-futura primeira dama, que chora até hoje a derrota de 2014? Aguardemos!

  6. FRASQUEIRINO disse:

    O jornalista Luis Costa Pinto escreveu o que todos já sabem: HENRIQUE ALVES e GARIBALDI ALVES FILHO, considerado o "Ministro bonzinho" pela imprensa que cobre o Planalto, roeram o osso ate o fim e agora jogaram a presidente Dilma as feras. E se houver uma reviravolta, pouco prov[avel, mas nao impossivel, como ficara o ~marido da Laurita~. Sera que os apadrinhados de Henrique e Garibaldi detentores de cargos comissionados no Governo Federal ja entregaram os cargos, ou vao continuar roendo os ossos mais um pouquinho

  7. mauricio disse:

    QUAL É MESMO O ORGAO DE IMPRENSA QUE O PINTO TRABALHA?

  8. Jorge disse:

    profissão POLÍTICO ,vamos excluir essa gente INCOPETENTE da política ,ALVES E MAIA ACABOU….vão arrumar um emprego

  9. Potyguar disse:

    Infelizmente o que disse o jornalista acima é a verdade. È uma pena que nossos eleitores conterrâneos após tantos anos e tantos exemplos , continuem votando em figuras que só pensam em si e ainda são alvo de chacota em nível nacional.
    Vamos mudar os paradigmas meu povo ! o País somos nós que fazemos! não a políticos corruptos ou incompetentes !

  10. Sandro Alves disse:

    É de estranhar, mesmo sabendo que será pelo pela lava jato, perder o foro privilegiado?