Ministério da Agricultura diz que ‘não existe risco’ sanitário no país

O secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Luiz Eduardo Pacifici Rangel, afirmou neste domingo (19) que, nas avaliações feitas pelo ministério, foi constatado que “não existe risco sanitário” no país.

Rangel deu a declaração ao chegar ao Palácio do Planalto para uma reunião com o presidente Michel Temer e o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, além de entidades frigoríficas, para discutir os efeitos da operação Carne Fraca.
“Não existe risco sanitário medido no primeiro momento nas avaliações que fizemos das principais denúncias feitas pela Justiça. A ideia é que a gente consiga reagir rapidamente para poder tranquilizar a sociedade”, disse Rangel.

Deflagrada pela Polícia Federal na sexta (17), a operação investigou o envolvimento de servidores do governo em um esquema de liberação de licenças e fiscalização irregular de frigoríficos.
“Todas as informações citadas são preocupantes do ponto de vista de corrupção, mas, do ponto de vista sanitário, estamos tranquilos porque as questões sanitárias apontadas ali não trazem risco para a população nem para a exportação”, acrescentou o secretário neste domingo.

Rangel disse ainda que o Brasil elaborará, a partir deste domingo, um comunicado geral para todos os países sobre a qualidade da carne produzida no Brasil e sobre as medidas administrativas tomadas pelo Ministério da Agricultura.

 

G1

Publicidade

Comentários:

  1. Mário disse:

    será que ele comeria essas carnes que estão em questão??????

  2. Ovidio Henrique disse:

    É verdade … quem morreu morreu , quem não morreu , vai continuar consumindo
    Produto adulterado, quem morreu não vai !

  3. Omar Salgado disse:

    Ótimo !!! Se o governo diz que "não", é porque é "sim" !!! Nem as mulheres são tão eficientes quanto os Governos quando querem dizer "sim" ao invés de" não", e" não" ao invés de "sim".
    E no que pertine à referência às mulheres, os patrulhadores do politicamente correto de plantão, antes que eu me esqueça, vão todos…