Publicidade

Multidão volta às ruas de Currais Novos no Pancadão 22 com Zé Lins, João Gustavo e Ezequiel

Foto: Bysmarck

A coligação “A Favor do Povo” mostrou mais uma vez que o povo de Currais Novos decidiu pela volta de Zé Lins. O “Pancadão 22” saiu da Av. Getúlio Vargas, no Bairro Santa Maria Gorete e terminou no Largo do Tungstênio Hotel. O deputado Ezequiel Ferreira integrou ao Pancadão na Avenida Sílvio Bezerra de Melo. Zé Lins e João Gustavo, além dos candidatos a vereador, também passaram nas Ruas José Milanês, João Pessoa e Coronel José Bezerra.

“Currais Novos está precisando de muito trabalho. Aqui está a união dos que querem o desenvolvimento da nossa cidade. Aqui tem o PSB da ex-governadora Wilma de Faria, o PR do deputado João Maia, o PSD do vice-governador Robinson Faria e do deputado Fábio Faria, tem o PT da deputada Fátima Bezerra, o PMDB do deputado Henrique Eduardo Alves e o PTB do deputado Ezequiel Ferreira, que veio somar conosco. Além dos demais partidos, que vão fazer a diferença para novos projetos”, discursou.

 

“Quando entro numa campanha, visto a camisa. Por isso Zé, agora estou de camisa vermelha. Comigo não tem meio termo, estou nas ruas e vamos mostrar o povo que a saúde não vem funcionando, nem educação, falta segurança… Precisamos da volta do desenvolvimento para nossa terra, que tem uma importância econômica na região e no Estado”,falou Ezequiel, no discurso do Largo do Tungstênio Hotel.

 

O vice João Gustavo, companheiro de chapa de Zé Lins lembrou a falta de investimentos nos últimos anos. “Eles não querem que a gente mostre que Currais Novos não vai bem na saúde, na educação, que os índices de violência tem aumentando, por falta de políticas públicas. Aqui faltam obras estruturantes. Temos que retomar o avanço que foi interrompido há quatro anos”, lembrou João Gustavo.

 

Fonte: Assessoria

enviar comentário
Publicidade

Rosalba fará visita técnica à obra do Aeroporto de São Gonçalo nesta terça

A governadora Rosalba Ciarlini fará, na próxima terça-feira, às 10h, visita técnica ao canteiro de obras do Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante, um dos legados da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 e o primeiro aeroporto do país a ser administrado pela iniciativa privada por concessão do Governo Federal.

Acompanhada de uma comitiva formada por secretários de Estado e deputados estaduais, a chefe do Executivo checará in loco como estão as obras do novo aeroporto do Rio Grande do Norte junto com representantes do Consórcio Inframérica, formado pela Engevix e a Corporacion Argentina, que foram os vencedores do leilão de concessão e são os responsáveis pela construção da obra.

Para a visita, o Consórcio convidou o ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República, Wagner Bittencourt; do presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), Marcelo Guaranys; do presidente da Infraero, Gustavo do Vale; e da superintendente de Regulação Econômica e Acompanhamento de Mercado, Danielle Crema. Os representantes do Governo Federal ficaram de confirmar presença com a empresa.

 

Fonte: Blog Panorama Político, de Anna Ruth Dantas, em Tribuna do Norte

enviar comentário
Publicidade

'PEC das Domésticas' busca assegurar direitos da categoria, mas pode resultar em subemprego

O Rio Grande do Norte é o estado com maior proporção de empregados domésticos com carteira de trabalho assinada no Nordeste, de acordo com estudo publicado pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) em julho deste ano. Os formais, no estado, já representam 21,4% do total, segundo a organização. O percentual nos outros estados nordestinos não chega a 20%. Mas uma Proposta de Emenda à Constituição, em tramitação no Congresso Nacional e com votação prevista para a próxima quarta-feira, dia 22, pode reduzir o índice de formalização em 10,9% no estado. Este seria o maior impacto na região, segundo estudo realizado pela ONG Doméstica Legal.

Ao aumentar os custos para o empregador, que precisará garantir mais 16 direitos, incluindo o depósito no Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), a PEC das Domésticas, que iguala os direitos dos empregados domésticos aos dos outros trabalhadores, poderá frear a formalização, afirma a ONG Doméstica Legal. Segundo levantamento realizado pela organização, a diferença no custo para o empregador pode chegar a R$ 83,97 no final do mês, tendo como base um salário mínimo de R$ 622. A ONG estima que se a PEC for aprovada isoladamente 200 mil empregados domésticos formais seriam demitidos em todo o país em menos de um mês. “Nem todos os empregadores poderão arcar com este custo”, afirma Mario Avelino, presidente da ONG e autor do livro o Futuro do Emprego Doméstico no Brasil.

Há controvérsias. Para a deputada federal Benedita da Silva (PT-RJ), relatora da PEC, a proposta está mais para solução do que para problema. “As mudanças beneficiarão 6,8 milhões de trabalhadores, permitindo-lhes acesso ao FGTS, ao Seguro desemprego, ao pagamento de horas extras e ao benefício previdenciário por acidente de trabalho, prerrogativas que estão excluídas do dos direitos a eles assegurados pela Constituição Federal”, afirma, no texto já apresentado.

A deputada reconhece que as mudanças aumentarão os encargos sociais e trabalhistas. “Muitos defendem a impossibilidade de se estender às trabalhadoras domésticas os direitos garantidos aos outros trabalhadores. Mas é certo que tal defesa se encontra mais na esfera do custo que essa extensão de direitos gerará para o empregador do que na impossibilidade jurídica ou incompatibilidade com esse tipo de relação de trabalho”, afirma, no processo.

Para Benedita, cuja assessoria de comunicação foi procurada, mas não pôde responder ao pedido de entrevista, o maior medo decorre do aumento dos custos de contratação. “Equiparar direitos como o salário-família, seguro contra acidente do trabalho, obrigatoriedade do depósito no FGTS, entre outros, pode ocasionar uma preocupação na hora de contratar uma trabalhadora doméstica. Porém, em nenhum momento de nossa história, os argumentos de aumento de custo foram definitivos”, afirma.

Maria Lúcia Cunha de Oliveira, 62, pensionista, ouviu falar das mudanças e apesar de não ter feito nenhum cálculo já sentenciou: “vai ficar pesado para mim”. Há quatro anos contratou uma empregada doméstica. Há mais de três anos, assinou a carteira de trabalho. O problema é que Lúcia não é a única que pensa dessa forma. “Minhas colegas já disseram: se aumentar os custos, vão dispensar as empregadas”.

Fonte: Tribuna do Norte, por Andrielle Mendes

enviar comentário
Publicidade

Licitação do transporte público de Natal só deve sair depois das eleições

A possibilidade de o edital de licitação do transporte público de Natal ser lançado antes das eleições municipais é remota. O projeto substitutivo que pede aprovação da Lei Autorizativa foi enviado à Câmara Municipal de Natal nos últimos dias e o trâmite no legislativo deve demorar, pelo menos, 45 dias. A previsão inicial era de que o edital fosse publicado até o final de junho, segundo informações divulgadas em audiência pública realizada no fim de maio deste ano.

O projeto inicial foi enviado à Câmara dos Vereadores em dezembro de 2011, mas devido às alterações realizadas pela Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob) o novo projeto só foi encaminhado este mês. Apesar de a Semob ter feito alterações no projeto, o secretário de mobilidade urbana, Márcio Sá, garante que as mudanças não limitavam o andamento do processo na Casa. “São duas coisas distintas. Os vereadores poderiam ter aprovado a Lei Autorizativa mesmo sem o projeto substitutivo”, disse.

O vereador Ney Júnior (DEM), presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, explica que o projeto antigo enviado pela Semob era falho e realmente necessitava de ajustes. “O projeto não tinha nada de novo. Era uma coletânea das leis existentes. Espero que o novo contemple as reais necessidades da sociedade como linhas noturnas e acessibilidade”, destacou. O vereador acredita que o projeto substitutivo ainda esteja no protocolo da Câmara já que a Comissão de Constituição e Justiça deveria ser a primeira a recebê-lo.

O projeto substitutivo ainda vai passar pelas comissões de Finanças e Transporte. Ou seja, ao todo serão 45 dias somente nesse trâmite já que cada comissão tem 15 dias para emitir parecer sobre o projeto. Após aprovado pelas comissões, o processo segue para votação em dois turnos no plenário e só então a Lei Autorizativa é aprovada.

Etapas

Segundo Márcio Sá, o edital será publicado no dia seguinte à aprovação da lei. “O edital está pronto somente aguardando a publicação da lei”, afirmou. Após liberação do edital, as empresas ou consórcios que desejem operar o sistema terão 45 dias corridos para análise. Depois haverá abertura das propostas. Se no prazo de 15 dias não houver impugnações das concorrentes, o resultado será publicado no Diário Oficial do Município. Somente depois dessas etapas o contrato pode ser assinado. “É importante ressaltar que qualquer empresa do país pode participar do processo licitatório desde que preencha os requisitos”, destacou Haroldo Maia, secretário-adjunto de transportes de Natal e presidente da comissão técnica de acompanhamento da licitação.

Projeto prevê trajetos otimizados

O processo de transição entre os dois sistemas viários deve ser implantado gradativamente em 120 dias. O novo sistema proporcionou um redesenho das linhas atuais (dos ônibus e alternativos) o que vai acarretar na criação de algumas linhas, extinção de outras e aumento de rotas. A quantidade de ônibus será reduzida de 834 para 772, porém os trajetos serão otimizados. Desse total, serão 692 ônibus convencionais e 80 microônibus (alternativos). Os opcionais que atuam em Natal podem participar da licitação desde que por meio de cooperativas com, no mínimo, 50 cooperados.

A licitação contempla três lotes, sendo dois no sistema convencional e um no complementar que será feito pelos opcionais que serão responsáveis pelo trajeto de passageiros em áreas distintas da cidade como as zonas Norte e Sul. Márcio Sá, secretário de mobilidade de Natal, garante: “O usuário não precisa se preocupar. O novo sistema será bom tanto para o poder público, quanto para as empresas vencedoras e para a sociedade”, afirmou.

Entre os benefícios citados pelo secretário estão: tarifa única, acessibilidade em todos os veículos até a Copa de 2014, frota com média de cinco anos, instalação de câmeras e GPS. A cobertura das linhas aumentará de uma área de 125 quilômetros quadrados para 134 km². O aumento da passagem será anual, porém vai levar em consideração todos esses fatores porque a tarifa será baseada de acordo com o serviço ofertado.

Atraso

Os itinerários das linhas atuais, em sua maioria, foram criados na década de 1980 quando os desejos de viagens do natalense eram basicamente ligados aos bairros do Alecrim, Cidade Alta e Ribeira. Como a cidade se desenvolveu em todas as regiões hoje existem novos polos atrativos que serão atendidos com o reordenamento das linhas. As empresas vencedoras da licitação farão investimentos iniciais da ordem de R$ 152 milhões.

Segundo Márcio Sá, Natal não foi projetada para o trânsito que tem diariamente. “O incentivo do governo federal em reduzir o IPI para compra de automóveis têm contribuído para aumentar os gargalos existentes na cidade. Este mês já foram registrados 6.500 carros quando a média é de 2.500”, disse .

R$ 104 milhões para intervenções no trânsito

A licitação do transporte público não é a única medida da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana com o objetivo de melhorar o trânsito na capital potiguar. A Semob conseguiu aprovação de R$ 104 milhões no Ministério das Cidades, através do PAC 2 – Grandes Cidades – para construir túneis e viadutos em diversos pontos que se tornaram gargalos nos últimos anos.

No cruzamento das avenidas Salgado Filho e Alexandrino de Alencar será construído um túnel, assim como entre as avenidas Bernardo Vieira e Prudente de Morais. No encontro das avenidas Bernardo Vieira e Coronel Estevam será erguido um viaduto. Outros viadutos serão construídos também no pontilhão de Cidade Nova e no cruzamento das avenidas Bernardo Vieira e Xavier da Silveira. A faixa exclusiva para ônibus da avenida Bernardo Vieira será estendida até a Xavier da Silveira. Todas as avenidas serão recapeadas. Esses projetos devem ser apresentados em até 18 meses.

Porém, as avenidas Salgado Filho e Prudente de Morais devem ganhar faixas exclusivas paraônibus no lado direito da via, em aproximadamente 60 dias. A Semob vai intensificar a fiscalização horizontal e vertical na área para alertar motoristas e pedestres sobre a modificação.

 

Fonte: O Poti, por Erta Souza

enviar comentário
Publicidade

Somente hoje aconteceram 4 acidentes de trânsito em Natal

Por volta das 00h25 aconteceu um grave acidente com motociclista na pista local da rodovia BR-101 bem ao lado do viaduto Ponta Negra. Informações colhidas no local dão conta de que o motociclista teria perdido o controle da moto e caído na pista. A moto ficou toda destuída já que a mesma ainda se arrastou por alguns metros até atingir um poste. O motociclista foi resgatado com vida para o hospital Clóvis Sarinho.
Às 00h30 desta madrugada um outro motociclista sofreu uma queda na avenida Drº João Medeiros Filho bem em frente ao supermercado Nordestão. Sobre o acidente a informação que temos é de que o mesmo foi socorrido com vida pelo resgate do SAMU.
Na Via Costeira um veículo descontrolado capotou na altura do hotel Imirá por volta das 00h45 desta madrugada. De acordo com informação da Polícia Militar ninguém ficou ferido no acidente.
E por fim às 10h00 desta manhã um veículo descontrolado colidiu frontalmente com um poste na avenida Interventor Mário Câmara bem em frente à garagem da Viação Riograndense. Parte do bairro Dix -Sept Rosado está sem o fornecimento de energia elétrica até o momento, (14h). Não temos informações sobre o estado de saúde do condutor do veículo.
Fonte: Via Certa Natal
enviar comentário
Publicidade

Joaquim Barbosa inverte capítulos e altera sequência de julgamento do mensalão

O Supremo Tribunal Federal (STF) começou a julgar o mensalão, na última quinta-feira (16), seguindo uma sequência diferente de quando a Corte recebeu a denúncia, em 2007. Embora a metodologia de votação seja a mesma – por capítulos, divididos por situações criminosas –, a ordem de apresentação desses capítulos foi alterada a critério do relator, Joaquim Barbosa.

O site do STF registra que, em 2007, o primeiro capítulo analisado pelos ministros foi o quinto, que trata da gestão fraudulenta de instituições financeiras. Os protagonistas desse módulo são os réus ligados ao Banco Rural – José Roberto Salgado, Ayanna Tenório, Vinícius Samarane e Kátia Rabello.

Na última quinta-feira, Barbosa iniciou seu voto a partir do terceiro capítulo da denúncia, que trata dos crimes de desvios de recursos públicos na Câmara dos Deputados. O principal alvo desse item é o deputado federal João Paulo Cunha, que, pelo voto de Barbosa, foi condenado pelos crimes de peculato, lavagem de dinheiro e corrupção passiva.

A ordem do julgamento foi um dos temas abordados durante coletiva concedida pelo ministro Marco Aurélio Mello, logo após a sessão plenária da última quinta-feira. O ministro é um dos críticos do sistema de votação proposto por Barbosa, fatiado por capítulos.

Perguntado se sabia o motivo de Barbosa começar o voto por João Paulo Cunha, o ministro disse que o relator poderia começar de onde quisesse, desde que continuasse o voto até o final, passando por todos os capítulos. “Agora, a partir do momento que ele não esgota, que ele aborda certas imputações consideradas a esses ou aqueles acusados, fica no ar qual foi o critério estabelecido”.

O gabinete de Barbosa informa que, na próxima segunda-feira (20), o julgamento será retomado com a coleta de votos do item relativo a João Paulo Cunha. A assessoria garante que o relator continuará seu voto pela sequência – segundo item do capítulo três – que trata dos contratos entre a DNA Propaganda e o Banco do Brasil.

A sequência de capítulos que Barbosa apresentará à Corte pode influenciar diretamente no resultado do julgamento do mensalão. O ministro Cezar Peluso irá se aposentar no início de setembro e só deve participar de parte do julgamento, caso o processo se estenda além do previsto inicialmente, ou seja, até o fim de agosto. Barbosa ainda não se pronunciou oficialmente sobre a ordem que seguirá após o terceiro capítulo.

Fonte: Agência Brasil

enviar comentário
Publicidade

Quadrilha mantém família refém e faz arrastão na ZN

Objetivo dos assaltantes era levar dinheiro que eles imaginavam estar dentro do cofre
Foto: Ricardo Araújo - G1 RN
Um grupo formado por cinco bandidos realizou um arrastão à residência localizada no Pajuçara, zona Norte de Natal. Os assaltantes levaram um carro, uma moto e diversos pertences das vítimas. Os criminosos renderam adultos e crianças em um dos banheiros da casa. Toda a ação aconteceu em aproximadamente meia hora.
O grupo foi até um cofre onde imaginavam haver bens e valor. Ainda não há estimativa para o valor do que foi levado pelos bandidos. O fato aconteceu na noite desse sábado.

 

Com informações do G1 RN

enviar comentário
Publicidade

Policial militar que atua no RN denuncia PM's paraíbanos por humilhação e abuso de poder

O policial militar lotado no 7º BPM do Rio Grande do Norte, em Pau dos Ferros, e residente em Cajazeiras (PB), Damião da Silva Belo, enviou à redação [do blog Alô Sertão] um relato onde faz denúncia contra policiais do 6º BPM de Cajazeiras.

Célio Silva, como é conhecido, diz ter sido vítima de constrangimento e outros, durante abordagem de policiais militares na útima sexta feira 17.

 

Acompanhe o relato do policial publicado originalmente no blog Alô Sertão :

“Momentos de terror pensei um dia sofrer se um dia caisse na garras de marginais aos quais de forma constitucional bons policiais os colocam na cadeia e não durante uma abordagem da polícia militar a instituição ao qual pertenço Eram 14h30, da sexta 17de agosto eu soldado da policia militar do rio grande do norte Damiao da silva belo lotado no 7º BPM de pau dos ferros me deslocava ao açude da serragem para fazer um treinamento de flutuação aquática a poucos metros do meu destino fui parado por uma viatura da policia militar, sem saber que as horas seguintes seriam de intenso terror, Estacionei o veículo e, sem reação, desci da motocicleta Três policiais da viatura do choque fortemente armados gritavam descontroladamente para que colocasse as mãos para cima para ser revistado .

De imediato me identifiquei e relatei o motivo de estar ali, mais De acordo com eles, eu era suspeito de um assalto a um posto de combustível que teria acontecido na cidade de são João do rio do peixe”. Depois de ser revistado , apalpado , jogados em cima do carro de braços para cima O policial que coordenava a “ação truculenta e violenta” da Polícia Militar de Cajazeiras alegou que eu era o assaltante mesmo eu estando sô e desarmado o roubo teria sido cometido por dois elementos armados de revolver e de pistola Quando tentava explicar que não deveria estar passando por aquilo, mais berros eram despejados em meus ouvidos.

E claro, para me intimidar, sempre com armas em punho. Quando berravam comigo podia sentir o bafo e as cuspidas de cada um dos três policiais na minha cara . Ao invés das viaturas continuarem as diligencias se deslocaram todas para onde fui abordado fiquei cercado por mais de 15 viaturas a situação ficou pior quando chegou a viatura da p2 de são João do rio do peixe a todo custo o cabo Neurion e um soldado a paisana existiam que eu era o assaltante fique cerca de três horas sendo constrangido pelas guarnições de cajazeiras uma delas comandada pelo sargento Deusimar depois de me humilharam resolveram me conduzir a são João do rio do peixe para ser reconhecido pelas vitimas do assalto fui levado direto para posto de combustível e não para a companhia como manda o procedimento legal fizeram questão de me expor a vitima de imediato quando me viu disse em alto e bom som tenho certeza absoluta que não é ele os policiais ficaram sem ação.

Como bestas despreparadas em nem um momento me ouviram expliquei a mais de 30 policiais o que estava fazendo ali naquele local disse a todos que estava ali para treinar para o teste físico da força nacional ,mais e nem um momento foi dado credibilidade a minha pessoa insistiam a todo custo que eu era o assaltante e que eu estava preso comemoravam prendemos o assaltante mesmo eu estando desarmado sozinho .Eu que faço parte da corporação militar fui vitima de abuso, contragimento e humilhações de todas formas grosseiras a todo custo queriam que eu fosse um criminoso imagine as atrocidades e injustiças que estes policiais cometem no dia a dia.Diante do acontecido pergunto: qual é a forma de proteção que o cidadão tem nos dias de hoje se ele é objeto de humilhação de policiais que abusam de seus postos?”

DAMIAO DA SILVA BELO SOLDADO DA POLICIA MILITAR DO RIO GRANDE DO NORTE DESDE 2006

enviar comentário
  1. MPedroza disse:

    Damião você não devia estranhar, pois é assim que os seus colegas policiais militares agem com qualquer suspeito. Em especial os policiais da ROCAM e do BOPE, são despreparados, agressivos e arrogantes, uma ameaça a sociedade, uma gente que a sociedade teme e evita.
    Muitos policias pensam que por serem policiais podem tudo e podem mesmo porque não ha punição para estas bestas descontroladas.
    Os policiais militares do Brasil estão sem controle e cometem absurdos a toda hora e muitas mortes, taí a TV, jornais, revistas e Internet mostrando toda semana.
    Esta esperiencia que você passou vai lhe auxiliar quando você abordar um supeito indefeso, fez você sentir o outro lado, o lado do cidadão, contribuinte e eleitor que paga estas criaturas bestiais que existem nos quadros das Policia Militares do Brasil.
    Mande suas esperiencia para o Blog do Comandante Geral para que seus colegas de farda apredam alguma coisa.
    Os governantes são omisso no que se refere a violencia policial com a sociedade.

Publicidade

Colunista de 'O Globo' afirma que Zé Dirceu pretende ser presidente do PT

Em nota publicada no blog de Ilimar Franco, colunista do Panorama Político, em O Globo,  está a seguinte pérola:

Os planos de Dirceu
Petistas estão chocados com a atitude do ex-tudo José Dirceu. Às vésperas de ser julgado, amigos falam de seus planos grandiloquentes, entre eles o de presidir o PT. Os mais fiéis querem que ele transfira seu título para Brasília e, depois de anistiado, concorra ao Governo ou ao Senado. Sustentam que se José Roberto Arruda conseguiu, Dirceu pode dar a volta por cima.

Fonte: O Globo

enviar comentário
Publicidade

Programa Sílvio Santos completa 50 anos; O 'dono do baú' está cada vez mais solto

Para alguém conhecido, no início da carreira, como “o peru que fala”, graças à vermelhidão causada pela timidez diante do auditório, Silvio Santos passou por uma notável transformação nos 50 anos à frente do programa que leva seu nome. Hoje, está totalmente sem vergonha.

Só nos últimos meses, perdeu as calças no ar (e deixou a cena ser exibida), constrangeu convidados com comentários irônicos e maldosos e vem falando palavrões e piadas sexuais em seu programa. Está, como se diz na gíria, “soltinho” aos 81 anos.

A postura tem surpreendido não só as “colegas de auditório”, os convidados e os espectadores, mas seus próprios funcionários. Tem também reavivado o status de ícone para a geração das redes sociais, que replicam vídeos com seus “melhores momentos” pela internet.

Foto: Reprodução
Silvio Santos se arruma depois de suas calças caírem durante programa, em abril deste ano

“Acho que o Silvio Santos nunca atravessou uma fase tão despojada, tão à vontade. Até me assustei um pouco”, diz o apresentador Luis Ricardo Monteiro, que, há mais de 30 anos no SBT, precisou lidar recentemente com o patrão detonando no ar os produtos que tentava vender.

Para Monteiro, após superar “os problemas que o grupo [Silvio Santos] teve” –fraude no Banco PanAmericano em 2010 e venda do Baú da Felicidade em 2011–, o empresário “soltou as amarras”. O momento atual se assemelharia, diz ele, aos primórdios do SBT, quando Silvio tinha “um papo reto”.

“Ele falava ‘olha, podem assistir à novela da Globo, depois começo o filme aqui no SBT’. Era mais solto e, ao longo do tempo, como presidente da emissora, foi se engessando um pouquinho.”

AUDIÊNCIA

Segundo Monteiro, a fase atual “está chocando”, mas também “dando muito resultado” no ibope –de fato, a audiência do programa dominical e do canal como um todo voltaram a crescer, após um período de perda da vice-liderança para a Record.

“Sinceramente, acho que ele está gagá. Mas falo isso com carinho, assim como falo da minha avozinha”, diz o apresentador Marcelo Tas, que vem destacando episódios pitorescos do dono do SBT no “Top 5” de seu programa “CQC”, na Band.

“O importante é ele continuar rindo dele mesmo. Faço questão de falar dele com carinho, porque todos vamos chegar aí. A diferença é que ele é o Silvio Santos, o dono do canal, então ninguém vai dizer para ele não fazer as coisas que tem feito.”

Nem todos atribuem a fase a uma suposta senilidade.

“Velho ele é faz tempo”, diz a atriz Lívia Andrade, a atual professora Suzana de “Carrossel” (SBT), com o mesmo humor que usou para reagir à frase de Silvio de que “gato escaldado… morre, porra”, num jogo de que ela participava (“Interna!”, reagiu).

“Ele continua o mesmo, não tem nada a ver com a idade, mas com o momento da TV, dos programas de humor, da aceitação do público. Palavrão, piada apimentada não são mais tão chocantes, as pessoas gostam.”

Essa visão de que a nova fase de SS seria uma adaptação ao humor mais chulo que a TV importou da comédia “stand-up” é compartilhada por outros funcionários do SBT. “O Silvio Santos acompanha a onda, a modernidade. Não posso falar ‘pô, Silvio, você está pegando pesado’, porque isso é uma coisa tão normal hoje, é moda”, diz Ailton Lima, o Liminha, 47, assistente de palco do “patrão” há mais de 20 anos.

Nem tudo tem sido sorrisos na nova fase: SS, que sempre lidou bem com os incontáveis humoristas que o imitam, resolveu, em maio, processar a trupe do programa “Pânico”, da Band, impedindo-a de imitá-lo e de se aproximar dele.

Lívia Andrade diz que a atitude teve lógica comercial. “Tudo tem limite. É burrice dar audiência a outra emissora que está no ar na mesma hora do seu programa.”

O fato é que nem as polêmicas nem as atitudes mais grosseiras da nova fase parecem atingir a imagem de SS.

Para Tas, isso se explica pelo extenso crédito acumulado pelo apresentador em suas décadas de TV, que compensam “esses escorregões”:

“Ele sempre fez esse entretenimento da família, do domingo, despretensioso. É como diz a música dele, ‘do mundo não se leva nada/ vamos sorrir e cantar’. Ele está vivendo isso plenamente.”

*

O BAÚ DO SILVIO
Momentos marcantes da trajetória do empresário e apresentador

1930 – Senor Abravanel nasce em 2 de dezembro, no bairro da Lapa, no centro do Rio; filho do grego Alberto Abravanel e da turca Rebeca Caro, teve cinco irmãos

1946 – Em ano de eleição presidencial, torna-se camelô, vendendo capas para títulos de eleitor canetas e outras bugigangas no Rio. “Trabalhava das onze ao meio-dia, horário em que o guarda ia almoçar. Eu tinha realmente poder de comunicação. Daí em diante, nunca mais me faltou dinheiro”, disse Silvio em sua biografia

1948 – Começa a trabalhar como locutor em rádios, mas deixa o emprego para ganhar mais dinheiro montando um sistema de alto-falantes nas barcas do Rio, onde vende anúncios publicitários; cria também um bar e um bingo nas embarcações

1954 – Já em São Paulo, assina seu primeiro contrato, como locutor da Rádio Nacional; o salário baixo o leva a lançar uma revista de passatempos (“Brincadeiras para Você”), para vender anúncios, e a se tornar animador em shows de circo e comícios

1958 – Manoel de Nóbrega lhe repassa o Baú da Felicidade, então em dificuldades financeiras; Silvio transformaria a empresa em uma lucrativa cadeia de 127 lojas que chegou a faturar R$ 400 milhões por ano e que foi vendida em 2011 ao Magazine Luiza (por R$ 83 milhões), após as dificuldades financeiras causadas pelo fraude em outro de seus negócios, o Banco Panamericano, que causou um rombo de R$ 4,3 milhões

1962 – Estreia como apresentador de TV com o programa “Vamos Brincar de Forca”, na TV Paulista e lança o dominical “Programa Silvio Santos”; no mesmo ano, casa-se com Cidinha, com quem teria as filhas Cíntia e Silvia; sua mulher morreria em 1977, vítima de um câncer

1975 – Em outubro, vence a concorrência do governo Ernesto Geisel para aquisição do Canal 11, do Rio de Janeiro; em maio do ano seguinte entra no ar a TVS (Studio Silvio Santos Cinema e Televisão Ltda.); por um período, apresentaria o “Programa Silvio Santos” simultaneamente nas TVs Tupi e Record, em São Paulo, e na TVS, no Rio

1981 – Casa-se com Iris Pássaro, funcionária do Baú da Felicidade; o casal teve quatro filhas: Daniela, Patrícia, Rebeca e Renata. Em março, ganha do presidente João Figueiredo a concessão de quatro canais; em agosto, nascia o SBT (Sistema Brasileiro de Televisão)

1989 – Sai candidato à presidência da República pelo nanico PMB, mas a inexistência legal do partido e o exercício patronal dentro de uma rede de televisão o impediram de se candidatar. No ano seguinte, é convidado a concorrer ao governo de SP, mas desiste; em 2002, volta a ser considerado como candidato a presidente, pelo PFL (hoje DEM), mas não chega a concorrer

2001 – É tema do desfile da escola de samba Tradição, no Carnaval do Rio; em agosto, sua filha Patrícia Abravanel é sequestrada e passa sete dias em cativeiro; é libertada após o pagamento de resgate de R$ 500 mil, mas dias depois um dos sequestradores invade a casa do apresentador em São Paulo e o mantém como refém por sete horas, até se entregar. No mesmo ano, lança o primeiro “reality show” brasileiro, “Casa dos Artistas”, que bate recordes de audiência

2010 – Chega aos 80 anos no ponto mais baixo de sua carreira: o Banco Central identifica fraudes contábeis que geraram um rombo de R$ 4,3 bilhões em seu Banco PanAmericano; a instituição é vendida para o BTG Pactual por R$ 450 milhões e a Polícia Federal indicia 22 pessoas, incluindo cinco ex-diretores e um ex-presidente do Grupo Silvio Santos, sob a acusação de formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta, “caixa dois” e outros crimes financeiros

 

Fonte: Folha de São Paulo

 

enviar comentário
Publicidade

Ambulantes serão selecionados pela Semsur nesta segunda-feira

Representantes da Prefeitura do Natal, dos ambulantes retirados das calçadas do shopping Midway Mall no mês passado, de entidades de Direitos Humanos e do estabelecimento comercial em questão, reuniram-se na tarde desta sexta-feira (17), no Salão Nobre do Palácio Felipe Camarão, para tratar do ordenamento do espaço público nas calçadas do shopping, tanto na avenida Salgado Filho, como na Bernardo Vieira.

Depois de cerca de três horas de debates, o secretário municipal de Serviços Urbanos (Semsur), Luis Antônio Albuquerque, ficou decidido que na próxima segunda-feira (20), a partir das 9h, será feito na sede da Semsur, a escolha dos nomes e definida a quantidade de ambulantes que continuarão a atuar nas calçadas do shopping, para que eles voltem a trabalhar na terça-feira (21). “Temos vários nomes já cadastrados e é a partir destes dados que iremos selecionar os ambulantes”, afirmou o secretário.

Restrições
Durante a reunião, o secretário chefe do Gabinete Civil (Segap), Caio César de Araújo Medeiros, informou que o ordenamento do espaço público do entorno do Midway não abrange apenas a questão da seleção dos ambulantes. “Também não vamos permitir mais a venda de CD’s e DVD’s piratas, que é ilegal, de alimentos produzidos sem higienização, com uso de botijões de gás, que tragam riscos à segurança das pessoas”.

Após a seleção, os ambulantes serão identificados com um crachá e colete. “Será uma forma de impedir que pessoas não selecionadas invadam o local”, disse Luis Antônio.

O mesmo trabalho de ordenamento também será feito em outros espaços públicos da cidade, que atualmente têm o mesmo problema, como nas calçadas dos shoppings Via Direta e Natal Shopping. “O objetivo da Prefeitura do Natal é encontrar uma solução que para ordenamento o comércio informal nas ruas da cidade, de forma que não prejudique a circulação de pedestres, mas olhando também a situação social dos ambulantes”, concluiu o secretário da Semsur.

enviar comentário
Publicidade

Cavendish impetra ‘habeas corpus’ para não comparecer à CPI

 O dono e ex-presidente do Conselho de Administração da Delta Construções, Fernando Cavendish, impetrou habeas corpus com pedido de liminar para não comparecer à CPI do Cachoeira no dia 29 de agosto. No pedido, os advogados alegam que Cavendish perdeu a mulher em acidente de helicóptero há cerca de um ano e que, assim, será exposto a situação “desrespeitosa, humilhante e atentatória a sua integridade psicológica, já tão abalada”.

Cavendish, que depois da eclosão do Caso Cachoeira teria tentado vender a empresa, sem sucesso, foi convocado como testemunha após a aprovação de 11 requerimentos, assinados por 14 parlamentares. Os requerimentos foram aprovados por unanimidade pela comissão, com 28 votos favoráveis, no início de julho. Atualmente em regime de recuperação financeira judicial, a empresa Delta é suspeita de fazer repasses à organização criminosa de Carlinhos Cachoeira por meio de empresas de fachada para obter benefícios em obras.

Outro motivo da convocação, lembrado diversas ocasiões pelo senador Alvaro Dias (PSDB-PR), é a suposta afirmação feita por Cavendish de que seria possível comprar parlamentares. Em um dos requerimentos de convocação, os deputados Onyx Lorenzoni (DEM-RS) e Mendonça Prado (DEM-SE), lembram que o dono da Delta, em conversas gravadas por ex-sócios, teria afirmado que “com seis milhões de reais é possível comprar um senador” e “com trinta milhões de reais, você é convidado para muitas coisas”.

No habeas corpus, os advogados citam trechos dos requerimentos de convocação e alegam que, pelo teor das acusações que vêm sendo feitas por parlamentares, a condição do empresário não é de testemunha, mas sim de investigado. Por esse motivo, ele não seria obrigado a comparecer à comissão. Ainda assim, pedem que, caso não haja a dispensa, seja assegurado a ele o direito de permanecer em silêncio para não se autoincriminar.

Regionais

Além disso, a defesa lembra que as irregularidades apontadas se concentram em apenas duas das nove regionais da empresa: a do Centro-Oeste e a do Distrito Federal. Para eles, os argumentos usados para convocar Cavendish representam desvio do fato determinado que justificou a instauração da CPI, relacionado às atividades apenas nas duas regionais.

Em entrevista na última quarta-feira, o presidente da comissão, senador Vital do Rêgo, disse que não esperava muito do depoimento, já que Cavendish não virá como colaborador da CPI. Para ele, o depoimento do ex-diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) Luiz Antonio Pagot, pode trazer informações novas à comissão.

Pagot, que falará no dia 28 de agosto, já havia declarado sua disposição de colaborar com a CPI. Ele deixou o Dnit em 2011, após denúncias de irregularidades e atribui a pressão pela sua saída ao grupo comandado por Cachoeira, que teria interesse de defender interesses da Delta no órgão. Em entrevistas, Pagot disse que era procurado por partidos para captar doações ilegais com empreiteiras para campanhas políticas.

Outros depoentes

Na mesma semana dos depoimentos de Pagot e Cavendish, também serão ouvidos o empresário Adir Assad e o ex-diretor da Dersa, empresa responsável pelo desenvolvimento Rodoviário em São Paulo, Paulo Vieira de Souza. Assad, que será ouvido no dia 28, é apontado como agente usado pela Delta e outras empresas para lavar dinheiro. Já Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto deve falar no dia 29 sobre os contratos firmados entre a Dersa e a construtora Delta.

 

Fonte: Agência Senado

enviar comentário
Publicidade