Por que o impeachment anda mais rápido que processo de Cunha?

Processo contra Eduardo Cunha foi aberto em 2 de março, após vários recursos do presidente da Câmara

A tentativa de cassar o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), por meio de um processo no Conselho de Ética começou em 13 de outubro, 50 dias antes de ele aceitar um pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff, em 2 de dezembro – dando início ao trâmite que pode culminar na derrubada do governo petista.

Apesar disso, a presidente corre risco real de ser afastada do cargo antes de o julgamento de Cunha ser concluído.

O ritmo de análise dos dois procedimentos tem variado em grande parte devido aos interesses do presidente da Câmara, cujo cargo lhe confere poder de acelerar ou retardar o funcionamento do plenário e das comissões da Casa – apontam parlamentares tanto da base governista como de partidos independentes.

Diante disso, muitos têm questionado a legitimidade de Cunha para conduzir o processo contra Dilma.

“Um deputado que é réu (em processo no Supremo Tribunal Federal) é isento para conduzir o processo de impeachment da presidente? Eu acho que não”, disse o deputado José Carlos Araújo (PR-BA), presidente do Conselho de Ética da Câmara.

Após adotar medidas que atrasaram a instalação da comissão especial de impeachment, o presidente da Câmara agora trabalha para acelerar seu funcionamento, convocando sessões plenárias também às segundas e sextas-feiras – o que é incomum no Congresso, que em geral funciona de terça a quinta.

O objetivo é apressar os prazos para a apresentação da defesa da presidente (dez sessões plenárias) e para a comissão especial de impeachment votar seu parecer (cinco sessões). A expectativa da oposição é que essas duas etapas sejam concluídas na segunda semana de abril.

Em seguida, o parecer será submetido ao plenário, que avaliará se aprova a abertura de um processo contra a presidente no Senado.

Está em discussão proposta do líder do Solidariedade, Paulo Pereira, o Paulinho da Força, de realizar essa votação no domingo, 17 de abril, com objetivo de atrair manifestantes contra o governo para a frente do Congresso.

Se mais de dois terços dos deputados votarem pela abertura de um processo de impeachment, tal decisão ainda terá que passar pelo crivo da maioria dos senadores. Se uma eventual decisão nesse sentido passar nas duas Casas, Dilma fica automaticamente afastada do cargo enquanto é julgada pelo Senado.

O processo contra Cunha foi aberto em 2 de março, após sucessivos recursos de aliados do presidente da Câmara terem protelado a decisão do conselho.

Para alguns parlamentares, a atuação inicial de Cunha no sentido de atrasar a instalação da comissão de impeachment teve como objetivo tirar o foco dos trabalhos no Conselho de Ética. Ele poderia ter instalado a comissão especial de impeachment no início de fevereiro, mas preferiu recorrer da decisão do STF que definiu em dezembro o rito de impeachment – como esperado, os recursos não foram aceitos.

“Ele (Cunha) não estava preocupado com o futuro do país, com a economia. Quis acirrar os ânimos para sair da vitrine”, criticou o deputado Julio Delgado (PSB-MG).

Terra

Publicidade

Comentários:

  1. Polyana disse:

    Simples, porque corrupção é só um pretexto, uma cortina de fumaça para o que verdadeiramente interessa: O PETRÓLEO que o PRÉ SAL revelou ao mundo.

    Esse tem sido o real motivo da VAZA A JATO, que encontra em Dilma, Lula e nas esquerdas brasileiras, uma oposição aos seus planos de privatização da Petrobrás e de dominar a exploração do Petróleo como costuma fazer em todos os países que possuem Petróleo no mundo.

    O problema é mais embaixo!!!

    Prestem atenção ao que eles dizem, mas não esqueça de prestar mais atenção ainda ao que eles não dizem.

    Lembrem-se das declarações do SERRA, os editoriais da Rede Globo e a ligação da esposa do Juiz Moro, Rosâgela Moro, com as petrolíferas americanas (Shell, Chevron, Esso…) por meio do seu escritório (Zucolloto) em Curitiba/PR, e tire suas próprias conclusão ligando os pontinhos…

    Nunca se esqueçam que por trás de todo conflito tem o "ECONÔMICO" como foco principal disfarçado com convenientes e oportunos pretextos a título de disfarce para tapear os inocentes e manipular parte da população a aceitar o que querem de fato.

    Foi assim nas Cruzadas, na Inquizição, na derrubada de D. Pedro II (por ter libertado os escravos), na perseguição a Lincoln, etc, etc, etc

    • Verdade seja dita disse:

      Tu andas fumando o que heim?

    • pelo um pais sem tanta injustiça disse:

      Concordo com vc.poliana.
      O povo ja esqueceu no prato q comeu.
      Esse q querem o inverso do brasil,vão vende petrobas.etc.
      Meu povo vamos acorda.
      Gente os tres poderes hoje do Brasil.
      Senado.camara. e presidente.
      São tudo farinha do mesmo saco.
      Um presidente da camara dos deputado. E um corrupto.
      Esse cara tem altonomia para juga uma presidente da república.
      O maior partido ladrão não e o pt.
      E o pmdb.
      Q comeu do file ,o melhor pedaço d carne, e hoje quando ta so o ossos pra roe.eles vão fazer o q.
      Vão abandona ossos. Sem apenas ter chupado.
      So espero quando nois tiver nua situação pior do q a q c encontrar hoje.nao venha reclama