dias úteis

Publicidade

Carlos Eduardo: “Natal tem potencial de sediar a Hub”

Carlos Eduardo Alves recebeu a notícia de que a capital potiguar poderá se tornar sede do primeiro “Hub” da TAM Linhas Aéreas no Nordeste com bastante entusiasmo.A capital potiguar disputa contra outras duas cidades, Fortaleza e Recife. Em entrevista para a Tribuna do Norte, o prefeito de Natal disse ter todas as condições, pois a posição geográfica estratégica e a cadeia de hotéis e serviços da cidade se destaca em relação as outras duas.

O Grupo Latam, que compreende as companhias aéreas TAM, no Brasil, e LAN, no Chile, iniciou um estudo de viabilidade econômica do projeto do “hub”, que deverá custar perto de 1,5 bilhão de dólares para instalação.

Natal é a cidade brasileira mais próxima do continente europeu e africano e ainda possui um aeroporto inaugurado há menos de um ano e com bastante potencial.

enviar comentário
Publicidade

A Petrobras blindou a roubalheira da SBM

A doutora Dilma disse que a Petrobras “já limpou o que tinha que limpar”. Falso. Falta limpar o acobertamento das suas tenebrosas transações com a companhia holandesa SBM, a maior operadora de sondas flutuantes do mundo. Com sede em Mônaco, é a maior empregadora do principado, perde só para o cassino. Faturou 4,2 bilhões de euros em 2012 e 60% de seus negócios se davam com a Petrobras. Desde 2012, a diretoria da empresa sabia que distribuíra US$ 130 milhões no Brasil, onde seu representante era Julio Faerman, um ex-funcionário da Petrobras que teve US$ 21 milhões numa conta do HSBC suíço e hoje vive em Londres. Homem discreto, só se conhece dele uma fotografia, com uma máscara veneziana cobrindo-lhe os olhos. O contrato de venda da plataforma P-57 (US$ 1,2 bilhão), por exemplo, gerou uma comissão de US$ 36 milhões.

A essa altura, comissões pagas por Faerman ao “amigo Paulinho” e a Pedro Barusco já estão na papelada de Curitiba. Falta limpar a maneira como a Petrobras e a Controladoria-Geral da União lidaram com o caso. A Lava-Jato começou em 2014, mas a faxina interna da SBM começou em 2012. Existe uma gravação de um encontro de seus diretores no aeroporto de Amsterdam lidando com o caso. Nela, a Petrobras é mencionada. O grampo partiu de Jonathan Taylor, um advogado da SBM que está em litígio com a empresa, que o acusa de chantagem.

Em outubro de 2013, apareceu na Wikipedia um texto (provavelmente de Taylor) denunciando a rede internacional de propinas da SBM e dando nome a bois da Petrobras. Dias depois, sumiu, até que o assunto reapareceu em fevereiro de 2014 na revista holandesa “Quote”. A Petrobras abriu uma auditora para examinar seus negócios com a SBM e mandou funcionários à Holanda, sem dizer o que fariam. Num comunicado oficial, informou que eles não encontraram anormalidades. A SBM, por sua vez, dizia que pagara US$ 139 milhões em comissões por serviços legítimos e a petroleira fingiu que acreditou. Segundo Taylor, estava em movimento uma operação para abafar as propinas brasileiras. Ele parece ter razão, pois em novembro Graça Foster revelou que soubera das propinas em maio. E não contou ao mercado.

A conexão brasileira foi varrida para depois do segundo turno. Dezessete dias depois da reeleição da doutora, a SBM fez um acordo na Holanda e pagou uma multa de US$ 240 milhões. Em seguida, a Controladoria-Geral da União abriu um processo contra a SBM e Graça Foster fez sua revelação tardia.

Taylor contou ao repórter Leandro Colon que em agosto mandou à CGU um lote de documentos. No dia 3 de outubro, ele se encontrou na Inglaterra com três funcionários da controladoria. Essa reunião foi gravada, com consentimento mútuo. A conexão SBM-Petrobras ficou blindada de maio, quando a campanha eleitoral mal começava, até novembro, quando a doutora estava reeleita.

A CGU diz hoje que abriu o processo em novembro porque só então encontrou “indícios mínimos de autoria e materialidade”. A ver. Isso poderá ser esclarecido se forem mostrados os documentos recebidos pela CGU em agosto e o que foi dito no encontro de outubro.

Há uma velha lenda segundo a qual o Brasil seria outro se os holandeses tivessem colonizado o Nordeste. Darcy Ribeiro matou essa charada respondendo: “Seria um Suriname”. Talvez seja um exagero, mas em novembro do ano passado, quando a SBM e o governo holandês se entenderam, Robson Andrade, presidente da Confederação Nacional da Indústria, resumiu o que acontecera em Amsterdam e o que estava acontecendo no Brasil, onde as empresas apanhadas na Lava-Jato negociavam acordos de leniência:

“Eu acho que o Brasil está amadurecido o suficiente para que não coloque essas empresas com esse selo (de inidôneas). Nós vemos, por exemplo, que aconteceu a mesma coisa com a empresa da Holanda, a SBM Offshore. Será que a Holanda vai colocar essa empresa como inidônea e não vai poder participar de mais nada no mundo?”

O governo holandês e a SBM se entenderam e a Lava-Jato está cuidando das propinas pagas a funcionários da Petrobras, que ficou com toda a conta. Falta limpar o silêncio da Petrobras a partir de maio e entender a rotina da CGU de agosto a novembro, depois da reeleição da doutora.

• Serviço: quem quiser, pode pegar na rede uma magnífica narrativa do caso na revista holandesa Vrij Nederland, intitulada “The Cover-Up at Dutch Multinational SBM”, dos repórteres Ham Ede Botje, James Exelby e Eduard Padberg. Num sinal dos tempos, o trabalho da trinca foi amparado por uma fundação de estímulo à investigação jornalística.

O Globo

enviar comentário
Publicidade

Dilma pode ser responsabilizada por manobras fiscais, diz ministro do TCU

O ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Augusto Nardes afirmou neste sábado (18) que a presidente Dilma Rousseff pode ser responsabilizada pelas manobras fiscais feitas pelo governo para arrumar suas contas no ano passado, conhecidas como “pedaladas” fiscais.

“Poderá, sim, ser responsabilizada a presidente, se ficar comprovado. Vai depender do relator e dos depoimentos dos 17 ministros e autoridades envolvidos”, declarou o ministro, que participa do 14º Fórum de Comandatuba, na Bahia.

Nardes, que é relator das contas de Dilma em 2014, disse que os recursos apresentados pelo governo contra a decisão do TCU que considerou as “pedaladas” irregulares são “manobras para tentar adiar a decisão” do tribunal. Segundo o ministro, não haverá prorrogação do prazo para ouvir as explicações de 17 autoridades envolvidas no caso.

“[Os embargos] fazem parte do jogo democrático e portanto nós vamos analisar os recursos. Mas vamos fazer todo o possível e, por isso, demos 30 dias de prazo improrrogáveis”, disse Nardes.

O ministro afirmou que, apesar dos recursos, mantém para 17 de junho a previsão de apresentação de seu relatório sobre as contas de 2014 de Dilma. Ele pretende usar nesta análise os dados sobre o processo das “pedaladas” fiscais.

Com essas manobras, o Tesouro segurou repasses de R$ 40 bilhões devidos a bancos oficiais que executam programas como o Bolsa Família e o Minha Casa, Minha Vida e pagam benefícios sociais como o seguro-desemprego.

Nardes classificou como “um absurdo” a decisão do governo de não contabilizar determinadas despesas e acrescentou que as manobras podem obrigar a União a fazer cortes na máquina pública no curto prazo.

“Se nós não crescermos acima de 4% ou 5%, se o país continuar crescendo 0,1% ou 0,2%, talvez em cinco anos possamos ter cortes de salários de boa parte da estrutura do Estado brasileiro, como aconteceu com Espanha, Grécia e Portugal”, declarou.

Jornal O Tempo

enviar comentário
Publicidade

Comerciário é assassinado na porta de casa em Mossoró

Na noite de ontem, a Polícia Militar registrou mais uma morte violenta em Mossoró, a segunda deste sábado na cidade.

A ocorrência foi registrada na rua Anatália de Melo Alves, no bairro Paredões, vitimando um comerciário identificado como Gilmar Santana de Moraes de 43 anos.

Segundo informações repassadas à polícia por testemunhas, a vítima estava na calçada de sua casa, quando foi surpreendida por dois elementos que chegaram em uma moto e o garupa já desceu atirando em sua direção.

Gilmar foi atingido com dois disparos na região da cabeça e um no ombro, e foi socorrido por populares que o deixaram na base do Samu, no bairro Santo Antônio, mas segundo informações médicas o mesmo já chegou no local sem vida e não houve tempo para colocá-lo na ambulância e levá-lo para o Hospital Tarcísio Maia.

Familiares informaram à polícia que Gilmar era uma pessoa bastante conhecida na cidade e não tinha inimigos. A família disse não saber o que teria motivado a morte de Gilmar Santana.

O corpo da vítima foi removido da base do SAMU, por uma ambulância, para a sede do ITEP depois de uma autorização do médico legista da unidade pericial.

Este é o quadragésimo sétimo do ano em Mossoró. O caso será investigado pela equipe da Delegacia de Homicídios-DEHOM.

Com informações do fimdalinha.com.br

enviar comentário
Publicidade

Chacina deixa 8 mortos em quadra de torcida do Corinthians

Oito pessoas morreram na noite de sábado em uma chacina na quadra da torcida Pavilhão Nove, organizada do Corinthians, informou a Polícia Militar. O local fica próximo à Ponte dos Remédios, na zona Oeste de São Paulo, na divisa com a cidade de Osasco.

O crime ocorreu por volta das 23 horas de sábado. Policiais encontraram sete corpos um ao lado do outro. A oitava vítima foi socorrida, mas não resistiu aos ferimentos.

A PM informou que os motivos do crime ainda são desconhecidos.

Terra

enviar comentário
Publicidade