Publicidade

Governo começa a testar seu próprio ‘Uber’ para servidores públicos

O governo federal lançou nesta segunda-feira, 13, ainda em fase de testes, um novo aplicativo só para alguns de seus funcionários em Brasília. Trata-se do TáxiGov, um app de transportes semelhante ao Uber que ministros e outros servidores poderão usar para se locomover pelo Distrito Federal.

Por enquanto, apenas servidores da Secretaria de Gestão (Seges) do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MP) podem usar o TáxiGov, que foi desenvolvido para Android, iOS e Windows Phone. Com ele, os funcionários podem pedir táxis que serão pagos pelo governo em viagens a trabalho.

Segundo o Planalto, pagar táxis para os servidores representará uma economia de 60% nos gastos com transporte dos funcionários públicos. Esse transporte hoje é feito com uma frota de motoristas particulares contratados, que presenta um gasto anual de R$ 32 milhões.

O aplicativo conta com diversos recursos de outros apps como Uber e 99, incluindo agendamento de corridas e sistema de avaliação de motoristas. Após a viagem, o servidor receberá o comprovante por e-mail, o qual poderá ser usado para pedir reembolso do governo federal. É possível pedir um carro pelo TáxiGov através do celular, PC ou até pelo telefone fixo.

O governo espera que todos os órgãos da Administração Pública Federal localizados no Distrito Federal comecem a utilizar o novo serviço até o início de 2018. A expectativa é de que a mudança economize R$ 20 milhões por ano dos cofres públicos.

Olhar Digital, UOL

Comentários (7) enviar comentário
  1. reno carlos de sousa disse:

    Eis air uma nova forma de roubar de forma oficial….

  2. paulo martins disse:

    "É gópi!", vai bradar em coro a bancada petralha.

  3. Junior 2 disse:

    Não está claro na matéria que tipo de deslocamento esse serviço visa a substituir.
    Provavelmente locação de veículos para transportar servidores em serviço, quando não for o caso em transporte da repartição.
    Resta saber se sairá mais barato mesmo.
    No serviço público há muita burocracia, o que encarece os valores.
    Por exemplo, as praças em Natal poderiam ser revitalizadas por meio de mutirões sociais.
    Um engenheiro projeta a reforma. Um mestre de obras orienta os serviços.
    Moradores e lojas de materiais de construção doam materiais de construção.
    Moradores e estudantes universitários ou não seriam a mão de obra.
    Custo zero para o governo.
    Mas se for contratar uma empresa, sai caro.
    E aquelas telas de arame em volta das quadras?
    Por que não ir consertando ou substituir por materiais mais resistentes em vez de gastar ou fortuna?
    Por que não fazer mutirões de limpeza na cidade, deixar as ruas varridas, os meio fios pintados, as calçadas regularizadas?
    A prefeitura poderia incentivar comerciantes a melhorarem suas calçadas…

  4. Luciana Morais Gama disse:

    O governo do RN e a prefeitura de Natal não sabe quantos carros alugados tem, onde estão, com quem estão, nem quanto gastam de combustíveis. Aliás virou moda aluguel de carros para órgãos públicos. Precisa ter mais controle da situação. Uma vistoria do MINISTÉRIO PÚBLICO nesses contratos ia bem.

  5. Ricardo disse:

    E agora vão reclamar de que e de quem?

  6. Júnior disse:

    PALHAÇADA, TODOS OS SERVIDORES VÃO TRABALHAR POR CONTA PRÓPRIA, SEJA DE CARRO, ÔNIBUS, BICICLETA OU A PÉ. O BRASIL ME ENVERGONHA!!

  7. Paulo Cardoso disse:

    Quanto tempo para aparecer os desvios

Publicidade

Em rede social, governador do RN anuncia que salário será antecipado

Robinson-FariaO governador do Rio Grande do Norte Robinson Faria usou uma rede social nesta segunda-feira (1º) para anunciar que o pagamento dos salários de janeiro dos servidores públicos estaduais serão antecipados. Antes previstos para serem pagos nos dias 29 e 30 do mês passado, o governo chegou a confirmar que só pagaria os vencimentos de janeiro nos dias 4 e 5 deste mês. Agora, segundo Robinson, os pagamentos serão feitos nos dias 3 (para aposentados e pensionistas) e 4 (servidores ativos).
“Uma boa notícia aos servidores: conseguimos antecipar o pagamento dos salários com relação ao que divulgamos na semana passada. Com isso, os servidores inativos e pensionistas vão receber nesta quarta, dia 03, e os ativos na quinta, dia 04. Garantindo que todos estejam com salários no bolso antes do Carnaval!”, postou o governador em perfil no Instagram.
“O pagamento dos servidores nos primeiros dias do mês subsequente, conforme previsto em lei, garante o salário integral de todo o funcionalismo. A medida foi necessária em virtude da crise econômica que afeta o país, especialmente os estados mais dependentes das transferências da União”, justifica a Secretaria de Planejamento e Finanças (Seplan).
Ainda de acordo com a Seplan, “o Rio Grande do Norte sentiu o impacto da queda acentuada dos repasses federais, em especial royalties, Fundo de Participação dos Estados (FPE) e ICMS. As frustrações nas receitas chegaram a R$ 613 milhões em comparação ao orçamento previsto para o exercício de 2015. Somente de royaties o Governo deixou de receber 45,38% dos recursos previstos no ano passado. No FPE a frustração real chegou a 7,39% e continua em 2016 com previsão negativa já anunciada de 15,7% a menos do que o valor transferido pela União em janeiro do ano passado”.
“É importante ressaltar que em janeiro de 2015 o FPE já foi menor do que no mesmo mês de 2014. No comparativo entre 2015 e 2014, a queda na Receita Líquida do Tesouro chegou a 7,2%”, acrescentou o secretário Gustavo Nogueira.

Comentários (8) enviar comentário
  1. Beto disse:

    Quando o governo é bom para população, será melhor pra todos nós! Vamos unir forças no sentido de um RN melhorado! Amém

  2. Berg Natal disse:

    Boa notícia seria pagar dentro do mês trabalhado. Conheço pessoas que mal chegam ao fim do mês com o salário recebido, e estão passando necessidade com esse atraso. Vergonha ver pessoas puxando o saco do governo aqui, achando o máximo a antecipação de um dia. Piada de mal gosto.

  3. haroldo disse:

    Esse povo acha que nós somos um trouxa , quando fala em antecipação, de que?

  4. Ari disse:

    Não é nem um favor, trabalhamos e temos que receber, não tivemos nenhum reajuste salarial com o sr. e sua equipe juntamente com a alta cúpula. E antecipou apenas um dia dos 5 dias de atraso.

  5. João Paulo disse:

    Não é antecipação, é atraso de 3 e 4 dias respectivamente.

    • marcos disse:

      Por lei o pagamento devera ser efetuado ate o 5(quinto) dia util do mes subsequente ao mes trabalhado.

    • Roberval Junior disse:

      Nós não somos celetistas, meu caro. Somos ESTATUTÁRIOS.

    • Carol disse:

      O senhor conhece a palavra "analogia", Roberval Júnior. O ente público pode, sim, pagar até o quinto dia útil do mês subsequente ao vencido. Vamos estudar antes de falar bobagens.

Publicidade

Lei que reajusta salários dos servidores públicos de Natal em 8% é publicada

Foi publicada no Diário Oficial do Município desta quinta-feira (13) a lei 6.435/2014, que reajusta em 8% os salários dos servidores públicos municipais em Natal. Assinado pelo prefeito Carlos Eduardo, o reajuste é retroativo a janeiro deste ano, e beneficia servidores da administração direta e indireta.

O aumento foi votado neste mês, durante convocação extraordinária da Câmara Municipal de Natal (CMN). Com a lei, o menor salário pago pela Prefeitura de Natal é no valor de R$ 575,59, em plano geral nível I (início de carreira). O maior salário, de R$ 4.557,01, é dado a especialistas em saúde nível E.

Comentários (2) enviar comentário
  1. francisco disse:

    Com a lei, o menor salário pago pela Prefeitura de Natal é no valor de R$ 575,59, em plano geral nível I (início de carreira). SEGUNDO NOSSA LEGISLAÇÃO O MENOR SALARIO QUE É O "MÍNIMO" ESTÁ ATUALMENTE EM R$680,00 REAIS, ENTÃO TEM ALGUMA COISA ERRADA, MESMO PARA INÍCIO DE CARREIRA, CONCORDA COMIGO?

    • Luiz disse:

      O salário mínimo atual é de R$ 724,00, ou seja, a situação é pior que a relatada por você.

Publicidade

Planos de Saúde: Operadoras correm risco de deixar 2,7 milhões de servidores públicos na mão

Pelo menos 2,7 milhões de servidores públicos que pagam pesadas mensalidades a 34 planos de saúde específicos da categoria podem ficar sem atendimento. Afetados pela má gestão e envoltos em suspeitas de desvio de recursos e de superfaturamento de contratos, os convênios vêm registrando rombos constantes de caixa, acumulam faturas gigantescas com fornecedores e prestadores de serviços e, em vários casos, estão com patrimônio negativo. Ou seja, se fossem encerrados hoje, não teriam recursos suficientes para honrar todos os compromissos – apesar de receberem, regiamente, subsídios do governo. A ineficiência dos planos de saúde custa aos cofres públicos cerca de R$ 3 bilhões ao ano.

Os dados são alarmantes, reconhece a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que já interveio em pelo menos três das operadoras que atendem o funcionalismo público: a Fundação de Seguridade Social (Geap), o Serviço Social das Estradas de Ferro (Sesef) e a Fundação Assistencial dos Servidores do Incra (Fassincra). Juntas, atendem 614 mil pessoas, que já sofrem diante do forte encolhimento da rede credenciada e das constantes recusas de médicos e laboratórios. A Fundação Assistencial dos Servidores do Ministério da Fazenda (Assefaz), com 94 mil associados e deficit de R$ 37 milhões em 2012 pode engrossar o grupo. A entidade está sob fiscalização do Ministério Público Federal.

Correio Braziliense

enviar comentário
Publicidade