Turista que visita Natal na alta estação vem do Sudeste e permanece, em média, 10 dias na cidade

Pelo 5º ano consecutivo, o Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Comércio da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do RN traçou o perfil do turista que visita Natal na alta estação. A maior parte dos turistas são brasileiros (79,7%; contra 82,4% em 2016); vindos da região Sudeste (35,2% de São Paulo; 11,2% do Rio de Janeiro; e 5,9% vieram de Minas Gerais); viajam com a família (72,8%); são homens (51,5%); e permanecem, em média, 10 dias na cidade.

O percentual de turistas estrangeiros (20,3%), foi maior em relação ao ano passado (17,6%), sendo que 7,7% são provenientes da Argentina. Em 2016, os turistas argentinos eram 6,7%. A Itália é o segundo país que mais envia turistas a Natal na alta estação, com 1,7% dos entrevistados, índice obtido tanto este ano quanto no ano passado. 52,6% das pessoas ouvidas na pesquisa visitavam o estado pela primeira vez. Já na pesquisa de 2016, 70,5% dos visitantes nunca tinham vindo ao RN.

Com relação ao que atraiu o turista ao Rio Grande do Norte, as belezas naturais foram o item mais lembrado, com 66,8% das respostas ao questionário. O índice é um pouco menor do que o obtido em 2016, quando esta foi a motivação para vir ao estado de 87,1% das pessoas que responderam à pesquisa. Visitar a família (6,8%), visitar os amigos (4,7%), e as promoções (1,7%) também serviram de incentivo para que as pessoas passassem uma temporada no estado.

A respeito de quando tomaram a decisão de viajar para o RN, 20,7% decidiram 6 meses antes da viagem; 20,6% decidiram 3 meses antes; 16,9% há 2 meses; e outros 11,2% estavam planejando a viagem há 1 ano. Ao contrário de 2016, quando 52,8% usaram os serviços de uma agência de viagens para organizar o passeio, este ano, 65,8% dos entrevistados informaram que não foi necessário contratar este serviço. O principal meio de transporte usado para chegar ao RN foi o avião (93,1%), e a companhia aérea mais utilizada foi a Gol (46,3%), seguida da Latam (25,7%).

A maioria dos visitantes (53,5%) possuía renda de até R$ 6 mil mensais. De acordo com a pesquisa, cada turista gastou diariamente R$ 235,16, em média, valor 12,8% superior em relação a 2016, quando o gasto individual por dia foi de R$ 208,41. No detalhamento, o gasto médio individual do turista por dia foi de R$ 93,29 com hospedagem (em 2016 foi de R$ 90,98); R$ 46 com alimentação (R$ 52,16 em 2016); R$ 19,42 com transporte (R$ 15,76 no ano passado); R$ 43,52 com diversão (em 2016 foi de R$ 25,07); e R$ 32,93 com compras (R$ 24,44 em 2016).

Praias, restaurantes e bares, centros de artesanatos e shoppings foram os atrativos mais visitados. Entre os restaurantes, por exemplo, o Camarões foi o mais lembrado pelos participantes da pesquisa, com 40,7% das respostas. Além disso, 50,2% deles visitam outras cidades, além de Natal, como é o exemplo de Tibau do Sul, São Miguel do Gostoso e Galinhos.

No geral, a avaliação do destino turístico Natal é boa, e 87,6% dos participantes da pesquisa pretendem voltar ao RN. 96,1% deles avaliam o estado como excelente ou bom; e 97,4% indicariam o RN como destino turístico.

A coleta de dados foi realizada entre os dias 03 e 12 de janeiro, quando foram ouvidas 651 pessoas, nos principais locais de acesso do público à cidade, como o Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante e o Terminal Rodoviário, além de pontos de fluxo turístico como hotéis, pousadas, feiras de artesanatos e atrativos turísticos.

Publicidade

Comentários: