BB nega estornos e TJRN cobrará valores do auxílio-moradia retroativo em processos individuais

O Tribunal de Justiça do RN, através de nota oficial distribuída pela assessoria de imprensa, no início da noite de ontem (11), informou que a determinação do presidente, desembargador Expedito Ferreira, sobre a devolução dos valores pagos à magistratura potiguar à título de retroativos do auxílio-moradia (2009/2014), suspensos pelo Conselho Nacional de Justiça, ainda não foi cumprida.

 

Veja a matéria completa da Tribuna do Norte AQUI

 

Ministro João Otávio de Noronha afirma que nunca recebeu auxílio-moradia retroativo antes de setembro de 2014

 

O Ministro João Otávio de Noronha, Corregedor Nacional de Justiça, esclarece que ao contrário de nota publicada neste blog, nunca recebeu auxílio-moradia retroativo. O pagamento do auxílio só passou a ser feito ao Ministro Noronha, bem como a toda magistratura, após a decisão judicial do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal,  em setembro de 2014. 

12/10/2017

Assessoria de imprensa da Corregedoria Nacional de Justiça

Publicidade

Comentários:

  1. Rafael disse:

    Kkkk
    Pessoal honesto e etico esse da justiça, vamoa ver quantos vão devolver logo?
    Vamos acompanhar mais essa novela e esperar que alem de devolver acabe esse imoral auxílio moradia.

  2. Roberto Jácome disse:

    Se um dia esse povinho brasileiro resolver ir pras ruas de verdade… Vcs não terão tempo de correr!

  3. Coocker Spaniel Inglês disse:

    Afasta e prende.

  4. Coocker Spaniel Inglês disse:

    CNJ cumprir a decisão, já q tá havendo crime de desobediência.

  5. Leonardo disse:

    Ow meninos bestas esses do judiciário…

  6. Só Jesus! disse:

    Quero ver enganar Deus!
    Lembrando que o homem vai colher aquilo que plantou…a justiça só de Deus.

  7. Eduardo disse:

    Sou servidor público. Tenho várias ações contra o Estado. Tem ação que está conclusa na mão do juiz de primeira instância há mais de 4 anos sem decisão. Quem sabe, daqui a uns 10 anos eu consigo uma decisão favorável transitada em julgado. Após vou esperar uns 3 ou 4 anos pra inscrever esse débito em precatório e, se tiver sorte, mais uns 10 anos pra começar a receber parcelado. Enquanto isso, os juízes do RN decidem sobre seus próprios direitos e, numa decisão administrativa, mandam pagar tudo de uma só vez. Há justiça nisso? O Brasil é um país de corporações e cada uma age em seus próprios interesses. Jamais prevalece o interesse público.

  8. Zélia batista dos santo disse:

    Quando mexe com eles, tudo si resolve e rápido,agora processo relacionado a pessoa simples não tem dinheiro, principalmente si for pro governo pagar tudo fica em banho marinho muitas vezes a pessoa morre e não recebe.

  9. Carlos Roberto disse:

    Isso é Brasil….

  10. LOL disse:

    Olha aí o golpe…
    pergunta1: quem vai julgar esses processos de interesse próprio???
    Pergunta2: quem não vai alegar suspeição????

    A única pergunta com resposta:

    Quando esse pagamento imoral, indecente, absurdo retornará aos cofres públicos? NUNCA!!!!! Sentem-se e aguardem!

  11. JP disse:

    BB compactuando com essa imoralidade!! Deveria ser privatizado logo!

  12. Zé Guerreiro disse:

    O banco somente pode estornar se houver decisão judicial.
    A determinação do presidente do TJ foi uma decisão administrativa, não foi objeto de um processo judicial.
    Se o banco estornar estará cometendo uma ilegalidade. Por isso que o BB afirmou que não poderia estornar.

  13. Gilvandro Alves disse:

    No Brasil está tudo errado mesmo. O Tribunal de Justiça do RN faz o chafurdo dele e quem leva a culpa é o BB. A instituição financeira está correta em não fazer os estornos dias após os créditos, até por que muitos desse valores não permanecem mais nas contas. Se o TJ quiser resolver o problema, autorize o BB a debitar nas contas dos beneficiários os valores creditados. Essa celeuma é somente para encobrir o que a população desconfia. ou seja, ninguém vai devolver nada.

  14. Sérgio Nogueira disse:

    Hummmmmmmmmm cheirinho de combinado… é isso mesmo?
    Um manda devolver e o Banco diz que não tem como. Daí é só dizer: até que queria cumprir a ordem do CNJ, mas o gerente do banco…
    Vá eu dever pensão para ver se não é bem rapidinho o bloqueio feito.

  15. Luciana Morais Gama disse:

    Isso é prevaricarão do gerente do BB???

  16. Macaíba disse:

    Falta de vergonha. Podiam devolver antes de serem cobrados…

  17. Reginaldo disse:

    Se fosse na minha conta concerteza o BB já teria estornado o valor e ainda cobraria as taxas sobre movimentações.