CPI da JBS: relator diz que PGR orientou delação para derrubar Temer

O relator da CPI da JBS, Carlos Marun (PMDB-MS), afirmou nesta quinta-feira que deixará claro no seu parecer que a Procuradoria-Geral da República (PGR), na gestão de Rodrigo Janot, “orientou” os depoimentos e gravações feitas por Joesley Batista e outros integrantes do grupo empresarial. Marun disse ter “convicção” desta atuação da PGR. Para Marun, integrante da tropa de choque do governo no Congresso, Janot viu na delação dos dirigentes da JBS uma oportunidade para tentar retirar o presidente Michel Temer do poder.

— Tudo afirma neste sentido. Tenho apenas convicção, fundamentada no que ouvimos e lemos até o momento, de que a PGR, a sua antiga cúpula, viu na delação da JBS uma oportunidade de depor o presidente Temer (do cargo). Por isso, cometeram tantos equívocos. A PGR orientou a delação, as gravações e tentou um resultado que, felizmente, não foi conquistado. Devo deixar isso claro no meu parecer — disse Marun.

Marun disse que a atuação do ex-procurador Marcello Miller no caso é apenas uma “ponta do iceberg” e que cuja participação é fartamente documento. A conduta de Miller no processo está sendo investigado pelo próprio Ministério Público. O parecer deve ser entregue na próxima semana.

— O caso do Miller é muito rico de provas e até de confissão. Mas é a ponta do iceberg — disse Marun, lembrando que ele tinha Janot como “chefe”.

O Globo

Publicidade

Comentários:

  1. Keyla disse:

    Esse aí tem apenas uma grande virtude, é um bandido fiel! Enquanto todos os ratos pulavam do navio, seguiu firme defendendo Eduardo Cunha. Agora que o primeiro bandido já está preso, escolheu um novo!

  2. Cidadão Politizado disse:

    Não foi assim pra derrubar Dilma e acusar Lula?