Crença no fim do mundo pesou na decisão de Trump sobre Jerusalém

Foto: Abbas Momani – 7.dez.2017/AFP

Pode parecer pouco usual em termos de decisão histórica de política internacional, mas o fim do mundo contou para a decisão de Donald Trump de reconhecer Jerusalém como capital de Israel.

Presbiteriano, o presidente americano pagou uma promessa a seu eleitorado evangélico, que tem razões diversas para defender a existência de Israel, mas no centro de sua teologia está uma crença ligada aos dias finais da humanidade, segundo uma leitura bem literal do texto bíblico.

Para várias denominações evangélicas americanas, e também no Brasil em outros lugares, o Estado judeu precisa estar plenamente estabelecido para dar curso à volta de Jesus Cristo à Terra. A ideia da volta dos judeus, o povo eleito de Deus segundo o Velho Testamento, é central na crença de que o Messias retornará para protagonizar episódios narrados no livro do Apocalipse.

Entre eles está, de forma não pouco controversa para os judeus, a ideia de que eles serão convertidos à fé cristã quando os eventos do fim do mundo estiverem em marcha. Entre eles, a ascensão de um líder político, o Anticristo, que com o Falso Profeta irá semear a guerra e a discórdia no mundo.

A batalha decisiva entre as forças do bem e do mal, segundo a tradição, ocorrerá no lugar chamado Armagedon, uma corruptela da atual cidade de Megido, no norte israelense. Historiadores apontam a abundância de batalhas na região durante a antiguidade como o motivo da eleição do lugar, mas para esses fiéis a coisa é ao pé da letra.

Segundo a Bíblia, toda essa narrativa acaba com a destruição de boa parte do mundo, a destruição do Anticristo e do Falso Profeta e a prisão de Satã, o chefe deles, em um abismo. Mil anos de reino de Deus sobre a Terra ocorrerão, creem os fiéis, quando então o Diabo será solto novamente para uma derrota final —e o estabelecimento de uma nova cosmogonia na qual a Nova Jerusalém celeste pontifica.

Trump foi muito bem votado no chamado “Bible Belt”, o famoso “cinturão da bíblia” de Estados do interior americano. Uma grande pesquisa de boca de urna realizada pelo National Election Pool em 2016 apontou que 80% dos evangélicos que foram às urnas votaram em Trump, mas os dados não são considerados precisos —outros analistas falam talvez em 45%.

As mais variadas denominações protestantes dominam o cenário religioso americano. O censo oficial do país não pergunta qual a fé de seus pesquisados, mas uma série de institutos coloca os evangélicos como força dominante do país —girando em torno de 50% daqueles que dizem crer em Deus.

Nem todos os aderentes da defesa cristã de Israel acreditam nessa leitura apocalíptica, contudo, baseando sua posição numa simples questão de reparação histórica ao “povo de Deus” original. De uma forma ou de outra, além de convicções políticas e conveniências eleitorais, a fé segue temperando o debate acerca da paz no Oriente Médio.

MUNDO – Análise – Folha de São Paulo

 

Publicidade

Comentários:

  1. Calixto Silva disse:

    A justiça está sendo feita, muitos desconhecem a história de Israel , se todos conhecem de fato a história de Israel, não iriam acreditar nas mentiras que a imprensa marrom divulga. Os árabes querem a destruição do estado de Israel e por consequência o fim do povo judeu, isto a imprensa o professor de história não contam.

  2. Joao disse:

    So acredito nessa estoria da folha de sao paulo se Lula for pra la fazer campanha e arrebatar seguidores..

  3. Otaciano Queiroz disse:

    parabéns BG por trazido um assunto que é muito antigo , mas ao mesmo tempo tao atual …para nós evangélicos que cremos na palavra de isto que esta havendo no no mundo simplesmente e o cumprimento da palavra de Deus na íntegra!!
    poderia citar aqui varios versículos bíblicos!!..
    mas vou deixar só um ….1 corintios 1 ;18
    que diz :
    "porque a palavra de Deus ela é loucuras para os que perecem , mas para nós que somos salvos em cristo ,, é o poder de Deus!!

    • Calixto Silva disse:

      Glória Deus! 👏👏👏👏👏👏👏👏 é isto aí meu irmão! Estamos atentos ao cumprimento da palavra de Deus.

  4. Oziel Alves disse:

    Bem queria, um Presidente no Brasil que fosse um homem que seguisse as santas escrituras da palavra de Deus , com certeza teríamos um país justo e melhor pra todos.

  5. Antônio disse:

    Essa turma da esquerda não se emenda.
    No Brasil, disseminando práticas homossexuais, pregando as discórdias raciais, falando em tolerância religiosa para religiões "africanas" (que quase ninguém na África conhece…).
    Mas para criticar a igreja católica e os evangélicos têm a língua bem afiada.
    São bastante dissimulados.
    Espalham mentiras.
    De acordo com a Bíblia Jesus volta a qualquer momento.
    Não depende de nada.
    Nem de Jerusalém ser reconhecida por Trump.
    A imaginação fértil dessa turma beira ao ridículo.
    Tentam denegrir Trump de qualquer forma…

  6. Antônio disse:

    Foi artigo de um "jornalista" americano. Coisa de quem não tem o que fazer.
    A imprensa americana noite e dia tentando denegrir a imagem de Trump, dos evangélicos, dos católicos.
    Esse pessoal apoia o ateísmo, o casamento gay, o islamismo…
    Como Trump não apóia ficam tentando queima-lo.

  7. webrevenger disse:

    Será que queremos isso para o Brasil? Um evangélico na presidência tomando decisões baseadas na "bíblia sagrada"? Eduardo Cunha foi eleito com os votos dos "irmãos" do RJ, só para refrescar a memória.

    • Ems disse:

      Melhor mesmo é ser governado por Temer, Lula, Dilma, FHC,… !!!

    • Mario disse:

      realmente…melhor mesmo é um ladrão safado feito o lula né? ou uma vitimista feito a marina? ou melhor! um coronelzinho de safado feito ciro? essa povo é lasca mesmo, merece cada merda onde o brasil estar.

    • paulo martins disse:

      Engano seu, Webrevenger. No Brasil, os "profissionais" da política só temem a Deus da boca pra fora. O único temor real deles, além do câncer, é a Lava Jato e suas ramificações.

    • Calixto Silva disse:

      Por que vc tá preocupado amigo, com a eleição de um evangélico para presidente da República? Vc teme ao que ? Eduardo Cunha é um corrupto, se desviou dos princípios da palavra de Deus, não me venha com essa hestoria de dizer que que ele roubou se corrompeu só pelo fato de ser evangélico, ele roubou mais não foi sozinho não, viu? Veja aí quem foi preso com ele, vc no mínimo é um ateuzinho, querendo botar na conta dos evangélicos uma coisa que não tem nada haver, muitos evangélicos votaram no ateu e comunista Lula e seus companheiros, deixa de falar asneira aí. Creio que se um homem de bem evangélico, que segue os ensinamentos da palavra de Deus, com certeza irá governar melhor do que muitos que já passaram por aí, não é a religião, ou a ideologia partidária que faz um bom governante, são os seus princípios e valores que vão dizer quem ele é, não se baseie no Eduardo Cunha não, ele é um corrupto que se deixou levar pela cobiça, pela avareza, pelo amor ao dinheiro e que agora escandaliza o evangelho, mais não se preocupe, ainda que ele venha escapar da justiça dos homens, da justiça de Deus ele não escapa. E essa justiça é mais ferrenha do que a do homem.

    • Joao disse:

      Se lula for pra Armagedon, uma corruptela da atual cidade de Megido.. significa que as profecias sao verdadeiras.. Passamos os ultimos anos megindo de fome por desemprego e atrasos de salario, devido a tal corruptela petista e de seus socios. Ele ira propagar a discordia e falsas promessas como assim fez aqui, aos descrentes que venderao suas almas em troca de bolsas esmolas… esta escrito… será o fim do mundo. Quase começou aqui… com o fim do Brasil.