Estudante que levou soco após sair do carnaval tem morte cerebral; preso diz que foi agredido e queria descontar em alguém

Jovem foi agredido ao voltar para casa, no circuito Barra-Ondina (Foto: Reprodução/TV Bahia)

O estudante Kaíque Abreu, de 22 anos, que foi agredido quando voltava do carnaval, teve morte cerebral na tarde desta quarta-feira (14), em Salvador. A informação foi confirmada por um tio da vítima, Kildare Abreu, que disse que a família decidiu por fazer a doação dos órgãos.

Kaíque estava internado desde a sexta-feira (9), no Hospital Português, no bairro da Barra.

A câmera de segurança de um prédio registrou o momento em que a vítima foi agredida. Kaíque voltava sozinho do circuito Dodô (Barra-Ondina), após se perder dos amigos. Quando passou na Rua Manoel Barreto, ele foi atacado com um soco no rosto por um homem.

O homem que agrediu o estudante Kaíque Abreu disse à polícia que deu um soco e um chute na vítima para descontar uma agressão que teria sofrido de outra pessoa na folia. A informação foi divulgada pela delegado José Alves Júnior, diretor do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na manhã desta quarta-feira.

“Ele informou e alegou em sua defesa que estaria no circuito de carnaval, onde também estava vendendo queijinho e, em certo momento, se envolveu em uma discussão, uma briga. Nisso, teria sofrido uma agressão. Quando estava no caminho de retorno de casa para embarcar no veículo para voltar, ele quis descontar em alguém. Uma pessoa que passasse pela frente, ele iria revidar aquela agressão que tinha sofrido no circuito. Essa pessoa, infelizmente, foi o Kaíque”, disse o delegado.

A delegada Carmem Dolores, titular da 14ª Delegacia Territoral (DT/Barra), que também está à frente do caso, falou que o agressor tem histórico criminal. “O agressor é adulto e já tem histórico, inclusive, de violência. Ele já baleou uma pessoa e já tem histórico da Maria da Penha com uma ex-companheira também. Quanto à motivação, realmente não houve nada que ensejasse isso. Foi extremamente assim, de graça”.

Através das imagens de uma câmera de segurança é possível notar que, por volta das 2h50 da sexta-feira de carnaval, dois homens chegam e param perto do poste. Em seguida, outros dois homens andam em direção a um caminhão estacionado. Um deles entra no veículo e o outro vai pra carroceria.

Logo depois, Kaíque segue andando na rua e é violentamente agredido por um dos homens que estava próximo ao poste. O rapaz fica no chão, enquanto o motorista do caminhão dá a partida e os dois homens sobem na carroceria. O caminhão deixa o local e o rapaz continua caído.

 

G1

Publicidade

Comentários:

  1. Adry disse:

    País sem Lei banalização das Leis nesse País de Tupiniquins,onde simplesmente se mata de graça.
    Mudanças nessa legislação já é morte a esses criminosos que no lugar de coração tem a certeza da impunidade.

  2. JCabral disse:

    Pergunta??? O agressor precisou de uma ARMA DE FOGO, para ceifar uma vida??? Leis mais rígidas, seria basicamente a primeira solução.

  3. paulo disse:

    BG
    Chegamos a BARBÁRIE no Brasil, que está sem Lei, sem governo, sem nada. só os políticos ROUBANDO e sacaneando a população entregue a própria sorte, até quando nós Cidadãos de Bem vamos tolerar isto????????.