Marinha do Brasil decide comprar navio de ataque inglês por R$ 350 milhões

Por Época

O próximo navio-líder da força naval do Brasil será um porta-helicópteros e também um navio de combate anfíbio, o HMS Ocean-L2, da Marinha Real inglesa. Em operação há 20 anos, o gigante de 203 metros e 21,5 mil toneladas terá a compra negociada por um bom preço, coisa de 84,6 milhões de libras esterlinas, pouco mais de R$ 350 milhões, a serem pagos em parcelas.

Com essa aquisição, fica afastada a possibilidade de um eventual programa de recuperação do porta-aviões NAe A-12 São Paulo, desativado há 10 meses. A revitalização e modernização custariam mais de R$ 1,2 bilhão.

O Ocean ainda está ativo no Reino Unido. Só será recolhido à base de Devonport a partir de março de 2018, quando o contrato bilateral já estará concluído. A autorização para que a Marinha dê início aos entendimentos foi comunicada pelo Ministério da Defesa ao almirantado há cinco dias, segundo o site Forças de Defesa, que revelou a decisão.

O navio leva 18 helicópteros de vários tipos, entre os quais os preparados para missões antissubmarino, de ataque e apoio à tropa. Na Marinha inglesa, o L2 é empregado em ações expedicionárias. Pode ser rapidamente modificado para realizar missões humanitárias, por exemplo, em casos de catástrofes naturais.

Antes da transferência, o porta-helicópteros passará por um período de preparação no Reino Unido, sob supervisão de oficiais brasileiros, para “revisão de equipamentos e sistemas”, de acordo com nota do Comando da Marinha.

Tripulantes, especialistas e técnicos serão submetidos a um ciclo de cursos associados ao treinamento, nos centros de instrução da Royal Navy, “visando à familiarização dos militares com o navio”.

Depois disso, já nas instalações navais do Rio, e ao longo de um ano, efetivos da aviação embarcada, dos fuzileiros navais e dos operadores de bordo farão viagens de exercício, “para adaptação à doutrina de operação”.

 

 

 

Publicidade

Comentários:

  1. Paulo disse:

    Esse navio vai se juntar ao são paulo, é outra bomba. Em breve está desativado. Ferro velho,usam depois empurra no rabo dessas republiquetas meia boca que nem o Brasil.

  2. Nemesquerdanem direita disse:

    E ainda querem por o Coronel no poder. O povo burro !!!

  3. marcio disse:

    Realmente vivemos em varios mundos paralelos!!! A bonança em brasilia, forca aerea ja encomendou jatos de ultima geracao, e agora esse navio bomba da inglaterra!!! Enquanto isso vivemos com escolas sem cadeira , hospitais sem ataduras , e policiais sem armas!!! Palhacada major!!!

  4. marcio disse:

    Com o dinheiro do contribuinte ou seja com o nosso!!!! Absurdo!!! Brasil nao se mete em briga nenhuma pra que comprar uma bomba dessas ???? So para manter esse lixo varios milhoes serao jogados ao mar!!!!

  5. FRANCISCO DAS CHAGAS AVELINO COSTA disse:

    ESSE PAÍS NÃO TEM SORTE MESMO, EM CRISE EM TODOS OS SETORES, AI PEGA 350 MILHÕES E INVESTE EM NAVIO DE ATAQUE ? NÃO ENTENDI, SEU MINISTO DA DEFESA. DEU A LOUCA NA ESTRUTURA DA NAÇÃO.

  6. Paulo Roberto disse:

    Deve ser pra se juntar a Bolívia e atacar os EUA.

  7. Aguiar disse:

    Mais uma forma de desvio de dinheiro público, Braaasiiill!!!

  8. MB disse:

    O País fudido e a Marinha comprando navio porta-aviões, pra quê?

  9. Jbs disse:

    Boa compra.

  10. Tiago disse:

    Em operação há 20 anos… Uma sucata!!!

    • Netto disse:

      Achar que 20 anos é sucata para um porta-aviões é coisa de desinformados.
      Porta-aviões americanos há com data de comissionamento que remonta
      1975 (Nimitz), Eisenhower (1977) e Carl Vision (1981). A questão é se ele vai
      vir com a eletrônica de ponta e com os sistemas de defesa.

    • Netto disse:

      Nisso ele deve vir "pelado". Tem muito segredo técnico embarcado que é protegido pelo governo britânico.

    • Netto disse:

      Ainda que não seja exatamente um porta-aviões.

  11. Nelson disse:

    Ou seja, sucata.