Ministra que tentou furar teto salarial diz que é ‘preta, pobre e da periferia’

Foto: Alan Marques/Folhapress

A ministra Luislinda Valois (Direitos Humanos) afirmou em discurso nessa segunda-feira (13) que é “preta, pobre e da periferia”.

A declaração foi dada quase duas semanas depois que a tucana se queixou oficialmente ao presidente Michel Temer dos descontos feitos em seu salário para que não superasse o teto remuneratório previsto na Constituição. Ela não se referiu diretamente ao episódio.

“Como mulher preta, pobre e da periferia, conheço o que é viver fora dos grandes centros”, disse ela no lançamento do Programa Emergencial de Ações Sociais para o Rio de Janeiro. Com investimento previsto de R$ 157 milhões, o programa inclui pacote de ações nas áreas de justiça, educação, esporte e direitos humanos, tendo como objetivo atender a 50 mil crianças e jovens.

A uma plateia de jovens atletas de programa da Marinha, Valois disse que “o caminho da retidão é o melhor”.

A ministra desistiu do pedido para acumular o salário integral do cargo que ocupa atualmente com a aposentadoria de desembargadora.

A aposentadoria bruta da ministra é de R$ R$ 30.471,10 e o seu salário mensal é de R$ 30.934,70.

Com a regra de abate do teto salarial, no entanto, ela recebe R$ 33.700, o que equivale ao salário bruto dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal).

Caso o pedido fosse deferido, a ministra passaria a receber R$ 61,4 mil.

‘TRABALHO ESCRAVO’

Na solicitação, ela afirma que o trabalho executado sem a correspondente contrapartida “se assemelha a trabalho escravo”.

Filiada ao PSDB, a ministra é a única negra no primeiro escalão do governo federal e diz ser a autora da primeira sentença de condenação por racismo, em 1993.

Folha de São Paulo

 

Publicidade

Comentários:

  1. Henrique Frias disse:

    Conheço a Dra Luislinda de longas datas, esta senhora é filha de mãe doméstica, salve engano mal conheceu o pai, se educou em escola pública, mesmo a contragosto da "patroa" de sua mãe, lutou, sofreu, se esforçou e dedicou-se bastante para chegar a uma universidade pública, formou-se e conseguiu passar em concurso para juíza, acendeu profissionalmente e por méritos próprios, foi nomeada Desembargadora, quando aposentou-se sem que nada desabonasse toda esta sua trajetória de vida, por este histórico, só posso acreditar que as palavras dela estão sendo distorcidas ou mal interpretadas de alguma forma pela imprensa e pelos "juízes de redes sociais". Sabemos que infelizmente esta não é a primeira e nem será a ultima vez que a "sociedade conteporânea" apronta destas.

    • Santiago disse:

      O seu esforço pessoal e mérito não podem justificar sua conduta vitimista, e muito menos o pedido de vencimentos imorais, acima do teto constitucional. Essa figura, como se diz "Preta, pobre e da periferia" tem um padrão de vida muito superior a 99% dos outros brasileiros.

  2. fernando disse:

    coxinhas.

  3. fernando disse:

    ESSA É A musa DOS dos coxhinas

  4. fernando disse:

    SÓ faltou um ítem: FEIA TODA.

  5. Sávio Filho disse:

    Olha onde o PT jogou esse país? Uma senhora que recebe mais de R$ 30 mil por mês vir a público se dizer pobre, é no mínimo chamar indiretamente o povo brasileiro de idiotas, sem teto e miseráveis.
    Idiotas por querer impor um vitimismo imoral, sem noção, cheio de preconceito contra ela mesma.
    Somos sim sem teto, quando ela afirma ser uma coitadinha que mora na periferia. Contrário a ela, tem muita gente que se orgulha em viver na periferia.
    Somos sim miseráveis segundo ela, afinal se ela é pobre recebendo R$ 30 mil/mês, o que resta aos demais brasileiros que recebem salário mínimo, famílias que vivem com renda de 05 salários mínimos por mês?
    Se essa senhora está no governo do PMDB, tem alma do PT por suas colocações, postura e vitimismo torpe.

  6. euzim disse:

    Vitimismo é algo nojento. Sobretudo quando a pseudo vítima da sociedade usa isso para se locupletar ou tirar vantagem em cima dos outros…

  7. Mortadela com pão disse:

    Tucana sendo tucana!

  8. Bolsonaro 2018 disse:

    QUAL A COMUNIDADE QUE ELA MORA?

  9. Joao disse:

    E doida !

  10. Moabe Bond disse:

    E o Kiko

  11. Jose Roberto disse:

    Essa senhora ainda continua nesse governo?
    Esse povo perdeu a vergonha na cara mesmo.
    Queria saber onda anda os paneleiros nessas horas. Brasil!!!!

    • Só olhando disse:

      Os paneleiros estão iguais ao senhor ou seja de braços cruzados.

      A desculpinha agora é cadê os paneleiros, mas cadê os que são contra esse governo para ir as ruas?

      Deixem de mimimi…