Novas regras são definidas para análises de hidrocarboneto na água em Natal

Reformulado, o projeto que analisa a qualidade da água no entorno dos postos de combustíveis de Natal trará mudanças significativas para a saúde da população em 2018. Desenvolvido pelo Departamento de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (DVS-SMS) em parceria com a Universidade Potiguar, teve o relatório parcial divulgado na semana passada, com 25% das amostras coletadas contaminadas.

O chefe da Vigilância em Saúde Ambiental e do Trabalhador (Visamt) da SMS, Marcílio Xavier, explicou que entre as mudanças definidas para 2018 estão a ampliação do número de amostras analisadas, reanálise das amostras coletadas em postos que passaram por remediação e reativação do Grupo Interinstitucional de Áreas Contaminadas (Giacon), que envolve a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb) e a Agência Reguladora de Serviços de Saneamento Básico de Natal (Arsban).

Ele disse que o relatório parcial do projeto foi apresentado durante a reunião que definiu as novas regras para a ação. E que, além das pactuações já citadas, foi definido ainda que documento será apresentado ao Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN).

“Infelizmente, nosso gargalo para esse tipo de investigação é o custeio. Nosso objetivo é provocar o MPRN para, além da leitura dos resultados encontrados no trabalho, ele possa também nos auxiliar na busca por recursos para financiamento desta segunda etapa da pesquisa, vez que as análises laboratoriais feitas na primeira fase foram custeadas pela UnP”.

Ele disse ainda que a expectativa é que o Fundo do Meio Ambiente (Funam) possa contribuir com recursos para a continuidade da pesquisa, essencial para a segurança e saúde da população natalense, e também realizar outras, como, por exemplo, a contaminação proveniente da decomposição de cadáveres e a poluição do ar.

 

Publicidade

Comentários: