Seis bilionários possuem a mesma riqueza de 100 milhões de brasileiros; 8 em cada 10 vivem com menos de dois salários mínimos

Foto: Tuca Vieira/Folhapress

Um estudo sobre a desigualdade no País apresentado pela organização sem fins lucrativos Oxfam Brasil nesta segunda-feira (25) revela que os seis maiores bilionários do País concentravam, no começo deste ano, a mesma riqueza que a metade mais pobre da população — cerca de 100 milhões de pessoas.

Segundo o ranking de bilionários da revista Forbes deste ano, brasileiros mais ricos são: Jorge Paulo Lemann (investidor), Joseph Safra (banqueiro), Marcel Herrmann Telles (investidor), Carlos Alberto Sicupira (investidor), Eduardo Saverin (co-fundador do Facebook) e Ermirio de Moraes (do Grupo Votorantim).

Juntos, eles possuem uma fortuna estimada em mais de R$ 280 bilhões.

“Gastando R$ 1 milhão por dia, estes seis bilionários, juntos, levariam em média 36 anos para esgotar o equivalente ao seu patrimônio”, acrescentaram os pesquisadores.

Os 31 bilionários brasileiros tinham, em 2016, uma fortuna estimada em R$ 424,5 bilhões. Metade deles herdou patrimônio da família.

Com base nisso, a Oxfam fala na “incapacidade de nosso sistema de desconcentrar a riqueza — algo que sistemas tributários mais progressivos, como visto em países da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico, podem ajudar a fazer”.

Carga tributária amiga dos ricos

Os mais pobres e a classe média brasileira pagam, proporcionalmente, muito mais impostos do que os mais ricos.

“Essa inversão ocorre por, pelo menos, quatro razões: perda de progressividade nas faixas de renda mais altas do imposto de renda, má distribuição da carga entre impostos diretos e indiretos, baixa tributação do patrimônio e elisão [diminuição do peso da carga tributária no orçamento] e evasão [sonegação] fiscais”.

O Imposto sobre a Renda é apontado como um dos fatores que contribuem para os super-ricos pagarem menos impostos.

“Pessoas que ganham 320 salários mínimos mensais pagam uma alíquota efetiva de imposto (ou seja, aquela realmente paga após descontos, deduções e isenções) similar à de quem ganha cinco salários mínimos mensais, e quatro vezes menor em comparação com declarantes de rendimentos mensais de 15 a 40 salários mínimos”.

Outra falha no sistema tributário brasileiro apontada pelos pesquisadores é a ausência de impostos sobre lucros e dividendos.

“Desde 1996, donos ou acionistas de empresas deixaram de pagar qualquer imposto sobre os dividendos recebidos na distribuição de lucros das empresas, política de isenção que existe somente em dois países da lista de membros e parceiros da OCDE: Brasil e Estônia”

Renda

O estudo, intitulado “A distância que nos une”, ainda chama atenção pelo fato de que 80% dos brasileiros (165 milhões de pessoas) viverem com uma renda individual inferior a dois salários mínimos por mês: R$ 1.874.

São considerados entre os 10% mais ricos do País pessoas com renda per capita média de R$ 4.510. Esse grupo tem cerca de 20 milhões de brasileiros.

No topo da pirâmide está o 1% da população que recebe acima de R$ 40 mil por mês.

“Em relação à renda, o 1% mais rico da população recebe, em média, mais de 25% de toda a renda nacional, e os 5% mais ricos abocanham o mesmo que os demais 95%”, destaca o estudo.

Os pesquisadores também chegaram à conclusão de que um brasileiro que recebe salário mínimo teria que trabalhar quatro anos para juntar o que o 1% mais rico ganha em um mês.

Já para equiparar o rendimento mensal ao do 0,1% mais rico, seriam necessários 19 anos de trabalho.

“Essa enorme concentração é fruto de um topo que ganha rendimentos muito altos, mas sobretudo de uma base enorme de brasileiros que ganha muito pouco”, destaca o documento.

A Oxfam ressalta dados da Receita Federal de que pessoas com rendimentos superiores a 80 salários mínimos (atualmente R$ 74,9 mil) têm isenção média de R$ 66% de impostos.

Porém, na classe média (com renda entre R$ 2.811 e R$ 14 mil) esse percentual cai para 17%.

Negros recebem menos

Sete em cada dez negros brasileiros (67%) recebem até 1,5 salário mínimo por mês (R$ 1.405,50). Já entre os brancos, 45% se incluem nessa faixa de renda.

“Cerca de 80% das pessoas negras ganham até dois salários mínimos. Tal como acontece com as mulheres, os negros são menos numerosos em todas as faixas de renda superiores a 1,5 salário mínimo, e para cada negro com rendimentos acima de 10 salários mínimos, há quatro brancos”, observam os pesquisadores.

Outra observação do estudo é sobre a lenta evolução da renda dos negros diante dos brancos.

“Considerando todas as rendas, brancos ganhavam, em média, o dobro do que ganhavam negros, em 2015: R$ 1.589,00 em comparação com R$ 898,00 por mês. Em vinte anos, os rendimentos dos negros passaram de 45% do valor dos rendimentos dos brancos para apenas 57%. Se mantido o ritmo de inclusão de negros observado nesse período, a equiparação da renda média com a dos brancos ocorrerá somente em 2089”.

R7

 

Publicidade

Comentários:

  1. JCabral disse:

    "Se é a vontade do povo brasileiro eu promoverei a Abertura Política no Brasil. Mas chegará um tempo que o povo sentirá saudade do Regime Militar. Pois muitos desses que lideram o fim do Regime não estão visando o bem do povo, mas sim seus próprios interesses." General Ernesto Geisel

    No militarismo o pais tinha apenas 2 partidos ARENA E MDB, pode se deduzir que tinha apenas 2 ideologia pró e contra, hoje temos mas de 35 partidos, na esperança de aparecer mais e tudo apenas com uma ideologia, roubar a nação… Realmente estamos avançando para uma imensa lacuna sem fundos!!!!!

  2. Lázaro Damasceno disse:

    Tirar da pobreza significa tirar da fome e extrema necessidade. Isso não quer dizer que a vida de todos melhorou. A pesquisa diz o retrato de um país que sofre com a desigualdade social e uma das razões é a carga tributária desconexa, desonesta e incompreensiva, principalmente, para com o povo. Não há como conseguir melhorias, ainda por cima, vem uma reforma aleijada que aumenta ainda mais tal diferença. Tem que culpar todo um sistema político viciado que troca por barganhas projetos de monta a grupos interessados e com seus gestores também comprometidos com essas corruptelas administrativas. Tentar por vias do sistema em uso no congresso, dar de comer a quem precisa é quase uma utopia. A pesquisa foi clara, mas, como muitos, ler e ver o que quer está em quem não observa o ambiente com isenção.

  3. Antonio Silva disse:

    Precisamos taxar as grandes fortunas, urgente.

  4. Gilmar Gregório Deodoro Soares disse:

    Essa pesquisa só pode ser mentira, o PT não diz em todo programa na mídia que tirou milhões da pobreza, como 8 em cada 10 ganham apenas 02 salários mínimos? Onde estão os milhões que o PT tirou da pobreza? Quem está mentindo, o PT ou a pesquisa?

    • semesperança disse:

      Realmente o PT tirou milhõe$$$$$$$ da pobreza e colocou na conta dos PTralhas que assaltaram o país… Eles sempre falaram a verdade….

    • TEMERista detected

    • Comedor de Coxinha disse:

      Quando a conveniência ideológica é maior que os fatos. Inventa-se coisas, distorce outras…
      O trabalho q a midia fez na cabeça de muitos brasileiros vai ser tema de muitos estudos no futuro. Nunca se produziu tantos idiotas e hipócritas nesse país como agora.