Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário Federal no RN emite nota de apoio a MPT

NOTA DE APOIO AO MPT RN

O SINTRAJURN – Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário Federal no RN – vem a público externar seu apoio total e irrestrito ao Ministério Público do Trabalho, em especial à Procuradora Ileana Neiva Mousinho, que vem sendo vítima de ataques e calúnias por parte do empresariado potiguar e de alguns parlamentares do Estado. O MPT sempre se pautou pelo trabalho sério e responsável e um parceiro dos trabalhadores e suas entidades representativas de classe na defesa de seus direitos.

A Procuradora vem sendo acusada de perseguição pelo Grupo Guararapes Confecções S.A. após ajuizar ação civil pública cobrando R$ 37,7 milhões por descumprimento da legislação trabalhista em relação aos empregados de facções de costura em 12 municípios do Rio Grande do Norte. Executivos do grupo fizeram veementes ataques contra o órgão e, em especial, à Procuradora, atribuindo-lhes ainda a responsabilidade pelo fechamento de milhares de postos de trabalho no RN.

O MPT, dentro de sua cautela, responsabilidade e cuidado na apuração, já havia autuado a empresa outras três vezes fazendo com que ela assinasse Termos de Ajustamento de Conduta, de forma a respeitar a legislação trabalhista vigente e o respeito aos direitos básicos do ser humano.

As acusações pessoais têm servido para tirar o foco da realidade dos trabalhadores das fábricas, e, ainda pior, dos trabalhadores das facções têxteis que vêm funcionando como forma de burlar as responsabilidades trabalhistas do Grupo.

Vale lembrar que o problema vem aparecendo após aprovação do novo conjunto de leis que irá reger as relações de trabalho e que deve entrar em vigor em meados de novembro. Os empresários que não têm cumprido com seu papel de gestores, e vêm preferindo ampliar os lucros à custa da retirada de direitos da classe trabalhadora, encontram no MPT um fiscal implacável e optam por acusar ao invés de se adequar às normas.

Por isso, reconhecendo a importância e competência da Instituição, repudiamos os ataques e reafirmamos nosso total apoio a esta Entidade que tanto zela pelo cumprimento das normas constitucionais das relações de trabalho em todo o país

Diretoria Executiva SINTRAJURN

Publicidade

Comentários:

  1. Josafá Faustino Damasceno disse:

    Acho que tem que existir um equilíbrio nesse caso aí. Não podemos tomar partido A ou B, se a realidade dos fatos não veio atona ainda. Pelo que me consta, esse Pró Sertão, nada mais é que o desativamento da Guararapes aqui em Natal e transferindo esses postos de trabalho para o Seridó. Se isso assim for, não podemos considerar geração de empregos. Pois Natal e grande Natal perde e perde de uma maneira correta, para se terceirizar lá parao Seridó, essa ocupação de mão de obra, de tal forma que os trabalhadores, se quer terão suas garantias na forma da lei. INSS, FGTS, SEGURO DESEMPREGO, FÉRIAS, 13º e ETC…Estão indo de água abaixo. Precisamos tomar conhecimento da situação, para não tomarmos partido errados. A Guararapes já teve seus 15 mil empregos, hoje só restam 7 mil. Precisamos ter clareza em tudo isso aí. Essa é a minha opinião!!

  2. Rolandolero disse:

    E haja desemprego !!!!!!!!

  3. Bruno disse:

    Duvido esses sindicatos e esses promotores estarem preocupados com as famílias que estão pra perder o emprego caso se concretize essas multas já está muito difícil emprego nesse estado e a justiça não ajuda os empresários

  4. Gandhi disse:

    Marminino isso é só zuada, nada que um bom incentivo fiscal não resolva. Só zuada, zuada, zuada e alguns politicos tentando tirar proveito da situação, preocupados com os votos no próximo ano. O Grupo Guararapes é muito maior do que essas picuinhas, o nosso Grande Lider Empresarial Flávio Rocha deveria mudar o foco e não se deixar levar por alguns poucos aproveitadores dessas paragens!! Quanto ao MPT eles estão fazendo o está na Lei e pronto!!!!!

  5. ALEX ANTONIO disse:

    Ao se emitir um comentário sobre algo ou alguém, há de se ter o conhecimento prévio dos fatos. Sabe-se da necessidade de criar empregos, não somente no RN como alhures. Ao impetrar uma ACP contra o Grupo Guararapes, com certeza, o MPT motivou tal ação, como de regra há de ser, e a Procuradora representa o Estado Brasileiro, e como tal merece todo o respeito. Trabalho é necessário, e espero que em cima de uma conciliação, esse problema possa ser resolvido. Não creio que a indústria supracitada possa deixar de investir no estado por causa desse fato, o que a faz contratar ou demitir, será a velha regra da oferta e demanda, desde que haja consumidores para os seus produtos, haverá contratações, agora o que não se pode admitir é que voltemos ao período anterior à revolução industrial, onde direitos eram suprimidos de uma forma gritante e vale ressaltar que as indústrias já fecharam várias unidades no Brasil, independentes de facções ou não. O problema deve ser resolvido com parcimônia.

    • Pato Amarelo disse:

      Faço minhas as suas palavras. Bom senso e conciliação, palavrinhas mágicas.

  6. Goipiado disse:

    Cautela,responsabilidade? Onde???

  7. Rodrigo disse:

    Acho interessante é o corporativismo desse povo, se erram, emitem nota de apoio, emitem até uma passagem para a pessoa atacada passar o final de semana em praias, dando apoio e sentimentos de cordialidade!!! Quero ver no dia que um empresário fechar suas portas, e uma porrada de pais de famílias amanhecerem desempregados por essas perseguições, se irão emitir NOTA DE APOIO a esses pais de família… o mundo que esse povo vive, de salários exorbitantes, como o da procuradora de 28 MIL REAIS/mês, são certos, não atrasa, não falha um dia sequer, tiram férias duas vezes por ano… mas quero saber de um empresário, quantas férias tiram em um ano, quantos leões tem que matar todos os dias para manter a porta da sua empresa aberta e dar as mesmas condições do mês passado aos seus empregados!!! fácil emitir notas de apoio, seria melhor usar o bom senso e escutar a quem depende desses empregos!! façam diligencias um a um desses empregados, consultem e depois emitam suas notas avaliação!!!

  8. LULADRÃO disse:

    Pelo jeito o MPT vai ficar conhecido como o órgão que fechou a Guararapes no RN.

  9. Roberto disse:

    Alguma coisa está errada.
    Todos que geram empregos só falam mal do MPT.

  10. Almir Dionisio disse:

    Quero ver se a fábrica fechar e pessoas perderem seus empregos, governo deixar de arrecadar impostos quem vai ajudar – os sindicatos? os procuradores?
    Esse RN não tem jeito
    Fico impressionado com a postura de certos promotores, procuradores, juízes, se acham Deuses. Acima de tudo e de todos.

  11. Joca disse:

    Indústria dos sindicatos….não cria um emprego …são doutores em afugentar os empreendedores,…nesse estado falido perseguem os empresários …CADÊ ALGUM MACHO DESSES ÓRGÃOS PÚBLICOS CRIAREM ALGUMA VAGA DE EMPREGO

  12. Ricardo Carvalho disse:

    Seria bom o SINTRAJURN arranjar trabalho para as centenas de pais e mães de família que irão ficar desempregados no nosso sofrido RN. Parabéns MPT, vocês estão fudendo o RN e ajudando muito os trabalhadores do CE e PB!

    • Pedro disse:

      Você não tem conhecimento da ação e fica dando pitaco. A exploração dos trabalhadores não pode ser permitida em nome de uma suposta garantia de empregos. Procure se informar direito e não caia na mentira dos políticos e empresários que exploram os trabalhadores. Se oriente.

    • José neto disse:

      Você parece que também desconhece a ação. Ela se baseia em diligências realizadas em 2015 pela referida procuradora com apoio de policiais fortemente armados e coagido os trabalhadores a falar mal da empresa. Acho que o mais sensato seria realizar novas visitas a essas oficinas e ver que houveram grandes mudanças.

    • Pedro disse:

      Não tem nada disso, José Neto. Você foi enganado e não sabe.

    • Arthur disse:

      Fico procurando um motivo pra esse "trabalhador explorado, escravizado e sem condições de trabalho" não pede demissão e procura outro emprego melhor… Porque se tem multa pra uns e outros não, com certeza esses que não são multados devem oferecer algo melhor…