Publicidade

Após denúncia ao MPRN, acusado de matar advogado em Caraúbas é preso no Acre

Luiz Lobo Neto estava foragido desde 1992. Ele é apontado como sendo um dos assassinos do advogado Antonino Benevides Filho

Um trabalho conjunto entre os Ministérios Públicos do Rio Grande do Norte e do Acre resultou na prisão do foragido de Justiça Luiz Lobo Neto, acusado de ter sido um dos executores do advogado Antonino Benevides Filho. O crime foi cometido em Caraúbas, cidade da região Oeste potiguar, em 13 de janeiro de 1992. Luiz Lobo Neto estava foragido desde a data do assassinato.

Luiz Lobo Neto foi localizado após o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do MPRN (Gaeco) receber um telefonema pelo disque-denúncia 127 dando conta do paradeiro dele. O Gaeco potiguar repassou a informação ao Gaeco acreano, que capturou o foragido.

Segundo investigação do MPRN, Luiz Lobo era pistoleiro e tinha sido contratado para assassinar o advogado. Esse crime estaria relacionado à rixa entre as famílias Benevides Carneiro, Fernandes e Simião Pereira, que resultou na morte de diversas pessoas décadas atrás no Rio Grande do Norte.

Luiz Lobo Neto estava foragido havia mais de 25 anos, desde a data do crime. A ação penal instaurada contra ele está parada há 8 anos, aguardando que fosse preso para poder ser levado a julgamento perante o Tribunal do Júri de Caraúbas.

O acusado foi preso na cidade de Rio Branco, onde estava morando. Luiz Lobo Neto foi encaminhado a uma unidade prisional do Acre, onde ficará à disposição da Justiça potiguar até sua transferência definitiva para o Rio Grande do Norte.

 

enviar comentário
Publicidade

Após denúncia ao MPRN, PM cumpre mandado de prisão em Natal

A Polícia Militar cumpriu na manhã desta terça-feira (14) um mandado de prisão que estava em aberto contra homem condenado por assalto. Ele foi localizado após um telefonema anônimo ao Disque-denúncia 127 do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN).

O homem estava na casa da avó dele, no Parque das Dunas, na zona Norte de Natal. Ao chegarem ao local, homens do 4º Batalhão da Polícia Militar deram voz de prisão ao suspeito. Havia um mandado expedido pela 12ª vara Criminal de Natal em aberto contra ele.

O MPRN reforça que denúncias sobre paradeiro de criminosos podem ser feitas todos os dias pelo número 127. As informações repassadas são confidenciais e a identidade do denunciante será preservada.

 

Comentários (2) enviar comentário
  1. Jorge disse:

    Está parecendo concorrência. A polícia civil divulga o 181 e o Ministério Público o 127.
    Está na cara que as duas instituições não se dão!
    Vemos em outros estados, o ministério público trabalhando em conjunto com a polícia civil. Aqui é o oposto!
    Quem perde é a população!

    • OPINIOSO disse:

      E ainda acrescento. Todas as espetaculosas operações promovidas pelo tal GAECO contam com o apoio da PM, e nunca, da Polícia Civil, deixando mais que evidente que o MP tem realmente aversão à civil, talvez por não encontrar lá a subserviência que desejaria.

Publicidade