Publicidade

Rodrigo Cintra cai em contradição e rebate parecer da própria Prefeitura em depoimento à CEI dos Contratos

O depoimento do secretário municipal de Esportes, Rodrigo Cintra, à CEI dos Contratos foi marcado pela contradição – vexativa em dado ponto.

O ponto alto foi o contrato de R$ 1 milhão com a ONG “De Peito Aberto”. Cintra disse que o contrato era regular. O que ele não esperava era que a vereadora Júlia Arruda sacaria um parecer da PGM no qual era afirmado que o convênio estava eivado de vícios, tais como  falta de uma planilha de trabalho, a ausência de constitucionalidade na escolhas e as atividades sobreposta (indicação de que a organização faria o mesmo serviço dos técnicos da secretaria).

Cintra, que ficou constrangido, ainda se propôs a refutar o parecer, rebatendo cada ponto dado como irregular pela própria PGM. Acabou dizendo que o contrato não foi pago.

enviar comentário
Publicidade

Rodrigo Cintra: o Furão!

Por conta de suas atividades como árbitro de futebol,  o secretário municipal de Esportes, o baiano Rodrigo Cintra deixou de comparecer ou desmarcou (duas delas sem aviso prévio) três reuniões agendadas para a manhã de hoje. Motivo: ele ainda não retornou da Bahia onde foi apitar o jogo entre Camaçari e Serrano, pela 16a. rodada do campeonato de futebol.
A agenda do secretário estava cheia. A primeira reunião seria às 8h, com a procuradora da República Carolinne Maciel, com quem discutiria as garantias dos empréstimos para obras de mobilidade urbana para a Copa 2014. Essa foi desmarcada na sexta à tarde.
A segunda reunião seria no gabinete do próprio Cintra, às 9h30, com o presidente do Natal Convention Bureau, George Costa, que chegou a ir a SEJEL e somente lá soube do “bolo” do secretário.
A terceira reunião seria às 10h, na Câmara, com a vereadora Júlia Arruda, para discutir projetos relacionados ao esporte amador e reformas de quadras. “Bolo” de novo.
Depois de trazer para Natal um amigo que lá foi demitido a bem do serviço público, Rodrigo Cintra está mostrando que o projeto de reengenharia da prefeita Micarla de Souza vai depender, também, da escala de árbitros da Federação Baiana de Futebol. Isso é que é prioridade e disposição!
Comentários (4) enviar comentário
  1. maria Amélia disse:

    Nunca imaginei que chegaria o dia em que ser secretário de governo seria um "bico". Ele teria de pedir licença de seu trabalho como árbitro, isso era o mínimo de um gestor.

  2. Levy disse:

    E ele ainda tem coragem de dizer que sua atuação como árbitro não atrapalha seu desempenho como secretário…

  3. Bruno disse:

    É o mesmo Rodrigo Cintra que o técnico Vanderlei Luxemburgo disse que estava cantando ele?

    Para mim, foi uma péssima nomeação. Inúmeras contradições durante a entrevista para a ESPN Brasil.
    Parabéns pelo blog.

  4. Wagner Aquino disse:

    Ele está merecendo dos natalenses a mesma saudação que recebe nos gramados…

Publicidade

Via Crúcis de Micarla

A Prefeita Micarla de Sousa fez um grande show na sua reforma administrativa recente.

Depois de perder apoios políticos de praticamente todos os partidos que estiveram ao seu lado na disputa para a Prefeitura, mudou mais de 50% do secretariado.

Foram dois meses de “idas e vindas”, muitas negociações. Abrigou no seu staff representantes de várias legendas, aceitando o chamado apoio branco e também o indireto, chegando a abrir princípios de crise em partidos de oposição, como o PSB e o PMDB.

Toda a nova turma assumiu num verdadeiro show. Muita representação política e discursos fortes e emocionados. Como se a gestão estivesse iniciando agora, mesmo após 26 meses.

E agora, com menos de 30 dias da posse dos novos colaboradores, os sinais de fadiga do novo secretariado começam a aparecer.

Luiz Almir chutou o balde por não agüentar tanta pressão de credores e medo de processos do MP, através do Promotor João Batista Machado.

Na SEJEL, colocou um “Made in Bahia” nascido no Rio de Janeiro que já andava por essas terras há algum tempo e, que mostra intimidade na convivência com a Prefeita e o seu vice.

E notório que o Secretário da Copa está desconfortável, principalmente por não ter encontrado recursos na pasta, nem estrutura. E mesmo tendo importado três auxiliares da Bahia, as coisas não andam.

Desses importados, um foi demitido na Bahia “à bem do serviço público”. Micarla de Sousa, para efetivar o árbitro na Sejel ainda teve a descortesia de chamar para ser adjunto o presidente da FNF, José Vanildo, que tinha sido convidado para ser o secretário da Sejel.

O acordo envolvia a própria prefeita Micarla de Sousa e o vice, Paulinho Freire.

É de conhecimento de todos que José Vanildo já fazia planos e trabalhava projetos quando saiu sua nomeação para ser adjunto.

José Vanildo nem falar com a Prefeita falou mais, nem se sabe se vai querer mais falar. Deu às costas.

Na Secretaria de Educação, o professor Walter Fonseca encontrou logo nos primeiros dias de pasta um fogo cruzado com a até então adjunta, Adriana Trindade.

Walter Fonseca teve que bater o pé e exigir a troca do adjunto. E jogou forte também com credores e grevistas. Nas duas obteve êxito. Mas, nas negociações empenhou a própria palavra.

Se alguma coisa sair do trilho, Walter perde muito. Tanto com funcionários quanto com fornecedores. Fica a ver navios.

Daqui a pouco, a segunda parte desta análise.

Comentário (1) enviar comentário
  1. fatima disse:

    Gostária de saber onde fica o zoologico de natal pois o mesmo foi citado no Diário Oficial do Município do dia 30/04/2011 ( domingo), recebendo uma verba de $ 210.000,00. http://t.co/7xpf5ZK .

Publicidade