Publicidade

Prolongamento da Prudente em Parnamirim será concluído até 10/12

A Prefeitura dará início, nesta semana, à retirada de seis postes de telefonia que estão instalados no trecho que dá acesso ao prolongamento da Avenida Prudente de Morais em Parnamirim. O Prefeito Rosano Taveira anunciou que esta decisão irá contribuir para concluir a duplicação da avenida naquele trecho.

A medida atende a uma solicitação do Departamento de Estradas e Rodagens (DER), por meio do seu diretor, General Fraxe. “Iremos concluir a duplicação do prolongamento da Avenida Prudente de Morais, para que a mobilidade urbana ganhe um nível de serviço mais elevado, melhorando o fluxo de entrada e saída de veículos na BR 101”, disse o general Fraxe.

Quem passa naquela área onde está instalado um semáforo, antes do acesso do prolongamento da Avenida Prudente de Morais, em Parnamirim, já percebe que vários muros de áreas residenciais foram removidos. “O DER desapropriou esta área. Queremos entregar a obra até o dia 10 de dezembro”, explicou o general Fraxe.

Além de retirar os seis postes de telefonia, a Prefeitura de Parnamirim irá garantir que a parceria com o DER resulte numa área iluminada e de melhor tráfego no início do prolongamento da Prudente de Morais, onde  o DER pretende, também, construir um canteiro central.

Comentários (6) enviar comentário
  1. Irany Gomes disse:

    Esse general é um falastrão, foi secretário em outro estado, e lá era a mesma lorota!!!

  2. Damião Rocha disse:

    Estava mais que na hora. Esse General Fraxe é arretado mesmo! Aproveitar e tapar a buraqueira daquele trecho.

  3. Ligia Rodrigues disse:

    Os moradores de Jardim Aeroporto/Parque Industrial . Agradecem :)………..
    Ps.: Ninguém aguenta mais o engarrafamento nesse trecho , Devido o afunilamento. Só falta agora ,Iluminação e sinalização.

  4. Clebson Pereira de Melo disse:

    Caro BG. A Omar O'Grady tem em seu projeto inicial uma ciclovia que nunca foi concluída a exemplo da obra que, embora esteja em uso, foi abandonada inconclusa. Da mesma forma que os ciclistas tiveram sua segurança retirada pela paralisação da obra, também os pedestres ficaram sem calçada. Aí vem a pergunta que, sugiro, vocês possam fazer ao DER e a Pref. de Parnamirim: no trecho citado nesta matéria, haverá, pelo menos, calçadas acessíveis? Ciclovia em continuidade àquela que foi abandonada na avenida citada? Lembrando que há uma cultura errônea dos órgãos de trânsito em pensar o trânsito somente para carros esquecendo que o direito à cidade é das pessoas e são estas que necessitam se deslocar. Da mesma forma que cabe também, as pessoas, escolher e adotar o modal de transporte que melhor se encaixa em suas necessidades e possibilidades. A Lei da Mobilidade Urbana, embora não seja convenientemente cumprida, é muito clara e prioriza o transporte público, os meios de transporte individuais não motorizados e por último os carros. Porque isso? Justamente para tentar mudar a prioridade de uso dos modais para que as cidades não parem por completo devido ao excesso de automóveis nas ruas. Fato que já começou a acontecer a olhos vistos. Fica a sugestão para matéria e entrevista.

    • euzim disse:

      boa pergunta! E a ampliação da Engenheiro Roberto Freire, cuja obra foi jogada para escanteio? Quando aquilo ali estiver inviável vão improvisar alguma coisa. Incrível como o povo aqui é avesso ao porgresso…

    • Otavio Serqueira disse:

      Senhores tenham calma, as obras não podem ser realizadas de acordo com o projeto inicial, isso é Brasil, Nordeste. Quando uma obra é lançada, sua execução sempre é falha, o objeto não é atingido. embora todo recurso seja usado 100%. Então para que se possa chegar ao final tem que haver os FAMOSOS ADITIVOS. Obra sem aditivo, não existe nessas terras de poderosos.
      Atenção: não estou supondo nada, apenas dizendo que as obras públicas corriqueiramente são aditivadas e isso é de conhecimento público.
      Não? Então apontem, mostre quantas obras foram realizadas e as que não tiveram aditivo contratual.

Publicidade