Publicidade

GERAÇÃO PERDIDA: Brasil leva "surra" da Sérvia nas quartas do Mundial de Basquete e dá adeus ao sonho de medalha

A meta da seleção brasileira neste Mundial da Espanha era conseguir superar o quinto lugar da Olimpíada de 2012 e conquistar uma medalha. Mas, assim como em Londres, o Brasil caiu nas quartas de final.

Depois de uma vitória histórica sobre a Argentina nas oitavas, a seleção do técnico Rubén Magnano teve que se despedir do Mundial após perder para a Sérvia nesta quarta-feira (10) em Madri por 84 a 56. Um rival do qual o Brasil já havia ganhado na primeira fase por 81 a 73, numa de suas melhores exibições no torneio.

Quem somente viu o jogo desta quarta-feira (10) provavelmente não entendeu como o Brasil chegou tão longe no Mundial. Foi de longe a pior atuação da equipe de Magnano. Apática, a equipe só demonstrou algum poder de reação no segundo quarto.

Era evidente a dificuldade da equipe para acertar a cesta. Encerrou o jogo com um pífio aproveitamento de 33%, muito abaixo dos 52% que apresentou durante o resto do campeonato. Antes da partida contra os sérvios, o Brasil era a segunda equipe com melhor pontaria do Mundial, atrás apenas da Espanha.

Já os sérvios contaram com grande exibição do armador Milos Teodosic, que encerrou o jogo como cestinha, com 23 pontos. Assim como no último Mundial, em 2010, a equipe do leste europeu chega às semifinais. Agora, a Sérvia aguarda o vencedor de Espanha x França para saber quem será seu rival na próxima fase.

O JOGO

O Brasil iniciou o jogo com a mesma formação titular que entrou em quadra na vitória contra a Argentina nas oitavas e final: Marcelinho Huertas, Leandrinho, Marquinhos, Tiago Splitter e Anderson Varejão.

A equipe esteve irreconhecível no primeiro tempo, com falhas incríveis nos arremessos e marcação frouxa no perímetro.

A marcação no garrafão esteve bem. Varejão, por exemplo, cuja média de rebotes no campeonato era de 8,3, encerrou os dois primeiros períodos com oito rebotes. O problema é que a equipe deixou livre a linha de três pontos, permitindo que o principal jogador sérvio, Milos Teodosic, atuasse com facilidade. O armador foi o cestinha do primeiro tempo, anotando 16 pontos.

Se Teodosic liderava sua equipe no ataque, o Brasil encontrou imensas dificuldades para pontuar. Ao fim do primeiro quarto, somente Marquinhos, Varejão e Splitter haviam conseguido acertar a cesta.

No segundo período, até que o Brasil conseguiu reagir. Logo no início, Alex acertou duas cestas de três pontos, que levaram a seleção brasileira à liderança no placar: 23 a 21.

Os sérvios voltaram a dominar, fazendo uma sequência de oito pontos: 29 a 23. Com uma série de contra-ataques, o Brasil se recuperou e anotou nove pontos consecutivos: 32 a 29.

Depois disso, a equipe de Magnano praticamente parou em quadra. Os sérvios, liderados por Teodosic, fizeram mais uma sequência de oito pontos e fecharam o primeiro tempo em 37 a 32.

No retorno do intervalo, o Brasil voltou ainda pior. Confiantes, os sérvios dispararam no contador. Nervosa, a seleção brasileira tomou duas faltas técnicas. A partir de então, o time desmontou em quadra e os sérvios fecharam o terceiro quarto com larga vantagem de 22 pontos: 66 a 44.

No último período, os sérvios mantiveram o ritmo e o Brasil não conseguiu reagir. O desapontamento era evidente na cara dos jogadores vestidos de verde e amarelo. Pareciam não acreditar que a pior exibição no campeonato ocorrera justamente no mais importante jogo da fase eliminatória.

84 a 56 anotava o placar ao fim do jogo. Era o fim melancólico de uma equipe que, apesar de ter chegado ao Mundial como convidada, encantou o público na Espanha com exibições aguerridas e um jogo coletivo eficiente. Agora, resta esperar a Olimpíada de 2016, em casa.

Folha Press

enviar comentário
Publicidade

ABC joga sem inspiração e perde para o Globo em Ceará-Mirim

Sem inspiração, o ABC foi superado pelo Globo e derrotado pelo placar de 2 a 0, na tarde desta quarta-feira (22), no estádio Barrettão, em Ceará-Mirim, na Grande Natal. Os gols do Globo foram marcados aos 25 e 26 da etapa final, através de Ricardo Lopes.

Com o resultado antes do término da rodada, a liderança do Grupo A é do time de Ceará-Mirim, com seis pontos. Já o alvinegro, que ainda não venceu na primeira fase do estadual, amarga apenas dois pontos.

O próximo desafio do alvinegro está marcado para este domingo(26), no clássico diante do Alecrim, na abertura oficial de jogos do estádio Arena das Dunas. Já o time do Globo, recebe o Palmeira no sábado(25), no Barrettão.

Comentários (5) enviar comentário
  1. fernando disse:

    Entrou no globo da morte.! Lascou-se.

  2. Nel disse:

    quem fez os gols da Globo? Tony Ramos e Ana Maria Braga……….

  3. Winston Azevedo disse:

    É porque o abc caiu no grupo da morte

  4. Winston Azevedo disse:

    É porque o abc caiu no grupo da mortr

  5. paulo kasinsk disse:

    Cansa, falar do blablabla do sr. Roberto Fernandes. Mas tem quem compre. Figuraça.

Publicidade

Ponte Preta "abre" 25ª rodada da Série A com derrota nos acréscimos para o Náutico, em Campinas

O Náutico não se intimidou com no Moisés Lucarelli e conseguiu neutralizar a pressão inicial da Ponte. O primeiro lance de perigo da Macaca na primeira etapa foi aos 18 minutos. Após belo lançamento de Adrianinho, Alef ficou na cara do gol, mas bateu por cima, isolando a bola.

O Timbu não conseguiu criar muitas jogadas e se limitou a tentar o gol com alguns chutes de fora da área de Derley, mas nenhum levou perigo a Edson Bastos.

No fim da primeira etapa, a Macaca acordou novamente e foi para cima. Rildo, de cabeça, e Fellipe Bastos, após cobrança de falta, quase fizeram. Mas foi o artilheiro William quem abriu o marcador. Após cruzamento rasteiro, o jogador se antecipou e desviou para marcar aos 45 minutos do primeiro tempo.

SEGUNDO TEMPO

Sem qualidade técnica, o Náutico não tinha forças para tentar a reação. A Ponte, por sua vez, recuou o time e aproveitou a velocidade de Rildo nos contra-ataques. Em uma de suas arrancadas pela esquerda, o camisa 7 deixou o zagueiro no chão e assustou o goleiro Ricardo Berna. As bolas paradas da Ponte Preta nos pés de Fellipe Bastos e Adrianinho também preocupavam o Timbu. William passou perto após cobrança de escanteio. O zagueiro Ferron também não aproveitou uma chance clara após cruzamento na área.

Quando a Ponte ensaiava uma pressão para definir a partida, o Náutico aproveitou um contra-ataque pela direita para empatar o jogo. O atacante Hugo, que havia acabado de entrar na partida, recebeu na área e bateu no canto, sem chances para Edson Bastos, aos 35 minutos.

Poucos minutos depois, o mesmo Hugo perdeu uma chance incrível de virar o jogo. A partida ficou aberta, com ambas as equipes tentando o gol da vitória. Assim como Hugo, William, da Ponte, também desperdiçou um gol cara a cara com o goleiro.

A Ponte foi para cima e Elias quase fez em chute da entrada da área. No rebote, Leonardo limpou os zagueiros e cruzou. A bola correu a linha do gol, mas não entrou. No lance seguinte, um contra-ataque fulminante do Náutico, que decidiu o jogo. Hugo exigiu boa defesa de Edson Bastos e, no rebote, Maikon Leite virou, no último lance do jogo.

PRÓXIMOS JOGOS

Na quinta-feira, a Ponte Preta volta a campo para encarar o Atlético-MG, no Independência. O Náutico, por sua vez, recebe no domingo, às 16h, o líder Cruzeiro, na Arena Pernambuco, pela 26ª rodada do Brasileirão.

FICHA TÉCNICA
PONTE PRETA 1 X 2 NÁUTICO

Local: Benedito Teixeira, em São José do Rio Preto (SP)
Data/Hora: 1/10/2013 – 19h30
Árbitro: Antonio Denival de Morais
Auxiliares: Luis Claudio Rodrigues da Costa e Marcos Santos Vieira
Cartões amarelos: Uendel, Artur (PON); Leandro Amaro, Maranhão, Martinez (NAU)
Cartões vermelhos:  –
Gols: William, 45’/2ºT (1-0); Hugo, 35’/2ºT (1-1); Maikon Leite 47’/2ºT (1-2)

PONTE PRETA: Edson Bastos; Artur, Ferron, Diego Sacoman e Uendel; Baraka, Alef, Felipe Bastos e Adrianinho (Elias – 20’/2ºT); Rildo (Adaílton – 28’/2ºT) e William. Técnico: Jorginho.

NÁUTICO: Berna; Maranhão, João Filipe, Leandro Amaro e Bruno Collaço (Dadá – 18’/2ºT); Elicarlos, Martinez, Derley (Hugo – 32’/2ºT) e Tiago Real (Diego Morales – Intervalo); Maikon Leite e Olivera. Técnico: Marcelo Martelotte.

Lance

enviar comentário
Publicidade

América é derrotado pelo Bragantino no Nazarenão e volta a ficar ameaçado pelo Z4

O América conheceu sua primeira derrota após o retorno ao estádio Nazarenão, em Goianinha. Na noite desta terça-feira (1), o alvirrubro não se encontrou na partida e foi derrotado pelo Bragantino pelo placar de 2 a 0, gols marcados por Lincom, todos no primeiro tempo(1 e 46 minutos).

Com a derrota, o time vermelho voltou a se aproximar da zona de rebaixamento, em 16º, com 27 pontos, e fica a um ponto de Atlético-GO e ABC, com 26. O Bragantino, por sua vez, chega a 11ª colocação, com 36 pontos.

O próximo desafio alvirrubro é fora de casa, contra o Sport, na Ilha do Retiro, nesta sexta-feira (4), a partir de 19h30. O Bragantino, no sábado(5), recebe o América, às 21h.

enviar comentário
Publicidade

UFC 140: Minotouro nocauteia, Minotauro é derrotado

O UFC 140, na madrugada deste domingo, em Toronto, no Canadá, poderia ter sido perfeito para os irmãos Nogueira. Depois de Rogério Minotouro nocautear Tito Ortiz logo no primeiro round, Rodrigo Minotauro teve uma chance de ouro de fechar a noite perfeita para os primeiros brasileiros do card – Lyoto Machida ainda faz a principal luta da noite, contra Jon Jones. O veterano, no entanto, deixou escapar uma possível vitória por nocaute e acabou perdendo pela segunda vez para Frank Mir, logo no primeiro round.

O americano conseguiu sair de uma situação complicada para deslocar o ombro do brasileiro e terminar a luta. Minotauro tinha disparado uma potente combinação de socos que balançou Mir. Ao invés de concluir o nocaute com socos, tentou imobilizar o rival – que virou a situação de forma inesperada e espetacular. Vindo de duas derrotas, Rogério Minotouro conseguiu realizar um belo combate e afastou os boatos sobre uma possível aposentadoria.

Ortiz começou melhor, mas o brasileiro conseguiu derrubar o adversário ao encaixar uma joelhada certeira no abdome do rival. Atordoado, o fortíssimo Ortiz ainda resistiu no chão ao ataque de Minotouro, que encaixou vários golpes entre a cabeça e o tórax. Depois da derrota logo no primeiro round, Ortiz, segurando as lágrimas, reafirmou que pensa em deixar o octógono. “Vou dar um tempo e aproveitar pra curtir o Natal com a família. Ainda tenho uma luta em contrato com o UFC e espero que o Dana White me deixa honrá-la.”

enviar comentário
Publicidade

Micarla sofre derrota na Câmara Municipal

Conhecido jargão do jornalismo, a expressão “onde está Wally?” é empregada quando uma notícia vem sem noticiar, quando os elementos principais da informação ficaram perdidos.
 
Vale a adaptação: onde está a bancada da prefeita Micarla de Sousa? Valha-me Deus, onde está?

Agora há pouco, os vereadores derrubaram os vetos que a chefe do Executivo apresentou às emendas à Lei de Diretrizes Orçamentárias propostas pelos edis. 13 votos a oito.
 
As emendas foram acordadas com o presidente da Casa, Edivan Martins, e vetadas pela prefeita por suposta orientação de Kalazans Bezerra.
 
Elas, as tais emendas, são dispositivos propostos pelos vereadores, destinando isso ou aquilo para determinadas áreas da cidade.
 
Antes de ser bancada de situação ou oposição, um vereador precisa mostrar serviço. E as emendas são excelentes instrumentos para tal. Nem mesmo a bancada da prefeita, no auge da submissão, arriscaria abrir mão dessa vitrine.
 
Procurem as emendas, que agora estão garantidas. A bancada da prefeita estará lá.

enviar comentário
Publicidade

Vitória ou derrota faz parte. Humilhação não!!!

Nos últimos anos, o ABC tem passado por alguns vexames grandes dentro da sua casa.

Em 2007, foi o vexame para o Assu. Levamos 5 gols, amenizados pela rápida intervenção do então presidente Judas Tadeu, que demitiu o técnico, trouxe outro e colocou o clube na rota do 50º titulo estadual.

Em 2009, levamos um sapeca aiai do São Caetano também de 5 no Frasqueirão. Até ontem, tinha sido a partida mais vergonhosa a que assisti do clube que aprendi a amar e sofrer por ele.

Achei que não veria mais aquele tipo de situação enquanto fosse vivo.

A passividade somando as dificuldades fizeram o mesmo presidente, no caso de Judas, totalmente passivo naquele momento, e acabamos rebaixados a terceira divisão no mesmo ano.

Ontem voltei a ver o ABC fazer outro papelão, tomamos de 5 novamente de um time abaixo de mediano como é o Bragantino, uma falta de compromisso total de jogadores.

Um time figurativo para ser bondoso. O ABC sem alma, sem raça e sem vergonha de ontem não pode se repetir mais. Sei que a demissão do técnico vai acontecer, mas o problema não é só esse!!!

O técnico que gostei da contratação quando foi anunciado, se mostrou sem total condições de continuar no time, o ABC é um clube grande, não é um laboratório. De 12 pontos disputados, apenas 2 conquistados; há algo de muito errado…

Deixo esse pequeno texto com dois exemplos, até mesmo porque sei que a diretoria vai ler, para ela analisar e tomar as medidas cabíveis hoje, que é um dia D. Ou mostramos que não queremos isso para o clube ou vamos ter que passar tudo de novo na terceira do ano que vem.

 

Comentários (5) enviar comentário
  1. Medeiros disse:

    tá faltando levar soh do MECÃO, aguardem…

  2. Cuidado a síndrome “RICARDO OLIVEIRA”, o abC vai ter que abri os cofres.

  3. gley disse:

    E importante a volta de alguns dirigentes principalmente Ricardo Rocha o BIROFA para o ABC voltar a ter alegrias

  4. Karl Leite disse:

    Bruno,
    Parabens pelo texto. Concordo com voce.
    Acho que esta na hora de trazer um remedio caseiro, Ferdinando Teixeira.
    Mas, é um prato pro torcedores do mequinha, os sem estadio, sem destino. ABC, sempre! Ganhando ou perdendo.

  5. Soube que o "Marketing" está elaborando uma vasta programação com a competência que lhe é familiar, para comemorar o 10º jogo sem vitória.

Publicidade

Câmara aprova anistia a desmatador com emenda apresentada por Henrique Alves

Ontem, o governo Dilma sofreu sua primeira derrota no congresso, e de goleada. Para que isso acontecesse foi fundamental o trabalho do Deputado Henrique Alves que usou sua força e seu prestigio de líder do PMDB e colocou toda sua bancada na Câmara para votar contra o projeto da Presidenta Dilma e a favor do projeto do relator Aldo Rabelo. Dilma começou a ver ontem com quantos paus se faz um canoa. No congresso a luz amarela deve ter sido acesa. Ela vai ter que dar o céu e a terra ao PMDB para que o caso Palocci não passe da onde chegou. Podem anotar.

Mesmo o projeto aprovado sendo considerado ruim pelos ambiemtalistas, e inconteste a força e o poder de articulação que o Norte Riograndense Henrique Alves tem no congresso. O deputado deu um verdadeiro show ontem na Câmara costurando e apresentando a emenda que derrotou o Governo. Só para lembrar, esse projeto ainda vai para o senado e caso seja aprovado a Presidente ainda tem o poder de veto. Mas que o recado foi dado isso foi. Segue abaixo reportagem do Estadão:

A Câmara dos Deputados aprovou na noite ontem, por 410 votos a favor, 63 contrários e 1 abstenção, o texto do relator Aldo Rebelo (PC do B-SP) que reforma o Código Florestal. Depois, o governo Dilma Rousseff sofreu sua primeira derrota na Câmara. Por 273 votos a favor, 182 contra e 2 abstenções, os aliados aprovaram a inclusão no Código de concessão de anistia aos produtores que desmataram Áreas de Preservação Permanente (APPs) às margens dos rios e encostas até 2008.

Segundo o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), a emenda apresentada pelo PMDB e apoiada pela maioria dos partidos da base e de oposição foi considerada uma “vergonha” pela presidente Dilma Rousseff.

(mais…)

Comentário (1) enviar comentário
  1. Henrique deu um show? ja vi que voce é do mesmo time

Publicidade