Publicidade

Marcelinho Carioca diz que foi cortado da Seleção por "pegar" mulher de Luxemburgo

0002048118835_imgO ex-jogador Marcelinho Carioca ressuscitou uma polêmica que já havia caído no esquecimento. Em entrevista ao programa “Agora é Tarde com Danilo Gentili”, da Band, o ídolo do Corinthians afirmou que foi afastado do Corinthians e preterido na Seleção Brasileiro em 1998, por ter “roubado” uma mulher que o técnico Vanderlei Luxemburgo também desejava.

Sem fugir das polêmicas, o ex-camisa 7 não pestanejou ao confirmar a história que aconteceu na Bahia e falou que valeu a pena. “A mulher era maravilhosa. Ele me tirou da Seleção, mas não tinha como deixar, ela era linda demais. Ela falou assim: ‘não quero velho, não, quero o pretinho. Aí, o pretinho foi lá e…'”, brincou.

O episódio citado por Marcelinho aconteceu durante a extinta Taça Maria Quitéria, realizada em Salvador entre os anos de 1996 e 98. No último ano, a delegação do Timão estava hospedada no mesmo hotel da equipe de Luciano Huck e a produção do Programa H.

0002048118839_imgTanto que surgiu rumores de que a mulher em questão seria Suzana Alves, que interpretava a Tiazinha na época. O ex-jogador, contudo, sempre negou veementemente os boatos, haja vista que a musa namorava com o ator Eriberto Leão.

Esta, contudo, foi apenas uma das confusões envolvendo Marcelinho e Luxemburgo, que segundo o próprio ex-atleta chegaram até às vias de fato. “Dei muita porrada nele”, exaltou.

Outra polêmica bastante famosa foi com Ricardinho. Segundo especulações, Marcelinho teria dito que o ex-meia, agora técnico, era “leva e traz” de Luxemburgo dentro do elenco corintiano. Fato que acabou causando um racha no time e praticamente culminou na saída do craque no Timão, em 2001.

Futebol Interior

enviar comentário
Publicidade

Marcelinho Carioca quer tomar o mandato de Gabriel Chalita

O suplente de deputado federal Marcelinho Carioca (PSB) entrou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com pedido para que o deputado Gabriel Chalita (PMDB-SP) perca o mandato por infidelidade partidária. Marcelinho é o suplente imediato de Chalita, que foi eleito pelo PSB. Chalita deixou o PSB e filiou-se ao PMDB neste ano. Se conseguir que Chalita perca o mandato, é Marcelinho que assume em seu lugar na Câmara.

Segundo Marcelinho, no entando, mudança foi feita de forma totalmente imotivada, não estando inserida em nenhuma das hipóteses de justa causa”. A Resolução 22.610/2007 estabelece que existe justa causa para a troca partidária nos casos de incorporação ou fusão de partido; criação de novo partido; mudança substancial ou desvio reiterado do programa partidário ou grave discriminação pessoal. O  relator do caso no TSE é o ministro Gilson Dipp.

Os poderosos combinam as coisas nos gabinetes e escritórios e esquecem de combinar com quem está em baixo. Chalita não teve justa causa nenhuma para deixar o PSB. Ele saiu por circunstancias e arrumadinho político.

Vamos ver se vai prevalecer a lei ou se a política vai falar mais alto, mesmo o direito sendo bom para o ex-jogador

enviar comentário
Publicidade

Marcelinho Carioca assume como Deputado Federal

UOL Esportes

Marcelinho Carioca começará efetivamente sua carreira política. Nesta quinta-feira, ele toma posse como deputado federal pelo PSB. O ídolo do Corinthians é primeiro suplente do partido e assumirá a função devido à licença de seis meses pedida pelo deputado Abelardo Camarinha.

“Fiquei feliz demais quando soube que terei essa oportunidade de retribuir ao meu país tudo de bom que recebi dele”, comemorou o ex-meio-campista. “Vou pautar meu mandato na busca por fazer do esporte um meio efetivo de inclusão social para as crianças que mais precisam”, emendou.

A cerimônia de posse acontecerá às 10h de quinta-feira, 19 de maio. A data, inclusive, é bastante marcante para Marcelinho. “O dia 19 de maio é muito marcante na minha vida, pois é o aniversário do meu pai [Adílson], o falecimento de minha mãe [Sueli] e agora será o início de uma trajetória que eu espero que seja tão ou mais vitoriosa do que a que tive como jogador de futebol”, projetou.

Marcelinho recebeu 62.399 mil votos nas eleições realizadas no início de outubro do ano passado. Essa foi sua primeira tentativa na política nacional. No mesmo pleito, Vampeta e Dinei, também muito identificados com o Corinthians, não conseguiram votação suficiente.

Comentário (1) enviar comentário
  1. @borgesneto12 disse:

    Danrley, Marcelinho, Romário, Popó… Aposentados do esporte mas "representantes do povo" em Brasília. Vamos ver o que fizeram ao final dessa legislatura.

Publicidade