Publicidade

Ordenamento Ponta Negra: operação de fiscalização integrada voltou à orla nesse sábado

Foto: Assessoria/Semurb

A Prefeitura de Natal realizou mais uma operação de fiscalização integrada da orla da praua de Ponta Negra na tarde desse sábado (15). O objetivo foi verificar o cumprimento das determinações estabelecidas do Plano de Ordenamento, iniciado em março deste ano, sobretudo em relação ao comércio fixo na área do calçadão, atividade proibida. Cinco pessoas foram intimadas a comparecer à sede da Secretaria de Meio Ambiente (Semurb), pasta que coordena as ações.

A ação integrada, que contou também com a participação das Secretarias de Serviços Urbanos (Semsur), de Mobilidade Urbana (STTU), Guarda Municipal e Companhia Independente de Proteção Ambiental (CIPAM), verificou ainda se havia descumprimento de notificações já emitidas, o que constitui reincidência. Além disso, foram expedidas cinco intimações para o comparecimento à Semurb para tratar do licenciamento de atividades comerciais dos estabelecimentos. Bem como fiscalizada a colocação de publicidade irregular no passeio público, também proibida pelo ordenamento.

O Plano de Ordenamento é resultado da decisão judicial da 2ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Natal, que determina que a Prefeitura promova o ordenamento da praia, impedindo a prática das atividades potencialmente poluidoras e a utilização indevida dos espaços públicos.

O plano foi construído a partir de estudos técnicos de Capacidade de Suporte e na realidade atual de Ponta Negra, inclusive a ambiental, dividindo a orla em dez faixas ou trechos de acordo com uma metodologia de cálculo de suporte e de erosão, baseadas em estudos da UFRN. Com isso, as áreas da praia foram delimitadas de forma sustentável, estabelecendo-se as normas gerais e especiais relativas à localização, funcionamento e posturas aplicadas a todas as atividades desenvolvidas nos espaços públicos.

Para o supervisor geral de fiscalização ambiental da Semurb, Leonardo Almeida, que coordenou a operação, o saldo do trabalho foi positivo, o que mostra que as ações de fiscalização vem cumprindo seu papel. E que cada vez mais os comerciantes da Praia estão cientes da necessidade de organização de um dos pontos turísticos mais importantes da cidade.

Ainda segundo ele, as visitas à praia voltarão a acontecer com mais frequência para acompanhar o ordenamento. “Em suma o trabalho de hoje foi para coibir o comércio fixo no calçadão, a inserção de publicidade em locais proibidos e a utilização de vagas de estacionamento para fins de atividade comercial. Mas nós vamos em outras operações de fiscalização partir para as áreas dos quiosques e locadores de mesas e cadeiras, e assim por diante em todos os demais segmentos”, ressalta Almeida.

Em paralelo as ações de fiscalização, a Semurb, em parceria com a Vigilância Sanitária, Procon Municipal, Urbana e Semsur, também realizou minicursos sobre comércio sustentável e com orientações sobre os usos e posturas a serem seguidos pelos todos os comerciantes na orla. O objetivo foi promover uma capacitação específica para cada segmento, de acordo com as normas previstas no Plano de Ordenamento da praia. Todos os participantes do minicurso receberam uma cartilha para facilitar a consulta sobre as dúvidas e certificado.

 

Comentários (6) enviar comentário
  1. Edu disse:

    Parabéns a Dra. Juíza, e todos os envolvidos, agora tem que fazer isso diariamente, nada pior que a bagunça que esses ambulantes fazem, lembrando que quase todos são ignorantes com quem não aceita seus produtos.

  2. Leonardo disse:

    Ótima ação! Pense num tratamento horrivel é o daqueles barraqueiros.

  3. Manuel disse:

    Coisa de quem não tem o que fazer.
    Todos os envolvidos são incompetentes e irresponsáveis!

    A começar ocupando a PM com este desserviço à população.

    Realmente, coisa de quem não tem o que fazer ou ideias construtivas.
    Perca de tempo e isso aí, que chamam de "ordenamento", atrapalha em absolutamente tudo!
    Ta tudo errado!

    É vergonhoso que instruções respeitadas participem dessa palhaçada.

    Frequento essa Praia há mais de 5 anos. Quase todos os finais de semana. Não enxergo essas pessoas passeando pela Praia como solução.
    Precisam procurar o que fazer. Urgente!

  4. Nat disse:

    Cadê os turistas japoneses, americanos e mexicanos que estiveram aqui durante a Copa, dizendo que voltariam? Cadê os resorts, campos de golfe e marinas? (o que tem de órgão e ONG para botar areia em cada projeto….). A gente que trazer turista com grana ou tarado atrás de sexo barato? Ou vocês acham que europeu vem aqui para visitar museu?

  5. Jorge disse:

    Aonde nós estados vizinhos ( Ceara e Pernambuco) eles priorizam o excelente atendimento ao turista ,aqui os nossos governantes,querem que o turista coloque a bunda na areia ….mas esses mesmos inteligentes vivem passeando no RIO DE JANEIRO e acham lindo aquele apanhado de barracas e cadeiras …o exemplo maior ,é que no nosso estado NÃO EXISTE UM RESORT !!!

  6. jacil disse:

    Cabeção tá com tudo……oh cidade para gostar de multar o povo. Porque não faz o trabalho diário de educação ou fiscalização. Cai fora Prefeito. Cai fora Robinson. Vão cuidar em trabalhar dormiocos…….

Publicidade