Publicidade

Maracajaú concorre para ser "8ª maravilha do mundo"

O site Virtual Tourist abriu votação até o próximo dia 30 de setembro para escolher a “8ª maravilha do mundo”. Estão concorrendo 200 destinos turísticos e um deles, o único do Brasil, é Maracajaú, com seus já famosos parrachos.

A votação é feita através do endereço http://www.virtualtourist.com/8thwonder. Para votar no representante potiguar e brasileiro, digite “Maracajaú” no campo de formulário “search”, na parte superior direita da página, e tecle ENTER. Quando o resultado da pesquisa aparecer, clique em “vote”. Você pode votar quantas vezes quiser, mas só uma vez por dia.

Comentário (1) enviar comentário
  1. Eliane Praça disse:

    Valeu Bruno, nós todos temos que entrar de cabeça nessa campanha. Não custa nada dar um voto e ao mesmo tempo, é um grande presente para o Estado. Infelizmente , as pessoas de fora ,dão mais valor os nossos destinos turísticos ,do que nós mesmos.Já coloquei na Barra de Favoritos e darei meu voto todos os dias. Espero que o Rio Grande do Norte e o Brasil, faça isso também.Parabéns pela sua sensibilidade.

Publicidade

MPF e Ibama discutem aperfeiçoamento de regras para visita aos Parrachos de Pirangi

O Ministério Público Federal no Rio Grande do Norte (MPF/RN) e o Ibama estão trabalhando no aperfeiçoamento do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) que regulamenta a atividade econômica de passeio turístico e as atividades de lazer nos recifes marinhos da Ponta de Pirangi, conhecidos como Parrachos de Pirangi.

O TAC proposto pelo MPF foi assinado em 2010 pelo Ibama, Idema, Secretaria do Patrimônio da União (SPU) e quatro empresas que promovem passeios até o local, além da ONG Oceânica e a Associação Náutica de Pirangi. O aprimoramento do termo contará agora com o apoio da Marinha, através da Capitania dos Portos, que se somará aos demais órgãos no sentido de definir as normas de controle das visitas aos parrachos.

“Nosso objetivo é encontrar a melhor forma de garantir a sustentabilidade da exploração comercial naquela área, conciliando defesa do meio ambiente com desenvolvimento sócio-econômico”, destacou a procuradora da República Caroline Maciel da Costa. O Termo de Ajustamento de Conduta prevê normas que devem ser mantidas até que sejam concluídos os estudos necessários à criação de uma unidade de conservação costeiro-marinha na área.

enviar comentário
Publicidade