Publicidade

Motorista enfrenta lentidão e engarrafamento na volta do Litoral Sul

Quem está no Litoral Sul e deixou a volta do Carnaval só para esta Quarta-Feira de Cinzas (14) está enfrentando dificuldades no trânsito, que está engarrafado.

De acordo com o que apurou o blog, a lentidão está a partir de, pelo menos, a Praia de Pirangi.

As chuvas que caem desde a noite da terça dificultam ainda mais a situação na região.

Comentários (4) enviar comentário
  1. Zé Guerreiro disse:

    O grande problema na volta de Pirangi é um alagamento que se formou em Pium, uns 500m após o posto de gasolina.
    Passado esse ponto, está fluindo bem

  2. Joca disse:

    Absurdo NÃO EXISTE 1( um ) parasita da PRE OU AMARELINHO para ajudar no escoamento do trânsito……e o NATALENSE ASSISTE A TUDO PASSIVAMENTE…..não aparece um incompetente para pegar um APITO e fazer o trânsito FLUIR

    • Sergio Nogueira disse:

      É cada "jêniu"… kkkkk
      Então basta um apito para fazer o trânsito fluir?! Omi, ano que vem leve um cacho deles e volte voando para casa.
      Ao invés de ruas e avenidas Robinson, distribua apitos.
      E eu jurando que congestionamento acontecia quando a via saturava sua capacidade de tráfego…

  3. Luiz Santos disse:

    Blog do bg, o mais atualizado com notícias em tempo real, o Bruno é brincalhão mas não pára em serviço! Parabéns!

Publicidade

Enquanto a oposição critica alta de impostos, base fala em “travessia difícil”

Parlamentares ouvidos pelo G1 após o anúncio de corte de gastos e alta de tributos, com a volta da CPMF, divergiram sobre a eficácia das medidas, destinadas a cumprir uma meta de superávit primário de 0,7% no ano que vem.

Veja abaixo o que disseram parlamentares oposicionistas e da base aliada:

Aécio Neves (PSDB-MG), senador e presidente do PSDB
“É preciso que fique claro que os cortes anunciados hoje pelo governo federal – e que atingem inclusive programas sociais – são consequência da irresponsabilidade com que esse mesmo governo agiu nos últimos anos. Há medidas de redução de custeio, mas, infelizmente, como já era esperado, o maior “esforço fiscal” vem do aumento de impostos em plena recessão. […] Um governo que está há mais de 12 anos no poder novamente recorre a um ajuste baseado preponderantemente em aumento de impostos sobre a população brasileira, que já paga uma das mais elevadas cargas tributárias do mundo.”

Cássio Cunha Lima (PB), líder do PSDB no Senado
“O caminho de ajuste via aumento de carga tributária é muito mal visto pela sociedade e pelo Congresso. Teremos que conhecer mais de perto as propostas e se há um fundo de credibilidade do governo para pôr em prática essas propostas. Teremos que ouvir todos os setores da sociedade, mas o ambiente no Congresso é contrário ao aumento de cargas tributárias. As chances de aprovação de mais carga tributária, como a volta da CPMF, são bastante limitadas no Congresso.”

Jandira Feghali (RJ), líder do PCdoB na Câmara
“Vamos analisar as medidas. Mas a questão da CPMF acho absolutamente justa. Não vejo que 0,2% seja um problema que possa prejudicar alguém. Quanto às outras medidas, acompanhei o anúncio parcialmente e vamos ter que analisá-las. Eu acho que essa travessia é difícil. Com o nível de polarização da oposição, sempre dificulta [a aprovação de impostos no Congresso, como a CPMF], mas acho que a gente tem que trabalhar para ter os votos. Não vai ser simples, não será como nadar de braçada.”

José Agripino (RN), senador e presidente nacional do DEM
“As medidas comunicadas não aumentaram em nada a credibilidade do governo. Quem esperava corte no número de ministérios ou diminuição no número de cargos comissionados e viu aumento de IOF e ameaça de volta da CPMF, só pode ter ficado ainda mais indignado. Ainda não entenderam que para merecer apoio às propostas de aumento de receitas precisam se creditar com corte nas despesas. E isto o governo do PT insiste em não fazer. Para equilíbrio das contas só com aumento de impostos, não contarão conosco. Aí é querer acabar de parar o país.”

José Guimarães (PT-CE), líder do governo na Câmara
“Está todo mundo surpreso, andei conversando com alguns parlamentares e líderes, todos estão surpresos pela grandiosidade dos cortes e ousadia da presidente. Estou absolutamente confiante de que iremos aprovar [as medidas], porque o Congresso tem responsabilidade […] Não são medidas amargas, são medidas razoáveis, consistentes e que, certamente, precisam passar por profundo diálogo com o Congresso, com a sociedade e com investidores. Espero contar com o apoio daqueles que criaram a CPMF no passado, com [alíquota de] 0,38% porque estamos recriando com a alíquota na metade [0,2%].”

Lindbergh Farias (PT-RJ), senador
“A reação do PT e dos movimentos sociais a esse ajuste será muito maior que ao primeiro. Cortar investimento é criminoso […] O governo erra. Com esses cortes, estamos aprofundando a recessão econômica. […] Teríamos outras alternativas, como a tributação de lucros e dividendos. O governo poderia arrecadar até R$ 50 bilhões. Quem vai pagar pelo ajuste são funcionários públicos. A CPMF não é a grande questão. […] A política do [Joaquim] Levy e do governo é cada vez mais um samba de uma nota só. Ajuste, ajuste, ajuste. Vai ter muita resistência [no Congresso Nacional] em vários pontos.”

Mendonça Filho (PE), líder do DEM na Câmara
“Eu acho que esse anúncio de cortes de gastos é pífio diante do tamanho da crise, do rombo fiscal. Ele não resolve a crise, não corta na carne e afeta diretamente a população. O governo não reduz ministérios, não faz um gesto no sentido de reduzir os cargos comissionados substancialmente. O aumento de impostos é sempre o mais fácil, mas nós do DEM vamos rechaçar o aumento de imposto. Vamos lançar, ainda nesta semana, a campanha ‘Basta de imposto’. Não dá para jogar na conta da população o ajuste econômico. Pode ter certeza de que o governo não conseguirá aprovar no Congresso o aumento de imposto e a volta da CPMF.”

Randolfe Rodrigues (AP), líder do PSOL no Senado
“Eu, particularmente, vou defender isto: sobre aumento de imposto, farei luta incessante contra. Tem outros tipos de corte de gastos que o governo tinha que ter. E tinha que começar a cobrar imposto dos mais ricos. Foram anunciadas medidas contra a classe média.”

Ronaldo Caiado (DEM-GO), senador e líder do DEM no Senado
“O governo não precisa recriar a CPMF para falar em cortes de gastos. O governo prefere centrar no aumento da carga tributária em vez de cortar em sua estrutura. É brincar com a inteligência do brasileiro. Dilma faz um jogo de cena, não faz um corte significativo de ministérios nem cargos de apadrinhados e ainda resolve repassar a conta do desastre de seu governo para o brasileiro. Vamos fazer uma ampla frente ao lado da população contra aumento de carga tributária. O Congresso não vai referendar esse ataque.”

Rose de Freitas (PMDB-ES), senadora e presidente da Comissão Mista de Orçamento
“Se o governo tivesse tomado essas decisões antes, não teríamos perdido o grau de investimento. […] A primeira coisa que tenho em mente é que já estávamos amargurados com a falta de decisão com o governo. O rebaixamento da nossa nota não foi só em função do orçamento deficitário, mas também pela falta de decisão política. […] Por mais amargo que tenha sido [o anúncio], ainda bem que temos uma decisão sobre a qual vamos nos debruçar e discutir. Eu estou, por um lado, um pouco aliviada, por saber que governo teve a coragem de decidir. Tem mais a ser feito? Está correto? Ainda vamos discutir.”

Sílvio Costa (PSC-PE), vice-líder do governo na Câmara
“A oposição não tem credenciais, não tem moral para criticar a volta da CPMF porque foram eles que criaram a CPMF quando tinham responsabilidade com o país. Ninguém quer pagar mais imposto, mas chega um momento que é inevitável. Eu espero que este Congresso tenha um choque de responsabilidade pública e aprove as medidas anunciadas.”

Vanessa Grazziotin (AM), líder do PCdoB no Senado
“Vejo os cortes para os servidores públicos com muita preocupação, pois veja o que acontece com o serviço público: o abono-permanência é para que os servidores deixem de se aposentar. Se você tira esse abono, os servidores vão se aposentar. Será que o governo já fez o cálculo do impacto dessa medida? Quanto ao aumento da carga tributária, acho importante o governo sugerir medidas que vão ser debatidas no Congresso, muita coisa deve mudar no Congresso. É uma imposição que está sendo feita ao governo pelo mercado. Diante dessa imposição, temos que ver qual o caminho que menos impacte no crescimento da nossa economia, impacte menos nos investimentos, menos na inflação e que impacte menos nos trabalhadores que ganham de cinco a oito salários mínimos, que são os mais penalizados com essa crise.”3

enviar comentário
Publicidade

Após dois meses e meio, tremor voltou a ser registrado em Pedra Preta no fim de abril

Depois de um período de aproximadamente dois meses e meio de calmaria, no fim de abril, no dia 27, voltaram a ocorrer tremores na cidade potiguar de Pedra Preta, acima do limiar de percepção (1.5). O primeiro evento ocorreu às 12:45 UTC (09:45, hora local) e teve magnitude 2.1. O segundo evento ocorreu às 12:51 UTC (09:51, hora local) e teve magnitude 2.0.

 O mapa de localização epicentral está na Figura 1.

mapa_PP20140427Figura 1. Mapa de localização epicentral. O epicentro do primeiro evento está representado pela estrela vermelha. O epicentro do segundo evento está representado pela estrela azul. Os triângulos representam as estações RCBR (em vermelho) e ACCP (azul). Em destaque os limites do município de Pedra Preta.

O registro dos eventos na estação RCBR está na Figura 2.

RCBR_PP20140427O último evento acima do nível de percepção ocorreu no dia 13/02. O retorno atual significa que a atividade sísmica em Pedra Preta ainda não entrou num período de calmaria e, como sempre afirmamos, não é possível prever sua evolução.

Fonte: LabSis/UFRN; RSISNE; INCT-ET, USGS
Joaquim Ferreira, Regina Spinelli

enviar comentário
Publicidade

“Volta, Lula” é brincadeira, diz filho do ex-presidente petista

marcos-lula_divulgacao1Duas semanas após o ex-presidente Lula negar a intenção de voltar ao Planalto este ano, agora é a vez de um de seus filhos rechaçar a possibilidade de o petista concorrer à sucessão presidencial. Vereador em São Bernardo do Campo (SP), Marcos Lula (PT) diz que o assunto é tratado como “brincadeira” pela família.

“Eu conversei com meu pai, em ritmo de brincadeira até. Sabemos que ele não volta, que a candidata dele é a Dilma. Por isso, tratamos como brincadeira”, disse Marcos em entrevista ao jornal Diário do Grande ABC.

Segundo o vereador, seu pai está empenhado na reeleição de Dilma.  “Ela será nossa candidata e vai se reeleger, com certeza. Meu pai sabe que não é o momento de ele voltar. O trabalho tem de ser feito junto com a Dilma”, declarou ao repórter Raphael Rocha.

Carinho

Segundo o vereador, as crescentes manifestações pelo retorno de Lula não representam insatisfação com Dilma. “[É] Carinho do povo, que gostou muito da administração dele, do que ele fez pelo país. A Dilma faz boa administração, tem melhorado os índices que ele deixou. Tenho certeza que ela fará um segundo mandato muito melhor”, acrescentou.

Marcos conquistou uma cadeira na Câmara Municipal de São Bernardo, berço político de Lula, em 2012, quando recebeu 3.882 votos. Na ocasião, ele teve o pai como principal cabo eleitoral.

Boatos

Na entrevista ao Diário do Grande ABC, Marcos Lula negou a intenção de disputar uma vaga na Câmara dos Deputados este ano. “É boato. Vou trabalhar como vereador e trabalhar para reeleger a Dilma”, afirmou.

No último dia 8, em entrevista a um grupo de blogueiros, o ex-presidente Lula descartou qualquer possibilidade de se candidatar à Presidência da República este ano para “acabar com a boataria” de que poderia substituir Dilma nas eleições de outubro.

“Não sou candidato. Não tenho como ir a um cartório e registrar que não sou candidato. Minha candidata é Dilma Rousseff”, declarou. “Dilma tem competência, todas as condições políticas e técnicas para fazer o Brasil avançar. Ela é, disparadamente, a melhor pessoa para ganhar estas eleições. Já fiz minha tarefa, o que tinha de fazer. Já me dou por realizado”, acrescentou.

A declaração do ex-presidente ocorreu dias após pesquisa Datafolha indicar queda na popularidade e nas intenções de voto da petista e sinalizar que boa parte do eleitorado se mostra disposta a votar em um candidato apontado por ele.

Congresso em Foco – UOL

Comentários (3) enviar comentário
  1. Bruno Matos disse:

    Volta em 2018! Esse ano é Dilma!

  2. Carvalho disse:

    Brincadeira uma ova.
    Pesadelo!

  3. sinesio filho disse:

    Brincadeira de mal e mau gosto… Bata de ladrões!!!

Publicidade

Viva Costeira volta neste domingo e projeta melhorias para 2014

IMG000000000020239Um dos projetos sociais mais consolidados e aceitos pela população, o Viva Costeira volta neste domingo (9) após duas semanas suspenso por causa do movimentado fluxo de trânsito e participantes da 19ª edição da Feira Internacional de Artesanato (Fiart), realizada no Centro de Convenções de Natal, também com apoio do Governo do Estado.

A intenção para este ano é aumentar o percurso do Viva Costeira e discutir outras melhorias. “Voltamos com o ‘Viva’ e já projetamos mudanças. Nesta segunda-feira uma comissão multidisciplinar, formada por várias entidades, irá se reunir na Procuradoria Geral do Estado para tratar do assunto”, comenta o atual titular da pasta estadual de Turismo, George Lima.

Já com mais de 40 edições realizadas, desde o seu início em abril de 2013, o Viva Costeira visa o bem estar da população. Com uma faixa da Via Costeira interditada no período das 16h às 20h, das rotatórias do Centro de Convenções até o Hotel Pestana (2,5 km), o natalense e o turista têm opções de lazer variadas para curtir o domingo, a partir do fim de tarde e sob um visual único das praias urbanas da cidade.

Além da faixa interditada, o projeto oferece à população todo aparato de segurança com a presença militar da Polícia. Também orientação de trânsito com a equipe do Comando de Polícia Rodoviária Estadual. E ainda serviço ambulatorial de emergência, com uma ambulância do Samu de prontidão para o socorro imediato.

Praia Shopping agora oferece aluguel gratuito de bicicletas ao Viva Costeira

Neste verão, o Praia Shopping abraçou a proposta do Viva Costeira, de incentivar a vida saudável, e durante os fins de semana do projeto montou um pit stop no local com aluguel gratuito de bicicletas.

Agora, os moradores, turistas e esportistas podem unir diversão e saúde numa maravilhosa tarde de pedaladas. A iniciativa tem sido bastante elogiada por todos que lotaram o bicicletário para garantir o aluguel das eco bikes, nas últimas edições.

São oito bicicletas, todas sinalizadas e equipadas com GPS e capacete. O Praia Shopping conta com parceiros importantes como a Jovem Pan e a FeTriRN (Federação Tri-atletas do RN) que disponibilizou os atletas que passam as orientações a todos os usuários sobre a maneira mais correta e mais segura de andar de bicicleta por aí.

Comentários (3) enviar comentário
  1. alguem disse:

    Gostaria de parabenizar esta jovem que está no skate…muito linda…

  2. Alguem disse:

    Gostaria de parabenizar a beleza desta jovem que está no skate, gostaria de saber quem é?

Publicidade
Publicidade

Volta do diploma de jornalismo avança na Câmara

 A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara aprovou nesta terça-feira (12) a admissibilidade da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que torna obrigatório o diploma de nível superior em jornalismo para o exercício da profissão.

O texto será analisado agora por uma comissão especial que ainda será criada pela Casa, onde os deputados analisarão o mérito da proposta.

Se for aprovada, ela será votada em dois turnos pelo plenário da Câmara, sendo necessários 308 votos para ser aprovada. Se houver qualquer modificação no mérito da proposta, ela terá que ser analisada novamente pelo Senado, que aprovou a matéria em 2012.

Para o relator da proposta, deputado Daniel Almeida (PCdoB-BA), a volta da exigência do diploma para o exercício do jornalismo não apresenta irregularidades e não “ofende a liberdade de pensamento, de expressão ou de comunicação, independentemente de licença”.

Em 2009, o STF (Supremo Tribunal Federal) anulou a obrigatoriedade do diploma ao revogar a Lei de Imprensa do regime militar. A corte entendeu que a exigência não atendia aos critérios da Constituição para a regulamentação das profissões.

A proposta aprovada pelo Senado assegura que os jornalistas sem diploma que já atuam na área possam continuar exercendo as suas funções, desde que comprovem que já trabalhavam antes da promulgação da PEC.

O texto exclui também da obrigação do diploma para colaboradores, que são caracterizados como aqueles que não tem relação empregatícia com o veículo e fazem trabalhos de natureza técnica, científica ou cultural, relacionados à sua especialização.

A ANJ (Associação Nacional dos Jornais) é crítica da volta do diploma obrigatório, por avaliar que ele não é uma garantia de qualidade e tolhe a liberdade de expressão. A Fenaj (Federação Nacional dos Jornalistas), por sua vez, é a favor por entender que a reserva de mercado protege o profissional.

Folha

enviar comentário
Publicidade

Manifesto nas redes sociais #MossoróquerClaudia surpreende e é um dos assuntos mais comentados no país

Untitled-1Untitled-2A Câmara Municipal de Mossoró (CMM) empossou, na tarde dessa quarta-feira (2), o vereador Alex Moacir, no cargo de prefeito interino da cidade. O parlamentar chegou ao cargo após o afastamento da prefeita Cláudia Regina e do vice-prefeito Wellington Filho, determinada por decisão judicial da 34º Zona Eleitoral de Mossoró. A sessão aconteceu às 17h30, no plenário da Câmara Municipal.

De acordo com a decisão, o presidente da Câmara, Francisco José Júnior, deveria ser empossado no cargo, mas devido o mesmo estar em viagem familiar, quem assumiu o comando do município foi o vice-presidente, Alex Moacir.

PS:. A mobilização durou toda a manhã desta quinta-feira(3), até cerca de12h30.

Comentário (1) enviar comentário
  1. matheus disse:

    #mssoró#quer#claudia#regina volta claudiaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

Publicidade

Rubens Barrichello pode voltar à F-1 em 2014

barrichelloA solução para a Rede Globo tentar salvar a audiência das transmissões da F-1 em 2014 pode estar dentro de casa: Rubens Barrichello. Isso mesmo, o site espanhol F1aldia.com, afirmou que o veterano piloto de 41 anos estaria muito próximo de assinar contrato com a mediana Sauber, para ser companheiro do estreante russo Sergey Sirotkin, de apenas 18 anos.

Ano que vem, a categoria passará por uma profunda modificação no regulamento, que implicará em carros totalmente novos. Para se ter uma ideia, os atuais motores V8 aspirados de 2.4 litros, passarão a ser V6 turbos de apenas 1.6 litro.

Com isso, a equipe de origem suíça poderá optar pela propagada experiência de Barrichello em desenvolver e acertar carros, além de usá-lo como mentor do estreante (e milionário) russo.

Os atuais pilotos, o alemão Nico Hulkenberg e o mexicano Esteban Gutiérrez, não devem continuar na Sauber para 2014. Se a informação se confirmar, o futuro de Felipe Massa na F-1 ficará muito, mas muito ameaçado.

Comentários (3) enviar comentário
  1. Amaral disse:

    Deve chegar em 2015!!! Kkkk

  2. Cláudia Souto disse:

    Rubinho "Pé-de-chinelo" vai fazer o que na f1? Eu, hein?!!

    • David disse:

      mais que vc vai..tenho certeza

      e muito "piloto" querendo falar quem e bom ou não

Publicidade

Torcedor do ABC é executado quando voltada para casa após o jogo

Daivid Helder de Lima, de 26 anos, foi assassinado no loteamento Novo Horizonte, zona Norte de Natal, enquanto voltava do jogo do ABC, esta madrugada (5).

Segundo o oficial de Comunicação Social da PM, tenente Edmilson, o jovem seguia a pé para casa e foi atingido com um tiro na nuca. “Os policiais que estiveram no local pouco conseguiram saber sobre o homicídio, porque lá impera a lei do silêncio”.

A motivação do crime ainda é um mistério para a Polícia.

Thiago Macedo para o Nominuto.com

enviar comentário
Publicidade

Por cima de pau e pedra governo Dilma quer a volta da CPMF

Nas pegadas da aprovação, na Câmara, do projeto que disciplina os investimentos em saúde pública, Ideli Salvatti informa de onde sairá a verba extra: do seu bolso.

Em entrevista às repórteres Vera Rosa e Tânia Monteiro, a ministra declara, sem titubeios, que vem aí um novo imposto.

O subfinanciamento da saúde foi estimado pelo ministro Alexandre Padilha (Saúde) em R$ 45 bilhões anuais.

A proposta enviada pela Câmara ao Senado anota coisas definitivas sem definir muito bem as coisas.

O texto carrega um sucedâneo da CPMF, apelidado de CSS. Mas os deputados cuidaram de derrubar a base de cálculo, inviabilizando a cobrança.

(mais…)

Comentário (1) enviar comentário
  1. Enrique Robledo disse:

    Todo mundo sabe que os impostos são muito altos e só uma pequena parte deles retorna como investimento para a sociedade, agora um imposto mais sem vergonha que a CPMF (Contribuição Provisória sobre o Movimento Financeiro) ou (CSS como querem chamar agora) eu nunca vi, cada vez que vc movimenta o seu dinheiro vc perde, é uma coisa totalmente ridícula para um pais que deveria promover os investimentos e as contas transparente no lugar de fomentar a movimentação financeira ser por fora das instituições bancárias, que é o que acaba acontecendo. Absurdo.

Publicidade

PT em Festa. Delúbio de volta

Do Blog do Noblat:

Integrantes do Diretório Nacional do PT aprovaram na noite de hoje (29) o retorno ao partido de Delúbio Soares, considerado como pivô do mensalão de 2005.

A vitória de Delúbio foi esmagadora. Ele contou com apoio de 60 dirigentes. Apenas15 votaram contra. Outros dois não opinaram.

O presidente eleito do partido, Rui Falcão, foi um dos que votaram a favor de Delúbio.

“Como não existe pena perpétua no Brasil e tão pouco no regimento e estatuto do PT, nós encaramos isso com naturalidade”, ressaltou Falcão na saída da reunião.

(mais…)

Comentário (1) enviar comentário
  1. @borgesneto12 disse:

    Delúbio está Lula como PC está para Collor. Iguais em tudo. Mesmas acusações, mesmos erros, mesma boca calada, mesma serventia, subserviência e idolatria ao "cappo". A diferença é que PC morreu antes de ser "anistiado". A "cumpanheirada" está mais feliz que pinto no lixo…

Publicidade