UERN: Reitor cobra posição do governador em relação aos conflitos com servidores

Em reunião ocorrida nessa segunda-feira(27) em Natal envolvendo o Fórum dos Reitores do Rio Grande do Norte e a chefe de gabinete Tatiana Mendes Cunha, o reitor Pedro Fernandes Ribeiro Neto cobrou uma posição do governador Robinson Faria em relação aos conflitos com servidores da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN).

O reitor questionou a nota do Governo do Estado que colocou que os salários estão atrasados há 25 dias. “São mais de 20 meses seguidos de atrasos salariais”, frisou.

Admitindo que a situação financeira dos servidores e professores da UERN é delicada ele declarou que é preciso o governador se posicionar. “A situação entre docentes e governo está se tornando muito delicada. O governador precisa receber a categoria e se posicionar sobre os últimos acontecimentos”, declarou.

Nesse momento a secretária chefe de gabinete colocou que não há data para efetuar o pagamento.

O reitor pediu a palavra e lembrou que há tratamento diferenciado entre as categorias. “Isso complica a situação. É difícil lidar com a situação após uma categoria ser paga e outra não. Fica parecendo que o dinheiro está disponível e que não se paga porque não quer”, analisou.

As cobranças de Pedro Fernandes para que o governador receba a categoria foi reforçada pelos demais reitores presentes ao encontro. Cada um deles reforçou o respeito e a admiração pela UERN.

O reitor da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA) Arimatea Matos destacou a importância da UERN para a instituição superior que dirige. “A UERN é nossa vizinha de cerca, sua existência é fundamental para a UFERSA”, frisou.

O reitor do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) Wyllys Farkatt destacou as parcerias com a UERN. “A UERN hoje é a maior parceira do IFRN em relação às pós-graduações onde a experiência da UERN foi fundamental para começar o nosso programa”, destacou.

A reitora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) Ângela Paiva lembrou do peso da UERN no interior do Estado. “Quando eu era criança no Oeste Potiguar, a única esperança que as famílias tinham se chamava UERN”, lembrou.

Ainda participaram do encontro o professor João Batista Xavier, o diretor do Campus de Natal Francisco Dantas e a pró-reitora adjunta de recursos humanos e assuntos estudantis Jéssica Neiva.

Publicidade

Comentários:

  1. Romualdo disse:

    Por que não integrar a UERN no Instituto Kennedy e assim acabava com toda essa celeuma. Pois o Estado muito mal consegue manter o ensino médio que é sua obrigação constitucional. Quanto mais a educação superior.
    Melhor então, integrar a Universidade no Instituto Estadual de Ensino Superior e por meio de convênios e parcerias, oferecer formações, capacitações, treinamentos, graduações e pós graduações a todos os norte rio-grandenses.

    • Ceará-Mundão disse:

      Melhor privatizar e por essa gente prá trabalhar. O RN é um estado pobre e não se justifica gastar uma fortuna com a manutenção de uma universidade enquanto o ensino básico e fundamental do estado é uma porcaria. Essas universidades públicas são utilizadas por quem tem condição de pagar os estudos. Melhor seria substituí-las por bolsas de estudo a serem distribuídas por quem realmente precisa delas.

  2. Paulo Silva disse:

    Pergunta a Tatiana se o salário dela está atrasado? Governador faz tempo que não tem o camando deste barco… estamos a deriva…

  3. Ilo disse:

    Tenho grande respeito a UERN. O problema é que o RN não tem recursos para sustentar uma instituição que custa tanto dinheiro, Mormente quando existem outras prioridades. É como um servidor público que resolve comprar uma Ferrari. Vai sofrer muito para mantê-la.

  4. Lorena Galvão disse:

    Quando falo nos fantasmas da assembleia você não publica, é um direito seu, mais que e verdade é, nos ativos que trabalhamos não recebemos mais os fantasmas bolso cheio, tem dinheiro sim, apenas uma grande desorganização e gastos desnecessários, e por cima a bancada estadual, federal e senadores contra nos funcionários, abram do olho, eleição vem ai

  5. Maria de Fátima de Lima disse:

    Poque nossos salário governador do Rio Grande do Norte o primeiro da história eu mesmo compreta hoje dois meses sem receber dinheiro não temos culpa do fracasso do estado e também do desastroso governo que você está fazendo tenha um pouco de dignidade com o povo do seu estado.

  6. Jacio Maranhão disse:

    Situação vai fica pior que Rio de Janeiro servidor pede socorro estamos passando fone

  7. Almir Dionisio disse:

    Parece que a governadora é a Chefe de Gabinete Civil que fala fala e nada, aliás nesse DESgoverno só se fala em Frustração de Receitas e os Cargos Comissionados e Gratificações, gastos com viagens e alimentação nos Camarões tem.
    Agora os duodécimos para a Assembléia Legislativa e os servidores do Executivo ficam na pior sem data para receber, juros e multas nos atrasos.
    Estamos passando fome, necessidades… Daí o desespero já de alguns