Zezé Di Camargo diz que não houve ditadura militar no Brasil

Zezé Di Camargo afirmou em entrevista à jornalista Leda Nagle no YouTube que não acredita que o Brasil tenha vivido uma ditadura militar entre os anos de 1964 e 1985. “Eu vou falar um absurdo aqui para você, as pessoas vão me criticar, jornalistas vão falar de mim, achar que sou um maluco. (…) Muita gente confunde militarismo com ditadura, todo mundo fala ‘nós vivíamos numa ditadura’. Nós não vivíamos numa ditadura, nós vivíamos num militarismo vigiado”, disse.

O cantor, que faz dupla com o irmão, Luciano, continuou, explicando o que ele entende por ditadura. “Ditadura é a Venezuela, Cuba com Fidel Castro e até hoje vive, Hungria, Coreia do Norte, China, esses são realmente ditadores. O Chile com o Pinochet. A Argentina também viveu isso. O Brasil nunca chegou a ser uma ditadura daquelas que ou você está a favor ou você está morto.”

Leda lembrou que houve prisões, confrontos e tortura durante os 21 anos da ditadura militar, mas o sertanejo rebateu. “Mas não chegou a ser tão sangrenta, tão violenta, como a gente vive até hoje, no mundo de hoje. Não dá para acreditar que muita gente ainda acredita que uma ditadura vai dar certo. Não quero isso jamais, mas eu imagino que o Brasil hoje precisaria passar por uma depuração. O Brasil até podia pensar no militarismo para reorganizar a coisa e entregar de novo, limpamos essa corja e está aqui o Brasil democrático de novo, como queria. Acho que o Brasil precisava passar por uma depuração dessas.”

VEJA ONLINE

Publicidade

Comentários:

  1. Césio Ribeiro Dantas disse:

    Porque não te calas Zezé?

  2. Hsb disse:

    Concordo. Foi uma Revolução REDENTORA, para evitar que o Brasil não se tornasse um CU BÃO

  3. Júnior cortês disse:

    Com o Brasil viveu uma ditadura militar, se não época no período de aproximadamente vinte e poucos anos morreramom pouco mais de quatrocentàs pessoas , bem menos que o índices de mortes em Natal em menos de um ano. Que ditadura militar , era está ? que foi construída as maiores rodovias , com também as milhares de BRs , curtas e médias de distância do país, construíram milhares de conjuntos habitacionais, açudes e barragens públicas, segundo as estatísticas mostram que o maior números de acentamentos feito pela reforma agrária, ditadura mesmo é hoje implantado pelos governos da nova República, ditadura branca semi comunista disfarçada de democracia , onde a grande maioria dos políticos Brasileiros , entre outros são acusados de corrupção e roubalheiras , querem calar a IMPRENSA LIVRE. QUE DEMOCRACIA É ESTA DE HOJE , que muitos trabalham para sustentar a assistêncialismo, que democracia é esta que não se respeita o próximo, e nem a família , não tem ordem e progresso , civismo? ninguém sabe o que é , que democracia desgraçada é esta , que as empresas existentes estão feixando as portas ( quebradas) , onde políticos saqueiam o país , deixado o os brasileiros a mercê da saúde, educação e segurança que poderiam ser pelo menos o básico.

    • Júnior cortês disse:

      Completo- Números de mortes no Rio Grande do Norte ( Natal e cidades da grande Natal ).

  4. Chico disse:

    ZEZÉ TEM RAZÃO.

    Agora, tenha paciência e leia o que vou escrever.
    golpe, ou contra-golpe?
    Se você perguntar para qualquer universitário a razão da tomada do poder em 1964, a resposta será: “porque Jango queria fazer uma reforma de base, incluindo uma reforma agrária, mas a elite não permitiu”. Essa versão é mentirosa. Os militares ganharam a luta armada, mas os esquerdistas escreveram a história. A narrativa esquerdista dominou o imaginário popular. Percebo que você assimilou bem o discurso esquerdista. Porém, você está equivocado em muitos pontos. Vamos começar pelos motivos dos militares em 1964.
    No ano de 1959 ocorreu o primeiro contato das ligas camponesas com Fidel Castro. O objetivo desse encontro era conseguir apoio para tomar o poder pelas armas. Como você sabe, as Ligas Camponesas era o MST daquela época. No início da década de 60, com recursos cubanos, as Ligas compraram terras, para treinamento de guerrilha, do nordeste até parte do sudeste. A intenção era a tomada do poder pelas armas. Esses campos foram desbaratados pelo exército em 1963. A esposa de Francisco Julião, Alexina Lins Crespo de Paula, muito antes de 1964, esteve na China e aconselhou-se com Mao Tse Tung. Veja a matéria abaixo:

    Morre Alexina Crêspo, ex-mulher do militante Francisco Julião. Por: Elisa Jacques
    Publicado em: 14/11/2013 22:00
    Trecho dessa matéria: “Alexina participou ativamente das Ligas Camponesas de Pernambuco entre 1955 e 1964 que se espalharam para todo o Brasil.”
    Matéria completa no endereço abaixo:
    http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/politica/2013/11/14/interna_politica,473972/morre-alexina-crespo-ex-mulher-do-militante-francisco-juliao.shtml
    A matéria citada acima não conta nada sobre sua atuação em favor da luta armada.

    Alexina estava em Cuba em 1964 quando os, militares tomaram o poder. Ela não pôde voltar e criou os filhos por lá. Alexina, em um documentário sobre a sua vida conta como guardava as armas em Pernambuco para esperar o momento de tomar o poder – isso antes de 1964. Se não acredita, veja o documentário MEMÓRIAS CANDESTINAS, sobre a Alexina. Preste atenção a partir do minuto 44.

    MEMÓRIAS CANDESTINAS
    https://www.youtube.com/watch?v=j0wW2DCnN9o

    Existe um livro escrito por Denise Rollemberg, professora da Universidade Federal Fluminense: APOIO DE CUBA À LUTA ARMADA NO BRASIL. Este livro, escrito com base em documentos e depoimentos, demonstra o apoio de cuba à luta armada no Brasil antes de 1964, e após 1964 até a primeira metade década de 70. Fica claro que o AI5 foi uma resposta às ações dos guerrilheiros comunistas. Além das armas, cuba forneceu treinamento guerrilheiro. Em 1963 os brasileiros recebiam em Cuba treinamento para guerrilha. Jovens de outros países da América Latina também treinaram em cuba.
    Em 1963, Brizola criou o grupo dos 11. Grupos de 11 combatentes foram organizados em todas as capitais e em muitas cidades interior, inclusive em Assu/RN. Numa cidade pequena um grupo de 11 tomaria o correio, outros 11, o banco, outros 11, a delegacia, etc. Numa capital, vários grupos de 11 tomaria um quartel, outro conjunto de 11 tomaria o aeroporto, e assim por diante.
    Os comunistas brasileiros já tinha uma data para a tomada do poder: 1º. De maio de 1964.Os militares se anteciparam, tomaram o poder, mas a esquerda não estava bem organizada e perdeu sem disparar um tiro.
    Por tudo isso digo que não houve golpe militar; o que houve foi um contra-golpe.

  5. Chico disse:

    O país vivia uma guerra civil, quem foi morto ou torturado , foram aqueles que tentaram implantar no Brasil um ditadura proletariado. Vivi a época do regime, nunca tive nenhum problema. Pelo contrário vivia em segurança TOTAL.

  6. Ems disse:

    Quem viveu essa época e não se envolveu com os terroristas, sente saudades desse tempo. Era livre para ir e voltar quando quiser. Alguma coisa não bate com que os livros de história nos dizem.

  7. Robert disse:

    O brasil gosta de drama e de se achar igual aos paises de primeiro mundo. Foi boa o ponto de vista DE ZEZÉ. Só que agora vai ser triturado pelos intelectuais brasileiros que se acham aritocratas. Mas na realidades sao brasileiros, OS MESMOS QUE SAO DESCRIMINADOS NO ESTERIOR. To mentindo?

  8. Afonso disse:

    É um imbecil!

  9. Amacell disse:

    O ódio gratuito e seletivo ao PT é tanto que as pessoas chegam ao absurdo de elogiar algo tão grotesco quanto a ditadura militar imposta pelo golpe de 1964, uma pena nossa sociedade ainda se permitir discutir, embora impossível, a volta da ditadura no país, jamais vamos nos desenvolver democraticamente enquanto não valorizarmos os direitos sociais adquiridos com tanta luta.

  10. Amacell disse:

    Demente, devia ter perguntado ao grande historiador, Zeze, quantas eleições diretas teve pra presidente durante o "militarismo vigiado", pelo amor de Deus, ouvir opinião sobre ditadura se houve ou não é o mesmo discutir se houve ou não holocausto

  11. sil disse:

    falou á pura verdade o pais precisa passar por uma nova militarização para poder seguir em frente com novos preceitos de organização e respeitos á nação

    • Robert disse:

      Extrai todas as nossas riquesas. E as forças armadas nem para conferir. CADE A ORDEM E PROGLESSO ? CADE OS MILITARES. OS HOMEM TAO VENDENDO TUDO CARAMBA! E O BRASIL SI F……..

  12. Cláudio disse:

    Que intelectual. Um cara "inteligente e esclarecido". Vai estudar história e deixa de se ridicularizar pela boca.

  13. Comedor de Coxinha disse:

    Mais uma pérola de um eleitor do Rapaz do Pó e Corrupto.

  14. Roberto disse:

    Ele tá certo, quem diz quê é ditadura, são esses bandidos do PT, PCdo B, que na época assaltavam bancos, sequestravao, matavam faziam tudo de ruim no pais, é destruíram o país travestidos de democratas, esse país só têm uma solução Militares no poder.

  15. Botelho Pinto disse:

    Se os militares tirassem esses políticos ladrões e convocasse novas eleições sem financiamento privado, eu apoiaria.

  16. Jk disse:

    Nessa época ele só bebia OVO! E pensava que sabia cantar… kkkkkk