FOTO: Harrison Ford sofre acidente de avião nos EUA

reutersAvião caiu em campo de golfe nos EUA; site afirma que piloto era ator Harrison Ford e que ele está gravemente ferido (Foto: Lucy Nicholson/Reuters)

Um avião pequeno pilotado pelo ator Harrison Ford colidiu em aterrisagem forçada nos EUA nesta quinta-feira (5). Ele está em um hospital em estado crítico, segundo o site TMZ e a rede de TV NBC.

O avião com lugar para duas pessoas caiu em um campo de golfe em Venice, na Califórnia, nesta quinta, de acordo com o site. O ator teria sofrido cortes na cabeça e foi atendido por médicos que estavam no campo de golfe no momento.

Uma equipe de emergência levou o ator para um hospital, de acordo com o site. A agência Reuters mostra uma imagem do avião bastante danificado após o acidente no campo de golfe.

O Corpo de Bombeiros de Los Angeles confirmou que houve um acidente de avião no local e que um passageiro foi levado ao hospital em estado crítico, mas não confirmou se tratar de Ford.

Segundo a rede de TV NBC, o avião era um modelo vintage de treinamento da 2ª Guerra Mundial.

Harrison Ford, de 72 anos, pilota aviões de pequeno porte. O ator de “Star wars” e “Indiana Jones” já se envolveu em outros acidentes com aterrissagens forçadas antes.

harrisonfordtmz harrison_ford_mike-blake_re

O Globo e G1

A PARTIR DESTE SÁBADO: No período dos protestos, PSDB ataca Dilma em comerciais de TV

A partir deste sábado, o PSDB levará ao ar comerciais em que acusa a presidente Dilma Rousseff de faltar com a verdade. A data para exibição dessas inserções coincide com o período para o qual estão programadas duas manifestações na avenida Paulista.

Além do dia 7 de março, as inserções do PSDB serão veiculadas, em rádio e TV, nos dias 15 e 22. No dia 13, ocorrerá um ato da CUT em defesa da Petrobras, mas contra o ajuste fiscal promovido pelo governo Dilma. Para o dia 15, domingo, estão marcados uma série de protestos pelo impeachment da presidente.

Aécio Neves, presidente do PSDB, mostrou os comerciais aos senadores na tarde de quarta-feira. As inserções, de 30 segundos cada, apresentam pronunciamentos oficiais em que a presidente afirma que não vai aumentar tarifa de energia, que a taxa de juros não vai subir e que a inflação está sob controle. A inserção se encerra com o carimbo de que o PSDB tem compromisso com a verdade.

Os pronunciamentos da presidente são expostos num tablet. Dois apresentadores comentam o teor das promessas da presidente. Aos senadores, Aécio afirmou que a intenção é reforçar a imagem, detectada em pesquisas, de que Dilma não cumpre o que promete.

No dia em que soube que seu nome não foi incluído no pedido de abertura de inquérito da Operação Lava Jato, Aécio saiu para jantar com o prefeito de Salvador, Antônio Carlos Magalhaes Neto. Os dois dividiram uma garrafa de vinho e fumaram cigarrilhas. Aparições públicas de Aécio não são tão frequentes em Brasília.

Folha Press

Receita Federal cria malha fina para pequenas e médias empresas

A Receita Federal lançou neste ano a malha fina da pessoa jurídica. Por meio desse novo sistema, pequenas e médias empresas com inconsistências na declaração do Imposto de Renda serão notificadas e terão a chance de regularizar espontaneamente sua situação com o Fisco.

Neste ano, a Receita está notificando 26 mil empresas com indícios de irregularidades em suas declarações feitas em 2012. Caso for comprovado que todas essas empresas sonegaram, o valor total da dívida é estimado em R$ 7,2 bilhões.

Por meio de cruzamento de dados, a Receita identificou esse universo com irregularidades potenciais, como aplicação incorreta do lucro presumido, mas ainda não há prova de infração, explicou o subsecretário de Fiscalização, Iágaro Jung Martins.

As empresas que foram notificadas têm 90 dias para regularizar de forma espontânea seus dados ou confirmar o que foi informado à Receita. A partir de então, o contribuinte está sujeito a ser autuado a qualquer momento, informou Martins.

VANTAGEM

Para o contribuinte, é vantajoso regularizar sua situação de forma espontânea, pois fica livre de multa –que pode superar 200% sobre o valor sonegado–, defende Martins.

Para a Receita, há a vantagem de arrecadar mais. Quando o contribuinte é impugnado, ele geralmente recorre, abrindo processo que pode levar anos para um desfecho

Para Martins, essa é uma relação de maior transparência com contribuintes menores. Estão na mira da malha fina empresas com receita bruta anual de até R$ 48 milhões. “Os grandes a gente ataca de outra forma. Temos uma estratégia bem definida para eles”, afirmou.

A expectativa da Receita é que neste ano apure R$ 157,9 bilhões com fiscalização de contribuintes, incluindo grandes, médias e pequenas empresas e pessoas físicas.

Folha Press