Publicidade

Renan diz que Lava Jato é ‘intocável’ e nega dificultar investigações

Por Interino

(FOLHAPRESS) – O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), voltou a se manifestar nesta quinta-feira (26) sobre gravações feitas pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado de conversas entre os dois.

Na quarta (25), a Folha de S.Paulo revelou trecho em que o peemedebista defende uma revisão da lei de delação, de forma a impedir que presos façam acordos e virem delatores.

Os novos trechos, revelados pelo “Jornal Hoje”, da rede Globo, mostram Renan dando orientações sobre a defesa do ex-senador Delcídio do Amaral (ex-PT-MS) e também sugerindo a Machado que fosse procurado o advogado Eduardo Ferrão para tentar uma aproximação com o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Teori Zavascki -Ferrão e o ministro são amigos.

Já o ex-presidente José Sarney (PMDB) sugere que seja procurado o ex-ministro do STJ (Superior Tribunal de Justiça) César Asfor Rocha.

Delcídio foi preso em 25 de novembro do ano passado acusado de obstruir as investigações da operação Lava Jato. Em 10 de maio, às vésperas da votação do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff, o Senado aprovou a cassação do mandato do ex-petista.

Na nota, o senador afirma não ter tomado “nenhuma iniciativa” ou ter feito “gestões para dificultar ou obstruir as investigações da operação Lava Jato”. “Até porque elas [investigações] são intocáveis e, por essa razão, não adianta o desespero de nenhum delator”, completa o texto.

O peemedebista lembra ter acelerado a votação da cassação do mandato de Delcídio. Reiterou que o caso foi noticiado, dizendo ainda ter opinado com um amigo do ex-senador “que o processo não podia ficar parado, como não ficou”.

“O senador não pode se responsabilizar por considerações de terceiros sobre pessoas, autoridades ou o quadro político nacional”, continua a nota.

Renan voltou reafirmar que “suas opiniões sobre aprimoramentos de legislação foram e continuarão públicas”. “Não apenas ao tema mencionado nos diálogos, mas também na defesa de que a pena para delações não confirmadas sejam agravadas”, conclui a nota divulgada pela assessoria de imprensa do peemedebista.

Mencionado na gravação, o presidente nacional do DEM, senador José Agripino (RN), negou ter tido qualquer conversa com Renan ou Machado sobre a Lava Jato.

“A menção ao meu nome não faz o menor sentido uma vez que eu e o meu partido sempre defendemos e continuaremos a defender as investigações conduzidas pela operação”.

O ministro Teori Zavascki informou, via assessoria, que não vai comentar as citações a seu nome. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, também não comenta.

Folha

enviar comentário
Publicidade

Gastos de estrangeiros crescem 11,47% no Brasil

Por Interino

Os gastos dos visitantes internacionais cresceram 11,47% no primeiro quadrimestre do ano na comparação com o mesmo período de 2015. De janeiro a abril os estrangeiros injetaram US$ 2,32 bilhões no Brasil por meio do turismo, contra US$ 2 bilhões do primeiro quadrimestre de 2015, segundo acompanhamento do Ministério do Turismo com base em dados do Banco Central.

Em abril, a receita cambial turística também superou o resultado do mesmo mês do ano anterior. Os gastos dos turistas estrangeiros foram de US$ 475 milhões, um aumento de 6,88% em relação ao ano passado, de US$ 444 milhões. “Precisamos promover alguns ajustes no ambiente de negócios para aproveitar todo o potencial que o turismo tem para se transformar num importante vetor do desenvolvimento econômico do país”, comentou o ministro Henrique Eduardo Alves.

Este é o quarto mês consecutivo que o gasto de estrangeiros no Brasil supera os números do ano passado. Enquanto isso, os valores deixados por brasileiros no exterior registram queda, se comparados com os resultados dos mesmos períodos de 2015. No acumulado do ano os gastos dos brasileiros no exterior caíram 41%, de US$ 6,87 bilhões para US$ 4 bilhões.

enviar comentário
Publicidade

Menina ‘defende’ capitalismo em questão de prova, leva nota zero e mãe questiona: ‘Escola sem partido?’

Por Interino

Uma mãe do Rio de Janeiro, indignada com a nota zero levada pela filha em uma questão de prova, decidiu compartilhar em seu Facebook como conseguiu reverter a avaliação do professor, fazendo com que a menina obtivesse o ponto perdido.

A introdução da questão dizia: “O processo de globalização, que vive o mundo de hoje, propõe como elemento de estabilidade social, econômica e política, o velho paradigma das leis de mercado. (…) sobrevive só quem tem competência”. Em seguida, vinha o enunciado: “Considerando o texto acima, podemos afirmar que o capitalismo fundamenta a lógica imoral da exclusão. Justifique tal afirmativa”.

Com a resposta a seguir, a aluna levou nota zero: “Não concordo que o capitalismo fundamenta a lógica imoral da exclusão. Muito pelo contrário. O capitalismo amplia empresas, gerando assim, empregos. O capitalismo dá oportunidades a todos, diferente do comunismo e socialismo que não deu certo em nenhum país. A exclusão não está relacionada ao capitalismo, porque ele não gera pobreza. Fica pobre quem quer, pois ele gera oportunidades. E também tem a meritocracia, que deve ser vista como um plus na sociedade, pois quando se recebe uma oportunidade é possível alcançá-la com mérito e dedicação”.

Depois de ver a correção da prova, a mãe, então, decidiu questionar a escola, que voltou atrás, concedendo a pontuação máxima da questão. “Escola sem partido? Minha filha contestou ‘que o capitalismo fundamenta a lógica imoral (sic) da exclusão’ e levou um zero. Só obteve o ponto nesta questão manipuladora pois fui à direção da escola questioná-los”, escreveu no Facebook.

EXTRA
Comentários (3) enviar comentário
  1. ANTI FACISTA disse:

    A diferença do Capitalismo X Socialismo é nenhuma, pois quando quebra, quem sempre paga a conta é o governo ou seja o trabalhador atraves do pagamento de impostos. A crise dos grandes bancos e financiamento imobiliário ocorrida em 2008 que quebrou grandes corporações foi bancada pelo tesouro americano. A diferença é que quando tem lucro as cifras sustentam a mordomia da burguesia na iniciativa privada (Capitalismo), ou dos corruptos no estatismo (Socialismo) além de menos exploração do trabalho humano.

  2. Sergio Nogueira disse:

    Essa corja esquerdista ocupa as salas de aula para criar futuros militantes para seus partidos e movimentos.
    O correto é a demissão por justa causa, nestes casos.
    Quer arrebanhar seguidores? Vá para assembleia de sindicato!

  3. Gilberto Paulo disse:

    Com certeza professor ligado ao SINTE e à CUT, petralha desgraçados que lascaram nosso país.

Publicidade

Prazo de 5 anos para manter nome sujo começa a contar após vencimento da dívida

Por Interino

O prazo de cinco anos para manter nome de consumidores em cadastro de proteção ao crédito começa a contar partir do dia seguinte da data de vencimento do débito não pago, independentemente da efetivação da inscrição pelo credor. O entendimento, por maioria, é da 3ª Turma do Superior Tribunal de Justiça.

Segundo o ministro Paulo de Tarso Sanseverino, considerar a data do registro como termo inicial significaria manter indefinidamente permanência do devedor, pois bastaria repassar as informações a um novo banco de dados para que a contagem recomeçasse.

“Parece-me que a interpretação que mais se coaduna com o espírito do Código [de Defesa do Consumidor] e, sobretudo, com os fundamentos para a tutela temporal do devedor, aí incluído o direito ao esquecimento, é aquela que considera como termo a quo do quinquênio a data do fato gerador da informação arquivada”, afirmou o ministro.

Vencido no julgamento, o relator do recurso, ministro João Otávio de Noronha, votou para que o termo inicial da contagem do prazo fosse a data do registro. Com informações da Assessoria de Imprensa do STJ.

enviar comentário
Publicidade

‘Quando acordei tinha 33 caras em cima de mim’, diz menina que sofreu estupro coletivo

Por Interino

A menina de 16 anos que foi vítima de um estupro coletivo em uma comunidade da Zona Oeste foi levada na manhã desta quinta-feira para o setor de ginecologia do Hospital Maternidade Maria Amélia, que é anexo ao Souza Aguiar, para fazer exames. A polícia já identificou dois dos criminosos, que terão as prisões preventivas pedidas. A vítima passou a madrugada no Instituto Médico Legal e já foi ouvida na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), que investiga o caso. O Ministério Público informou que está acompanhando o caso e que já recebeu 800 denúncias, pela ouvidoria. Ao sair do hospital, a menor de idade, ainda muito abalada, disse que foi dormir na casa do namorado, na última sexta-feira, e só acordou no domingo.

— Quando acordei tinha 33 caras em cima de mim— disse a menina, que tentou diversas vezes fugir do hospital — Só quero ir para casa.

Aos choros e ainda muito abalado, o pai da menina, que pediu para não ser identificado, disse que o estupro ocorreu na última sexta-feira, no Morro São João, em Praça Seca.

— Ela foi num baile, prenderam ela lá e fizeram essa covardia. Bagunçaram minha filha. Quase mataram ela. Estava gemendo de dor. Ficou tão traumatizada que só conseguia chorar.

A avó da vítima, em entrevista à rádio CBN, disse que ela teria sofrido um apagão durante os abusos.

— O vídeo é chocante, eu assisti. Ela está completamente desligada. Ela tem umas coleguinhas lá, mas nessa hora nenhuma apareceu.

Eles, inclusive, postaram diversos comentários a respeito, todos eles irônicos. As imagens do estupro coletivo causaram revolta nos internautas. A hashtag #Estupro chegou a entrar nos trending topics do país.

O homem que postou na internet o vídeo teve a conta excluída do Twitter. Nas imagens, a menina, que aparentemente está dopada, tem suas partes íntimas exibidas. O rosto de um dos agressores também aparece.

 

O Globo

Comentários (2) enviar comentário
  1. fernando disse:

    So esqueceu de falar onde tudo isso ocorreu….

  2. renato disse:

    Cade as deputadas do pt e psol? As mesmas que batem em Bolsonaro? Não vi nenhuma delas criticando o fato? E os do menor? Bolsonaro 2018.

Publicidade

Dono de jornal não é responsável direto pelas notícias publicadas

Por Interino

O fato de jornais publicarem notícias com críticas a pessoas não faz de seus donos os culpados pela produção do material. Assim entendeu, por maioria de votos, a 1ª Turma do Supremo Tribunal Federal, ao rejeitar queixas-crime por calúnia e difamação apresentadas contra os proprietários do Diário do Pará — o senador Jader Barbalho (PMDB-PA), sua mulher, a deputada federal Elcione Barbalho (PMDB-PA), e o filho do casal, o ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho (PMDB-PA).

Na denúncia, feita pelo deputado federal Wladimir Costa (SD-PA), consta que os três citados teriam influenciado a produção de notícias que criticam parlamentar durante as eleições de 2014. Entre as acusações que consideradas caluniosas por Costa estão a de que ele possuía organizações não governamentais em nome de “laranjas” para firmar convênios falsos e aumentar seu patrimônio, e que teria usado indevidamente recursos da Câmara dos Deputados destinados à compra de passagem aéreas.

Para a relatora das petições (Pet) 5.629, 5.631 e 5.639, ministra Rosa Weber, a narrativa da conduta não atende aos requisitos para ser enquadrada no artigo 41 do Código de Processo Penal. O dispositivo exige, além da descrição dos fatos criminosos, a demonstração da participação dos acusados.

Rosa Weber destacou que nas queixas não foi dito nada sobre os acusados terem induzido, instigado ou auxiliado na elaboração ou divulgação das matérias. Segundo ela, a mera condição de proprietários do jornal não sugestiona que eles tenham cometido ação ou omissão de relevância penal.

“Para associar penalmente os querelados à matéria jornalística tida por ofensiva a sua honra, impunha-se ao querelante descrever, no mínimo, como, onde e em quais circunstâncias houve a participação causal relevante dos acusados para elaboração e divulgação do conteúdo da matéria. Inexiste narrativa que permita inferir minimamente sua participação dos acusados nos fatos tidos como delituosos”, afirmou a ministra.

Ficou vencido no julgamento o ministro Marco Aurélio. Ele entendeu que os políticos, ainda que visando a disputa eleitoral, teriam usado sua posição no jornal para acusar o parlamentar de atos criminosos. Com informações da Assessoria de Imprensa do STF.

Comentário (1) enviar comentário
  1. ANHAM disse:

    Sei…

Publicidade

Mesmo que pacote passe, governo prevê déficit de R$ 66 bi em 2017

Por Interino

O Globo

O pacote de controle de despesas, anunciado anteontem pelo governo, não evitará um novo rombo das contas públicas no ano que vem. O governo trabalha com um déficit superior a R$ 100 bilhões (1,5% do Produto Interno Bruto) se as medidas não forem aprovadas no Congresso, segundo fontes ouvidas pelo GLOBO. Com isso, seria o quarto ano consecutivo de rombo. O momento político, porém, dificulta o processo.

Por causa da interinidade do presidente Michel Temer, nenhum projeto polêmico será colocado em votação pelo governo antes da apreciação final do impeachment da presidente Dilma Rousseff. Se o pacote tiver aval do Legislativo, o déficit cairia para R$ 66 bilhões no ano que vem, pelo cálculo de especialistas.

Veja matéria completa AQUI

enviar comentário
Publicidade

Gravação mostra Renan orientando defesa de Delcídio

Por Interino

Gravação do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, delator da Operação Lava Jato, mostra o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), numa conversa no último dia 24 de fevereiro orientando uma pessoa identificada como Wanderberg, suposto representante de Delcídio do Amaral (sem partido-MS), sobre como fazer a defesa do então senador.

Delcídio teve o mandato cassado no último dia 10 pela unanimidade dos votos dos senadores presentes. Na época em que foi feita a gravação, o processo de Delcidio ainda estava no Conselho de Ética, e Renan não sabia que Delcidio já era delator da Lava Jato.

Renan afirma que é preciso que o presidente do conselho, senador João Alberto Souza (PMDB-MA), peça diligências para não parecer que a investigação estivesse parada. Ainda sugere que Delcídio faça uma carta mostrando humildade e que já pagou o preço pelo que fez.

Veja a matéria do G1/DF AQUI

enviar comentário
Publicidade

Serra diz que orientou embaixadas a negar “golpe”

José Serra

Por Interino

O ministro das Relações Exteriores, José Serra, negou ontem (25) que esteja partidarizando a condução da política externa do País após o Itamaraty enviar a todas as embaixadas uma circular com a orientação para que a tese de que o impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff é um  “golpe” seja “ativamente combatida”.

Entre outros pontos, a circular distribuída a todas embaixadas brasileiras ressalta que o processo que levou ao afastamento de Dilma observou as regras e todos os ritos estabelecidas na Constituição.

Comentário (1) enviar comentário
  1. Curioso disse:

    Uma mentira contada muitas vezes pode virar "verdade"…

Publicidade
Publicidade

Sete são presos e 74 CNHs retidas em blitz da Lei Seca em Natal

Sete pessoas foram presas em blitz da Lei Seca na madrugada desta quinta-feira (25) (Foto: Divulgação/Polícia Militar)

Por Interin

Sete pessoas foram presas e 74 carteiras de habilitação apreendidas durante a madrugada desta quinta, 26, em mais uma Operação Lei Seca realizada em Natal. De acordo com a PM, seis pessoas foram detidas por embriaguez e uma por conduzir uma moto sob influência de maconha.

A operação teve dois pontos de fiscalização: na Av. Hermes da Fonseca e outro após a rotatória da Rota do Sol, trecho que dá acesso ao bairro de Cidade Verde.

FOTO: PM/Divulgação

enviar comentário
Publicidade

PT quer reverter votos a favor do afastamento de Dilma sugerindo nova eleição

Dilma se despede ao deixar o Planalto; presidente ficará afastada por até 180 dias

Por Interino

O PT está contando votos para reverter o processo de impeachment no Senado. A estratégia é retomar o discurso de novas eleições e convencer a presidente afastada Dilma Rousseff a se comprometer com a proposta, caso ela volte ao poder. Assim, petistas dizem acreditar que será mais fácil fazer com que alguns senadores que votaram pela abertura do processo mudem de voto na fase final.

Para que a presidente seja definitivamente afastada são necessários 54 votos. Na sessão de admissibilidade, 55 senadores votaram pela abertura do processo. O PT calcula entre dez e 13 senadores considerados “potenciais” para mudar de voto, mas para garantir a permanência de Dilma só precisaria reverter de fato quatro posicionamentos.

Os nomes favoritos dos petistas para reverter a votação são os senadores do Distrito Federal, Cristovam Buarque (PPS-DF), Antônio Reguffe (sem partido) e Hélio José (PMDB-DF). O entendimento é que as medidas de Temer com cortes no serviço público, concursos e reforma da Previdência enfraquece o eleitorado brasiliense de classe média.

Tanto Cristovam quanto José afirmaram na primeira sessão que votavam apenas pela abertura do processo e que poderiam mudar de opinião. Reguffe foi mais crítico em seu discurso contra o governo Dilma, mas ele faz parte do grupo de senadores que defendem a PEC das novas eleições.

Cristovam, que também defende novas eleições, disse que, caso a presidente se comprometa com a medida, essa seria uma “sinalização importante”, mas que isso não define o seu voto. Para o senador, Dilma precisa mostrar que seria uma presidente melhor que Temer, abandonar o discurso do golpe e assumir erros.

Além desses, foi cotado também o nome do senador Romário (PSB-RJ), que tem restrições com Romero Jucá (PMDB-RR), ex-ministro do Planejamento de Temer e um dos principais articuladores do impeachment. Jucá é relator da CPI do Futebol, presidida por Romário, e trabalha no sentido de dificultar as investigações e evitar a convocação de dirigentes da CBF. Senadores do PT afirmam que o assunto já foi colocado para a presidente afastada e a parte mais difícil da estratégia é justamente convencê-la a se comprometer com novas eleições.

Estadão

Comentário (1) enviar comentário
  1. charles disse:

    Esse sim é um golpe que esses sem futuros querem dá. Quem acredita que essa presianta vai fazer isso?? Mentir é com essa lais mesmo.

Publicidade