Publicidade

Bebê é internado com pneumonia e tem pé e dedos das mãos amputados

Um bebê de um ano foi internado com pneumonia na Santa Casa de Franca, no interior de São Paulo, mas acabou tendo o pé esquerdo e as extremidades dos dedos das mãos amputadas. A Polícia Civil está investigando o caso por suspeita de erro médico.

família do menino Miguel contou ao G1 que o procedimento ocorreu por complicações causadas pela aplicação errada de um antiviral e pela negligência dos profissionais da unidade de saúde diante da piora do bebê durante o período em que  ele esteve internado no local, entre dezembro e janeiro.

Miguel foi diagnosticado com pneumonia e citomegalovírus e internado em 11 de dezembro do ano passado. Ele apresentava sintomas como febre, dor de garganta e inchaço na barriga.

Dois dias depois, segundo a mãe, ele começou a receber doses de um antiviral que deveria tomar por um mês e meio. No dia 17, Lucimar afirma que a equipe médica aplicou de maneira errada a injeção na pele do menino, fazendo com que o quadro clínico dele se agravasse. Ele teve alergia, febre, vômito, inchaço nas pernas e mal funcionamento dos rins.

Ainda segundo a mãe, o bebê foi remanejado para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) depois de muita insistência. “No dia 18, ele já ficou com a boca roxa, pra eles era normal, batimentos foram a 220, pra eles era normal, e eu em cima. Dia 19 eu ameacei chamar a polícia. Gritei que meu filho estava morrendo”, contou.

Nos dias seguintes, os membros inferiores e as pontas dos dedos começaram a apresentar sinais de necrose. No dia 26, foi constatada a necessidade das amputações. O pé esquerdo foi amputado no dia 30 de dezembro e as extremidades dos dedos das mãos, em 13 de janeiro. Miguel permaneceu internado até o dia 26 de janeiro.

“Foi uma medicação fora da veia que deu uma alergia nele, que deu um choque e que causou tudo isso, essas perdas dele”, acusou a mãe.

No final de janeiro, o bebê voltou a ser internado no hospital com problemas respiratórios decorrentes de uma pneumonia. Ele foi submetido a uma traqueostomia e liberado no início deste mês. Segundo a mãe da criança, a técnica de enfermagem Lucimar Pereira Bueno, o bebê se recupera bem.

O caso foi registrado como lesão corporal culposa. A Polícia Civil solicitou laudos do Instituto Médico Legal (IML) e pareceres do Conselho Federal de Medicina (CFM) e do Conselho Regional de Medicina (Cremesp).

A Santa Casa afirma que todos os cuidados necessários foram tomados. De acordo com a unidade, o paciente perdeu parte dos tecidos e passou pelas amputações devido a uma infecção grave no organismo.

 

NOTÍCIAS AO MINUTO

enviar comentário
Publicidade

Turistas aprovam RN, mas metade reclama da limpeza e sinalização da prefeitura e da segurança do Estado

A Fecomércio divulgou os resultados da aferição dos turistas que passaram por nosso estado durante a alta estação.

Os resultados positivos continuam em alta: o Rio Grande do Norte é um destino aprazível para quem viaja para conhecer as belezas potiguares e se encantar com a gente da terra.

A evidência vem nos números, que dizem que 96,8% dos viajantesclassificaram a experiência no estado potiguar como satisfatória, ou muito satisfatória. Destes, 89,8% afirmaram que têm intenção de voltar.

A hospitalidade dos potiguares, os atrativos naturais, o atendimento em geral e os meios de hospedagem foram o ponto alto.

Serviços de transporte, restaurantes, bares, rede hoteleira e as empresas de receptivo também foram aprovados. Todos esses fatores tiveram avaliação excelente ou boa de mais de 90% dos entrevistados.

Por outro lado, 48,1% citaram a segurança pública como regular, ruim ou péssima. Além disso, a limpeza pública também é uma reclamação: 47,2% classificaram como regular, ruim ou péssima. Outro quesito alvo de descontentamento dos visitantes foi a sinalização urbana turística, mencionada negativamente por 43,1% deles.

A pesquisa foi realizada entre os dias 17 e 29 de janeiro de 2018 pelo Instituto de Pesquisas e Desenvolvimento do Comércio (IPDC). Foram ouvidas 841 pessoas.

enviar comentário
Publicidade

FOTO: Exame de raio-x flagra homem com revólver na cintura em hospital de Parnamirim

Um inusitado fato chamou a atenção dos profissionais do Hospital Deoclécio Marques, em Parnamirim.

Ao atenderem um paciente que precisou ser encaminhado para um exame de raio-x, a equipe constatou na sequência um revólver na cintura.

O fato aconteceu na madrugada deste sábado (24).

Não há informações se a polícia precisou ser acionada.

 

enviar comentário
Publicidade
Publicidade

Traficantes presos e liberados em audiência de custódia tinham espingarda e arma a laser

por Dinarte Assunção

A decisão do juiz Marcos José Sampaio de Freitas Júnior, da 1º Vara Criminal de Parnamirim, e que decretou a prisão preventiva de Suênia Aguiar Alves, Alexandro dos Santos Pinheiro e Reinaldo José da Silva, detalha o material apreendido com o grupo que foi liberado em audiência de custódia por falhas de procedimento na delegacia, na terça.

A relação expõe como a sociedade fica vulnerável quando a legalidade não é atendida e o bom senso não são seguidos, visto que o arsenal revela o potencial de danos que o grupo é capaz de fazer.

Confira

Itens apreendidos:

  • Duas unidades de droga, aparentemente cocaína;
  • uma pistola Glock cal. 9 mm com mira a laser e três carregadores;
  • seis unidades de telefonia celular;
  • unidades de munição calibre .12 e .38;
  • sete tabletes cortados de droga, aparentemente maconha;
  • sete unidades de droga em forma de porções, aparentemente maconha;
  • uma unidade de droga em porção já ralada, aparentemente maconha;
  • 121 unidades de droga em forma de tabletes de diversos tamanhos, aparentemente maconha;
  • R$ 4.411,00 em espécie, em cédulas de diversos valores (R$ 1.700,00 em notas de R$ 50,00
    aparentemente falsas);
  • cédula de dois pesos argentinos;
  • 9 unidades de relógios de pulso;
  • uma máquina fotográfica digital;
  • uma espingarda calibre .12;
  • duas balanças de precisão.
enviar comentário
Publicidade

Justiça decreta prisão preventiva de traficantes liberados em audiência de custódia

por Dinarte Assunção

O juiz Marcos José Sampaio de Freitas Júnior, da 1º Vara Criminal de Parnamirim, decretou a prisão preventiva de Suênia Aguiar Alves, Alexandro dos Santos Pinheiro e Reinaldo José da Silva.

Os três foram presos na terça-feira (20) e liberados na quarta em audiência de custódia após polêmica nos procedimentos adotados por delegado na lavratura do auto de prisão em flagrante.

Com o grupo, foi apreendido quase 150 kg de drogas, dinheiro e armas.

“Há de se ter em conta que o conteúdo declarado fornece indícios sérios do envolvimento dos três suspeitos em atividades criminosas habituais de elevada gravidade, envolvendo quantidade muito elevada de drogas, além de armas e munições e balanças de precisão, o que atrai a necessidade da decretação da prisão preventiva como medida de garantia da ordem pública, haja vista a periculosidade concreta representada pela distribuição de entorpecentes por pessoas armadas, o que as regras ordinárias de experiência demonstram ser um fator desencadeante de diversos outros crimes graves, além de levar ao vício e à ruína pessoal e familiar de grande número de pessoas”, escreveu o magistrado em sua decisão

Ainda não se tem notícia da prisão dos três, que passam à condição de procurados.

 

Comentário (1) enviar comentário
  1. Henrique disse:

    Kkkkkkkkkkkk essa justiça é uma piada

Publicidade

Polícia registra três homicídios na Zona Norte de Natal

A polícia Militar registrou três homicídios no início da manhã deste sábado (24), na Zona Norte de Natal. De acordo com a PM, os três homens apresentavam marcas de tiros pelo corpo e estavam sem documentos de identificação. Os três corpos foram localizados próximo às 6h da manhã.

Ainda segundo a polícia, um dos assassinatos aconteceu na Rua Joana Elisa Fernandes, no conjunto Vale Dourado. O homem foi encontrado já morto na via e ninguém presenciou o crime. A PM isolou o lugar e o Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep) foi acionado para recolher o cadáver.

A polícia informou que os outros dois homicídios aconteceram no bairro Lagoa Azul. Dois homens foram encontrados mortos à margem da BR-101 Norte. De acordo com a PM, no local não foi possível precisar se o caso foi um duplo homicídio, porque os corpos estavam a uma distância de aproximadamente 150 metros um do outro.

Com informações do G1/RN

enviar comentário
Publicidade

PM paga R$ 4,8 milhões por mês de auxílio-moradia a 2.365 oficiais

Enquanto ainda se discute que recursos financeiros vão garantir a intervenção federal na área de segurança do Rio, a Polícia Militar, que vem sofrendo com as péssimas condições de sua frota, gastou, em apenas um mês, em 2017, R$ 4,8 milhões em auxílio-moradia a oficiais de alta patente. Se for considerado que o mesmo valor foi pago ao longo do ano, o montante chega a R$ 58 milhões, quantia três vezes maior do que a desembolsada esse mês para a compra de  290 viaturas novas.

Os 2.365 oficiais de alta patente (capitães, majores, tenentes-coronéis e coronéis) que recebem o auxílio-moradia têm salários brutos entre R$ 7,8 mil e R$ 49,4 mil, de acordo com uma planilha de pagamentos da PM a qual O GLOBO teve acesso. O documento, de meados do ano passado, detalha todos os salários e gratificações do efetivo.

O benefício do auxílio-moradia para policiais militares é definido por lei aprovada na década de 1980 e é atrelado ao soldo de cada agente: vai de R$ 779, no caso de soldados, até R$ 2.571 para coronéis. Oficiais ouvidos pelo GLOBO contam, entretanto, que não há fiscalização na distribuição do benefício: até comandantes de batalhão que moram em imóveis funcionais da corporação recebem auxílio-moradia.

— Esse assunto é um tabu dentro da PM. Já houve uma série de iniciativas no sentido de moralizar a distribuição do benefício, mas nunca prosperaram — afirma um policial ouvido pelo GLOBO.

Oficiais que mantêm o benefício, mesmo morando em imóveis da PM, argumentam que suas famílias ainda vivem em suas cidades de origem.Ao todo, a PM gastou mais de R$ 500 milhões ao longo de 2017 com o auxílio-moradia de toda a tropa. A quantia representa quase 10% de todo o orçamento da corporação, que chegou a R$ 5,5 bilhões no ano passado.

Na folha de pagamento da PM, há 600 funcionários civis. São médicos, dentistas, fisioterapeutas, duas massagistas e até um arquiteto que dão expediente em unidades da corporação. Ao todo, esses profissionais recebem R$ 1,8 milhão por mês com salários brutos. O salário mais alto dentre os funcionários civis da PM é de R$ 18.941,56, de um servidor que tem um cargo comissionado e é lotado na Diretoria de Finanças. A maior parte desses servidores, no entanto, trabalha na área médica: 103 deles são lotados no Hospital Central da PM; outros 35 dão expediente no Hospital da PM de Niterói.

 

O Globo

 

enviar comentário
Publicidade

Governo do Estado vai pagar o décimo-terceiro de forma escalonada e vai informar a data até quarta-feira

O Governo do RN envia comunicado informando que fará o pagamento do décimo-terceiro salário dos servidores estaduais de forma escalonada.

O calendário de pagamento será confirmado até o dia 28 deste mês. Considerando as dificuldades enfrentadas nas tratativas com os bancos para o financiamento direto, o projeto que estabelecia o abono será vetado e uma nova proposta que atenda os servidores e seja viável para o governo já está sendo trabalhada pela equipe econômica.

Comentários (5) enviar comentário
  1. João Batista santos disse:

    No mínimo vai ser pago em 12 parcela. Talvez eu acredite

  2. fabio soares lins disse:

    Só espero que não incida imposto de renda

  3. Cb Teófilo disse:

    Lógico que os bancos não iria abrir credido ta devendo até os repasses dos emprestimos…

  4. Carlos disse:

    Faz pena, só deve terminar em dezembro aí já fica devendo o desse ano

  5. D O do Estado. disse:

    O governo do RS, parcelou o 13o. em 6 parcelas, remunerou o servidor em 1,49% ao mês. Aqueles em melhores situação financiera não recorreram aos bancos. É assim, governo com credibilidade. O nosso não vale um risco na água.

Publicidade

Receita exigirá mais informações do contribuinte na declaração de 2019

A Receita Federal vai exigir mais informações sobre os bens dos contribuintes no próximo ano. Além disso, será preciso informar o CPF de dependentes de qualquer idade. Em novembro do ano passado, a Receita publicou uma instrução normativa, que trata do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF). Por essa norma, os contribuintes que desejarem incluir seus dependentes na declaração do Imposto de Renda de 2018 deverão fazer a inscrição do CPF caso tenham a partir de 8 anos. Até então, a obrigatoriedade valia somente para dependentes com 12 anos ou mais. A partir de 2019, a obrigação é para qualquer idade.

No caso dos bens, neste ano serão incluídos campos para as informações complementares, mas o preenchimento não será obrigatório. No próximo ano, será obrigatório prestar essas informações. O supervisor nacional do Imposto de Renda, auditor-fiscal Joaquim Adir, orienta os contribuintes a preencherem todos os campos na declaração a ser enviada neste ano para facilitar a importação de dados em 2019.

Para cada tipo de bem, será incluído um campo. Por exemplo, no caso de imóveis, será pedido a data de aquisição, área do imóvel, registro de inscrição em órgão público e no cartório. Para veículos, será pedido o Registro Nacional de Veículo (Renavam). A Receita também vai pedir o CNPJ da instituição financeira onde o contribuinte tem conta-corrente e aplicações financeiras.

Outra novidade deste ano é a informação sobre a alíquota efetiva utilizada no cálculo da apuração do imposto. A ideia é informar alíquota efetiva sobre os rendimentos menos as deduções.

Outra mudança é a possibilidade de impressão do Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf) para pagamento de todas as quotas do imposto, inclusive em atraso.

O prazo para a entrega da declaração de IRPF começa no próximo dia 1º e vai até o dia 30 de abril. O programa de preenchimento da declaração estará disponível na próxima segunda-feira (26).

Com informações da Agência Brasil.

enviar comentário
Publicidade

Escritório do compadre e advogado de Lula recebeu R$ 68 milhões da Fecomércio/RJ

Além da prisão do presidente afastado da Fecomércio-RJ, Orlando Diniz, o maior foco da operação Jabuti, mais uma fase da Lava-Jato, deflagrada nesta sexta-feira, são cerca de R$ 180 milhões pagos pela entidade a alguns escritórios de advocacia nos últimos cinco anos.

O MPF suspeita que esses escritórios receberiam honorários para distribuir propinas.

O principal deles é o de Roberto Teixeira, advogado e compadre de Lula, que recebeu R$ 68 milhões.

Na lista do cinco maiores beneficiados, há ainda o Ancelmo Advogados (de Adriana Ancelmo); o Basilio di Marino e Faria Advogados; o Hargreaves & Advogados; e Ferreira Leão Advogados

Apesar disso, não há na decisão de hoje de Marcelo Bretas quaisquer medidas decretadas contra esses escritórios.

LAURO JARDIM

enviar comentário
Publicidade

Ex-mulher teve papel-chave em investigação que levou a prisão presidente da Fecomércio/RJ

Em depoimento ao Ministério Público Federal (MPF), a ex-mulher de Orlando Diniz, Danielle Paraiso de Andrade Schneider, relatou detalhes dos hábitos de consumo do ex-marido. Entre eles, o de pagar todas as despesas pessoais em espécie. Segundo ela, em viagens internacionais, Diniz costumava levar mais de US$ 10 mil em dinheiro vivo e mantinha “gastos elevados”. Danielle declarou ainda que perguntava ao então marido a origem do dinheiro, que ele afirmava vir de “consultorias”.

Ela foi uma das testemunhas a revelar aos procuradores a relação do ex-marido com o ex-governador Sérgio Cabral. Em seu testemunho, atesta que “para o sucesso de suas empresas contava com a ajuda de Cabral, que lhe indicaria vários clientes”. De acordo com a investigação, o presidente da Fecomércio “adeiriu à Organização Criminosa de Cabral para lavar dinheiro próprio”. O esquema incluia “contratos para dar aparência de licitude ao dinheiro arrecadado pela Organização Criminosa, um grande volume de movimentação financeira e repasse a pessoas jurídicas, com contratos fictícios, sobre serviços não executados”.

Danielle e Diniz foram casados por oito anos. Viviam entre o apartamento no Leblon, vizinhos ao então governador Sérgio Cabral, e a casa de praia em Mangaratiba. Entre obras de arte caras e vinhos raros, o casal mantinha uma vida de luxo. O casal se separou em 2015.

A ex-mulher de Diniz relatou ainda detalhes do período de 17 anos que trabalhou no SENAC. Em 2008, começou a se relacionar com o presidente da Fecomércio. Ela, então, relata que, a partir de 2014, Diniz passou a exercer controle sobre os diretores do chamado sistema S — antes, segundo ela, seu papel era de “representação institucional”. Nenhuma negociação superior a R$ 2 mil era realizada sem autorização dele, relatou ela ao MPF. Ela deu ainda detalhes sobre a contratação do advogado Roberto Teixeira, compadre do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Danielle não é a primeira ex-mulher a ajudar a desvendar esquemas ou supostos crimes de empresários e políticos. Em São Paulo, Nilcéia Pitta, ex do então prefeito Celso Pitta, foi peça-chave na investigação que tornou seu ex-marido réu em treze ações civis públicas, em 2000. Ele chegou a perder o cargo na Justiça no caso conhecido como “escândalo dos precatórios”. O desvio, segundo a Justiça chegou a R$ 3,8 bilhões. Pitta morreu em 2009.

O GLOBO

Comentário (1) enviar comentário
  1. Nizardo Wanderley disse:

    A mulher deve saber do marido, apenas o básico, pois quando se separa, vira a pior inimiga deste. Isso vem desde a época de Sansão e dalila e ela nem precisou ser "ex" para destruir seu marido.

Publicidade