Publicidade

‘Estou vomitando sangue, com pulmão perfurado’, diz Wendell Beetoven ao Estadão

Procurador-geral adjunto e promotor são baleados na sede do MP do RN

Câmeras de segurança registraram a fuga do atirador, identificado como Guilherme Wanderley Lopes da Silva

Por Estadão

Internado em um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), o promotor de Justiça Wendell Beetoven Ribeiro Agra, uma das vítimas do atentado ocorrido semana passada na sede do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), disse que foi vítima “de uma violência gratuita, própria de um criminoso violento”. Ele falou ao Estado via WhatsApp na tarde desta segunda-feira, 27. Detalhou que seu estado de saúde é “muito delicado” e não há previsão de receber alta médica.

“(Estou) ainda muito mal, vomitando sangue, com um pulmão perfurado e costelas quebradas. Na UTI, sem poder falar”, relatou o promotor.

Agra, que responde pela Coordenadoria Jurídica Administrativa do MPRN, foi atingido nas costas por um tiro deflagrado pelo servidor da instituição, Guilherme Wanderley Lopes da Silva, na sexta-feira.

No ataque, que aconteceu na sala da chefia do órgão ministerial, o procurador-geral de Justiça adjunto, Jovino Pereira Sobrinho, também foi atingido na região abdominal por dois disparos. Ele continua internado e se recupera de um procedimento cirúrgico. Como Agra, não corre risco de morrer.

O atirador, que é servidor de carreira do MP-RN há mais de uma década, se apresentou à Polícia Civil do Rio Grande do Norte no início da tarde do sábado, acompanhado de dois advogados. De acordo com o delegado Renê Lopes, o acusado permaneceu calado.

enviar comentário
Publicidade

Em depoimentos, relator indica argumentos para cassar Temer

O ministro Herman Benjamin, no TSE

Perguntas feitas pelo ministro Herman Benjamin, do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), a delatores da Odebrecht indicam ao menos três pontos que devem ser utilizados para embasar sua posição no processo que pode cassar a chapa de Dilma Rousseff e Michel Temer em 2014.

Relator da ação, ele insistiu em questionamentos sobre esses temas e chegou a indicar, ainda que discretamente, seu posicionamento durante as oitivas. A expectativa, segundo a Folha apurou, é que ele peça a cassação da chapa. O ministro não se manifesta sobre o voto, em razão de sigilo.

O primeiro ponto abordado com insistência por ele trata do uso de R$ 50 milhões em propina na campanha, fruto, segundo os delatores, de contrapartida pela aprovação da medida provisória 470, apelidada de Refis da Crise, em 2009.

O dinheiro, de acordo com a delação, acabou não sendo utilizado na campanha de 2010, ficando como “crédito” para as eleições de 2014.

O segundo tema é o pagamento de R$ 25 milhões, via caixa 2, para “comprar” (termo usado nos relatos) o apoio de partidos à chapa Dilma-Temer e aumentar o espaço de propaganda na televisão.

O terceiro assunto perseguido pelo relator nos depoimentos diz respeito a gastos não declarados de ao menos R$ 16 milhões com o marqueteiro João Santana, que trabalhou na campanha.

Os depoentes que mais trataram dos temas foram Marcelo Odebrecht, ex-presidente e herdeiro do grupo, Alexandrino Alencar, ex-diretor de Relações Institucionais, Hilberto Mascarenhas, ex-diretor do departamento de operações estruturadas da empresa, conhecido como o setor de propinas, e Fernando Migliaccio, ex-funcionário da mesma área.

Para entender o processo de aprovação da MP 470, Benjamin fez ao menos 25 perguntas somente a Marcelo Odebrecht.

No diálogo, o ministro questiona: “Os R$ 50 milhões não saíram em 2010?”. O executivo responde que não e é novamente acionado: “Ficou o crédito?”. Em seguida, o relator faz perguntas sobre de que forma o governo teria dado contrapartida ao grupo.

O ministro do TSE deixa claro que, além de querer saber se o dinheiro foi ou não utilizado em 2014, também quer esclarecer se trata-se de caixa 2 “puro”, uma doação não contabilizada, ou se foi um ato de corrupção, quando envolve promessa ou ato em troca de uma vantagem indevida.

Durante as audiências,o ministro expôs seu entendimento sobre a diferença.

“Porque tecnicamente, só para orientar o depoimento, eu nem sei se o senhor terá informações sobre isso, caixa 2 não está necessariamente vinculada à propina no sentido de: olha, eu vou lhe dar um benefício que não é muito lícito, mas, em contrapartida, eu espero uma contribuição. Isso é propina”, disse o relator.

COMPRA DE ALIADOS

Sobre a compra de partidos para que a coligação tivesse mais tempo na televisão, Benjamin indagou ao menos 29 vezes Alexandrino Alencar, o responsável pela negociação de R$ 21 milhões com três siglas (PC do B, Pros e PR) em menos de uma hora de oitiva. Esse foi basicamente o único tema explorado com o ex-executivo. Além desses partidos, o PDT, segundo a Odebrecht, recebeu R$ 4 milhões pelo mesmo esquema.

“Em outras palavras, segundo o que o senhor disse, só com a compra de tempo de três partidos e, portanto, de caixa 2, esse valor já superava a contribuição oficial? Não é isso?”, disse Benjamin.

Os partidos negam a acusação e afirmam que apoiaram a chapa Dilma-Temer por questões ideológicas.

Os três pontos destacados dizem respeito apenas aos depoimentos de delatores da Odebrecht – os últimos a serem chamados. A Folha teve acesso às transcrições na última semana.

O processo, porém, começou em 2014, logo depois da eleição. Cerca de 50 pessoas foram ouvidas ao longo desses dois anos. Nesta segunda (24), ele entregou o relatório final do caso ao tribunal, abrindo caminho para o início do julgamento da ação.

FOLHAPRESS

enviar comentário
Publicidade

‘Ciro devia se preocupar com sua saúde mental’, diz Doria

Sao Paulo,SP,Brasil 27.03.2017 SAO PAULO - SP - BRASIL, 27-03-2017, 20h00: PREFEITO DORIA. Lancamento do programa Nova Creche, com o ministro da Educacao, Mendonca Filho, o governador Geraldo Alckmin e os secretarios de educacao Alexandre Schneider (municipio) e Renato Nalini (estado), realizado no Theatro Municipal. (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress, COTIDIANO) ***EXCLUSIVO FSP*** Foto: Adriano Vizoni/Folhapress Cod 3558

Ciro Gomes (PDT-CE) “devia se preocupar é com o estado dele, primeiro o pessoal, de saúde mental, depois o Ceará, que é o Estado que ele representa”, disse nesta segunda-feira (27) o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB).

O prefeito tucano rebatia críticas feitas pelo pedetista a ele, em entrevista publicada pela Folha no mesmo dia.

Para Ciro, o “farsante” Doria força uma imagem errada de “antipolítico”, já que, ao chefiar a Embratur no governo Sarney, “saiu debaixo de muitas irregularidades no Tribunal de Contas da União e foi violentamente criticado por uma propaganda do turismo brasileiro com bundas de mulher na praia, estimulando claramente o turismo sexual”.

Doria evocou um episódio visto como machista da campanha presidencial de Ciro em 2002 –quando Ciro disse que sua então esposa, a atriz Patricia Pillar, tinha um dos papéis mais importantes na disputa: “Dormir comigo”.

“O ex-governador [do Ceará] não é exatamente a pessoa mais indicada para falar das questões das mulheres, né? Ele tratou a esposa como tratou, não é exatamente uma pessoa que tem perfil e autoridade pra falar sobre isso.”

“E os temas da Embratur são temas do passado, não houve esse tipo de situação”, afirmou na sequência.

O prefeito também comentou outra acusação –a de que teria reforçado sua fortuna “com dinheiro público do PSDB de Minas e SP”.

Ciro não especificou a origem da suposta verba, mas reportagem da Folha de 2015 mostrou que o governo Geraldo Alckmin (PSDB-SP) pagou R$ 1,5 milhão ao então pré-candidato a prefeito, por anúncios veiculados em sete revistas da Doria Editora, entre elas a “Caviar Lifestyle”.

Doria negou que sua fortuna tenha sido construída com ajuda do partido. “Se tivesse tido algum problema, não seria depois de nove meses de intensa campanha que isso teria surgido. Então não procede.”

E emendou: “Lamento também que o ex-ministro Ciro Gomes, com seu habitual destempero e seu tradicional desequilíbrio, queira fazer colocações desse tipo”.

O prefeito concluiu assim sua passagem pelo Theatro Municipal paulistano, onde na noite desta segunda lançou o programa Nossa Creche, com representantes de bancos, além do ministro da Educação e dos secretários municipal e estadual da pasta.

Na plateia, as “queridas” Adriane Galisteu e Fafá de Belém. O evento foi encerrado com Fafá no palco, de mãos dadas com Doria e os convidados oficiais.

A cantora celebrou o “sucesso que Joãozinho tá fazendo”, cantou o “Hino Nacional” e terminou sua participação com um “viva Joãozinho”. O “Tema da Vitória”, um clássico nos tempos de campanha, finalizou a noite.

FOLHAPRESS

enviar comentário
Publicidade

Cunha acusa Moro de cerceamento de defesa e pede absolvição

O Globo

A defesa do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) pediu ao juiz Sérgio Moro a absolvição do ex-presidente da Câmara por crimes como lavagem de dinheiro, corrupção e evasão de divisas. O pleito foi feito nas alegações finais do processo que responde sob a acusação de receber propinas na compra pela Petrobras do campo de petróleo do Benin, na África.

Os defensores de Cunha alegam que houve cerceamento de defesa na ocasião em que Moro indeferiu perguntas do ex-deputado ao presidente Michel Temer (PMDB), arrolado na ação como testemunha de defesa.

Na ocasião, o juiz da Lava-Jato argumentou que Cunha tentou intimidar o presidente e vetou metade de um total de 41 questionamentos enviados pelos advogados de Cunha.

enviar comentário
Publicidade

Moro pede que PF se manifeste sobre vídeo de coercitiva de Lula

Marcelo Antunez e Antonio Calloni, diretor e ator, respectivamente, de ‘Polícia Federal – A lei é para todos’, filme sobre a Operação Lava-Jato    (Foto: Divulgação/Ique Esteves )O Globo

Em despacho na última sexta-feira, o juiz federal Sérgio Moro pediu que a Polícia Federal se manifeste sobre um suposto vídeo feito durante a condução coercitiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em março do ano passado. A gravação, de cerca de duas horas, que incluiria desde a chegada ao edifício onde mora o ex-presidente, teria sido usada pelos produtores do filme Polícia Federal – a lei é para todos”, sobre a Operação Lava-Jato para reconstituir as cenas da condução coercitiva.

Em petição na última quinta-feira, a defesa de Lula pediu a Moro que determine investigações a respeito do uso indevido das imagens da ação por parte da PF. Os advogados acusam a polícia de ter cedido a gravação para os produtores. A polícia ainda não se manifestou sobre o caso porque alega ainda não ter sido notificada.

Ao analisar a petição da defesa de Lula, Moro escreveu que não cabe ao juízo “impor censura a veículos de comunicação ou mesmo à produção de algum filme”.

enviar comentário
Publicidade

‘Departamento de propinas’ da Odebrecht movimentava US$ 3,3 bi em 14 países

O Estado de S.Paulo

Depoimentos de delatores da Odebrecht ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na ação que investiga possível abuso de poder político e econômico da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer de 2014 revelaram detalhes do funcionamento do “departamento de propinas” da empreiteira.

Responsável por movimentar US$ 3,3 bilhões, o Setor de Operações Estruturadas era o centro nervoso de um esquema de pagamento de subornos no Brasil e em outros 13 países. A cifra foi exposta por Hilberto Mascarenhas, que chefiou a área de 2006 até o seu fechamento, após a Operação Lava Jato.

Nos depoimentos, os delatores indicam que pagamentos ilegais não foram inventados na gestão de Marcelo Odebrecht, herdeiro do grupo, mas o nome e a estruturação do setor, sim. De acordo com Mascarenhas, antes os pagamentos eram embrionários e menos seguros. “Eles usavam fax! Meu Deus do céu! Cuspir papel é suicídio!”, disse o delator ao TSE.

 

enviar comentário
Publicidade

PSDB acusa Dilma e isenta Temer por ilegalidades na eleição-2014

Autor da ação que investiga no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) possível abuso de poder político e econômico da chapa Dilma-Temer de 2014, o PSDB, nas alegações finais entregues à Corte, cita episódios investigados na Operação Lava Jato para tentar incriminar a petista, mas considera o peemedebista isento de “qualquer prática ilícita”.

A ação, que foi apresentada logo após as eleições de 2014, quando o partido era oposição, pode levar à cassação do mandato do atual presidente Michel Temer (PMDB). Hoje, com o impeachment de Dilma Rousseff (PT), o PSDB passou a ser um dos principais partidos da base do governo.

No documento de 22 páginas, os advogados do PSDB citam depoimentos feitos por Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras e um dos principais delatores da Lava Jato, e de Alexandrino Alencar, ex-diretor de relações institucionais da Odebrecht, para mostrar que a campanha de Dilma foi abastecida com propina paga por empreiteiras contratadas pela estatal petrolífera. “Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras, afirma que, dessa média de 3% (de propina nos contratos), o que fosse da diretoria de abastecimento, 1% seria repassado para o PP e os 2% restantes ficariam para o PT”.

“A obtenção de recursos nessas circunstâncias caracteriza o abuso do poder político, porquanto as aludidas doações foram feitas em decorrência de promessas de benesses ou de abstenção de criar entraves por parte dos agentes do governo”, dizem os autores da ação.

Em outro trecho, os advogados citam que, durante os depoimentos realizados ao TSE, foi demonstrado que houve destinação de propinas aos partidos que fizeram parte da coligação da chapa presidencial com o PT. Um dos depoimentos que apontaram tal prática foi prestado por Alencar. Segundo ele, a empreiteira pagou um total de R$ 21 milhões em dinheiro vivo a três partidos políticos (Pros, PCdoB e PRB) para comprar tempo de TV para a chapa. O dinheiro, proveniente de caixa 2, foi entregue em hotéis e flats. Os partidos negam irregularidades.

Ao longo do documento, o PSDB também cita outros 22 episódios que, no entendimento deles, confirmariam abuso de poder econômico e político por parte da campanha de Dilma – entre eles, a falta de comprovantes idôneos de parte das despesas da campanha. “A quebra de sigilos bancários e a oitiva delas decorrentes corroboraram a conclusão da perícia realizada no sentido de que parte significativa dos valores oficialmente apresentados como destinados ao pagamento de serviços gráficos em prol de campanha de candidato à presidência da República em 2014 não foi, de fato, direcionado a essa atividade”.

Os tucanos consideram que Temer não deve ser punido porque não cometeu “qualquer prática ilícita” mesmo integrando a chapa de Dilma. Já em relação à petista, o documento diz que “há comprovação cabal de sua responsabilidade pelos abusos ocorridos”.

(Com Estadão Conteúdo)

Comentários (3) enviar comentário
  1. Eduardo Cosme. disse:

    O Psdb é sem duvidas junto com o pmdb o que nós temos de pior na política podre Brasieira !!!! A final de contas os tucanos foi a sobra do pmdb !!!! Resumindo psdb uma borréia !!!

  2. Ricardo disse:

    Esse PSDB é uma piada. Estão enrolados também e acham que o povo é burro. kkkkkkkkkkk

  3. Marcelo disse:

    Como sempre o PSDB querendo usar sua influência pra manipular as coisas, fazer denúncias seletivas e atacar cirurgicamente nos pontos que são do interesse deles, poder pelo poder, não tem como dissociar essa chapa, se tem erro ai tem que cassar tudo.

Publicidade

Promotores recomendam que MPRN não alugue prédio e abrem inquérito

Os promotores de Justiça de Defesa do Patrimônio Público, Giovanni Rosado Diógenes Paiva e Keiviany Silva de Sena, abriram inquérito para apurar o processo de aluguel de um prédio por parte do próprio Ministério Público do RN e recomendaram que o procurador-geral de Justiça, Rinaldo Reis, não celebre o contrato de locação.

De acordo com os promotores, existe inconsistências no laudo de avaliação do valor de locação do imóvel situado na avenida Interventor Mário Câmara, nas Quintas, em Natal. O empreendimento Sun View pertencente a uma construtora potiguar. O contrato de aluguel previa valor mensal de R$ 248.184,00, tendo vigência de cinco anos.

O prédio seria usado para instalação das Promotorias de Justiça da Comarca de Natal, com valor total estimado de R$ 14.891.040,00.

Na recomendação, publicada através de portaria no Diário Oficial, os promotores do Patrimônio Público levam em conta um laudo de vistoria e avaliação técnica contratado pela própria Procuradoria-Geral de Justiça e emitido pelo engenheiro civil Paulo Waldomiro Soares Cunha, no dia 8 de março deste ano. “O laudo utilizado como base para definição do valor de mercado do aluguel do imóvel, apresenta, a princípio, evidentes inconsistências que repercutem diretamente na avaliação do imóvel”, destaca a portaria.

Giovanni Rosado e Keiviany Sena explicam que o referido laudo “sequer diz qual é o bairro do imóvel avaliado, restringindo-se a mencionar que fica no município de Natal/RN”. E completam ainda afirmando que: “embora o imóvel esteja encravado no bairro Quintas e o perito reporte a ‘visita a outros imóveis localizados no entorno daquele em análise, objetivando identificar ofertas de venda de terrenos e valores de mercado’ e ‘ofertas de vendas de terrenos na cidade de Natal, no mesmo bairro ou em bairros próximos’, o laudo de vistoria e avaliação técnica utiliza como parâmetros imóveis situados exclusivamente nos bairros de Neópolis, Capim Macio, Candelária e Ponta Negra, que são regiões da cidade muito mais valorizadas do que o local do imóvel avaliado”.

O imóvel objeto da ação contém 60 unidades de apartamentos com área entre 75,6 e 76,19m², de modo que o valor apontado pelo perito equivale ao valor mensal de aluguel de cada unidade por R$ 4.133,00. Por isso, os promotores ressaltam que “sob este prisma, é absolutamente incompatível com a realidade do mercado local”.

 

Com informações do G1/RN

Comentários (7) enviar comentário
  1. Brasil disse:

    Temos que colocar a boca no trombone….esses promotores se acham acima da lei ,vamos usar as redes sócias para gritar ,se acham Deuses.

  2. MR disse:

    PARABENIZO OS PROMOTORES! MAS, QUE LOUCURA ESSA DE ALUGAR APTO POR MAIS DE R$4.000,00 POR APTOS NÃO VENDIDOS! ALGUÉM ESTÁ GANHANDO NESSE ALUGUEL DESSE PRÉDIO FALIDO!

  3. Luciana Morais Gama disse:

    Parabéns aos Promotores Giovanni Rosado e Keiviany Sena. O MP/RN precisa de pessoas assim. A sociedade agradece.

  4. Givanildo Barata disse:

    É cobra engolindo cobra. Os promotores enviaram a tal "Recomendação" uma excrescência inventada pelo próprio Ministério Público, inexistente na Legislação brasileira, para impedir ou tentar impedir a própria entidade de locar um prédio. É o maximo…
    E olhem que diversos promotores no estado vivem expedindo as tais "Recomedações" que, eles promotores, querem que tenham força de decisão judicial.
    Tá mais do que na hora de se por um freio neste Ministério Público.

  5. Brasil disse:

    Conheço esse imóvel,um AP desse com condomínio,não passaria de 1500 de aluguel de forma alguma .

  6. Marcelo disse:

    Não tem órgão que se salve no Brasil.

  7. Carlos Bastos disse:

    É o terreno da Deodoro perto do Marista como ficou quem foi o culpado, já sei foi o contribuinte que paga seus impostos.

Publicidade

Testes sugerem mais carros da Volkswagen com fraude no Brasil

O número de veículos envolvidos na fraude em motores a diesel da Volkswagen, que ficou conhecida mundialmente como “dieselgate”, pode ser ampliado no Brasil, depois de testes feitos pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) a pedido do Ibama.

Em relatório, os pesquisadores da Cetesb sugerem que a prática ilegal de “maquiar” a emissão de poluentes durante os testes de laboratório pode estar também em modelos mais novos da Amarok, não somente nas 17 mil unidades dos anos 2011 e 2012 confirmadas até agora pela fabricante.

Em decisão na 1ª instância, o coordenador de cobrança do Ibama Halisson Barreto determinou o encaminhamento do relatório à Diretoria de Proteção Ambiental, que decidirá se abre ou não uma investigação sobre os modelos mais novos da Amarok.
Nos testes que serviram de base ao Ibama para manter a multa de R$ 50 milhões à Volkswagen, além de 5 modelos 2011 e 2012, a Cetesb avaliou 2 unidades da picape vendidas a partir de 2013, para ter um efeito de comparação, além de 4 picapes médias de outras marcas.

A surpresa foi que estes modelos mais novos da Amarok apresentaram diferença maior do que os modelos 2011 e 2012 entre os resultados de laboratório e os números obtidos em rodagem regular. No entanto, a Cetesb afirma que o estudo não é conclusivo por causa da pequena amostragem.

“Baseado nos resultados obtidos há indícios que os veículos Amarok, que devem atender a fase L6 do Proconve, podem estar equipados com algum item de ação indesejável, mas será necessário desenvolver estudos complementares para se estabelecer uma certeza”, diz a Cetesb no relatório obtido pelo G1.

Os modelos mais novos estão sujeitos a regras mais duras de emissões de poluentes, da fase L6 do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve), enquanto os modelos 2011 e 2012 devem atender aos parâmetros da fase L4.
Em resposta ao G1, a Volkswagen afirmou que “foi notificada na quinta-feira (23), está analisando a decisão e se manifestará oportunamente”.

enviar comentário
Publicidade

Relator pede para TSE marcar julgamento da ação sobre chapa Dilma-Temer

O relator da ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que pede a cassação da chapa Dilma-Temer, ministro Herman Benjamin, pediu nesta segunda-feira (27) para a Corte marcar o julgamento do processo.

O TSE apura desde 2015, a pedido do PSDB, se chapa formada por Dilma Rousseff e Michel Temer em 2014 cometeu abuso de poder político e econômico, recebeu propina e se beneficiou do esquema de corrupção que atuou na Petrobras.

No pedido feito ao tribunal nesta segunda, Herman Benjamin também deu 48 horas para o Ministério Público se manifestar na ação. Na última sexta (24), a Procuradoria-Geral Eleitoral chegou a enviar um documento à Corte eleitoral no qual informou que estava abrindo mão de se manifestar.

Na petição, o vice-procurador-geral eleitoral, Nicolau Dino, informou que iria aguardar os partidos entregarem as alegações finais para, então, se manifestar.
O prazo para a última manifestação das defesas se encerrou à meia-noite de sexta. Os advogados de PT, PMDB e PSDB apresentaram as alegações dentro do prazo-limite.

 

G1

Comentários (4) enviar comentário
  1. Júnior disse:

    Tem que julgar e tirar, bem como punir com a extinção todos os partidos envolvidos, sejam grandes ou pequenos !!! A começar pelo PMDB e PT sem esquecer quê o PSDB também fez campanha milionária!!!! Devendo também ser investigado para ser extinto também!!!!!!

  2. Carlos Bastos disse:

    Esse PSDB é uma piada pediu a cassação de Dilma e Temer e agora que está mamando nas tetas do Governo pediu nas alegações final para condenar Dilma e absolver o Temer. Kkkkkkkkkkk

  3. Blue disse:

    Com Gilmar, o processo tende a parar.

  4. escritor disse:

    Ma minino. Advinha quem vai pedir.vistas ao processo?. E devolver daqui a 2 anos. Ganha um bombom quem descobrir.

Publicidade

FOTO: Trens colidem durante manobra em Natal; serviço é suspenso

Duas composições do VLT se chocaram durante uma manobra no pátio da estação da Ribeira, em Natal, por volta das 17h30 desta segunda-feira (27). Segundo a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), ninguém ficou ferido, já que a colisão aconteceu em baixa velocidade e apenas os condutores estavam dentro dos veículos.

A CBTU informou que, em razão do acidente, as últimas quatros viagens desta segunda-feira, sendo duas linhas Norte e duas linhas Sul, foram canceladas. Para esta terça-feira (28), todas as viagens da linha Sul foram canceladas pela manhã e da linha Norte haverá trem apenas entre o trecho Ceará-Mirim e Alecrim.
O funcionamento do período da tarde desta terça-feira ainda será definido pela CBTU após a retirada dos trens que ficaram presos uma no outro, obstruindo a via.

 

Com informações do G1/RN

Comentário (1) enviar comentário
  1. cabral disse:

    Carrinho de Bate Bate.

Publicidade

Ministério Público divulga histórico funcional de Guilherme Wanderley Lopes da Silva

O Ministério Público acabou de publicar o histórico funcional de Guilherme Wanderley Lopes da Silva, com base nos registros funcionais existentes na Diretoria de Gestão de Pessoas do MPRN.

Segue:

I) O servidor ingressou na Instituição nomeado para cargo de provimento em comissão de Chefe do Departamento de Planejamento da PGJ, em 26/06/1997, por ato do então Procurador-Geral de Justiça, Dr. Anísio Marinho Neto;

II) Em 25/06/2003 foi nomeado para o cargo de provimento em comissão de Assessor Ministerial, para o gabinete do Procurador de Justiça, Dr. Anísio Marinho Neto, seu chefe imediato desde então;

III) Em 14/01/2011 tomou posse no cargo de provimento efetivo de Técnico do Ministério Público (nível médio), permanecendo a exercer o cargo em comissão de Assessor Ministerial no mesmo Gabinete;

IV) Teve remoção de lotação de seu cargo de Técnico de Patu para Macaíba (14/04/2011), e de Macaíba para Natal (12/09/2011), sem ter exercido as funções de Técnico nas referidas comarcas, porque continuava a exercer o cargo de Assessor Ministerial (transformado em 2013 no cargo de Assessor Jurídico Ministerial) na sede da PGJ, do qual foi exonerado apenas em 24/03/2017, após as tentativas de homicídio praticadas;

V) Teve deferidos todos os requerimentos que deduziu à Procuradoria-Geral de Justiça, a saber – a) PA n.º 474/1997 – PGJ, de 01/09/97, em que solicita o cancelamento do desconto de contribuição de 8% para o IPERN; b) Requerimento de 13/02/2001: solicita dispensa do expediente às terças e quintas do 1º semestre de 2001 para frequentar o curso de Direito Processual Penal, oferecido pela FESMP/RN; PA n.º 656/2014, em que solicita restituição e correção salarial do cargo anteriormente ocupado de Assessor Ministerial, posteriormente transformado em Assessor Jurídico Ministerial. Parecer favorável ao pedido da Coordenação Jurídica Administrativa, da lavra da Dr.ª Uliana Lemos de Paiva, e deferimento assinado pelo Procurador-Geral de Justiça Adjunto em exercício, Dr. Wendell Beetoven Ribeiro Agra;

VI) Teve todas as férias e licenças-prêmio deferidas, não restando períodos pendentes para gozo;
VII) Foi nomeado, pelo Procurador-Geral de Justiça Adjunto, Dr. Jovino Pereira da Costa Sobrinho, em 22/08/2014, Presidente de Comissão de Sindicância, nos termos da Portaria n.º 2201/2014-PGJ.
VIII) Teve a seguinte evolução de vantagens remuneratórias no MPRN, de 2013 a 2017: R$ 9.347,31 (junho/13); R$ 9.917,43 (junho/14); R$ 9.937,52 (junho/2015); R$ 10.699,32 (junho/16); R$ 11.530,45 (março/17), não incluído nesse cálculo o 13º salário;
IX) Não há registro de qualquer processo disciplinar ou de apuração de responsabilidade contra o servidor;

X) Não há registro de afastamento do servidor para tratamento de problemas de saúde psicológicos ou psiquiátricos.

Comentários (16) enviar comentário
  1. Francisco disse:

    Era concursado sim.
    Agora…o damage control tá com tudo!!!!
    Até divulgar ficha funcional de servidor???
    Que bacana…

  2. Elis disse:

    Não bastasse esse órgão, de início, ter tentado "esconder" partes da carta supostamente escrita pelo servidor envolvido nessa tragédia, apresentando à imprensa e fazendo muita questão de tornar público mesmo apenas partes do documento que poderiam comprometer ou deplorar a imagem do mesmo servidor (incrível é imaginar que eles cogitem pensar que o povo não percebe tais intensões), somem-se a isso a publicização da ficha funcional do servidor, contendo filiação, etc. expondo assim a vida de familiares que nada têm que ver com a história, agora tenta levar a público também dados da ficha funcional do servidor Guilherme, de cunho interno ao órgão, que a ninguém interessam, sobretudo questões salariais, dentre outros trâmites do tempo de serviço dele!?!?! Para que isso??? Por que simplesmente não investigam os fatos e tomam as providências cabíveis para tal??? O que aparenta ocorrer é aquela máxima que diz: "Vamos nos defender atacando nosso opositor!" Acaso querer "fazer fumaça" para camuflar alguma coisa? Francamente…

  3. Blue disse:

    Primeiro foi nomeado para cargo em comissão, mas depois foi nomeado após aprovação em concurso.

  4. Cláudio Santana disse:

    Ritinha, meu bem, onde você anda agora?

  5. Juca disse:

    Quanta bonança e regalia, tem que estar muito desequilibrado para jogar essa vida olimpiana para o alto.

  6. João Cabral Sobrinho disse:

    Pelo relato acima fica evidente a forma irregular de como foi admitido sem concurso público o referido funcionário, e diga-se de passagem, com um salário fora da realidade do mercado e sem concurso público, "repito",

    • Sensatez disse:

      O ingresso foi em cargo comissionado. Porém, após já estar dentro do órgão, o servidor logrou êxito em concurso público pro cargo de técnico e continuou a exercer o cargo de assessor, de provimento em comissão, o que é legal na forma da CF!

    • Denilson disse:

      É só o que tem no MP, muitos Assessores que não são concursados! Desde sempre. Parece que hoje tem uns 200!!!

  7. Gloria disse:

    O ato foi deplorável e certamente será reconhecido como crime, pelo Judiciário, mas todos esses dados relativos à vida funcional do servidor podem ser publicizados assim?

  8. Henrique disse:

    Acho q esse cara surtou!!! Pelo histórico não houve registro de perseguição.. é bom q os membros do MP haja com cautela com esse cidadão.

  9. Consciente disse:

    A ideia é dizer que o rapaz não está louco

  10. @brasil disse:

    É por isso que o estado tá quebrado!!!

    • Bonzinho disse:

      Se vc está achando muito, imagine qto um promotor ganha além das benesses de 2 ferias, licença-premio por assiduidade e não bate ponto como saber, auxilio morada, auxilio alimentaçao, auxilio saúde e por ai vai.
      Só que o funcionario ali bate ponto e trabalha muito pelo que eu saiba a maioria. Agora olhe se os
      Todos os promotores tão de segunda a sexta na promotoria.

Publicidade