Publicidade

Pittsburg é a lanchonete mais lembrada no Top Of Mind Natal

Pela 13ª vez consecutiva o Pittsburg foi eleito pelo prêmio Top Of Mind como a lanchonete mais lembrada pelos moradores de Natal. 15% das pessoas que responderam à pesquisa, promovida anualmente pela revista Foco Nordeste, lembram primeiro do Pitts como notável exemplo no segmento de sanduicherias.

A rede de franquias tem lojas espalhadas por toda a cidade, faz cerca de 9.000 entregas mensais em domicílio e atendimento diário a mais de 4.000 pessoas em toda rede. No cardápio variado há itens como sanduíches, beirutes, saladas, pratos executivos, petiscos, sobremesas e muitas outras delícias que conquistaram o natalense e mantém a empresa sempre à frente no mercado.

enviar comentário
Publicidade

Governo estuda reter o FGTS de demitidos para bancar seguro-desemprego

O governo do presidente Michel Temer (PMDB) estuda reter parte do FGTS dos trabalhadores demitidos sem justa causa para economizar com o pagamento do seguro-desemprego. A medida, em discussão no Ministério do Planejamento, prevê o parcelamento do saque da conta vinculada ao Fundo e da multa de 40% em três meses.

Os valores mensais seriam equivalentes ao último salário auferido pelo trabalhador na empresa. A ideia é que, se passados três meses sem conseguir outra colocação, ele possa dar entrada no pedido de seguro-desemprego.

Caso esse trabalhador consiga um novo emprego no segundo mês após o desligamento, por exemplo, poderá antecipar o saque, recebendo a diferença de uma única vez.

Atualmente, os trabalhadores demitidos sem justa causa têm direito ao saque imediato e integral da conta do FGTS e da multa dos 40% (paga pelos empregadores e que incide sobre o saldo total). Na prática, o governo quer reduzir a despesa com o pagamento do seguro-desemprego — que varia entre três e cinco parcelas, no mínimo de R$ 937 e máximo de R$ 1.643. A quantidade de parcelas e o valor do benefício dependem do tempo de serviço e do salário do trabalhador.

A ideia ainda é incipiente, mas já foi discutida com técnicos do Ministério do Trabalho — responsável pelo FGTS — e apresentada pelo ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, a representantes do setor da construção civil há pouco mais de uma semana. Nos bastidores, fontes a par das discussões dizem que a nova regra poderá entrar em vigor imediatamente, via medida provisória.

Os pontos discutidos dependem do aval do Palácio do Planalto e da conclusão de estudos sobre, entre outros itens, o tíquete médio, que é valor médio dos saques do FGTS nas demissões sem justa causa, incluindo a multa. Esse valor será comparado ao pagamento do seguro-desemprego. Falta também fechar as contas sobre a economia que a medida traria para os cofres públicos.

A nova regra seria acompanhada de algumas exceções, como no caso de os valores depositados na conta do FGTS serem insuficientes para cobrir o salário. Também haveria um tratamento diferenciado para os trabalhadores que sacaram todo o saldo para a compra da casa própria. Nessa situação, eles teriam direito apenas à multa de 40%, como já acontece hoje.

A necessidade de reduzir despesas e fechar as contas públicas dentro da meta fiscal em meio à queda na arrecadação é a principal justificativa dos integrantes da equipe econômica. O seguro-desemprego é pago pelo Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), que é deficitário e dependente do Tesouro Nacional.

Pessoas envolvidas nas discussões sabem que o tema é espinhoso e pode enfrentar forte resistência por parte das centrais sindicais. Por isso, a recomendação é evitar a todo custo que a medida vá resultar na retirada de direitos e ressaltar que o objetivo é facilitar a recolocação no mercado, com investimentos nas agências do Sine e em cursos de qualificação para os trabalhadores.

Defensores da ideia alegam que, apesar dos ajustes no seguro-desemprego, as despesas com o benefício continuaram subindo, o que obrigou o Tesouro Nacional a aportar R$ 12,5 bilhões para cobrir o rombo do FAT em 2016. Neste ano, serão necessários mais R$ 17,5 bilhões.

A primeira medida de ajuste veio em 2011, com a lei 12.513, que criou o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). Entre os artigos da nova legislação, está o cancelamento obrigatório do seguro-desemprego para o trabalhador que recusar uma oferta de emprego no Sine de perfil semelhante à sua última ocupação. Em caso de pedido recorrente em um prazo de dez anos, o pagamento do benefício ficou condicionado à realização de um curso de qualificação, gratuito.

Mas nada disso saiu do papel, e uma das explicações do Ministério do Trabalho é que os Sines estão com problemas de equipamento e deficiência de funcionários — reflexo do contingenciamento orçamentário. Além disso, falta controle, porque muitas agências são conveniadas a estados e prefeituras.

Em 2014, o então ministro da Fazenda, Joaquim Levy, enviou ao Congresso uma medida provisória que restringiu o acesso ao seguro-desemprego. Para o primeiro pedido, passou a constar a exigência de 12 meses de trabalho, nos últimos 18 meses anteriores à dispensa; para o segundo, nove meses de serviço, nos últimos 12 meses; e, a partir do terceiro pedido, seis meses de trabalho.

Apesar disso, o governo gastou R$ 35,2 bilhões com o pagamento do benefício em 2015 e 2016, contra R$ 33,2 bilhões em 2014. Em 2017, deverá desembolsar R$ 42 bilhões, com perspectiva de alta nos anos seguintes.

O FAT é um fundo público, mantido pela arrecadação com as contribuições do PIS/Pasep recolhidas pelas empresas. Como toda receita do governo federal, ele está sujeito à Desvinculação das Receitas da União (DRU), de 30%. Além disso, por determinação constitucional, o Fundo destina anualmente 40% dos seus recursos para o BNDES para serem investidos em projetos de infraestrutura. O Fundo banca ainda o abono salarial (PIS/Pasep).

Já o FGTS, ao qual o governo pretende recorrer para economizar com o seguro-desemprego, é um fundo de natureza privada. Além de ajudar o trabalhador na hora da demissão, o Fundo também atua no desenvolvimento de políticas públicas, nas áreas de habitação, no saneamento e na mobilidade urbana. Esses recursos são apartados das contas individuais dos trabalhadores.

Em uma outra frente, para inibir a rotatividade no mercado formal de trabalho e evitar saques desnecessários do FGTS, o governo pretende fixar um prazo para que a empresa possa recontratar um trabalhador demitido.

A medida, defendem técnicos envolvidos nas discussões, pode desestimular acordos de demissão entre trabalhadores e empregadores só para retirar o dinheiro do Fundo. Em setembro do ano passado, o Tesouro chegou a chamar uma consulta pública para a realização de estudos sobre o FGTS. O objetivo era rediscutir o papel do Fundo. Devido às críticas, o edital foi cancelado. A nova investida é tratada com reservas entre as áreas envolvidas nas discussões. Procurado, o Ministério informou que não comentaria o assunto.

Valor, com O Globo

Comentários (4) enviar comentário
  1. sheila disse:

    Era só o que faltava esse bando de ladrão não cansam de roubar não é?

  2. Julius Araújo disse:

    Esse governo não cansa em prejudicar o trabalhador. (02)

  3. Julius Araújo disse:

    Que belo presente para nós trabalhadores…SQN

  4. Sávio disse:

    Esse governo não cansa em prejudicar o trabalhador.

Publicidade

Ex-cliente dos melhores restaurantes, Cabral trabalha na cozinha da prisão

Prisão do ex-governador Sérgio Cabral Foto: Geraldo Bubniak

O ex-governador Sérgio Cabral (PMDB), quem diria, está trabalhando!

Na cozinha da prisão.

Para quem estava acostumado aos melhores restaurantes — como o Louis XV, no Hotel de France, em Mônaco, onde disse estar “no mellhor Alain Ducasse do mundo”, referindo-se ao chef — o moço terminou na cozinha de Benfica.

O médico

Já o ex-secretário estadual de Saúde Sérgio Côrtes, companheiro de Cabral dos tempos de bonança — e das viagens a Paris — agora, também parceiro de cela, conseguiu uma colocação, digamos, mais especializada.

Ortopedista, Côrtes está trabalhando no ambulatório do centro prisional.

Vantagens

Para os presos comuns, os dias trabalhados na cadeia são importantes porque ajudam a reduzir a pena a ser cumprida.

Embora, no caso destes dois, haja trabalho!

De qualquer forma, ter uma atividade sempre ajuda a passar o tempo — que é muito.

Extra – O Globo

 

Comentários (2) enviar comentário
  1. escritor disse:

    Bote esse ladrao do PMDB pra lavar vasos sanitarios.

Publicidade

Câmara de SP aprova perdoar dívidas de até R$ 120 mil de igrejas

A Câmara Municipal de São Paulo aprovou nesta quinta-feira (23) um plano de renegociação de dívidas para os contribuintes. Igrejas que devam até R$ 120 mil terão suas dívidas perdoadas.

As dívidas lançadas até 31 de dezembro de 2016 poderão ser negociadas. Multas de trânsito não fazem parte das renegociações.

O projeto de lei que estabelece o PPI (Programa de Parcelamento Incentivado) é válido por quatro anos e foi aprovado em segunda votação e será encaminhado para sanção do Prefeito João Doria. A administração municipal espera recuperar R$ 1 bilhão em dez anos.

Código de obras

Em maio, o novo Código de Obras da cidade foi sancionado e as novas regras passaram a incluir uma redução de até 90% no valor de multas a serem aplicadas caso o infrator seja um templo religioso.

A exceção não estava prevista no projeto enviado à Câmara pelo ex-prefeito Fernando Haddad (PT) em 2015, que previa desconto apenas para “moradias econômicas”. A alteração que beneficiou as igrejas, porém, foi apoiada pela base de Haddad na Câmara após pressão de vereadores ligados às igrejas evangélicas e Católica. O texto foi aprovado com 37 votos favoráveis entre os 55 possíveis.

Além das multas menores, as igrejas terão o triplo do prazo de regularização válido para as demais construções. Empreendimentos “comuns” terão prazo de cinco dias para solicitar um certificado de conclusão quando a fiscalização constatar a irregularidade, enquanto as igrejas terão até 15 dias.

G1

enviar comentário
Publicidade
Publicidade

Site dá vários descontos em lojas brasileiras; conheça

O Cuponeria é uma plataforma com versão web e mobile para AndroidiOS que reúne diversos cupons de ofertas de diversos estabelecimentos comerciais do Brasil. Com produtos de vários segmentos, a plataforma permite acessar páginas de companhias de e-commmerce.

A interface agrupa as ofertas de acordo com o tipo da venda. O usuário pode escolher encontrar preços de produtos vendidos online, venda em delivery e em lojas físicas, como grandes varejistas de mercadorias para casa e supermercados. Para utilizar os descontos, é muito simples. Ao adquirir o cupom, o usuário deve apresentá-lo de forma digital ou impresso na empresa que o disponibilizou na plataforma.

Você também pode acessar ofertas de qualquer lugar do Brasil. Basta acessar as configurações e trocar as cidades cadastrada para receber cupons de regiões específicas. Dessa maneira, mesmo se estiver de férias ou em uma viagem a trabalho, será possível acessar produtos em oferta da localidade ou de cidades vizinhas.

Com uma localidade definida, o usuário pode acessar a opção ‘mapa de lojas’ e visualizar os estabelecimentos próximos que disponibilizaram cupons de descontos. As ofertas são apresentadas com marcadores que podem ser acessados no mapa para que o consumidor possa ver detalhes do desconto e do estabelecimento como endereço e formas de contato.

Não perca mais nenhum desconto perto de você! Baixe grátis Cuponeria no TechTudo Downloads.

Opinião

O Cuponeria é um aplicativo muito interessante que localiza cupons de ofertas em estabelecimentos próximos. Com um funcionamento simples, a plataforma garante que bons preços fiquem à disposição dos utilizadores, seja em lojas online ou físicas.

Com uma interface simples e funcional, esse app não traz nenhuma dificuldade de utilização. Os ícones e as funções são de excelente qualidade e colaboram para deixar a ferramenta de descontos totalmente intuitiva. Além disso, essas características são ideais para quem não quer perder tempo acessando sites de descontos na web, pois tudo é feito através do smartphone.

Mesmo quem está em uma região que não possui cupons cadastrados por estabelecimentos pode acessar preços promocionais em cidades vizinhas. Esta característica é garantida através da alteração de região. A funcionalidade também é muito útil em casos de viagens dentro do Brasil.

A função de mapa de lojas também é muito interessante para quem deseja ir ao local que oferece o cupom. No mapa, podemos visualizar o endereço completo e a forma de contato com o estabelecimento, além da quantidade de cupons disponíveis. Eles podem ser salvos e visualizados posteriormente na aba “Meus Cupons”.

É muito importante observar regras para utilizar cada cupom. Dessa maneira, o usuário ficará por dentro de todos os detalhes da oferta, como prazo de validade, horário de funcionamento do estabelecimento, preço original do produto e observações do anunciante.

No geral, a ferramenta funciona muito bem. Em nenhum momento registramos problemas que pudessem prejudicar o seu desempenho. As buscas por cupons funcionam perfeitamente, garantindo assim o funcionamento principal do aplicativo.

Prós

Fácil de usar
Diversos cupons disponíveis
Permite salvar cupons preferidos

Contras

Não há

Globo via Techtudo

enviar comentário
Publicidade

Larissa Rosado pede incentivos para promover a Ressocialização de Apenados

A deputada estadual Larissa Rosado (PSB) apresentou requerimento na Assembleia Legislativa solicitando ao Executivo Estadual que seja proporcionado apoio e incentivos para a criação de Associações de Proteção e Assistência aos Condenados (APAC) em todo o Estado. O pleito da parlamentar é direcionado à Fundação Estadual da Criança e do Adolescente (FUNDAC).

“Considerando o caos vivido nas penitenciárias potiguar e o êxito que tem sido as experiências de APAC no RN e no Brasil, é de extrema importância que o Estado subsidie a instalação dessas associações, como mecanismo de modernização do sistema prisional do Estado”, justifica Larissa.

As Associações de Proteção e Assistência aos Condenados (APAC) têm como objetivo promover a ressocialização de apenados, apresentando-se como alternativa de gestão prisional humanizada, com custos reduzidos para o Estado, e que pode reduzir os índices de reincidência.

O método alternativo de ressocialização da APAC tem índice de reincidência de 30%. Enquanto que nas unidades prisionais tradicionais, o número sobe para 90%, de acordo com a Fraternidade Brasileira de Assistência aos Condenados (FBAC). O Rio Grande do Norte tem uma experiência de APAC bem sucedida na cidade de Macau, sendo reconhecida como entidade de utilidade pública por meio da Lei Estadual nº 9.661/2012.

ALRN

Comentários (12) enviar comentário
  1. Naldin disse:

    Com essas delações por aí, será que já estão preocupados com o futuro???!!!!!

  2. Naldin disse:

    Será que já estão preocupados com o futuro?????

  3. Inacreditável disse:

    Mas uma vez os direitos sendo invertidos. Cara Deputada se preocupe com o cidadão brasileiro, o qual lhe elegeu para a senhora defender os direitos deles, e não defender bandidos se passando de coitadinhos na mídia.

  4. Inacreditável disse:

    Querida Deputada, por que a senhora não cria um fundo para ajudar as vitimas desses bandidos, os quais não querem e não tem um pigo de respeito para com o cidadão de bem.

  5. semesperança disse:

    É a mensagem que nossos governantes estão passando de que cada vez mais o crime compensa! Incentivos para os trabalhadores desempregados isso né senhora deputada? Então quer dizer que se quisermos algum incentivo, teremos que passar para o mundo do crime? Parabéns!

  6. Curioso disse:

    Vai cuidar do povo de bem, trabalhador e guerreiro que susetenta esse bando de parasitas das Câmara e palácios sulfurosos além da bandidagem que aterroriza a sociedade. Esses políticos ou são hipócritas, ou vivem em outro mundo ou são burros. Só apresentam besteiras. Até um Grêmio estudantil tem propostas melhores.

  7. Alexandre Souza disse:

    Deputada, leva eles prá casa.

  8. Manuel Sabino disse:

    Faltou a matéria explicar melhor o que é uma APAC. APAC é um modelo de prisão onde o apenado tem um mínimo de dignidade. Onde todos estudam e trabalham. Onde cada preso custa a metade para o erário que na prisão comem. E onde a reincidência cai de 70 para uns 20 por cento. Mas há quem ache um absurdo gastar menos dinheiro público e ter menos bandidos nas ruas. Vai entender o brasileiro.

  9. Manuel Sabino disse:

    Não adianta. As pessoas preferem que os egressos continuem no mundo do crime. São todos experts em segurança pública.

    • Cidadao disse:

      Expert é essa sra, aonde esta essa pesquisa e quem fez? Deve ter incentivo na qualificacao do homem de bem e do estudante de escola publica, vagabundo e porrada, tiro e bomba! Aonde e que um preso custara a metade, qual e a magica? Fale besteira nao! Ele custa a metade se ele nao cumprir pena no sistema prisional, pq se ele ficar custodiado ele vai sair mais caro, pois alem do valor per capito ainda tem essa porra de investimento! Se educacao escolar coibisse o crime nao teriamos, advogados, medicos e dentre outros catedraticos habitando a papuda e congeneres. O que resolve o crime sao.medidas felipinas pau no lombo!

  10. LOL disse:

    Piada de mau gosto.

  11. LULADRÃO disse:

    Sinceramente Deputada em uma crise de falta de emprego, seca em quase todos os municípios, saúde pública e privada da pior qualidade, educação caindo pelas tabelas, a senhora vem falar em preocupação de ressocialização de presos. Perdeu pontos preciosos com seus eleitores.

Publicidade

Presidente da Eletrobras chama funcionários de ‘vagabundos’

Foto: (Wilton Junior/Estadão Conteúdo/Estadão Conteúdo)

A divulgação de uma gravação em que o presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Jr, chama funcionários de “vagabundos” foi o estopim para que o sindicato do órgão declarasse guerra.

“São 40 % caras que é inútil (sic), não servem para nada. Tá aqui ganhando uma gratificação, um telefone, uma vaga de garagem, uma secretária. Esse tipo de coisa a sociedade não pode pagar por vagabundo, em particular no serviço publico”, disse.

Em resposta, o Coletivo Nacional dos Eletricitários (CNE) iniciou uma paralisação nesta quinta (22), em protesto contra Ferreira. Segundo a entidade, a gestão é pautada pelo assédio aos funcionários, assim como se nega a dialogar com os diferentes setores.

O CNE diz ainda que o presidente comete infrações administrativas, como a contratação de serviços sem a utilização de pregão eletrônico. A medida, afirmam, fere a lei de licitações.

Radar On-Line, Veja

Comentários (7) enviar comentário
  1. Rafael disse:

    Pois é. Chama 40% de vagabundos e a resposta do sindicato confirma a afirmação. Bando de chupetas.

  2. Zedobode disse:

    SÓ FALOU VERDADE,PARABÉNS!!!

  3. escritor disse:

    Sabe pq nao privatiza. Pq pertece aos politicos e nao ao povo. E oa politicos nao querem vender sua fonte de dindin.

  4. Juvenal disse:

    O cara diz que na empresa tem uns 40% de vagabundos e que a sociedade não pode pagar por isso. Ai o que o CNE faz? Uma paralisação! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Tá "serto"!

  5. Irany Gomes disse:

    E ele não está mentindo, o burro de carga da eletrobrás é a operação e manutenção, o resto sao empregos políticos. Enfim parasitas vagabundos!!!

  6. Luis Zonta disse:

    Parece que a carapuça serviu para o CNE. rsrsrs

Publicidade

SURPRESA POSITIVA: Banco Central ‘quebrou espinha dorsal’ da inflação

A pronunciada queda da inflação, de 6,29% em 2016 para 3,8% neste ano, abaixo da meta de 4,5% segundo projeções do Banco Central, encorajou o presidente do BC, Ilan Goldfajn, a assegurar: “Quebramos a espinha dorsal da inflação”. Ele conversou ontem com o Valor, após a divulgação do relatório trimestral de inflação com as novas projeções para o IPCA.

No fim do terceiro trimestre, a inflação deve cair para 2,9% em 12 meses. O BC, porém, avalia que haverá, no último trimestre do ano, recuperação nos preços de alimentos, os grandes responsáveis pela rápida desinflação. Não espera, portanto, que se reproduza, entre outubro e dezembro, os baixos índices registrados em igual período de 2016, quando o IPCA foi de 0,74%.

Após cinco semanas da hecatombe produzida pela delação do empresário Joesley Batista, da JBS, no dia 17 de maio, que atingiram duramente a Presidência da República, Ilan avalia que as consequências da crise política podem não ser inflacionárias nem desinflacionárias, mas neutras, levando ao cenário que o Comitê de Política Monetária (Copom) concebia até aquela data.

Da Suíça, onde está, Ilan acompanhou a queda dos juros futuros no Brasil após a divulgação do relatório de inflação. Isso significa, disse, que a maioria prevê redução de 1 ponto percentual na Selic, para 9,25% ao ano, na reunião do Copom, dias 25 e 26 de julho, e não mais corte de 0,75 ponto percentual.

Ele não conta com a hipótese de a inflação ficar abaixo de 3% neste ano – que é o piso do intervalo de tolerância dentro do qual pode variar a taxa de inflação e, quando rompido, obriga o BC a se explicar em carta aberta ao ministro da Fazenda. “Isso não faz parte das nossas projeções”, disse. Entre setembro de 2016 e maio deste ano, a inflação ficou 1,68 ponto percentual abaixo das projeções mensais dos relatórios de inflação. “Foi uma surpresa positiva” para todos, inclusive para o mercado, observou.

Valor

Comentários (2) enviar comentário
  1. Paulo Cardoso disse:

    A espinha dorsal da população brasileira já se esfarelou, e como bem o disse o senhor Francisco bezerra nas "entrelinhas", não há benefícios para a população uma queda da inflação forçada pela inevitável baixa no consumo já sentida, acredito, por uma grande maioria

  2. Francisco Bezerra disse:

    Sem consumo não há inflação…. Sem demanda, não há escassez, portanto a queda da inflação a lógica milenar… O difícil é conjugar, Consumo elevado, aumento da demanda, e emprego franco… Aí a coisa é outra…. e manter.

Publicidade

Voo que levava Gilmar Mendes ao Pará sofre falha técnica

Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

Um avião da FAB (Força Aérea Brasiliera) que levava o ministro Gilmar Mendes para o Pará na noite dessa quinta-feira (22) precisou retornar para Brasília após uma falha técnica.

Em nota, o Centro de Comunicação Social da Aeronáutica informou que a aeronave da FAB decolou de Brasília às 18h45, e “no decorrer do voo apresentou uma falha técnica”. Ainda de acordo com o texto, “os pilotos realizaram os procedimentos previstos e, por precaução, retornaram à Capital Federal”.

A FAB reforça que em nenhum momento a segurança dos passageiros foi comprometida e o pouso ocorreu às 19h45 na Ala 1, em Brasília.

R7

Comentários (5) enviar comentário
  1. Kerginaldo Cavalcanti disse:

    Nem o diabo o quer por lá. Triste Brasil.

  2. Paulo Santos disse:

    Até o Diabo está com medo dele.

  3. Neto disse:

    Essa de usar avião da FAB é um câncer sem cura.

  4. Pedro Jorge disse:

    Ow rapaz, era bom ele sozinho no aviao!!!!!!!!
    Esse é o tipo de pessoa que jamais deveria estar julgando…

  5. francisco jose disse:

    Pena que voltou para Brasilia

Publicidade

Prévia da inflação oficial em junho é a menor para o mês desde 2006; preços de alimentos têm queda

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

A prévia da inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), registrou 0,16% em junho deste ano, abaixo da taxa de 0,24% de maio. É o índice mais baixo para a prévia de junho desde 2006, quando o IPCA-15 chegou a -0,15%.

Segundo dados divulgados hoje (23), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com a prévia de junho, a inflação oficial acumula taxa de 3,52% em 12 meses. A taxa acumulada em 12 meses é a menor desde junho de 2007 (3,44%).

Entre os grupos de despesa que mais contribuíram para a queda da inflação na prévia do mês estão os alimentos e bebidas, que registraram deflação (redução de preços) de 0,47% e os transportes (-0,10%).

Preços de alimentos têm queda

A diminuição de preços nos alimentos foi influenciada principalmente pelos produtos comprados para consumo em casa, que ficaram 0,83% mais baratos, entre eles, o tomate (-12,41%), frutas (-7,20%), óleo de soja (-3,85%), pescados (-2,93%) e arroz (-1,70%). A refeição fora de casa ficou 0,19% mais cara.

Entre os principais responsáveis pela queda de 0,10% no custo dos transportes na prévia de junho se destacam o etanol (-2,05%), gasolina (-0,37%) e ônibus interestaduais (-0,95%).

Na contramão da média da inflação oficial, os gastos com habitação cresceram 0,93%, puxados pelo aumento do custo com energia elétrica (2,24%), taxa de água e esgoto (1,57%), condomínio (1,14%) e artigos de limpeza (0,84%).

Com informações de UOL, Reuters e Agência Brasil

Comentários (3) enviar comentário
  1. LOL disse:

    OK, mas deixa eu dizer um negócio importante: Os preços não são os de 2006.

    Então, a única vantagem por ora é que os preços pararam de aumentar, e só.

  2. JCabral disse:

    Até quando viveremos de maquiagem?????

Publicidade

Piticas abre quiosque no Shopping Cidade Jardim

A Piticas estará no Shopping Cidade Jardim em um quiosque cheio de camisetas criativas a partir de 1° de julho. Além da linha adulto, a marca oferece uma linha infantil para os Pitiquinhos e Pitiquinhas. Um dos seus diferenciais é que todos os produtos são licenciados, garantindo originalidade aos clientes. “A confecção das camisetas conta com a licença da Warner, Disney e demais detentores dos direitos autorais das imagens utilizadas nas estampas, o que faz da Piticas uma empresa séria e de qualidade, adorada por colecionadores”, comenta o franqueador, André Pereira.

A Piticas está em expansão no solo potiguar, atraindo o público jovem que curte games, desenhos e estampas divertidas. Esse é o terceiro quiosque em Natal. No Brasil, a Piticas está presente em todos os Estados do Brasil com mais de 270 quiosques. Com foco no desenvolvimento da criatividade e atentos a cada detalhe, constantemente são lançados novos modelos. O valor também é um diferencial da marca. A linha adulto custa R$49.90 e a infantil R$44.90.

enviar comentário
Publicidade