Publicidade

VÍDEO: Casal discute em rua e mulher é jogada em lata de lixo

Um casal que teve ferrenha discussão em rua acabou protagonizando uma cena violenta e inusitada.

O homem – que estaria sendo acusado de traição, segundo reportagem do “Sun” – encerrou a troca de impropérios agarrando a namorada pelo braço e a jogando em uma lata de lixo.

O episódio, documentado semana passada no YouTube, ocorreu na Rússia, mas a cidade é desconhecida. Não se sabe o que aconteceu coma mulher após ser jogada no lixo.

Assista abaixo:

Page Not Found, O Globo

enviar comentário
Publicidade

Polícia Civil cria comissão de delegados para investigar as mortes ocorridas em Alcaçuz

A Polícia Civil do Rio Grande do Norte criou uma comissão, formada por quatro delegados, para investigar os assassinatos de detentos que foram executados dentro da Penitenciária de Alcaçuz, no último sábado (14). A comissão é formada por três delegados da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e pelo titular da Delegacia de Polícia Civil de Nísia Floresta, cidade onde está situada a Penitenciária.

A comissão será presidida pelo delegado Marcus Vinícius (DHPP) e contará com o trabalho dos delegados Reginaldo Soares (DHPP), Jamile Alvarenga (DHPP) e pelo delegado Elói Carvalho (DP de Nísia Floresta). “A Polícia Civil está empenhada para identificar quais são os autores das mortes ocorridas dentro da Penitenciária. Será um trabalho intenso e para tanto criamos esta Comissão. A Polícia Civil ouvirá os criminosos que ordenaram e que participaram dos ataques e também apurará informações de sobreviventes. Três fugitivos já foram recapturados e vamos ouvi-los o mais rápido possível”, falou o delegado geral adjunto da Polícia Civil, Correia Júnior.

 

Comentário (1) enviar comentário
  1. FMSantos disse:

    A "operação" montada para o carnatal era bem maior!!!

Publicidade

Brasileiros ficam feridos após queda de 4 metros no Coliseu, em Roma

Dois brasileiros ficaram feridos após uma queda de quatro metros no Coliseu, em Roma. Segundo a polícia, eles tentaram entrar no local na madrugada de segunda (16), e para isso escalaram um portão.

Um deles fraturou a bacia e está internado, de acordo com a agência italiana Ansa, e o outro teve contusões e foi liberado do hospital.

A agência diz que os homens têm 31 e 33 anos, mas seus nomes não foram divulgados. Ambos foram denunciados por invasão de um edifício público.

O jornal “Corriere Della Sera” diz que amigos da dupla chamaram uma ambulância logo após a queda e que a polícia chegou quando eles ainda recebiam os primeiros socorros no local. O incidente aconteceu por volta das 2h30 (23h30 de domingo, no horário de Brasília).

G1

Comentário (1) enviar comentário
  1. Bob disse:

    Hahaha Brasileiro como sempre aprontando, a outra Derrubou uma obra de arte, esses querendo escalar o coliseu kkkkkkk !!!!!

Publicidade

Vereadora Natália Bonavides(PT) vai pleitear a presidência da Comissão de Direitos Humanos

Foto em anexo da Conferência Estadual de Direitos Humanos de 2016. Créditos: Pedro Feitoza

Durante essa semana serão debatidas as composições das Comissões da Câmara Municipal de Natal para o ano de 2017. A vereadora Natália Bonavides (PT) buscará a presidência da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos, Trabalho e Minorias.

Confira o currículo resumido da vereadora na área:

Mestre em Direito Constitucional na linha “Processo e Garantias de Direitos” (UFRN). Fez parte da Comissão de Direitos Humanos da OAB/RN e da Comissão da Memória e Verdade da OAB/RN; e foi Conselheira do Conselho Estadual de Direitos Humanos e Cidadania do RN (COEDHUCI). Foi ainda Conselheira do Conselho Gestor do Programa de Proteção a Vítimas e Testemunhas Ameaçadas no RN (PROVITA).

Participou da elaboração do projeto do Centro de Referência em Direitos Humanos da UFRN, do qual foi advogada e compôs a coordenação. Foi delegada, representando o Rio Grande do Norte, na Conferência Nacional de Direitos Humanos de 2016 (Brasília). Assessorou movimentos sociais nas temáticas de violações de direitos humanos. Participou do Programa de Educação Popular em Direitos Humanos Lições de Cidadania (atual Motyrum).

Durante a graduação, participou do projeto de pesquisa “O Brasil e o Sistema Interamericano de Direitos Humanos”; foi co-organizadora dos livros “Realidades: Organizações Internacionais e Questões da Atualidade” e “Realidades: direitos humanos, meio ambiente e desenvolvimento” (Editora da UFRN); organizou simulações da Comissão e da Corte Interamericana de Direitos Humanos. Estagiou no Departamento de Cooperação Jurídica da Organização dos Estados Americanos (OEA – Washington/DC/EUA), onde trabalhou com a Convenção Interamericana contra a Corrupção e participou de audiências da Comissão Interamericana de Direitos Humanos. Assessorou imigrantes de países da África que tiveram pedido de refúgio negado (caso dos náufragos do litoral potiguar e caso do primeiro apátrida do Brasil), dentre outras atividades na área de direitos humanos.

Comentários (8) enviar comentário
  1. Chico Gregorio disse:

    O desabafo do Padre Fabiano Dantas sobre os que aplaudem os “massacres” de presos em Alcaçuz.
    Resultado de imagem para fotos do padre fabiano dantas

    Eu procuro palavras para descrever o que sinto, quando vejo pessoas que se dizem esclarecidas e cristãs comemorando o massacre dos

    presos em Manaus e em Natal, mas não as encontro. Tristeza, talvez. Ou decepção. Só sei que meu Mestre jamais se alegraria com corpos

    separados das cabeças, nem aprovaria a violência como forma de transformação da sociedade. Ele me ensinou a amar, perdoar, acreditar na

    capacidade do ser humano de se regenerar. Foi ele quem disse: “estive preso e me visitaste”. Não se deixe iludir pelos discursos de ódio, nem

    pelas frases de impacto que estão na moda. Se você é cristão(ã), seu referencial deve ser Jesus, aquele que foi condenado injustamente e

    barbaramente assassinado. Aquele que, do alto de sua cruz, disse ao bandido que jazia ao seu lado: “ainda hoje estarás comigo no paraíso”

  2. Sandro Alves disse:

    É góipe!

  3. joao disse:

    Vai defender os "cumpanheiros" que estao presos nos escandalos de corrupcao do mensalao, petrolao, e nos proximos que virao???

  4. Luiz Fernando disse:

    Riquinha brincando de socialista.

  5. #MITO NELES disse:

    2018 esta chegando, Bolsonaro Presidente.

  6. Renato disse:

    Deve ser pra defender a família dos pobres coitadinhos dos bandidos mortos. Bolsonora 2018 pra acabar com direitos humanos de bandidos. Direitos são para as vítimas.

  7. Soriedem disse:

    Essa é competência, teve meu voto e me representa!!!

Publicidade

Robinson confirma encontro com Ministro da Justiça, solicitação de reforço no efetivo da Força Nacional, e audiência com Temer

Reprodução: Twitter Robinson Faria

O governador Robinson Faria(PSD) confirmou na tarde desta segunda-feira(16), através do microblog twitter, que estará reunido com o Ministro da Justiça, Alexandre Moraes, e também de uma solicitação de encontro com o presidente Michel Temer. Na pauta,  enfrentamento à crise instalada no sistema penitenciário.

Comentários (5) enviar comentário
  1. FMSantos disse:

    Para uma porra de Jogo entre ABC e América colocam 500 policiais – já para acabar com rebelião e colocar moral entre os presos, colocam 50 policiais e ainda como medo de pau e pedras, chamam a força nacional.

  2. Marcelo Queiroga disse:

    Pessoal, estou ficando, realmente, sem entender nada com coisa nenhuma.
    O governador foi ao ministro da justiça "pedir reforço da força nacional"? Isso resolve em quê a situação caótica da falta de segurança em nosso estado? Esse paliativo encerra, resolve, acaba com a falta de segurança? Alguém pode explicar?
    A força nacional vai acabar com as facções? A força nacional vai acabar com a criminalidade?
    A força nacional vai prender que percentual de bandidos aqui?
    A PAUTA NÃO SERIA AS AÇÕES PARA COMBATER/ENFRENTAR/ACABAR COM A CRIMINALIDADE NO RN?
    Será que tudo se resume ao aumento do efetivo da força nacional?

  3. Helio Motta disse:

    Pense numa solução cara essa da Farça Nacional. Um deles não custa menos que R$ 6.000,00/mês para fazer algo entre o nada e o pouco.

  4. VENTURA disse:

    Uma dica: quebrem partes do encanamento de gás do presídio e tirem todos os funcionários, depois é só esperar o primeiro colchão ser queimado.

Publicidade

Cadeias são ‘home office’ de chefes de facções, diz promotor

Policiais realizam vistoria no refeitório do Complexo Penitenciário Anísio Jobim, em Manaus – Raphael Alves / AFP / 14-1-2017

Responsável pelas investigações mais recentes contra o Primeiro Comando da Capital (PCC) em São Paulo, o promotor Lincoln Gakiya compara a cúpula da facção a “executivos que trabalham em home office”. Segundo ele, enquanto os “soldados” do grupo criminoso estão dispostos a matar e morrer em brigas com outras facções, que já causaram mais de 100 mortes em presídios nas últimas semanas, o comando do crime organizado está seguro dentro das prisões paulistas, com a maioria dos chefes enriquecendo com o tráfico.

Gakiya defende que os chefes das facções passem mais tempo no chamado cárcere duro, como o Regime Disciplinar Diferenciado (RDD). Para o promotor, se for comprovado que determinado preso ocupa um cargo de comando no crime organizado, ele deve ser isolado por pelo menos três anos. A mudança atingiria detentos como Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, apontado nas investigações como um dos sete integrantes da “sintonia final” do PCC, o estágio mais alto da hierarquia da facção.

Marcola foi transferido para o RDD da penitenciária de Presidente Bernardes, no interior de São Paulo, no fim do ano passado, depois de uma denúncia feita por Gakiya, onde deve ficar até um ano. Nesse regime, o preso fica 22 horas sozinho em uma cela. Não tem acesso a TV, jornais ou revistas, nem pode receber visitas íntimas. Para o promotor, conversas das lideranças com advogados deveriam ser monitoradas. As gravações não valeriam como prova para casos cometidos no passado.

— Essas organizações prestam, num primeiro momento, auxílio para proteger os presos dentro do sistema penitenciário. Oferecem papel higiênico, produtos de higiene, coisas que o Estado deveria fazer — afirma Gakiya, que continua: — Mas o que essas facções fazem mesmo é enriquecer as lideranças. A liderança nunca move um dedo. Via de regra eles não dão ordem direta para a rua. Então, quando alguém cai na investigação, é alguém do segundo escalão. É o home office do crime. A massa carcerária acaba sendo usada em prol desses líderes, para os familiares gozarem de uma vida de riqueza na rua, viagens no exterior, férias.

Investigações da Polícia Civil e do Ministério Público mostram que a chefia da facção paulista fica com 50% de todo o lucro obtido com a venda de drogas. A outra metade é utilizada pelo crime para comprar mais droga, pagar a operação de transporte, distribuição e venda, além de oferecer alguns benefícios para os presos, como transporte para os familiares irem visitá-los. Outra fonte de renda da facção é uma mensalidade de R$ 750 que os afiliados passam a pagar quando saem da prisão.

Gakiya estima que a facção criminosa páulista tenha integrantes em cerca de 90% das penitenciárias do estado de São Paulo. Planilhas apreendidas pelo MP apontam que a organização tenha 7 mil integrantes no estado de São Paulo — desses, cerca de 2 mil estariam em liberdade. Fora do estado, seriam em torno de 16 mil integrantes.

Segundo o promotor, a facção se aproveita da bagunça dos presídios para “vender” a ideia de que coloca ordem na cadeia por meio do seu estatuto. Para conseguir mais filiados, a facção passou a aceitar batismo de homossexuais e mulheres, o que era proibido há alguns anos.

— O sujeito entra no presídio e não tem muito como resistir a entrar na facção. Ele já não tem acesso a quase nada, vai estar numa cela com 20, 30 presos do PCC. Como é que vai ficar ali dentro e garantir a segurança de seus familiares? Eles acabaram com os estupros, com extorsões dentro da cadeia. E eles têm espalhado isso nas cadeias do Brasil todo. Onde está aquela bagunça, começa a ficar organizado. Só que isso tem um custo: o aumento no seu poderio, dos seus soldados, do seu território.

O Ministério Público descobriu que antes de deflagrar a guerra com o Comando Vermelho, em outubro do ano passado, o PCC tentou contatar líderes da facção carioca que estão num presídio federal por meio de cartas para um acordo, o que não foi possível.

— Acho que para as duas facções a guerra não é um bom negócio, em função de atrair polícia, atrapalhar o tráfico. Mas acabou não havendo composição entre eles e romperam, de fato, fora dos estados do Rio e de São Paulo.

O Globo

enviar comentário
Publicidade
Publicidade

Globo não descarta voltar com a Globeleza nua em 2018

Sai o corpo nu e entra o Carnaval da diversidade de ritmos. A primeira exibição da vinheta Globeleza, no último domingo (08), surpreendeu o país. Pela primeira vez desde sua criação, em 1991, o símbolo do Carnaval da Globo, apareceu menos sexualizada.

“Nosso objetivo com a vinheta deste ano é representar a diversidade do Carnaval brasileiro, espelhando a festa que toma conta do país nesta época do ano. Chegamos a este formato unindo o já tradicional samba de avenida a outros ritmos como o frevo, o axé, o maracatu e o bumba-meu-boi. Para isso, usamos elementos como a coreografia e o figurino para marcar esses ritmos”, explicou a Central Globo de Comunicação à coluna.

Questionada, a emissora não descarta a volta ao vídeo da valorização do corpo em 2018: “Ainda não estamos trabalhando nas vinhetas do próximo ano, mas a nossa busca é surpreender o público sempre”.

Sobre reinventar um símbolo tão tradicional no carnaval da TV, a Comunicação da Globo responde: “O símbolo é o Carnaval Globeleza, que representa a alegria da festa mais popular do país e uma folia curtida com respeito, entre amigos, sem lixo no chão, sem violência e sem xixi na rua. Trouxemos à vinheta desse ano a diversidade de outros ritmos, ampliando o significado do Carnaval Globeleza, uma marca importante da Globo”.

A emissora comemora a repercussão positiva: “A boa acolhida da nova vinheta mostra que estamos no caminho certo e que o público entrou nesta festa conosco”.

A nova vinheta Globeleza é um trabalho do experiente diretor de arte Alexandre Romano, responsável pela criação e execução de várias aberturas de produtos da TV Globo, entre elas “Cheia de Charme”, “Hoje é Dia de Maria” e “Sangue Bom”.

“Depois da gravação tivemos um extenso trabalho de pós-produção e efeitos visuais, para fazer funcionar o efeito de troca de dançarinos na edição picotada, e para inserir os objetos cenográficos e os confetes virtuais”, contou o profissional com exclusividade para a coluna.

Confira abaixo entrevista exclusiva com o diretor de arte Alexandre Romano:

Quando foi gravada a vinheta? Quanto tempo durou? O que deu mais trabalho na gravação?

Alexandre Romano: Gravamos em dezembro do ano passado, depois de meses de estudos de linguagem e pré-produção. A gravação em si levou cerca de 10 horas. Foram muitas combinações de figurinos e dançarinos na mesma coreografia. Cada figurino com sua particularidade de movimento e limitação. Depois da gravação tivemos um extenso trabalho de pós-produção e efeitos visuais, para fazer funcionar o efeito de troca de dançarinos na edição picotada, e para inserir os objetos cenográficos e os confetes virtuais. Os elementos 3D, além de reagir ao cenário de forma realista, ainda acompanham os movimentos de câmera.

O processo de criação fica limitado algumas vezes devido ao politicamente correto?

Alexandre Romano: O processo de criação é sempre um desafio. Passar uma mensagem de forma original torna o desafio ainda mais gratificante.

De todas as vinhetas criadas por Hans Donner para a Globeleza, qual você mais se identifica? Por quê?

Alexandre Romano: O trabalho do Hans Donner inspirou gerações e ficará para sempre na memória afetiva do brasileiro. O uso da tecnologia aliada à arte de forma criativa é com o que eu mais me identifico no conjunto de sua obra.

Na Telinha, UOL

 

enviar comentário
Publicidade

Redinha, Ponta Negra e Candelária recebem Operação tapa buraco nesta segunda-feira

Nesta segunda-feira (16), os bairros de Ponta Negra, Redinha e Candelária recebem os serviços da Operação tapa buraco, da Prefeitura do Natal, por intermédio da Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semov). A confirmação é do secretário Tomaz Neto.

De acordo com o titular da Semov, as ruas Pedro Fonseca Filho, em Ponta Negra, e Beatriz Ramalho, em Candelária, receberão os serviços de substituição de paralelepípedos. “Em determinados trechos dessas duas vias o paralelepípedo foi danificado. Por isso, a substituição por novos”, explicou Tomaz Neto.

Redinha

Os trabalhos desta segunda-feira serão finalizados no bairro da Redinha, na zona Norte. “Lá faremos a manutenção da rede de drenagem da rua do Cruzeiro. Amanhã (17), novas ruas, travessas e avenidas receberão os serviços da Operação tapa buraco”, finalizou o secretário Tomaz Neto, da Semov.

enviar comentário
Publicidade

Atlético-GO revela que técnico Marcelo Cabo está desaparecido

O início de temporada do Atlético-GO vem sendo marcado por uma situação dramática. No início da tarde desta segunda-feira, o clube confirmou o desaparecimento do técnico Marcelo Cabo.

De acordo com informações do Portal 730, o treinador, responsável por levar o Dragão ao título da Série B em 2016, foi visto pela última vez no sábado. O celular do técnico está em seu apartamento.

io de temporada do Atlético-GO vem sendo marcado por uma situação dramática. No início da tarde desta segunda-feira, o clube confirmou o desaparecimento do técnico Marcelo Cabo.

De acordo com informações do Portal 730, o treinador, responsável por levar o Dragão ao título da Série B em 2016, foi visto pela última vez no sábado. O celular do técnico está em seu apartamento.

Terra, com Lancenet

enviar comentário
Publicidade

Anvisa registra primeiro remédio à base de maconha no Brasil

Foto: (iStock | MaguiDomnguez)

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) registrou nesta segunda-feira o primeiro medicamento à base de Cannabis sativa, a planta que dá origem à maconha, no Brasil.

O medicamento específico Mevatyl (tetraidrocanabinol (THC), 27 mg/mL + canabidiol (CBD), 25 mg/mL) será fabricado pela GW Pharma Limited – Reino Unido e distribuído no Brasil pela Beaufour Ipsen Farmacêutica Ltda na forma de spray.

O produto é indicado para o tratamento da “espasticidade moderada a grave relacionada à esclerose múltipla”, mas é contraindicado para gestantes, idosos, portadores de epilepsia ou usuários de maconha.

Segundo a nota técnica do registro, a eficácia do medicamento foi testada em estudos clínicos com mais de 1,5 mil pacientes. O remédio foi aprovado em outros 28 países, onde tem o nome comercial de Saltivex.

No Brasil, o Mevatyl será comercializado com uma tarja preta e sua compra será condicionada à prescrição médica.

Em novembro do ano passado, a Anvisa facilitou a comercialização de medicamentos à base de canabidiol no Brasil ao publicar uma norma sobre o tema.

Segundo a norma, laboratórios podem pedir o registro de derivados em concentração de, no máximo, 30 mg de THC por mililitro e 30 mg de canabidiol por mililitro. Os produtos com concentração maior do que a estabelecida continuam proibidos no país.

A liberação do uso do canabidiol no Brasil foi determinada pela Anvisa em 2015, depois de uma movimentação feita por familiares de pacientes, sobretudo crianças que apresentavam crises repetidas de convulsão.

Em novembro passado, a agência determinou que pedidos novos de importação de produtos de canabidiol sejam analisados de forma prioritária, desde que apresentados todos os documentos necessários previstos no processo.

Super Interessante via Exame

 

Comentário (1) enviar comentário
  1. Curioso disse:

    Aê mermão…

Publicidade

VÍDEO: Presos do Pavilhão 5 armados com facões, pedras e pedaços de ferro, tipo lanças, falam em “cortar pescoços”

Presos divulgam vídeo neste segunda-feira(16) no pavilhão 5 da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, no município de Nísia Floresta, na Grande Natal, e se identificam como membros do PCC. Armados com facas, pedaços de ferro que improvisam até mesmo lanças, presidiários alertam para movimentação de presos do Sindicato do RN em cima de telhados, e ameaçam “cortar pescoços” de facção rival.

Vídeo: Enviado para o ZAPBG

Comentários (6) enviar comentário
  1. Max disse:

    Será que as autoridades não estão interessadas neste conflito ? Ladrao matando ladrao

  2. Blue disse:

    Situação de calamidade. As "autoridades" precisam com urgência encontrar uma solução.

  3. Rng disse:

    Igual a de Minas Gerais. Onde vão presos de "bom comportamento", e os que não querem estudar ou trabalhar, são devolvidos para as prisões normais. Já que o Estado não fornece Estudo, nem qualificação para os mesmos, de nada adianta fazer presídios sem estrutura.
    A tendência é que piore essa situação, matando uns aos outros, fugindo, voltando a cometer crimes e nós vítimas disso tudo.

  4. Rng disse:

    Muitos criticam as "PPP'S", mas será, que não é o caso de começar a pensar nesta possibilidade?!

  5. joão carlos mendell disse:

    Tá difícil. Temos que reconhecer que o jogo precisa zerar. Do jeito que está o Estado não tem nenhuma chance de pacificar essas unidades.
    É necessário partir para uma outra alternativa. Precisamos de uma outra política pública para administrar os presídios.

Publicidade