FOTOS: Veteranos do Corpo de Bombeiros Militar do RN passam por requalificação

Veteranos-2 Veterano-3Desde o dia 15 de setembro, com o início do Curso de Nivelamento promovido pelo Corpo de Bombeiros Militar do RN (CBMRN), quarenta militares da corporação, a grande maioria com mais de 15 anos de serviço, voltaram à sala de aula, do Centro Superior de Formação e Aperfeiçoamento (CSFA), para buscarem uma atualização técnica nas áreas de Combate a Incêndio, Atendimento Pré Hospitalar, Salvamento em Altura, Salvamento Terrestre e Salvamento Aquático. O Curso de Nivelamento é uma exigência legal para os Praças que desejam garantir a ascensão profissional, conforme a Lei de Promoção de Praças (Lei Complementar nº 515 de 09/07/2014), sancionada recentemente pelo Governo do Estado.

Ao longo desta semana, os alunos do CBMRN estão participando das aulas de Salvamento em Altura, na torre do Quartel do Comando Geral da Corporação, situado na Avenida Prudente de Morais, n° 2410, Barro Vermelho, em Natal. O curso está sendo realizadas em dois turnos, manhã e tarde, e conta com uma carga horária total de 230 horas aula.

De acordo com o Coronel Elizeu Lisboa Dantas, Comandante Geral do CBMRN, a capacitação prevê a formação de 11 turmas, sendo cada uma composta por 40 militares. Segundo ele, a instituição estará abrindo uma nova turma de nivelamento ainda neste ano.

“O CBMRN tem como previsão ofertar o nivelamento a cerca de 440 soldados, sendo 40 por turma, num total de 11 turmas. O processo seguirá em ritmo acelerado para que todos possam se capacitados e fiquem aptos à promoção. O próximo grupo inicia a capacitação no dia 20 de outubro”, disse.

O Plano Quadrienal de formação a ser desenvolvido pela instituição no período de 2014 a 2017 inclui ainda 2 turmas de formação de sargentos, 1 de aperfeiçoamento de sargentos e 1 de formação de praças.

Brasília(FOTO): homem que diz ter explosivos faz refém em hotel; local é esvaziado

hotel-brasilia-20140929-40-size-598Foto: (Gabriel Castro/VEJA)

Um homem que alega estar armado com explosivos faz refém nesta segunda-feira um funcionário do Hotel St. Peter, no Setor Hoteleiro Sul de Brasília. O local foi esvaziado e o perímetro que cerca o estabelecimento está cercado pela polícia. Homens do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar do Distrito Federal já estão dentro do hotel. Do lado de fora, estão agentes do Corpo de Bombeiros, do Grupo de Ações Especiais da PM, do Esquadrão de Bombas e das polícias Civil e Militar.

Segundo funcionários do hotel, o homem estava hospedado no estabelecimento, mas não se trata de um hóspede regular. Por volta das 9 horas desta segunda, ele imobilizou o funcionário, um mensageiro de cerca de 60 anos, no 13º andar do prédio e bateu à porta de outros hóspedes dizendo ser um terrorista. Com a chegada das autoridades, todos os hóspedes e funcionários foram obrigados a deixar o local. Segundo a Polícia Civil, o homem aparentemente sofreu um surto.

Com certa frequência, o sequestrador aparece com o refém na sacada de um dos apartamentos. O funcionário está algemado e veste um colete onde, aparentemente, há explosivos. O formato dos objetos assemelha-se ao de dinamite, mas não é possível ter certeza de que se trata do artefato. O hotel é um dos mais importantes de Brasília e fica à beira do Eixo Monumental, a via mais importante da capital federal.

Veja

Secretário municipal de Segurança e Defesa Social lamenta morte de guarda municipal

O secretário municipal de Segurança Pública e Defesa Social, Paulo César Ferreira da Costa, lamentou a notícia da morte do guarda municipal Adilson Bezerra da Silva. Ele foi encontrado morto dentro de casa, na avenida dos Xavantes, no Cidade Satélite, na manhã deste domingo (28).

“Recebemos a notícia com muita tristeza, primeiro, por se tratar de um ser humano, um homem ainda novo, e, segundo, por se tratar de um profissional que vinha desenvolvendo seu trabalho de maneira exemplar, sendo respeitado por toda a Guarda Municipal”, destaca o secretário Paulo César Ferreira.

O corpo do guarda Adilson Bezerra foi levado para o Instituto Técnico-Científico de Polícia, onde será identificada a causa da morte. “Todos os servidores da Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Social se solidarizam com os familiares, amigos e colegas de trabalho do guarda municipal, desenhando a eles força para esse momento difícil”, comenta.

Adilson Bezerra da Silva fazia parte da 6ª turma da Guarda Municipal, tendo mais de dez anos de serviços prestados à Natal.

    Nenhum Comentário

    Grave falha pode deixar 500 milhões de computadores vulneráveis a ataques

    Uma falha grave de segurança on-line que pode afetar centenas de milhões de computadores, servidores e gadgets foi descoberta nesta quinta-feira. O bug foi encontrado em um componente de software conhecido como Bash, parte integrante de muitos sistemas Linux e também do sistema operacional Mac, da Apple.

    O bug, apelidado de Shellshock, pode ser usado por hackers para tomar remotamente o controle de quase todos os sistemas que usam o Bash, segundo especialistas entrevistados pela BBC. Pesquisadores já avaliam a falha como mais grave do que o bug Heartbleed, descoberto em abril. O professor Alan Woodward, pesquisador de segurança virtual da Universidade de Surrey, disse à rede de TV britânica que o problema deixa os computadores de milhões de usuários “com as portas abertas”.

    Considerada uma das maiores falhas da história da internet, o Heartbleed afetou dois em cada três servidores da web em abril passado, causando pânico entre empresas e internautas. A falha proporcionou o roubo de dados de seguro social de canadenses a partir do sistemas governamentais — o Canadá chegou a suspender o envio eletrônico da declaração de impostos dos contribuintes devido ao problema.

    Cerca de 500 mil máquinas em todo o mundo podem ter sido afetadas pelo Heartbleed, segundo projeções. Mas as estimativas iniciais sugerem que o Shellshock tenha o potencial de atingir pelo menos 500 milhões de máquinas.

    O problema é muito grave, uma vez que muitos servidores de internet usam o sistema Apache, software que inclui o componente Bash.

    Bash — que significa Bourne-Again Shell — é um prompt de comando em muitos computadores Unix. O Unix é um sistema operacional a partir do qual muitos outros são construídos, como o Linux e o Mac OS.

    A Equipe de Prontidão para Emergências em Computadores dos Estados Unidos (US-Cert) emitiu um alerta sobre o erro, pedindo que os administradores dos sistemas façam atualizações em seus sistemas de segurança. No entanto, pesquisadores já alertaram que as alterações eram “incompletas” e que os sistemas não estão totalmente seguros.

    A maior preocupação para os especialistas é a simplicidade de se realizar ataques a máquinas fazendo uso do bug. Um expert em segurança cibernética da empresa Rapid7 avaliou o bug Bash como sendo de gravidade 10, dentro de uma escala com limite 10, mas de “baixa” complexidade, o que torna relativamente fácil que hackers capitalizem em cima do problema. Os criminosos virtuais podem entrar no sistema operacional, ter acesso a informações confidenciais, fazer alterações, etc.

    Os especialistas aconselham que os usuários comuns de computadores monitorem os sites dos desenvolvedores de softwares e instalem as atualizações que aparecerem, especialmente para hardware, como roteadores de banda larga

    O Globo