Copiloto da Germanwings teria problemas de visão, diz fonte

Andreas Lubitz, copiloto do voo 9525 da Germanwings e suspeito de ter chocado deliberadamente o avião contra os Alpes franceses pode ter sido identificado com problemas de visão que afetariam a sua capacidade de voar, de acordo com uma pessoa familiarizada com a investigação.

Ainda não está claro se as dificuldades de Lubitz eram tão graves que os médicos o consideraram impróprio para voar, disse a fonte, acrescentando que os investigadores apenas descobriram que ele consultou um oftalmologista nos últimos dias, na Clínica Universitária em Düsseldorf.

Os investigadores ainda não têm certeza do grau de comprometimento da visão de Lubitz porque ainda não receberam a sua ficha médica, disse a fonte.

De acordo com pessoas familiarizadas com a investigação, foram descobertas também evidências no apartamento de Lubitz, em Düsseldorf, e na casa de seus pais, em Montabaur, que indicam que ele estava em tratamento psicológico.

A Clínica Universitária informou nesta sexta-feira que Lubitz fez a sua primeira consulta em fevereiro e seu último exame em 10 de março. O hospital informou que o arquivo médico do copiloto seria encaminhado aos investigadores.

Um porta-voz do hospital se recusou a comentar os exames de Lubitz, citando as leis que garantem a privacidade em relação às informações de pacientes. Fonte: Dow Jones Newswires.

fonte: Estadão Conteudo

FOTO: Táxi cai em cratera na Zona Norte de Natal

Na rua Maria José Lira, bairro Panatis, Zona Norte da capital, um táxi caiu e um enorme buraco que jorra água potável há duas semanas.

Mesmo com o alerta feito para as autoridades competentes, ninguém apareceu na rua sequer para sinalizar, resultando no prejuízo ao taxista desavisado.

FOTO: Via Certa

Velocista canadense morre afogado em intervalo de treinos no Caribe

Representante do Canadá na prova de 400 metros do atletismo nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, o velocista Daundre Barnaby de 24 anos, morreu afogado nesta sexta-feira, em São Cristóvão e Nevis, no Caribe, durante um intervalo de treinos da seleção canadense de atletismo.

“É uma triste e profunda perda. Daundre era um atleta fora de série e um jovem ainda melhor”, lamentou Rob Guy, chefe executivo da Federação Canadense de Atletismo, prestando condolências à família e aos companheiros do velocista. “Vamos fazer tudo que for necessário para ajudar sua família nesta tragédia”, garantiu.

O velocista estava nadando com seus colegas quando desapareceu por volta das 11h desta sexta. De acordo com os relatos, uma onda forte o engoliu. Seus colegas tentaram salvá-lo, sem sucesso. O corpo de Daundre só foi localizado cerca de quatro horas e meia depois.

Daundre nasceu na Jamaica, mas se tornou cidadão canadense em 2012 para participar dos Jogos Olímpicos daquele ano. O velocista, porém, não avançou da primeira eliminatória dos 400m. No ano passado, fora o 75.º do ranking mundial da prova. Ele treinava para o Mundial de Revezamentos, que vai acontecer nas Bahamas, também no Caribe.

fonte: Estadão Conteudo