FOTOS: Presidente da CMN participa de debate sobre reforma trabalhista

O presidente da Câmara Municipal de Natal, Raniere Barbosa (PDT), participou na manhã desta segunda-feira (20) de uma palestra promovida pelo

Sistema Fecomércio para debater a reforma trabalhista com o relator da matéria na Câmara Federal, deputado federal Rogério Marinho (PSDB), e com o ex-ministro do Trabalho, Almir Pazzianotto.

Raniere destacou a importância de ampliar o debate nas casas legislativas, entendendo-o a todas as categorias e setores produtivos. “Um debate como esse é mais que necessário para que seja amplamente debatido e se chegue ao resultado conclamado pela população de modo a equilibrar a lei, beneficiando ambos os lados. Viemos aqui com o intuito de extrair o que pudermos para levarmos à Câmara de Natal e debater com a sociedade”, disse.

Marcelo Queiroz, presidente da Fecomércio, explicou que o evento visa esclarecer e oferecer contribuições do empresariado ao relator da matéria no congresso, deputado Rogério Marinho, que argumentou ser necessária a flexibilização das leis trabalhistas, em virtude da retração do PIB (Produto Interno Bruto), do aumento do desemprego e da insegurança jurídica. “Precisamos modernizar e racionalizar as leis para que o país volte a crescer economicamente e gerar empregos. É importante ressaltar que essa reforma não retira direitos trabalhistas porque esses são direitos constitucionais”, destacou o deputado.

O ex-ministro do Trabalho apresentou uma visão semelhante à do relator da reforma. Disse que a economia está em crise e que ajustar a lei é uma necessidade do mercado de trabalho. “Há um desajuste entre a constituição e a necessidade do mercado de trabalho. Existe um clima de insegurança jurídica e ter milhões de novos processos todos os anos sendo impetrados na justiça não pode ser benéfico para o país”, declarou Almir Pazzianotto, que também é jurista e especialista em relações do trabalho. Do evento, que ocorreu no Hotel Holliday Inn Arena, em Lagoa Nova, participou também o vereador Kleber Fernandes (PDT), autoridades como o prefeito Carlos Eduardo (PDT), empresários e representantes de diversos segmentos dos setores econômicos do estado.

Publicidade

Comentários:

  1. Ricardo disse:

    Muito bacana ver a politicagem junto com o empresariado discutindo o novo modelo de escravatura do Brasil. O golpe também serviu para isso e quem irá pagar o pato da FIESP serão como sempre, os trabalhadores mais humildes deste País de bananas. Enquanto o povo não acordar e for de vez para cima da classe política que está destruindo nosso País, eles continuarão mantendo suas benesses. O tal Deputado Rogério Marinho é uma piada de mal gosto a serviço do Capital. Atenção eleitores deste Senhor que é a favor da terceirização sem limites: Lembrem dele nas próximas eleições. Até o Ministério Público do Trabalho é contrário a esse tipo de terceirização.

    • JUNIOR disse:

      Ainda com essa de "Goipe" ?

    • Ceará Mundão disse:

      "Gópi", "a serviço do capital", "pato da FIESP", "escravatura do Brasil", "trabalhadores mais humildes"… É cansativo ler esses jargões dos comunistas do Brasil, num mundo onde já se provou que esse regime fracassou por onde passou. E muitos desses "dinossauros" continuam a nos massacrar com essas ideias retrógradas, motivos prá atraso e sofrimento.