Publicidade

Carlos Eduardo descumpre promessa, não paga salários em dia e revolta servidores

POR AGORA RN

O prefeito Carlos Eduardo Alves (PDT) utilizou seu perfil oficial no microblog “Twitter” no dia 11 de agosto para definir a última terça-feira, 15, como data final para completar 100% dos pagamentos dos servidores natalenses referentes ao mês de julho. O chefe do Executivo, contudo, não conseguiu cumprir sua promessa e parte do funcionalismo segue sem ver seu salário depositado.

Em contato com a reportagem, a titular da Secretaria Municipal de Administração (Semad), Adamires França confirmou que, de fato, o prefeito não pôde ainda finalizar os pagamento de julho. De acordo com a secretaria, o novo prazo estipulado é para esta quarta-feira 23. Adamires explicou que o motivo pelo qual não foi possível quitar os compromissos com todos os funcionários da rede municipal foi uma “frustração de receita”.

O município de Natal, todavia, recebeu recursos do Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) que injetaram o valor de R$ 9.569.349,40 nas receitas da cidade. Adamires esclareceu que esse montante já foi utilizado – justamente para pagar parte do funcionalismo. Com esse dinheiro utilizado, agora 98% dos trabalhadores receberam seus vencimentos.

Apesar da alta porcentagem, os números não são vistos com contentamento pelos funcionários. A reportagem entrou em contato com a presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Natal (Sinsenat), Soraya Godeiro. A sindicalista se mostrou frustrada com o atraso e “descompromisso” do prefeito, que pode acarretar em um efeito cascata de salários atrasados.

“Essa história de 98% dos vencimentos pagos nós não temos como averiguar, porque não temos controle da folha – ela não nos é disponibilizada. De toda forma, não nos interessa o percentual, interessa é que esse atraso provoca o atraso da próxima folha, e da próxima, e cria-se um efeito cascata que só gera mais problemas”, lamentou Soraya.

A líder do Sinsenat lembrou que a nova data prometida por Carlos Eduardo para pagar os salários se interpõe à data em que ele deveria estar pagando o salário do mês corrente, isto é, agosto.

“Novamente o prefeito voltou a atrasar os vencimentos. Só que, desta vez, o espaço de tempo foi maior do que nos meses anteriores. Ao invés de reduzir a demora, ele a está aumentando, causando enormes prejuízos para a categoria. O prefeito anunciou nas redes sociais que a folha seria finalizada em torno do último dia 15. Ele novamente não cumpriu sua palavra. Agora a previsão é para a próxima quarta-feira, data em que ele deveria se preparar para pagar a folha de agosto. De acordo com a Lei Orgânica do Município (LOM), ele tem que iniciar os pagamentos no dia 29, praticamente atrasando tudo”, criticou.

Soraya ainda informou que, caso os compromissos não sejam quitados, a categoria confirmará uma paralisação geral na prefeitura para o dia 1º de setembro.

Por fim, o Agora Jornal entrou em contato com George Henrique Bezerra, vice-presidente da Associação dos Auditores do Tesouro Municipal de Natal (Asan), que também garantiu que a classe avalia a possibilidade de paralisar suas atividades.

“É um desrespeito com a categoria e é uma mensagem errada que o prefeito passa para a população. O prefeito diz que vai quitar a folha e não quita. Vamos definir quais serão as atitudes da categoria, e as informações que a gente vai levar para a sociedade diante das falsas colocações que o prefeito expõe na imprensa e redes sociais acerca do cumprimento da folha. A paralisação das atividades não está descartada”, declarou.

enviar comentário
Publicidade

Depois de conseguir quebrar a Eletrobras os políticos irão privatizá-la

O governo decidiu colocar à venda um pedaço da Eletrobras. Demoroooooooou! Em junho de 2016, já lá se vai mais de um ano, o ministro Fernando Coelho Filho (Minas e Energia) já havia classificado a situação da estatal elétrica como “insustentável”. Estava claro que a companhia teria de vender ações para sair do buraco. O papelório será negociado na bacia das almas, num instante em que a situação fiscal do Estado brasileiro é ruinosa.

Na prática, a privatização já chegou à Eletrobras faz tempo. Negociada no balcão da baixa política, a estatal dedica-se há anos à satisfação dos interesses patrimonialistas do condomínio partidário que dá suporte legislativo ao Planalto. A empresa foi vítima do mesmo complô que levou a Petrobras à breca. Na era petista, sua ruína é obra do PMDB e do PT.

Hoje, a Eletrobras acumula uma dívida de R$ 50 bilhões. Na origem do problema estão três flagelos: a inépcia gerencial, o fisiologismo político e a corrupção. Para complicar, Dilma Rousseff ajudou a afundar a empresa ao impor em 2012 uma redução populista e artificial das contas de luz. Mal comparando, o governo fizera a mesma coisa na Petrobras, ao represar os reajustes dos combustíveis.

Graças à roubalheira, a Eletrobras foi captada pelo radar da Lava Jato. Apenas na construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte detectaram-se propinas de R$ 150 milhões. A cifra veio à luz em delações de executivos da Andrade Gutierrez. A dinheirama foi rachada entre PT e PMDB, metade para cada legenda.

São investigados em inquéritos relacionados à obras de Belo Monte figurões do PMDB: Romero Jucá (RR), Renan Calheiros (AL), Valdir Raupp (RO), Jader Barbalho (PA) e Edison Lobão (MA). A colaboração judicial do ex-senador petista Delcídio Amaral adicionou ao rol de encrencados os ex-ministros Erenice Guerra e Silas Rondeau, do governo Lula, e Antônio Palocci, dos governos Lula e Dilma.

Ironicamente, a Eletrobras é joia de uma área em que Dilma se vangloriava de reinar. Xerife do setor energético desde o primeiro mandato de Lula, madame jamais desapontou os políticos que tratam o público como privado. Em 2004, quando era ministra de Minas e Energia, Dilma fritou um respeitado presidente da Eletrobras, Luis Pinguelli Rosa, para acomodar na poltrona Silas Rondeau, afilhado político de José Sarney.

Em 2005, alçada à Casa Civil nas pegadas da queda do companheiro José Dirceu, Dilma endossou a indicação de Rondeau para substituí-la no comando da pasta de Minas e Energia. Dois anos depois, o afilhado de Sarney foi pilhado pela Polícia Federal na Operação Gautama. Acusado de receber envelope com propina de R$ 100 mil, Rondeau deixou o cargo. Substituiu-o, com o aval de Dilma, Edison Lobão, outro ministro da cota de Sarney.

Em 2010, eleita sucessora de Lula, Dilma manteve Lobão na Esplanada. Trocou-o mais tarde por outro senador do PMDB: Eduardo Braga (AM). Hoje, sob Michel Temer, o ministro é do PSB. Mas a Eletrobras continua sob a área de influência do PMDB do Senado. De modo que a privatização formal da estatal tende a reduzir amoralidade na esfera pública. Com duas vantagens: entrará algum dinheiro nos cofres do Tesouro. E os serviços tendem a melhorar.

JOSIAS DE SOUZA

Comentários (7) enviar comentário
  1. Comedor de Coxinha disse:

    Em um país como o Brasil onde há lugares e regiões onde a iniciativa privada nao tem nenhum interesse é importante sim estatais, sem falar no poder de regulação dos mercados pelas estatais quando o "privado" forma carteis.
    O projeto político eleito pelo povo nao contemplava privatizações e muito menos a política de menos social.
    Com a palavra os paneleiros e seus cabos escondidos.

  2. Jorivan disse:

    Acaba tudo, mas os privilégios e abusos das gratificações e os diversos tipos de auxílios que existem nos três poderes e no Ministério Público não vão ser nem arranhados.
    É a conta vindo pra quem está no andar de baixo.
    Lindo discurso de austeridade e economia quando os que estão nos altos escalões continuam suas farras a nossa custa.
    Até quando vamos tolerar isso sem reagir?

  3. Marcio disse:

    Tem que Privatizar tudooooooooo, acabar com esse cabide de empregos e de corrupção

  4. FORA CORRUPTOS disse:

    Tão vendendo o patrimônio do Povo. Depois vem a conta. Eles só querem o filét. Deviam privatizar a segurança. O que é bom o capitalismo quer. É quando quebram como as corporações bancária nos USA em 2008 quem banca a conta é o estado. Ou seja, no fim o contribuinte é quem paga a conta mesmo.

  5. Ceará-Mundão disse:

    Um dos melhores feitos do governo Temer. Menos um cabide de empregos e fonte do desperdício do dinheiro do contribuinte brasileiro. Menos uma estatal para ser assaltada pelos políticos corruptos. Na prática, essas estatais já foram privatizadas há muito tempo. Só que seus "donos" são os partidos políticos que estão no poder. E os políticos corruptos fazem a festa e passam a conta da roubalheira para o povo brasileiro pagar. Depois, vêm os "militontos" de esquerda com a velha cantilena de que estão vendendo o patrimônio do povo. O povo só é "dono" na hora de bancar os desmandos.

  6. eu disse:

    se tivesse vendido ha mais tempo, os políticos não teriam feito o que fizeram,
    assim como a petrobras, o quanto antes vender, menos poder de influencias esses vadios vagabundos dos nossos políticos vão poder meter a mão.

Publicidade

Exército e PF descobrem ‘indústria de reintegração e aposentadoria’ nos quartéis

O Estado de S.Paulo

A Operação ‘Reformados’ – ação integrada do Exército, Polícia Federal e Advocacia-Geral da União – informou ter descoberto uma ‘indústria da reintegração e aposentadoria’ em quartéis do Sul do País. Segundo a investigação, atualmente, três em cada quatro militares reintegrados ao Exército para tratamento médico e posterior reforma obtiveram a medida por meio de ações judiciais. Apenas no Rio Grande do Sul, são quase 500 casos que custam aos cofres públicos cerca de R$ 20 milhões por ano.

‘Reformados’ foi deflagrada nesta segunda-feira, 21. A operação mira esquema de fraudes para obtenção fraudulenta de reformas (aposentadorias) e licenças médicas de militares. Em alguns casos, revela a investigação, um advogado chegava a orientar os clientes sobre como simular distúrbios mentais para as juntas médicas do Exército.

A ação foi executada nos municípios gaúchos de Canoas e Novo Hamburgo. Os policiais cumpriram dois mandados de busca e apreensão, um de prisão preventiva de um advogado e três de condução coercitiva de militares reintegrados ao Exército por decisões judiciais. As medidas foram determinadas pela Justiça Militar do Rio Grande do Sul.

enviar comentário
Publicidade

VÍDEO: Gilmar Mendes é hostilizado em palestra em SP

Gilmar Mendes participou nesta segunda-feira de um evento promovido pelo Estadão, em São Paulo. Como presidente do Tribunal Superior Eleitoral, o ministro fez uma palestra sobre a reforma política. Na pele de ministro do Supremo Tribunal Federal, ele foi alvo de um protesto. Foi hostilizado por um pequeno grupo que o identifica como inimigo da Lava Jato (repare no vídeo). Aquiaqui e aquiinformações sobre o conteúdo da palestra de Gilmar.

Comentários (2) enviar comentário
  1. cara de otário disse:

    Esse verme não pode mais ter paz em lugar nenhum deste país!!! Que sofra com a fúria popular!!!

  2. Potyguar disse:

    A Justiça brasileira não se dá ao respeito há muito tempo. Estes episódios tendem a aumentar e piorar.

Publicidade

Proposta de redução de recesso parlamentar entra em votação na Câmara Municipal de Natal nesta terça

A Câmara Municipal de Natal deve votar nesta terça,22, um projeto de resolução que prevê redução de 30 dias no período de recesso parlamentar. De autoria do vereador Sandro Pimentel (PSOL), o projeto visa corrigir uma distorção no tempo de recesso dos vereadores de Natal, que hoje é de 92 dias por ano. A votação está prevista para às 15h30, no plenário da Câmara.

O tempo de recesso parlamentar em Natal é muito superior ao que é aplicado no Congresso Nacional (55 dias) e até mesmo em Câmaras Municipais de cidades como Fortaleza (56 dias), Recife (67 dias) e João Pessoa (70 dias).

O vereador do PSOL acredita que é necessário reduzir os privilégios e ouvir o clamor das ruas que querem moralização na política. “Não é possível que a Câmara continue com esse recesso agressivo de 92 dias. Nossa proposta reduz esse período em 1/3 e gradativamente vamos lutar para que o tempo de recesso diminua ainda mais”, afirmou Sandro

Esse projeto de resolução acompanha uma série de ações, propostas pelo vereador Sandro Pimentel, e que visam ampliar a transparência no legislativo natalense, a exemplo do fim do voto secreto, da publicação de presença dos vereadores no site da Câmara e da implementação de desconto no salário dos vereadores que faltam sem justificativa.

Comentário (1) enviar comentário
  1. Carllos Henrique disse:

    Isso é mais uma daquelas coisas absurdas que só tem no Brasil. Pq um politicúzinho tem o privilégio de passar mais de 30 dias de férias se um mortal Trabalhador brasileiro só tem direito a 30 dias e só uma vez a cada 12 meses trabalhados?

Publicidade

Funaro entrega contas de Henrique Alves e Eduardo Cunha de propina no exterior

Resultado de imagem para Henrique Alves e Eduardo Cunha

O Site O Antagonista apurou que Lúcio Funaro, no acordo de colaboração firmado nesta segunda-feira com o MPF, entregou as contas usadas por Eduardo Cunha e Henrique Eduardo Alves para esconder propina do PMDB no exterior.

Funaro detalhou todo o caminho do dinheiro. O doleiro explicou como funcionava a corrupção no grupo liderado por Michel Temer.

Comentário (1) enviar comentário
  1. Frasqueirino disse:

    Kkkk….mas HenRIQUINHO declarou que não tinha contas no exterior!!!

Publicidade

José Agripino cobrou propina de R$ 2 milhões na construção da Arena das Dunas, diz PF

Resultado de imagem para josé agripino

Um inquérito da Polícia Federal concluído nesta segunda-feira atribuiu os crimes de corrupção passiva qualificada e lavagem de dinheiro ao senador José Agripino Maia (DEM-RN), presidente nacional do Democratas. De acordo com a PF, Agripino recebeu propina da OAS para ajudar a empresa a obter financiamento do BNDES para as obras da Arena das Dunas, em Natal

A propina, de pelo menos R$ 2 milhões, foi repassada em espécie e por meio de doações eleitorais oficiais. O dinheiro passou por contas bancárias do próprio senador e de familiares. A investigação baseou-se no resultado da análise de mensagens de texto extraídas do celular de José Adelmário Pinheiro Filho, ex-presidente da OAS, bem como nas delações de Alberto Youssef e Rafael Angulo Lopez. “Diante dos suficientes indícios de materialidade e autoria, foram então imputadas as condutas de corrupção passiva qualificada e lavagem de dinheiro ao senador José Agripino Maia”, informou a PF.

VALOR

Comentários (7) enviar comentário
  1. Roberto Araujo disse:

    Tive meu carro tomado por assaltantes. Não posso chamar um senador da república de ladrão? É um ladrão sim!

  2. MB disse:

    Xadrês pra ele e comparsas!

  3. Humilde Iconoclasta disse:

    Perto dos roubos bilionários, 2 milhões o faz parecer um trombadinha… mas é roubo do mesmo jeito.

  4. Potyguar disse:

    Kkkkkk, logo o paladino da moralidade ?!?!?!?!?!

  5. Frasqueirino disse:

    Cadeia tb pra ele.

  6. Divaldo disse:

    dá em nada não

  7. Everton disse:

    Blindado.

Publicidade

Erro em homenagem a Lula na Bahia causa alvoroço na internet

Uma homenagem feita pela UFRB (Universidade Federal do Recôncavo da Bahia) gerou alvoroço e brincadeira nas redes sociais nesta segunda-feira (21). Lula recebeu um diploma de doutor honoris, que continha erros de português. A imagem foi divulgada pelo amigo de Lula, o sociólogo Emir Sader, nas redes sociais.

O primeiro erro é a separação do sujeito, verbo e predicado: “A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, concede ao maior presidente da República Federativa do Brasil, senhor Luiz Inácio Lula da Silva, o torneiro mecânico, o título de doutor honoris causa”.

O segundo aparece com erro na palavra “discente”: Assinam o documento os “dicentes da UFRB”. Neste caso, há duas explicações possíveis: a primeira é que a palavra se refira aos estudantes (discentes). A segunda, menos provável, é que a menção seja aos professores (docentes).

Em nota, a universidade nega ter emitido o diploma, já que não consta a assinatura do reitor.

 

ISTOÉ

Comentários (13) enviar comentário
  1. Ceará-Mundão disse:

    Os governos petistas privilegiaram as universidades públicas, em detrimento do ensino básico e fundamental. E rios de dinheiro passaram a ser gastos com espeluncas como essa tal Universidade do Recôncavo Baiano, que só servem para cabides de empregos de esquerdistas e para conceder "depromas" a analfabetos funcionais.

  2. Rosa Medeiros disse:

    Esses ptralhas são uma comédia "inté o deproma é falço"
    😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂

  3. Ceará-Mundão disse:

    Os governos petistas privilegiaram as universidades federais em detrimento do ensino básico e fundamental que continua às moscas. A maior parte do orçamento do MEC é direcionado para o ensino superior e serve para financiar instituições desse naipe. Dinheiro usado para sustentar cabides de empregos de esquerdistas e para conceder diplomas a analfabetos funcionais. Esse "deproma" concedido a esse canalha que se vangloria de nunca ter lido um livro na vida apenas comprova o nível da educação promovida pelo PT. É disso que se vangloriam? Como está a educação brasileira após mais de 13 anos de PT no poder? Aliás, como está o Brasil?

  4. Paulo Roberto disse:

    Viiixxxeee!O "déproma" é falso.kkk…

  5. Joao disse:

    Vergonhoso.. Alem de condenado, incompetente pela falencia do país, essa universidade diz que o titulo é devido aos "feitos" que ele fez pela educação. Realmente, alem de inspirar que ser corrupto vale a pena, ainda costuma dizer que nao precisava de estudo pra ser presidente… e parece que tambem nao precisa de estudo pra ter titulo de "doutor" nessa faculdade, bancada com dinheiro do povo pra fazer demagogia. Triste ter gente que apoia isso, dar um titulo a um defensor de ditaduras assassinas.

  6. MB disse:

    Rogério nunca mais!

  7. Humilde Iconoclasta disse:

    "Em nota, a universidade nega ter emitido o diploma, já que não consta a assinatura do reitor." putz.

  8. Divaldo disse:

    E quem replica a notícia é um blogueiro que não escreve uma frase sem errar. até o título das notícias ele erra. kkkkkkkkkkkkkkkk.

  9. Blue disse:

    Rogério Marinho nunca mais.

  10. Blue disse:

    Lula e Jair no segundo turno. PSDB das reformas malvadas já era.

  11. Quinquim disse:

    Os erros de português são irrelevantes. O pior erro é uma instituição de ensino superior conceder esse título a um bandido condenado a nove anos e meio de cadeia.

  12. Eduardo disse:

    Podia ser em Japonês, ele não sabe ler mesmo kkkkkkkk

Publicidade

Janot pede a suspeição de Gilmar Mendes em caso de Barata Filho e Lélis Teixeira

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu nesta segunda-feira (21) ao Supremo Tribunal Federal (STF) que declare a suspeição do ministro Gilmar Mendes no caso envolvendo os empresários Jacob Barata Filho e Lélis Teixeira.

O procurador pede que todas as decisões tomadas por Gilmar Mendes no caso sejam anuladas. O pedido de suspeição e de anulação de todas as decisões serão analisado pela presidente do Supremo, ministra Cármen Lúcia.

Procurado, o ministro Gilmar Mendes respondeu: “As regras de impedimento e suspeição às quais os magistrados estão submetidos estão previstas no artigo 252 do CPP, cujos requisitos não estão preenchidos no caso”.

Na sexta, ao participar de um evento em Brasília, Gilmar questionou se ser padrinho de casamento de alguém impede um juiz de julgar um caso. “Vocês acham que ser padrinho de casamento impede alguém de julgar um caso? Vocês acham que isto é relação íntima, como a lei diz? Não precisa responder”, afirmou na ocasião.

 

G1

Comentários (3) enviar comentário
  1. Roberto disse:

    Os militares quando assumirem o país, tomara que feche esses blogs comprados.

  2. Blue disse:

    Que a ministra Carmen Lúcia não seja fraca e defira o pleito do PGR. O q esse Gilmar vem fazendo é um escárnio.

  3. SOUZA disse:

    QUALQUER pessoa, leiga ou não, já entendeu o comportamento desse Gilmar. Somente a ministra Camen Lúcia não percebe (?????). Ela vai deixar essa pessoa DESMORALIZAR o que resta do STF????

Publicidade

Temer diz que semipresidencialismo seria ‘muito útil’ ao Brasil

O presidente Michel Temer (PMDB) disse nesta segunda-feira que acha o semipresidencialismo um sistema “extremamente útil” para o Brasil e que tem discutido o assunto com os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes.

 

No regime semipresidencialista, apesar de haver um primeiro-ministro, o presidente mantém a força política. O sistema é adotado em dezenas de países pelo mundo – entre as democracias mais consolidadas do mundo, os principais são Portugal e França.

“Acho uma coisa extremamente útil para o Brasil (…). Se vai dar certo ou não, não sabemos, mas temos conversado sobre isso como uma das hipóteses muito úteis para o Brasil. Agora, vamos alongar esses estudos para verificar qual o melhor momento da sua aplicação e eficácia”, disse a jornalistas no Itamaraty, onde ofereceu almoço ao presidente do Paraguai, Horacio Cartes.

Questionado se preferia o modelo português ou o francês, Temer disse que os dois são muito semelhantes. “O presidente tem uma presença muito grande”, comentou. “Não adianta instituir um parlamentarismo em que o presidente é fraco.” Ele também preferiu não opinar sobre se o modelo deveria entrar em vigor já a partir das eleições de 2018 – para isso, o sistema teria de mudar até o final de setembro. “Aí vamos precisar conversar, porque depende de uma mudança constitucional grande. Vamos dar um tempinho.”

 

Veja

Comentários (3) enviar comentário
  1. MB disse:

    Olha quem é o guarda costas dele! kkkkkk

  2. Blue disse:

    Sem vergonha mesmo! Um velho sem vergonha na cara.

  3. Alldo disse:

    Muito útil foi o ministro Gilmar Mendes "comentar" antes, que isso, sei lá o que é isso, seria "ÚTIL" para o Brasil. Este "combinado" entre essas duas figuras não pode prestar para o Brasil. Deve ser bom para os dois.

Publicidade

Moro diz que liberou dinheiro do casal Santana por ‘lapso’ e manda bloquear novamente R$ 10 milhões

O juiz federal Sérgio Moro decidiu nesta segunda-feira (21) bloquear novamente R$ 10 milhões que pertencem ao casal de publicitários João Santana e Mônica Moura. Na sexta-feira (17), o magistrado tinha liberado o dinheiro dos empresários, mas resolveu rever a medida, após uma manifestação da Procuradoria da Fazenda Nacional.

Os advogados da União tinham argumentado que uma decisão da Justiça Federal da Bahia impedia a liberação de qualquer quantia que pertencesse ao casal. Moro, no entanto, disse que cometeu um “lapso” ao liberar o dinheiro, sem antes ter avaliado os argumentos dos advogados da União.

“Relativamente ao pleito no processo 5025087-74.2017.4.04.7000 assiste razão a Fazenda na reclamação, pois este Juízo, por lapso e diante do grande número de processos perante este Juízo, autorizou a liberação do numerário sem antes ter apreciado o requerido. Mas isso será feito em breve no processo próprio”, escreveu o juiz na decisão.

No pedido para que o dinheiro seguisse bloqueado, a Fazenda Nacional afirmou que a liberação poderia abrir a possibilidade de danos ao erário. “O sucinto relato [sobre a decisão da Bahia] é suficiente para demonstrar o descabimento da autorização de levantamento que não apenas descumpre decisão judicial, mas também gera grandes riscos para a recuperação do crédito tributário. Sendo assim, a Fazenda Nacional requer a reconsideração da decisão constante do Evento 61 de modo a sobrestar o levantamento dos mencionados dez milhões de reais”, diz trecho do pedido da Fazenda.

 

O Globo

Comentário (1) enviar comentário
  1. Blue disse:

    MOROÉMORO

Publicidade

Ministério diz que vai propor ao governo a privatização da Eletrobras

O Ministério de Minas e Energia informou nesta segunda-feira (21) que vai propor ao governo federal a privatização da Eletrobras.

Em comunicado enviado à imprensa, o ministério diz que comunicou a Eletrobras nesta terça que proporá ao conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) a “redução da participação da União” no capital da estatal.

Hoje a União tem 51% das ações ordinárias (com direito a voto) e fatia de 40,99% no capital total da Eletrobras;

Além disso, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e seu braço de investimentos, o BNDESPar, têm, juntos, 18,72% do capital total da empresa;

O PPI é colegiado que trata de privatizações e concessões dentro do governo Michel Temer.

Ao jornalista da GloboNews Valdo Cruz, o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, disse que a proposta é que a participação da União na Eletrobras caia para 47% e que a expectativa é de arrecadar cerca de R$ 20 bilhões com a operação.

Segundo o ministro, será feito um aumento de capital da estatal na qual o governo não irá participar e, consequentemente, terá a participação reduzida.

Também no comunicado, o ministério aponta que, por conta da crise econômica e da situação das contas públicas, não há hoje “espaço para elevação de tarifas nem para aumento de encargos setoriais”, e que “não é mais possível transferir os problemas para a população.”

“A saída está em buscar recursos no mercado de capitais atraindo novos investidores e novos sócios. O governo permanecerá como acionista, recebendo dividendos ao longo do tempo. A empresa passará a dar lucro e não prejuízo, o que beneficiará estados e municípios com o aumento na arrecadação de impostos”, diz o comunicado.

O texto diz ainda que “a União manterá poder de veto na administração da” Eletrbrás “garantindo que decisões estratégicas no setor sejam preservadas, tais como os encargos setoriais da CDE e o financiamento de projetos de revitalização do Rio São Francisco.

 

G1

Comentários (4) enviar comentário
  1. Ceará-Mundão disse:

    Se for concretizada será uma das maiores realizações do Temer. Essas estatais são sumidouros de dinheiro público, antros de corrupção. A iniciativa privada sabe gerenciar muito melhor e o povo brasileiro não será mais roubado pelos governantes de plantão. Vamos usar o dinheiro dos nossos impostos para aquilo que o Estado deve fazer e fazer bem feito: saúde, educação, segurança e investimentos em infraestrutura. O resto, melhor entregar à iniciativa privada. Lembremos do que ocorreu com a telefonia. Como estaríamos hoje se esse setor ainda estivesse na mão de uma estatal corrupta e ineficiente?

  2. Val Lima disse:

    Aproveita,e vende tb os Correios….Pense num serviço ruim…

  3. Junior disse:

    E não já tem o comprador não é????? O arrumado é grande, assim como já tinha a CAERN aqui na província…..bocado de cabra ruim, só tenho pena de meus filhos pequenos!!!!! Já falei pra eles não colocarem filhos neste mundo miserável!!!

  4. Mauricio disse:

    O paradoxo das privatizações é que a compra da maioria das companhias é feita por estatais chinesas. Isso se difundindo pelo mundo inteiro.

Publicidade