Presos do AM pretendiam cometer atentados a bomba após massacre

G1

Uma das facções criminosas que atuam nos presídios de Manaus pretendia cometer atentados a bomba contra autoridades do Amazonas. O plano de integrantes da facção foi descoberto pelo setor de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP-AM) e obtido com exclusividade pela GloboNews. Desde o dia 1º de janeiro, o sistema prisional do estado registrou fuga de mais de cem presos, rebeliões e um massacre que resultou em mais de 50 mortes. A SSP e o MP-AM não quiseram comentar o assunto.

Segundo a GloboNews, o grupo pretendia cometer atentados contra promotores e o Secretário de Segurança Pública do Amazonas, Sérgio Fontes. A reportagem teve acesso ao relatório da Inteligência da secretaria comandada por Fontes.

O documento mostra que os agentes haviam descoberto que a rebelião que terminou com a morte de 56 presos no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) era o primeiro passo de um plano muito maior do grupo.

Publicidade

Comentários:

  1. Auri disse:

    AS INCOPENTETES AUTORIDADES NÃO OBSEVARAM AINDA A DIMENSÃO, A MAGNITUDE, A EXTENSÃO E A ENVERGADURA DO CRIME ORGANIZADO NO BRASIL. ESTÃO AGINDO COM MUITA IRRESPONSABILIDADE, NEGLIGÊNCIA, INFANTILIDADE E AMADORISMO. ACORDA BRASIL!