Publicidade

Financiamentos do governo Dilma: R$ 50,5 bilhões para Cuba, Argentina, Moçambique e Angola, punindo programas sociais

ClFnLPsWMAArHc8Ronaldo Caiado apresentou, nesta quinta-feira(16), na comissão do impeachment, uma tabela com financiamentos do governo brasileiro para países como Cuba, Argentina, Moçambique e Angola. Total? R$ 50,5 bilhões.

“O governo penalizou programas sociais e priorizou empréstimos externos.”

Eis a tabela de Caiado com os valores dos empréstimos concedidos pelo governo Dilma aos parceiros:

Angloa – R$ 14 bilhões

Venezuela – R$ 11 bilhões

República Dominicana – R$ 8 bilhões

Argentina – R$ 7,8 bilhões

Cuba – R$ 3 bilhões

Peru – R$ 2 bilhões

Moçambique – R$ 1,5 bilhão

Guatemala – R$ 980 milhões

Equador – R$ 795 milhões

Gana – R$ 755 milhões

Honduras – R$ 507 milhões

Costa Rica – R$ 155 milhões

O Antagonista

Comentários (5) enviar comentário
  1. paulo disse:

    Enquanto no Brasil o povo sofrendo nas filas dos hospitais.

  2. Joa disse:

    Sobra muita margem pra diminuir impostos. Imposto pra gastar com funcionario publico maraja, MST, UNE, Artista que fica vendo a banda passar, rei angolano, corrupcao e ditaduras tem. Pra serviços basicos nao. é pra isso que Cabral que descobriu o Brasil quer a volta do PT?

  3. Val Lima disse:

    Com a palavra os "bolivarianos de plantão"…rs

  4. Moreira disse:

    Somos um país muito "generoso" !

  5. Nice disse:

    O Brasil é muito rico viu…. há se surgisse pessoas verdadeiramente compenetradas em fazer bom e honesto uso dessas riquezas, teríamos mais igualdade nesse país tão devastado de CORRUPTOS SAFADOS DOS INFERNOS!!

Publicidade

OLIMPÍADAS: Brasil, Argentina, México e Japão serão cabeças de chave no futebol

No feminino, seleção brasileira fica no pote 1 com Alemanha e Estados Unidos. Sorteio será realizado no Maracanã, na próxima quinta-feira, às 10h30

A Fifa divulgou nesta sexta-feira a divisão dos potes para o torneio de futebol das Olimpíadas do Rio de Janeiro. Além do anfitrião Brasil, Argentina, México e Japão serão cabeças de chave na competição masculina. No feminino, a seleção brasileira está no pote 1 com Alemanha e Estados Unidos. O sorteio será realizado na próxima quinta-feira, no Maracanã, às 10h30 (de Brasília).

Entre os homens, há mais três potes, com quatro equipes em cada um. No segundo estão Nigéria, Coreia do Sul, Honduras e Iraque; no terceiro, Suécia, Fiji, Portugal e África do Sul; e no quarto Argélia, Colômbia, Dinamarca e Alemanha. No torneio feminino, cada pote tem três times, estando no segundo França, Austrália e Suécia; no terceiro, Canadá, China e Nova Zelândia; e no quarto, Colômbia, África do Sul e Zimbábue.

De acordo com a entidade máxima do futebol, a divisão entre os potes do torneio masculino se deu através de um ranking baseado na performance das seleções nas últimas cinco edições dos Jogos Olímpicos. As edições mais recentes têm peso maior, e os times que se classificaram como campeões continentais tiveram um bônus na pontuação. Entre as mulheres o critério foi a última edição do ranking da Fifa, divulgado em 25 de março.

As seleções masculina e feminina do Brasil já têm posição definida no sorteio por serem anfitriãs: os grupos A e E – os primeiros de cada torneio. Duas seleções pertencentes à mesma confederação não poderão ficar no mesmo grupo – o que já tira do caminho brasileiro a Colômbia, em ambas as competições.

Globo Esporte

enviar comentário
Publicidade

Argentina, também, sem energia, pede os Megawatts de volta

Está feia a coisa. Na semana passada, o Brasil pediu à Argentina alguns Megawatts (MW) emprestados para evitar apagões. Nesta semana foi a vez da Argentina pedir os MW de volta para socorrer o seu mais do que combalido parque gerador.

Pelo menos é o que se entende de um relatório feito pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico. Diz o ONS:

– Houve intercambio internacional do Brasil para a Argentina, por solicitação da Cammesa (operador da Argentina) em tempo real, das 15h05 às 17h14, no valor de 200 MW, em função da redução não programada de disponibilidade de geração naquele país.

Como se vê, o ONS evitou falar uma linguagem direta, admitindo que houve falta de geração na Argentina, preferindo o sofisma de “redução não programada de geração”…

Por Lauro Jardim, Veja

Comentários (2) enviar comentário
  1. Tiago Dutra disse:

    Importação e exportação de energia elétrica são comuns e frequentes entre sistemas interligados, de acordo com as demandas temporárias de cada um. Só no Brasil, no entanto, o fato vira manchete na imprensa. E apenas quando o Brasil é o país importador.

    Apesar de ser comum países vizinhos partilharem suas redes, a exemplo de Estados Unidos e Canadá, a importação brasileira foi logo vinculada ao 'apagão', pela imprensa, e justificada pelos jornais pelo fato de o Brasil não ter energia suficiente para suprir o consumo brasileiro.

  2. Pedro Paulo disse:

    Assim como fez o Brasil na semana passada, que importou 165 MW médios de energia elétrica do país vizinho, a Argentina importou ontem do sistema brasileiro 200 MW médios, de acordo com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS); o fato, no entanto, não foi noticiado por nenhum veículo da imprensa; é comum que sistemas interligados de países vizinhos importem e exportem energia de acordo com demandas temporárias de cada um, mas apenas por aqui, e só quando o Brasil importa, o fato vira manchete.

Publicidade

ARGENTINA: Promotor não tinha pólvora nas mãos, mas investigação não descarta suicídio

O exame para rastrear pólvora nas mãos de Alberto Nisman, o promotor encontrado morto em seu apartamento em Buenos Aires, deu negativo.

Segundo a promotora encarregada de investigar o caso, Vivian Fein, como a arma era de pequeno calibre, pode ser que ele mesmo tenha efetuado o disparo, mas que isso não tenha deixado partículas de pólvora suficientes para serem detectadas pelo exame.

Numa entrevista a uma rádio, Fein reafirmou que, pela autópsia, não há dúvidas de que ele é o autor do disparo.

“O resultado do varrimento das mãos do Nisman lamentavelmente deu negativo, mas não era um resultado inesperado. O calibre da arma é pequeno e usualmente não permite que o varrimento dê positivo. Isso não descarta que ele tenha disparado e o resultado da autópsia confirma isso de maneira categórica.”

Ela informou também que a arma pertencia a um empregado que trabalhava com Nisman desde 2007 na área de informática da promotoria. “Era um técnico de informática, uma pessoa próxima, que trabalhou anos com Nisman”, explicou. Não foi achada nenhuma outra arma no apartamento.

BILHETE DE COMPRAS

A família de Nisman encontrou um bilhete com uma lista de compras que a empregada doméstica deveria fazer na segunda (19). Sua morte foi confirmada justamente na madrugada desse dia.

Um primo de segundo grau de Nisman revelou ter encontrado o bilhete ao presidente de uma entidade da comunidade israelita, Jorge Kirszenbaum.

Kirszenbaum, que diz estar em contato com parentes de Nisman, diz que a família não cogita a possibilidade de suicídio. Tios e primos do promotor publicaram um anúncio de falecimento nos jornais e escreveram que a morte era injusta.

O representante da comunidade israelita também revelou a última foto que Nisman tirou: mostra a imagem dos documentos que ia usar no seu depoimento no Congresso, marcado para a segunda (19) e que não chegou a acontecer.

O CASO

O promotor argentino Alberto Nisman, 51, foi encontrado morto na noite de domingo (18).

Ele havia acusado a presidente Cristina Fernández de Kirchner de encobrir os autores do ataque à Associação Mutual Israelita Argentina (Amia), que deixou 85 mortos e 300 feridos em 1994.

Ele foi encontrado por sua mãe e por policiais que faziam sua escolta baleado com um tiro na têmpora dentro do banheiro de seu apartamento em Puerto Madero, bairro nobre da cidade de Buenos Aires.

Ao seu lado, estava um revólver calibre 22 com que ele teria se matado, segundo Viviana Fein, a promotora que investiga o caso.

Fein afirma que o laudo da autópsia revelou que “não houve intervenção de terceiras pessoas”, embora ela não descarte a possibilidade de um “suicídio induzido”. A promotora ainda investiga de quem seria o revólver usado por Nisman para se matar.

Nisman apresentaria na segunda (19) ao Congresso argentino as provas da denúncia que envolve, além da presidente, o chanceler Hector Timerman e outros aliados da Casa Rosada.

Eles são acusados de negociar um acordo com Teerã para que os suspeitos iranianos do atentado à Amia não fossem investigados.

Em 2013, os dois países assinaram um entendimento para que os suspeitos fossem interrogados na capital iraniana, o que os favoreceria.

Folha Press

Comentário (1) enviar comentário
  1. Souza disse:

    A prática de se livrar de um problema através de assassinato, está se alastrando pela América do Sul…

Publicidade

PENOU TAMBÉM: Argentina sofre, mas vence Suíça com gol no segundo tempo da prorrogação

thumb(Foto: Juan Mabromata/AFP)

A Argentina sofreu, suou muito, mas conseguiu vencer a Suíça na prorrogação, por 1 a 0, com gol de Di María, na tarde desta terça-feira, em São Paulo. Com a vitória nas oitavas, a Albiceleste avançou às quartas de final da Copa. Com apoio da torcida brasileira presente no estádio, os helvéticos tiveram boas chances de balançar a rede, mas vacilaram e acabaram derrotados, fora do Mundial. O público, aliás, foi um dos maiores destaques do jogo, já que foi o maior da Arena Corinthians na Copa.

O adversário dos hermanos na próxima fase sai do confronto entre Bélgica x Estados Unidos. O jogo das quartas será realizado no sábado, às 13h, em Brasília.

A Argentina tomou a responsabilidade de tomar conta do jogo no primeiro tempo. Mesmo sem brilho, os hermanos chegaram mais vezes ao gol adversário. Não houve, porém, chances claras de gol para a Albiceleste, que tinha Messi apagado. La Nati abusou das faltas para frear o ímpeto dos sul-americanos até os 25 minutos. Depois, a Suíça passou a chegar com mais perigo. Os helvéticos, aliás, tiveram as duas melhores oportunidades no primeiro tempo, com Xhaka e Drmic, em jogadas criadas pelo habilidoso e criativo Shaqiri. Este último, aliás, ficou cara a cara com o goleiro Romero, mas tentou, sem sucesso, encobrir o camisa 1. Com Messi e Lavezzi bem marcados, o primeiro tempo terminou no 0 a 0.

ARGENTINA VOLTA NA PRESSÃO

Depois de um primeiro tempo sem criar boas oportunidades de gol, a Argentina voltou mais disposta a furar o bloqueio suíço, com Messi mais presente. Rojo e Higuaín chegaram perto de marcar, mas não conseguiram passar por Benaglio. O gol parecia ser uma questão de tempo, porém os helvéticos conseguiam se segurar, na expectativa de um contra-ataque fatal. O jogo, então, virou uma espécie de ataque, da Argentina, contra defesa, da Suíça, com muita participação da torcida. Enquanto os brasileiros apoiavam os europeus, os argentinos gritavam alto em apoio à seleção. Contudo, sem inspiração de ambas as partes, o jogo caminhou para a quase sempre dramática prorrogação.

MAIS 30 MINUTOS DRAMÁTICOS E UM GOL

Não bastassem os mais de 90 minutos de muita emoção, a partida teve ainda uma prorrogação dramática. Com muita raça e entrega, a Argentina buscava o gol, mas sem desorganização nas defesa. O curioso é que, como a Suíça tocava a bola para gastar o tempo e levar a decisão para os pênaltis, a torcida brasileira passou a gritar ‘Olé’, para irritação dos argentinos, que passaram a descontar no habilidoso Shaqiri.

O segundo tempo da prorrogação foi marcado pelo desgaste físico dos jogadores. Messi e Shaqiri, cada um do seu lado, chamavam o jogo naquela altura. Coube, então, ao camisa 10 da Argentina o papel de protagonista novamente. Aos 12 minutos do segundo tempo da prorrogação, Messi achou Di María livre na ponta direita. O meia chutou cruzado e fez o gol da vitória: 1 a 0, suado e sofrido. No fim, Dzemaili quase empatou, com uma cabeçada na trave. A bola ainda voltou e bateu na perna dele, mas foi para fora, para alívio de toda a Argentina.

FICHA TÉCNICA:

ARGENTINA 1 X 0 SUÍÇA

DATA/HORA: 1/7/2014, às 13h
ESTÁDIO: Arena Corinthians, São Paulo (SP)
ÁRBITRO: Jonas Eriksson (SWE)
AUXILIARES: Mathias Klasenius (SUE) e Daniel Warnmark (SUE)
PÚBLICO: 63.255
CARTÕES AMARELOS: Xhaka e Fernandes (SUI); Rojo e Di María (ARG)
GOL: Di María, aos 12’/2°T da prorrogação

ARGENTINA: Romero, Zabaleta, Garay, Fede Fernández e Rojo (15’/1°T da prorrogação); Mascherano, Gago (Biglia, intervalo da prorrogação) e Di María; Lavezzi (Palacio, 28’/2°T), Messi e Higuaín. Técnico: Alejandro Sabella

SUÍÇA: Benaglio, Lichtsteiner, Djourou, Schär e Ricardo Rodriguez; Behrami, Inler, Xhaka (Fernandes, aos 20’/2°T), Mehmedi (Dzemaili, aos 7’/2°T da prorrogação) e Shaqiri; Drmic (Seferovic, aos 36’/2°T). Técnico: Ottmar Hitzfeld

Lance

enviar comentário
Publicidade

Invicta, Argentina avança em 1º com Messi artilheiro; Bósnia derrota o Irã e ambos se despedem

Na melhor apresentação da Argentina nesta Copa do Mundo, Lionel Messi marcou duas vezes nesta quarta-feira na vitória sobre a Nigéria, por 3 a 2, em um Beira-Rio vestido de azul e branco, em Porto Alegre, e garantiu aproveitamento 100% de sua seleção, terminando na primeira colocação no Grupo F. Apesar da derrota, o time africano também avançou às oitavas de final.

A Argentina terminou a primeira fase da Copa com nove pontos, repetindo a sequência vitoriosa de Colômbia e Holanda, à frente da segunda colocada Nigéria, que ficou com quatro pontos. A Bósnia ficou com três, ao vencer o Irã, que terminou com apenas um ponto.

De quebra, a seleção argentina tem agora um dos artilheiros da Copa. Com os dois desta quarta-feira, Messi acumula quatro gols, empatando com Neymar. Ele também foi o primeiro jogador da sua seleção a marcar quatro gols seguidos – um na estreia, outro no segundo jogo e dois contra a Nigéria – desde Maradona, em 1986.

Além da exibição do craque, os cerca de 20 mil argentinos que compareceram ao Beira-Rio puderam assistir a um jogo eletrizante, principalmente no início dos dois tempos. Foram dois gols no começo de cada etapa e bons lances ofensivos dos dois lados.

Em festa no Beira-Rio, a empolgada torcida argentina contribuiu para pintar de azul e branco o reduto vermelho do Internacional, que teve que aceitar as cores do arquirrival Grêmio dominando nas arquibancadas do seu estádio.

Nas oitavas de final, a Argentina vai cruzar com o segundo colocado do Grupo E, possivelmente Suíça ou Equador, no dia 1º de julho, no Itaquerão, em São Paulo. E a Nigéria duelará com o líder desta mesma chave, cuja favorita é a França, em 30 de junho, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília.

Sem esforço, Bósnia derrota o Irã e ambos se despedem

O Irã bem que tentou, mostrou-se valente nas partidas contra Nigéria e Argentina e complicou para ambas, mas confirmou-se como uma das seleções mais fracas da Copa do Mundo nesta quarta-feira. Mesmo diante de uma Bósnia-Herzegovina desanimada e desinteressada, que entrou em campo já eliminada, os asiáticos mal levaram perigo e foram dominados. Melhor para os bósnios, que aproveitaram as poucas chances que tiveram para vencer por 3 a 1, na Arena Fonte Nova, em Salvador, e voltarão para casa podendo celebrar ao menos seu primeiro triunfo na história dos Mundiais.

Além disso, a Bósnia deixou a lanterna do Grupo F nas mãos do Irã – três pontos contra um -, mas a classificação à próxima fase ficou com Argentina e Nigéria. Nesta quarta, os bósnios nem forçaram muito, até porque já não tinham grandes pretensões, mas fizeram o suficiente para vencer. Os iranianos até tentaram algo diferente em busca de uma improvável classificação, foram para cima no segundo tempo, mas aí deixaram exposta toda a fragilidade técnica de uma seleção que se destacou somente pelo empenho nesta Copa.

A partida desta quarta ainda encerrou a sequência de grandes confrontos na Arena Fonte Nova, que havia recebido alguns dos melhores jogos do Mundial (Espanha 1 x 5 Holanda, Alemanha 4 x 0 Portugal e Suíça 2 x 5 França), mas ao menos manteve a alta média de gols em Salvador: são 21 em quatro partidas. Talvez se soubessem que o duelo manteria a chuva de gols na capital baiana, mais torcedores tivessem ido ao estádio. Foram apenas 48.011, na pior marca da arena nesta Copa.

 

Agência Estado

enviar comentário
Publicidade

Pudim com cocaína do Carrefour argentino causa furor nas redes sociais

 Os pudins comercializados pela marca Carrefour na Argentina com a menção “cocaína: 12 gramas” na lista de ingredientes exposta na embalagem movimentou as redes sociais nesta segunda-feira (6).

Com mais de 500 lojas na Argentina, o grupo francês pediu desculpas a seus clientes, alegando que “houve uma adulteração na etiqueta”.

“Foi uma brincadeira de mau gosto por parte de um funcionário da empresa que fornece os pudins da nossa marca”, explicou a empresa, em um comunicado.

“Desejamos transmitir tranquilidade aos nossos clientes, garantindo-lhes que não existe nenhum componente estranho nos pudins marca Carrefour como se mencionou nas redes sociais”, insistiu a rede.

A empresa reagiu tarde demais. “Do céu, Pablo Escobar deve ter pensado: por que não pensei nisso antes”, ironizou Gustavo Ramírez, no Facebook.

“Você quer se drogar barato? Compre pudim no Carrefour que vem com 12 gramas de cocaína”, escreveu Bel, no Twitter.

“Vem com surpresa: furor nas redes sociais pelo pudim com cocaína do Carrefour”, tuitou Mexofin.

Já Daniel Litovsky deu uma outra sugestão: “se você compra um pudim que diz que tem 12 gramas de cocaína e depois não tem, o Carrefour deveria indenizar você por venda enganosa”.

Folha

enviar comentário
Publicidade

HORROR: Ataque de piranhas na Argentina deixa 60 feridos; bebê teve fratura exposta

Mais de 60 pessoas ficaram feridas em um ataque de piranhas em Rosário, na Argentina, dentre elas uma menina de sete anos que teve parte de seu dedo amputado e um bebê que sofreu fratura exposta. A maior parte dos ferimentos, no entanto, foi de mordidas nos braços e pernas. As autoridades montaram uma operação para evitar que outros banhistas desavisados entrassem na água ao longo do dia.

O ataque de piranhas-vermelhas e da espécie Serrasalmus spilopleura aconteceu ao meio-dia em uma praia no rio Paraná, ao longo de um calçadão em Rosário – que na hora do ataque registrava de 38 graus. Segundo especialistas, as piranhas são bastante comuns no local, mas costumam ficar mais agressivas durante períodos de altas temperaturas. Os animais são carnívoros e costumam ser atraídos por sangue ou ferimentos. Alguns chegam a atacar a própria espécie.

O Globo

enviar comentário
Publicidade

Argentina e Cuba desenvolvem vacina para combater câncer de pulmão

Cientistas e pesquisadores argentinos e cubanos desenvolveram uma vacina que ajuda a combater o câncer de pulmão. O medicamento, resultado de 18 anos de pesquisa, começa a ser comercializado na Argentina em julho. Laboratórios de 25 países, entre eles o Brasil, México e Uruguai estão interessados em obter a licença de fabricação.

“A vacina reativa o sistema imunológico do paciente, para que ele possa criar anticorpos contra as células cancerígenas”, explicou, em entrevista a Agência Brasil, o médico Daniel Alonso, um dos pesquisadores argentinos. “Não substitui tratamentos existentes, como quimioterapia ou radioterapia. Mas contribui para aumentar a sobrevida do paciente”, disse.

Segundo Alonso, a maioria dos pacientes só descobre que tem a doença quando o câncer no pulmão está em estado avançado. Como os tumores são provocados por células do próprio organismo, que sofreram mutação, o sistema imunológico não detecta um corpo estranho e, portanto, não reage. Os médicos usam quimioterapia e radioterapia para matar as células cancerígenas, mas os dois tratamentos também destroem outros tecidos.

O câncer de pulmão é um dos mais agressivos e mata 1,38 milhão de pessoas por ano no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). A vacina foi desenvolvida por um consórcio de empresas privadas e do setor público, da Argentina e de Cuba.

Da Agência Brasil

enviar comentário
Publicidade

Denúncias sobre Bergoglio dividem opiniões na Argentina

Para os moradores da  favela Villa 31, no centro de Buenos Aires, Mario Jorge Bergoglio é austero e humilde – um homem talhado para ser o papa dos pobres. Ele é comparado ao padre Carlos Mujica, que trabalhava nos bairros mais carentes da capital argentina e foi metralhado pela repressão na década de 1970. Seu corpo foi enterrado na Capela Cristo Operário, que ele inaugurou na Villa 31.

“Eu me lembro do dia em que trouxeram o corpo do padre Mujica, do Cemitério da Recoleta, para ser enterrado aqui. Levamos o caixão por estas ruas e conosco estava Bergoglio, que rezou missa por ele”, contou, em entrevista à Agência Brasil, Saul Sanchez, padeiro da favela. “Mujica e Bergoglio são parecidos – os dois são o que chamamos de curas villeros (padres favelados). Quando ainda era arcebispo de Buenos Aires, Bergoglio vinha aqui e tomava mate conosco. Nos visitava pelo menos duas vezes ao ano”.

Na Argentina, as opiniões sobre Bergoglio são divididas. Pesa sobre ele a suspeita de que foi conivente com a última ditadura (1976-1983), responsável pela morte ou o desaparecimento de cerca de 30 mil opositores. A denúncia foi feita pelo jornalista Horacio Verbitsky, no livro O Silêncio, sobre o papel da Igreja Católica no regime militar.

Presidente do  Centro de Estudos Legais e Sociais (Cels) – uma organização não governamental (ONG) de defesa dos direitos humanos –, Verbitsky ouviu os jesuítas Orlando Yorio e Francisco Jalics. Os dois foram sequestrados em 1976 e levados a um centro de tortura clandestino, que funcionava dentro da Escola Mecânica da Armada – a temida Esma. As denúncias são de que muitos dos torturados na Esma acabaram sendo jogados vivos, de aviões, no Rio da Prata – nos chamados voos da morte. Os dois sacerdotes foram soltos depois de cinco meses e Yorio acusou Bergoglio de ser o responsável pela prisão e tortura que ambos sofreram. (mais…)

Comentário (1) enviar comentário
  1. pedro vidal disse:

    Em republiquetas de bananas é isso mesmo.Quando alguem se destaca,e como

Publicidade

Justiça argentina condena à prisão perpétua 5 agentes da ditadura

A Justiça argentina condenou nesta terça-feira o último presidente da ditadura militar (1976-1983), Reynaldo Bignone, e o ex-comandante Santiago Omar Riveros à prisão perpétua por delitos cometidos contra 23 vítimas, entre elas sete mulheres grávidas que tiveram seus filhos em maternidades clandestinas.

O julgamento de 25 acusados de crimes realizados pela Operação Condor começou no último dia 5. É a primeira vez que repressores são julgados em conjunto por cooperarem na perseguição e assassinato de opositores nas décadas de 1970 e 1980. Segundo cálculo dos magistrados do tribunal, o julgamento terá a duração de pelo menos dois anos; serão ouvidas cerca de 500 testemunhas.

As figuras mais importantes do último governo militar, entre elas o ex-ditador Jorge Rafael Videla, estão presas e condenadas. Os processos também continuam avançando em tribunais do interior da Argentina. Recentemente, a Justiça de La Rioja confirmou a cumplicidade da Igreja Católica com os militares durante os anos de chumbo. (mais…)

enviar comentário
Publicidade

Cristina Kirchner chega hoje em Cuba para visitar Hugo Chávez

Hugo Chavez, Cristina Fernandez

A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, chegará nesta sexta-feira (11) a Havana para saber sobre o estado de saúde de seu colega e amigo, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, informou o governo argentino.

“Cristina Kirchner parte depois da meia-noite em direção a Havana, onde o presidente da Venezuela se recupera de uma intervenção cirúrgica, e depois realizará um giro por Oriente Médio e Oriente”, segundo o comunicado publicado no site do governo argentino.

A presidente havia instruído seu chanceler, Héctor Timerman, a se dirigir a Caracas representando o país na cerimônia em apoio a Chávez, que contou com a presença de outros presidentes da região, entre eles o uruguaio José Mujica e o boliviano Evo Morales.

Fonte: Globo

enviar comentário
Publicidade