Publicidade
Publicidade
Publicidade

FOTO: Carro cai em buraco na Prudente de Morais

IMG-20140514-WA0006Reprodução Instagram

Um motorista caiu em buraco na Avenida Prudente de Morais nesta quarta-feira(14), e terá que calcular seus prejuízos pela falta de sinalização da cratera. Informações dão conta que um outro motorista  também acabou sendo surpreendido horas antes.

Comentários (3) enviar comentário
  1. Carvalho disse:

    E essa turma ainda diz que a cidade está preparada para a Copa

  2. ana maria disse:

    A Prefeitura de Natal, deve, sim, pagar o "CONSERTO " do veículo e não o "CONCERTO" , uma vez que, o cara, não fez nenhum show em Natal.

  3. Josiberto disse:

    Engraçado, que o carro é de Afrânio Amorim, fiel escudeiro do Prefeito Carlos Eduardo e membro antigo e fiel do PDT.

Publicidade

Agentes penitenciárias encontram buraco em cela da Cadeia Feminina de Parnamirim

Agentes penitenciárias da cadeia feminina de Parnamirim encontraram nesta segunda-feira (14), um buraco na parede da cela 2, que poderia ter provocado uma fuga em massa. De acordo com a direção do presídio, tudo indica que as presas passaram o fim de semana, ou até mais tempo, abrindo a parede que dá acesso ao pátio. No local estavam 48 presas, que foram transferidas para a cela 1.

Informações dão conta que o plano de fuga tinha a participação de oito mulheres, que ameaçaram as demais em caso de revelação. No local ainda foram apreendidas uma “Teresa”, remendo de panos para criação de cordas, além de pedaços de ventilador usados para abertura do buraco.

 Segundo a direção da Cadeia, ao todo, 128 mulheres estão detidas no local.

Comentário (1) enviar comentário
  1. Luciana Morais Gama disse:

    Bruno, como eh que esse pessoal consegue esconder a areia que tira do buraco??

Publicidade

NASA descobre um buraco de 50 Terras próximo do pólo norte do Sol

sol-buraco-coronalO Observatório Solar e Heliosférico (SOHO), da NASA, fez uma incrível descoberta. Através de análises de imagens capturadas, a agência concluiu que existe um buraco coronal na superfície do Sol. Seu tamanho é imenso e cobre boa parte da nossa estrela. Para que você entenda, é como se o buraco fosse equivalente a 50 planetas Terra localizados um do lado do outro.

Apesar de “assustador”, não temos nada para nos preocupar. Buracos coronais ocorrem a cada 11 anos, como um tipo de ciclo solar que chega ao fim quando o sol atinge o seu “máximo” – um evento que ocorre regularmente, onde os campos magnéticos se intensificam e buracos coronais aparecem próximo dos pólos.

Esses buracos são, na verdade, regiões de baixa densidade, geralmente escuras, localizadas na parte mais externa da atmosfera da estrela. Eles contêm pouco material proveniente do Sol e são significativamente mais frios do que tudo a sua volta.

De acordo com comunicado oficial da NASA, buracos coronais podem influenciar algumas auroras na Terra.

R7

Comentários (3) enviar comentário
  1. Sales freitas disse:

    Como é que eu vou viver após o esfriamento do sol?

  2. Maurício Giovani disse:

    Isso daí nada mais é do que a constatação de que o sol está acabando aos poucos e um dia, sua energia se extinguirá. Talvez, os fanáticos ambientalistas alarmadores do caos climático terrestre, em busca de publicidade baseada em pesquisas que nem sempre correspondem à verdade, digam que a culpa é do efeito desestufa, pois se acham que o efeito estufa está aquecendo a terra excessivamente, o que dizer do sol que já é bem quentinho desde nascença e agora está esfriando um pouquinho? Com a palavra, os ambientalistas de plantão.

    • francisco das c a costa disse:

      DEUS É GRANDE E FOI O ARQUITETO DESTE IMENSO UNIVERSO, PORTANTO, OS QUE ESTUDAM A METEOROLOGIA, A FISICA ETC TAL, NÃO PRECISAM SE PREOCUPAREM, DEUS É PERFEITO, E NADA OCORRERÁ SEM A SUA AUTORIZAÇÃO, QUE DEUS ILUMINE AS MENTES ILUMINADAS, QUE PENSAM QUE SABE TUDO.KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK. "TENHAM CUIDADO SÓ COM O OLHO QUE ESTÁ NO CENTRO DESTA FOTO, OBAMA ESTAVA ESPIONANDO O BRASIL, ESSE OLHO ESPISIONA TODO UNIVERSO.

Publicidade

Soldado cai em túnel em Alcaçuz que serviria para fuga em massa

Não é brincadeira, Jacson Damasceno narra mais essa “pegadinha” em Alcaçuz,

Ontem por volta das 23:00h uma fuga foi evitada em Alcaçuz de forma inusitada.

Um soldado caminhava pelo lado de fora do presídio a fim de render o colega que estava na guarita 4, quando o chão sob ele cedeu. O PM pisou no que seria apenas uma “capa” de areia na saída de um túnel para a fuga de detentos.

A fonte me informou que o túnel é tão grande e profundo que o foi preciso chamar o Corpo de Bombeiros para retirar o militar. Uma ambulância do Samu também foi solicitada porque o policial ficou lesionado. Homens do Batalhão de Operações Especiais (Bope) estão cercando presídio para evitar um motim.

O túnel já estava prontinho, passando do muro já uns cinco metros. A entrada era no pavilhão 4, onde segundo os militares haveria uma fuga em massa, provavelmente nesta madrugada.

*Uma curiosidade: No submundo do sistema penitenciário se calcula a quantidade de presos que iriam fugir pelas proporções do túnel. Porque pela regra das cadeias, só pode fugir quem trabalhou na escavação do túnel. Um Pelé que não tenha se esforçado e tente fugir é executado sumariamente. Então se os agentes encontram um túnel muito grande, significa que muitos homens trabalharam na escavação. Por consequência, muitos teriam o direito de escapar.

enviar comentário
Publicidade

Buracos em Natal: quando uma imagem realmente fala mais que mil palavras

Fotos: twitter de George Gosson

 

As imagens foram publicadas há pouco no twitter e são de uma caçamba tombada graças à buraco existente na via pública, na avenida Amintas Barros, bairro de Nova Descoberta.

enviar comentário
  1. Crissilva disse:

    Estas são as imagens que temos para mostrar de uma cidade que se prepara para copa?
    Novo Piscinão de Candelária, um empreendimento PREFEITURA DO NATAL, se você olhar, você vai ver….. KKKKKKKKKKKKKKK
    A PREFEITA PROPOCIONANDO ALEGRIA PARA POPULAÇÃO DE CANDELÁRIA, VERGONHA !!!!!

Publicidade

Caern vai realizar trabalho de reposição do asfalto ainda este mês

Como em todos os anos, o período de chuva chega e traz consigo os transtornos. A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern), preocupada com esses problemas, já corriqueiros ao período, irá promover ações para identificar os serviços que precisarão ser realizados. Para isto, motociclistas serão utilizados na realização de rondas, fazendo um breve levantamento dos problemas relacionados. Buracos provocados pela pavimentação terão atenção especial.

Lamarcos Teixeira, gerente da Regional Natal Sul, afirma que o principal objetivo da ação é agilizar o trabalho de reposição do asfalto, “É preciso ser mais ágil nas ações de pavimentação para que seja, também, mais rápido o trabalho de asfaltamento”, diz. A ação visa mutirões pelas prestadoras de serviço Canteiros, na pavimentação, na manutenção dos sistemas de esgotamento sanitário estará atuando, a Construtora Resolve e a Construtora Reta, especializada em construtores, de forma a “zerar” a atual demanda diminuindo assim o acúmulo, principalmente neste período de chuva.

Um funcionário, por zona, sairá na moto a cada sábado, até que acabe o período chuvoso, para fazer o levantamento das ocorrências. A partir de agosto, quando se encerra o período chuvoso, o trabalho será realizado no último sábado de cada mês. Por não necessitar ser usinado, podendo ser estocado, a alternativa encontrada pela Companhia para tornar o trabalho mais rápido, foi a utilização do asfalto ecológico, essencial em situação de emergência. Após um dia de chuva o novo asfalto já pode ser aplicado, sem que necessite de uma espera de 72 horas, como no caso do asfalto comum para que seja realizado o serviço de recapeamento. Vale ressaltar que a Companhia tem procurado alternativas para minimizar o impacto para a população, sendo o asfalto ecológico uma destas opções.

A demora na realização de consertos nem sempre se encontra na execução do serviço. Segundo Lamarcos, a população nem sempre entra em contato com a empresa assim que percebe o problema, o que dificulta o acesso da Caern à situação.  “A empresa precisa analisar o problema, a área, verificar as condições de trânsito no local para enviar uma solicitação ao órgão competente, caso precise interditar o local, para dar início ao serviço”, explica.

Ao verificar um problema do tipo, a população pode entrar em contato através do número 115, registrando assim a ocorrência.

enviar comentário
Publicidade

Buraco na Felizardo Moura provoca congestionamento na Zona Norte

Um buraco em um canteiro localizado na Avenida Felizardo Moura, sentido Zona Norte-Centro, provocou uma baixa na via e contribuiu para a formação de um congestionamento iniciado desde as primeiras horas desta quarta-feira (20).

Em contato com Teresa Cristina Vieira Pires, titular da Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semopi), ela revelou que não tinha conhecimento do problema e garantiu que comunicará o caso ao secretário adjunto de conservação e manutenção de vias solicitando que uma equipe seja enviada ao local em caráter emergencial.

“O trecho, inclusive, faz parte do programa de obras de mobilidade urbana. Como ainda não iniciamos esse trabalho, providenciaremos que o problema seja resolvido em caráter de emergência”, disse a secretária.

enviar comentário
Publicidade

[FOTOS] Chuvas trazem velhos problemas de Nova Parnamirim à tona

As fotos são do amigo Heitor Gregório e mostram o drama que alguns dos moradores de Nova Parnamirim, na região metropolitana de Natal, vivem com o período chuvoso.

Várias ruas sem qualquer tipo de pavimento estão intransitáveis. São enormes poças de água que escondem verdadeiras crateras em vias de barro formando aglomerados de lama.

Ruim para pedestres, motoristas e para os próprios moradores que são obrigados a conviver com o transtorno na porta de casa. Ruim pra todo mundo.

Foto: Heitor Gregório
Foto: Heitor Gregório
enviar comentário
Publicidade

Buraco envole carro e Caern é condenada a pagar danos morais e materiais

O juiz Fábio Antônio Correia Filgueira, da 12ª Vara Cível de Natal julgou procedente um pedido de indenização por danos materiais e morais feito por uma cidadã que teve seu carro danificado em virtude da abertura de uma cratera em plena via pública devido a ruptura de uma tubulação.

Com a decisão, a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte – CAERN foi condenada a pagar à autora da ação, a título de dano material, o valor de R$ 575,95, corrigido monetariamente pelo INPC, a contar do desembolso, em 07/12/2007, e juros de mora de 1% ao mês, a partir da citação válida, em 30/06/2008.

A empresa também foi condenada, a título de dano moral, na quantia de R$ 4 mil, corrigido monetariamente pelo INPC, a contar do arbitramento (S. 362, STJ), com a publicação da sentença, e juros de mora de 1% ao mês, a partir do evento danoso (S. 54, do STJ), em 23/11/2007.

A autora afirmou nos autos que, no dia 23/11/2007, por volta das 16h55, ao trafegar em seu veículo pela Avenida Rodrigues Alves, Tirol, próximo a “Cidade da Criança”, em Natal, foi surpreendida por uma cratera que surgiu subitamente em razão de rompimento de tubulação de responsabilidade da CAERN, fato este que resultou em danos morais e materiais, estes relativos à danificação da parte dianteira do veículo que ficou presa no buraco.

Já, por sua vez, a CAERN defendeu que o incidente é fato alheio a sua vontade e imprevisível. Além do mais, subsidiariamente, sustentou que em se tratando de conduta omissiva, aplica-se a “teoria do risco administrativo”, e, por envolver a matéria responsabilidade civil aquiliana, de natureza subjetiva, não cabia falar em dever de indenizar, pois não ocorreu culpa sua no acidente apontado pela autora.

Para o juiz que analisou o caso, sendo a CAERN sociedade de economia mista integrante da Administração Indireta do estado do Rio Grande do Norte, aplica-se o regime jurídico-administrativo referente à responsabilidade civil estatal.

No caso, ele explicou que aplica-se a teoria da “culpa anônima do Estado” ou da “falta do serviço”. Quanto ao dever de indenizar, entendeu que tem-se que a configuração do pressuposto básico, qual seja: o ilícito. Isto porque o surgimento de cratera trata-se de fato administrativo incontroverso que violou o dever de segurança inerente ao serviço público de água e esgoto, pois não se pode admitir que a via pública ceda ante a existência de tubulação da CAERN no subsolo, causando instabilidade e violação da segurança dos transeuntes ou do tráfego de veículos automotores.

Segundo o magistrado, o dano sofrido pela autora é algo inconteste. O seu aspecto material na modalidade dano direto ou emergente pode ser extraído de documentos anexos aos autos, que se refere ao pagamento de franquia de seguro no valor de R$ 575,95. Ele considerou que o nexo causal é requisito evidente, pois a tubulação da CAERN foi elemento decisivo à abertura da cratera em que caiu o veículo da autora.

No que se refere ao dano moral, o juiz entende que não existe dúvida de que causa angústia e revolta na alma do cidadão o descaso com que é tratada a sua incolumidade física pelas entidades públicas, sejam da Administração direta, sejam da indireta, responsáveis na prestação de serviço público, que se eximem do dever de zelar pelo mínimo de segurança aos que trafegam pelas avenidas e ruas das Cidades.

enviar comentário
Publicidade

Carro cai em buraco e proprietário será indenizado em mais de R$ 4.500

O juiz Fábio Antônio Correia Filgueira, da 12ª Vara Cível de Natal julgou procedente um pedido de indenização por danos materiais e morais feito por uma cidadã que teve seu carro danificado em virtude da abertura de uma cratera em plena via pública devido a ruptura de uma tubulação.

Com a decisão, a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte – CAERN foi condenada a pagar à autora da ação, a título de dano material, o valor de R$ 575,95, corrigido monetariamente pelo INPC, a contar do desembolso, em 07/12/2007, e juros de mora de 1% ao mês, a partir da citação válida, em 30/06/2008.

A empresa também foi condenada, a título de dano moral, na quantia de R$ 4 mil, corrigido monetariamente pelo INPC, a contar do arbitramento (S. 362, STJ), com a publicação da sentença, e juros de mora de 1% ao mês, a partir do evento danoso (S. 54, do STJ), em 23/11/2007.

A autora afirmou nos autos que, no dia 23/11/2007, por volta das 16h55, ao trafegar em seu veículo pela Avenida Rodrigues Alves, Tirol, próximo a “Cidade da Criança”, em Natal, foi surpreendida por uma cratera que surgiu subitamente em razão de rompimento de tubulação de responsabilidade da CAERN, fato este que resultou em danos morais e materiais, estes relativos à danificação da parte dianteira do veículo que ficou presa no buraco.

Já, por sua vez, a CAERN defendeu que o incidente é fato alheio a sua vontade e imprevisível. Além do mais, subsidiariamente, sustentou que em se tratando de conduta omissiva, aplica-se a “teoria do risco administrativo”, e, por envolver a matéria responsabilidade civil aquiliana, de natureza subjetiva, não cabia falar em dever de indenizar, pois não ocorreu culpa sua no acidente apontado pela autora.

Para o juiz que analisou o caso, sendo a CAERN sociedade de economia mista integrante da Administração Indireta do estado do Rio Grande do Norte, aplica-se o regime jurídico-administrativo referente à responsabilidade civil estatal.

No caso, ele explicou que aplica-se a teoria da “culpa anônima do Estado” ou da “falta do serviço”. Quanto ao dever de indenizar, entendeu que tem-se que a configuração do pressuposto básico, qual seja: o ilícito. Isto porque o surgimento de cratera trata-se de fato administrativo incontroverso que violou o dever de segurança inerente ao serviço público de água e esgoto, pois não se pode admitir que a via pública ceda ante a existência de tubulação da CAERN no subsolo, causando instabilidade e violação da segurança dos transeuntes ou do tráfego de veículos automotores.

Segundo o magistrado, o dano sofrido pela autora é algo inconteste. O seu aspecto material na modalidade dano direto ou emergente pode ser extraído de documentos anexos aos autos, que se refere ao pagamento de franquia de seguro no valor de R$ 575,95. Ele considerou que o nexo causal é requisito evidente, pois a tubulação da CAERN foi elemento decisivo à abertura da cratera em que caiu o veículo da autora.

No que se refere ao dano moral, o juiz entende que não existe dúvida de que causa angústia e revolta na alma do cidadão o descaso com que é tratada a sua incolumidade física pelas entidades públicas, sejam da Administração direta, sejam da indireta, responsáveis na prestação de serviço público, que se eximem do dever de zelar pelo mínimo de segurança aos que trafegam pelas avenidas e ruas das Cidades. (Processo nº 0012394-29.2008.8.20.0001 (001.08.012394-6))

Fonte: TJRN

enviar comentário
Publicidade